porno
beşiktaş escort mecidiyeköy escort aksaray escort bahçeşehir escort
Home » Posts tagged "Teoria Geral de Sistemas"

LAPOPLLI, Juliana. CONEXÃO FCEE (físico, cognitivo, emocional e espiritual) como um Processo de Autoconhecimento para o Desenvolvimento de Líderes. Tese, 2016.

Diante da rapidez nas mudanças, imprevisibilidade e competitividade do ambiente no qual as organizações estão inseridas, é necessário possuir como diferencial a gestão eficaz e eficiente das pessoas que as compõem. As ferramentas, abordagens ou métodos de desenvolvimento de líderes são numerosos e formam um conjunto de técnicas que têm evoluído ao longo do tempo. A busca pelo autoconhecimento permite ao indivíduo perceber que enxerga o mundo através de seus próprios pontos de vista, e que eles são somente seus e não verdades universais. Essa consciência permite a compreensão das diferenças entre as pessoas e a consequente diminuição do egocentrismo do líder, aumentando em muito a sua capacidade e do seu grupo. Neste contexto, este trabalho tem como objetivo: Criar estratégias para o processo de autoconhecimento em líderes, fundamentadas nos aspectos físico, emocional, cognitivo e espiritual, utilizando como base a Teoria Geral de Sistemas. Para os fins a que se propõe este estudo, o procedimento metodológico seguiu a linha da Pesquisa Quantitativa e Qualitativa, de cunho Exploratório e Descritivo, sendo que utilizou instrumentos como questionário fechado, análise estatística, questionário aberto, análise de conteúdo e o método Delphi. A abordagem utilizada está de acordo com o pensamento sistêmico, pois leva em consideração o ambiente externo/sociedade, o mercado, a organização, os processos e as pessoas, todos esses como subsistemas interligados. Como resultado da pesquisa foram criadas estratégias CONEXÃO FCEE (físico, cognitivo, emocional e espiritual), validadas por especialistas (método Delphi). Salienta-se que todas as estratégias apontadas fazem parte de um processo muito pessoal, e que cabe a cada líder a forma de trabalhá-las. Assim, o caminho adotado para um líder não fundamentalmente deverá ser o mesmo adotado por outro, cada um iniciará em um ponto de partida, que diz respeito ao nível de autoconhecimento que se encontra e trilhará caminhos de acordo com suas necessidades, prioridades etc.

 

Link para download: Juliana Lapolli

ROSA, Aurélio José Pelozato da. O Emprego da Realidade Virtual no Treinamento Policial para o Enfrentamento de Criminosos com Ênfase nos Chamados Encontros Mortais: Uma Abordagem Baseada na Teoria Geral de Sistemas. Dissertação, 2014.

Este trabalho discorre sobre as possibilidades da realidade virtual no treinamento policial, com ênfase nos chamados encontros mortais. A formação e o treinamento de policiais militares em Santa Catarina, como todo processo educacional, está imersa em uma realidade afetada pelas tecnologias de informação e comunicação (TICs). Não obstante a velocidade da evolução das TICs e a oferta de produtos cada vez mais modernos e de alta complexidade tecnológica, que permitem reproduzir situações enfrentadas no cotidiano do exercício da profissão, a formação e o treinamento do policial militar ainda é afetada negativamente pela exclusão digital e pela dificuldade na identificação dos recursos de TICs adequados para o efetivo treinamento. Realiza uma abordagem baseada na Teoria Geral de Sistemas, propondo um sistema de ensino-aprendizagem que inclui conceitos e tecnologias da realidade virtual, alinhados a técnicas policiais testadas, como a pirâmide de emprego da força, somadas às experiências vividas pelos profissionais responsáveis pela preservação da ordem pública. O sistema resultante permite exercícios de aprendizagem em ambientes virtuais controlados, imerso em um mundo virtual que possibilita simular situações enfrentadas pelos policiais militares, durante o atendimento de ocorrências de alto e altíssimo risco, indicando a possível redução do número de policiais militares mortos em confrontos com criminosos, os encontros mortais, mesmo diante da crescente violência dos criminosos e do progressivo aumento da criminalidade.

Link para Download: Aurélio José Pelozato da Rosa

COSTA, Luciano Antonio. Sistema de Conhecimento para Apoio e Gestão de Recursos de Programas de Governo em Municípios. Dissertação, 2013.

Os investimentos previstos em programas do Governo Federal são fontes importantes de recursos para o município realizar novas obras e melhorias, porém para que o benefício ao cidadão se materialize são necessárias várias etapas desde a formulação e envio da proposta, passando pela seleção, análise, homologação, autorização, execução, medição, até o pagamento e a prestação de contas. Há dificuldades durante todo o processo, como o desconhecimento do programa, a falta de capacitação e a alternância de gestores e técnicos durante a execução. Esta dissertação busca, através da abordagem da Teoria Geral de Sistemas, propor uma plataforma de governo eletrônico que apoie o município na obtenção e aplicação dos recursos provenientes de um programa do Governo Federal. A discussão apresenta uma visão sistêmica da plataforma, buscando o entendimento das relações que permeiam o ambiente e suas contribuições para a construção da democracia. Após a análise sistêmica, um protótipo da plataforma foi construído e verificado para demonstrar a aplicação. Os resultados obtidos indicaram que a proposta pode permitir a manutenção e disseminação do conhecimento necessário para o município.

Link para Download: Luciano Antonio Costa

LAPOLLI, Juliana. Mapeamento de competências: uma ferramenta para a Gestão de Pessoas utilizando a abordagem da Teoria Geral de Sistemas. Dissertação, 2010.

O caráter sistêmico do setor de Gestão de Pessoas é resultado da incorporação de conceitos oriundos da Teoria Geral de Sistemas e da demanda pelo conhecimento estratégico, o que torna relevante a analise da Gestão de Pessoas sob esta ótica. Esta dissertação trata da Gestão de Pessoas como função sistêmica, agregando valor a estratégia e integração organizacional. Aborda o Mapeamento de Competências como ferramenta do setor de Gestão de Pessoas a partir de uma compreensão sistêmica das organizações, a qual identifica as competências organizacionais disponíveis e as necessárias, tornando possível o desenvolvimento de novas estratégias e processos de gestão. Para validar o enfoque proposto foi aplicado na Clinica de Medicina Estética e do Esporte “Beleza”, um modelo de Mapeamento de Competências, baseado nos autores Borges-Andrade; Lima, verificando as possíveis estratégias de treinamento e mudanças na empresa. A aplicação foi realizada de acordo com o pensamento sistêmico, levando em consideração o elemento humano e o modo como ele se relaciona com o ambiente, que é um sistema dinâmico. Assim, observou-se, além dos colaboradores que exercem atividades no setor administrativo, alguns dos colaboradores técnicos. De acordo, também, com o pensamento sistêmico, todo o trabalho da Gestão de Pessoas desde o Mapeamento de Competências até a remuneração, deve ser pensado de forma estratégica e sistêmica: buscando alcançar um estado constante de equilíbrio, de modo que os processos e o sistema como um todo não chegue a um repouso estático.

Link para Download: Juliana Lapolli