Home » Posts tagged "tecnologia da informação e comunicação"

BEIRÃO FILHO, José Alfredo. Criação e Compartilhamento do Conhecimento da Área de Moda em Um Sistema Virtual Integrado – SIMODA. Tese, 2011.

Memória da imigração, da cidade, da educação, da indústria da mulher, da família. Desde o início do século XX, a memória vem adquirindo novas dimensões e passou a ser configurada como um lugar, armazém ou depósito de acervos culturais, a quem cabe de posse das informações obtidas por meio dos objetos que armazena, reelaborar esse conhecimento e devolver à sociedade em forma de conhecimento novo. Esse fato também incide nos domínios da moda, considerando que a partir da década de 1970 novas teorias, métodos de abordagem e conhecimentos técnicos surgiram na área de preservação e promoção do conhecimento. Hoje a moda é para pesquisadores, o espelho da história, que nos revela aspectos singulares e representa fontes de informações importantes para o estudo da cultura e de uma sociedade. Caminhando nesse sentido, o Curso de Bacharelado em Moda da UDESC, visando a incentivar novas pesquisas e a produção científica nesse domínio, deu início a implantação de um espaço de memória a partir do Projeto de Pesquisa MODATECA: Espaço para Preservação de Moda e Vestuário. Essa perspectiva ensejou algumas questões para este estudo, a fim de responder questionamentos que se constituem o objeto de estudo deste pesquisador: por que preservar acervos têxteis? Como organizar esses acervos? Como disponibilizar e compartilhar esse acervo a pesquisadores e comunidade? Com a finalidade de atender aos objetivos desta tese, foi proposto o desenvolvimento de um Sistema Virtual Integrado de Informações (SIMODA), tomando como base os preceitos da WEB 2.0, com a finalidade de enxergar o mundo virtual como um espaço com possibilidades de ação cultural on-line ampliadas, com uma comunicação multidirecional entre a moda e o usuário como participação, diálogo, colaboração, trocas e compartilhamento. Dessa maneira, toma-se a WEB como um ambiente adequado de convergência tecno-cultural para a promoção, investigação e mediação do conhecimento.

Link para Download: José Alfredo Beirão Filho

BIZ, Alexandre A. Avaliação dos Portais Turísticos Governamentais Quanto ao Suporte a Gestão do Conhecimento. Tese, 2009.

O objetivo dessa pesquisa visa avaliar os portais turísticos gerenciados pelas Organizações Públicas de Turismo quanto a sua capacidade de suporte à gestão do conhecimento. Justifica-se o foco nas Organizações Públicas de Turismo pelo papel que o Estado exerce no fomento da atividade turística. Ao todo foram avaliados vinte e nove portais turísticos gerenciados por Organizações Públicas de Turismo de instância de governança federal e estadual. Utilizou-se o método misto mediante a comparação triangular cruzada entre a construção de um modelo de referência de avaliação de portais turísticos com suporte à gestão do conhecimento baseado em conceitos e modelos de gestão do conhecimento, a mensuração de indicadores quantitativos desenvolvidos a partir do comparativo de três modelos de análises de portais turísticos e do modelo referencial de portal turístico; e a mensuração do instrumento qualitativo construído a partir do modelo de representação de fluxo de informação, no domínio da integração de sistemas de informação, no modelo de ciclo de vida do conhecimento e no modelo de arquitetura da gestão do conhecimento. Como resultado, pode-se perceber as deficiências administrativas e estratégicas das Organizações Públicas de Turismo brasileiras quanto ao uso dos portais turísticos como ferramenta estratégica para tomada de decisões. A ausência de integração entre os envolvidos no processo e do uso de ferramentas de tecnologia e de gestão inibem o processo de obtenção do conhecimento individual (orientação pessoal) e organizacional (orientação as tecnologias), prejudicando o mapeamento do conhecimento (individual e organizacional) bem como a construção de um repositório de conhecimento (memória organizacional). Como considerações finais, afirma-se que os portais turísticos analisados não foram arquitetados para dar suporte à gestão do conhecimento e que o seu uso é subtilizado enquanto ferramenta estratégica de gestão de destinos turísticos.

Link para download: Alexandre Augusto Biz

COSTA, Filipe Corrêa da. Centro Nacional de Gestão de Bionegócios – CENABIO: uma estrutura de fomento para biocombutíveis. Dissertação, 2006.

O presente trabalho pretende descrever o modelo de desenvolvimento do Centro Nacional de Gestão de Bionegócios – CENABIO voltado para o fomento da cadeia de biocombustíveis. Essa estrutura é alimentada por um software, um Portal na Internet e um escritório físico. O software é o Sistema Inteligente para Organização e Recuperação do Conhecimento em Bionegócios – SISBIO. Desenvolvido com técnicas de Inteligência Artificial e Engenharia do Conhecimento e Ontologias, o sistema é um software capaz de recuperar, processar e armazenar informações para identificar oportunidades para realização de potenciais bionegócios na área de biocombustíveis. No sentido de fomentá-los, propõe-se ainda a concepção de um portal na Internet como forma de disponibilização dessas informações. Para assegurar a viabilidade dos bionegócios, criar-se-á uma estrutura com especialistas de caráter multidisciplinar, capaz de garantir a segurança ambiental, jurídica, econômica e social. A aplicação da gestão do conhecimento apoiada no uso da tecnologia da informação e comunicação (TIC) e voltada para o desenvolvimento sócio-econômico aliado à conservação do meio ambiente é a área de atuação do presente estudo.

Link para download: Filipe Costa