Home » Posts tagged "Teoria Substantiva"

SORDI, Victor Fraile. TEORIA SUBSTANTIVA DOS FATORES INFLUENTES NA GESTÃO DE UM PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO BRASILEIRO. Tese, 2018.

A pós-graduação brasileira tem papel fundamental na estratégia nacional de
ciência, tecnologia e inovação. É a principal responsável, dentro do modelo
adotado no Brasil, por produzir novos conhecimentos, gerando inovações
tecnológicas e buscando desenvolvimento econômico, através de suas interações
com governo e setor produtivo. Entretanto, mesmo com o aumento de
investimentos nas últimas décadas, o país apresenta resultados insatisfatórios
tanto na produção científica e tecnológica, como em relação à inovação. Como
um dos agentes fundamentais nesse contexto, a pós-graduação faz parte dos
problemas desse sistema, assim como também faz parte das soluções. Esta tese
buscou avançar na compreensão do fenômeno da gestão dos programas de pósgraduação,
investigando quais são os fatores envolvidos nesse processo e como
eles atuam. Utilizando os procedimentos metodológicos da teoria fundamentada
em dados em entrevistas com docentes e gestores de um programa de pósgraduação
brasileiro, foi possível inferir que os programas de pós-graduação
necessitam desenvolver algumas capacidades essenciais para responder às
condições estruturantes relacionadas ao contexto onde estão inseridos. Os
resultados sugerem que os principais fatores que influenciam o processo estão
relacionados ao comprometimento e à integração dos envolvidos, à capacidade
de aprender a gerir um programa de pós-graduação, à interdisciplinaridade, aos
mecanismos de cobrança, à liderança, à zona de conforto, às mudanças nas regras
do jogo e à avaliação da CAPES. É desejável que a gestão desses programas
desenvolva as capacidades de criar incentivos e recompensas, compor e manter
um quadro docente, exercer um papel político, gerenciar conflitos e reagir às
mudanças, executando-as com competência para alcançar os resultados
pretendidos. A teoria substantiva resultante do processo de pesquisa sugere que o
sistema nacional de pós-graduação pode não estar funcionando satisfatoriamente,
por não oferecer condições necessárias para os gestores e docentes buscarem
maior qualidade em suas atividades. Reformulações nos modelos de avaliação
docente, aprimoramento dos mecanismos de cobrança, reestruturação das
atribuições dos docentes e qualificação dos professores que exercem cargos
gerenciais, são possíveis melhorias sugeridas com base nos resultados alcançados
na pesquisa.

Link para download: Victor Sordi

TORRES, Maricel Karina Lopez. TEORIA SUBSTANTIVA DA TRAJETÓRIA DE UM CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE PRODUTO, NO CONTEXTO E HISTÓRIA DE UM INSTITUTO FEDERAL. Tese, 2017.

No âmbito da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e
Tecnológica (Rede Federal), muitas instituições passaram por
significativas transformações. Em Santa Catarina, a Escola Técnica
passou para Centro Federal de Educação, Ciência e Tecnologia e, após
seis anos passou a ser Instituto Federal. Em uma dessas transições, foram
ofertados os primeiros cursos superiores de tecnologia. O Curso Superior
de Tecnologia em Design de Produto – CSTDP foi um desses cursos. O
ensino de design, em uma instituição de caráter tecnicista e de tradição
típica industrial foi algo inovador e ao mesmo tempo singular. Frente ao
cenário apresentado, constatou-se que a crescente expansão da Rede
Federal e as transformações institucionais ocorridas, inseriram os
indivíduos em uma nova realidade e formas de interação, em contexto
dinâmico. Diante disso, esta pesquisa se propôs a desenvolver uma teoria
substantiva sobre a trajetória de um Curso Superior de Tecnologia em
Design de Produto, no contexto e história do Instituto Federal de Santa
Catarina. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que adota o método da
Grounded Theory – GT para produzir uma teoria substantiva enraizada
em dados empíricos. Foram coletados dados dos professores pioneiros
que participaram da maior parte da trajetória do curso (concepção,
criação, implantação e reestruturação). A principais técnicas de coleta de
dados consistiu na entrevista semiestruturada e análise de documentos.
Para a delimitação da teoria foram adotadas técnicas de análise típicas da
GT: etapas de codificação, comparação constante, saturação teórica e
validação. Os resultados das análises foram registrados em memorandos
e diagramas. Dentre os resultados, evidenciou-se que a trajetória do curso
registrou conquistas e dissabores, que descrevem condições vivenciadas
e que implicaram ou sujeitaram os envolvidos a: (a) lidar com as
transformações institucionais; (b) lidar com os processos de identificação;
(c) lidar com a ideia de “design mal compreendido”, (d) operacionalizar
o CSTDP; (e) lidar com a chegada de novos professores (e com a saída
de outros); (f) lidar com as diferentes motivações e expectativas; e (g)
lidar com novos sonhos e incertezas em relação ao futuro do próprio curso
e da área de conhecimento na instituição. Ainda, a análise dessa trajetória
e dos elementos implicados, resultou do desenvolvimento das categorias
que integram o esquema teórico da teoria substantiva: (a) Projeto do
CSTDP; (b) Professores; (c) Desafios Enfrentados no CSTP; e a categoria
central denominada (d) Inconstância dos Eventos. Essas categorias
encontram-se fundamentadas nos dados empíricos e estão relacionadas
aos eventos implicados na trajetória do curso, no contexto da história e
das transformações ocorridas na instituição. A teoria explica ações e
interações entre a Instituição, o CSTDP e os Professores, limitando-se à
área substantiva a que pertence. Todos esses elementos descrevem
processos de mudança em movimento, influenciados por fatores externos
à própria organização.

Link para download: Maricel Torres