Home » Posts tagged "sistemas baseados em conhecimento"

SCHNEIDER, Viviane. Método de Modelagem do Contexto Estratégico para Sistemas baseados em Conhecimento. Dissertação, 2013.

A Engenharia do Conhecimento dedica-se à modelagem de conhecimento e ao desenvolvimento de sistemas de conhecimento. Um de seus principais desafios está na compreensão do contexto de aplicação de seus métodos e técnicas e na conexão entre esses e o plano estratégico da organização beneficiada pelo projeto. Nesta dissertação, realizou-se pesquisa aplicada para estabelecer um método de modelagem do contexto estratégico para sistemas baseados em conhecimento (SBC). O método agrupa ferramentais, metodologias e técnicas de engenharia do conhecimento e ontologias, com o objetivo de contextualizar o conhecimento que forma a base de um SBC no plano estratégico de sua aplicação. O método tem fundamentos na visão sistêmica de Bunge (1997; 2000; 2004), ampliada pela abordagem de engenharia do conhecimento das metodologias CommonKADS e KAMET II (para identificação do contexto em que o conhecimento está inserido). A engenharia de ontologias é aplicada na representação formal do conhecimento, com o emprego de diretrizes e técnicas da metodologia NeOn e do método OntoKEM. O método foi aplicado em processo de explicitação do conhecimento contextual, em um projeto de pesquisa desenvolvimento e inovação. Os resultados da pesquisa corroboram com estudos que evidenciam os benefícios do conhecimento contextualizado para a compreensão do problema estratégico que envolve um SBC. Além disso, verificou-se que a identificação e modelagem do contexto estratégico pode servir, também, como fonte comum de conhecimento para as atividades técnicas de concepção de um SBC, tais como análises de viabilidade do sistema, extração de requisitos funcionais e requisitos não funcionais, elaboração de casos de uso e implantação de processos e cultura para viabilizar o desenvolvimento e uso de tais sistemas.

Link para Download: Viviane Schneider

LOPES, Luiz Fernando. Um modelo de engenharia do conhecimento baseado em ontologia e cálculo probabilístico para o apoio ao diagnóstico. Tese, 2011.

O diagnóstico, como tarefa intensiva em conhecimento, é um processo complexo uma vez que existe uma grande variedade de elementos e circunstâncias a serem considerados para uma tomada de decisão. Incertezas geradas pela subjetividade, imprecisão e/ou falta de informações atualizadas existem em quase todos os estágios e interferem quanto à segurança e eficácia no resultado. Os dados e informações úteis, quando coletados e tratados adequadamente (técnica), provenientes de diagnósticos realizados (processo) e que permanecem em estado latente, podem tornar-se uma valiosa fonte de conhecimento se associados à experiência e observação do profissional (humano) que os utiliza. Assim, o objetivo desta pesquisa é propor um modelo de Engenharia do Conhecimento que possibilita a geração de novos conhecimentos para apoiar o processo de diagnóstico. As metodologias, métodos e técnicas da Engenharia do Conhecimento, utilizados neste modelo para apoiar este processo, são: CommonKADS, Ontologias, Cálculo Probabilístico e Sistemas de Descoberta Baseados na Literatura. Através da integração entre esses elementos, o modelo proposto é aplicado em um estudo de caso, o qual possibilita que evidências sejam destacadas e analisadas através de pesquisa literária como possíveis novos conhecimentos. Após a confirmação de um novo conhecimento, envolvendo a comunidade científica, o processo de inferência é atualizado. Para a verificação do aspecto de consistência do modelo, buscou-se o consenso de opiniões em um grupo de especialistas utilizando o método Delphi. Os resultados mostram que a aceitação nos conceitos, métodos e técnicas, que compõem o modelo, fica acima de um mínimo estabelecido para este estudo e os comentários dos especialistas geraram reflexões para compor o resultado final deste trabalho. Conclui-se, portanto, que, através desta pesquisa, o modelo proposto atende os requisitos para a geração de novos conhecimentos e contribui para o aperfeiçoamento da tarefa de diagnóstico.

Link para download: Luiz Fernando Lopes

RIBEIRO JÚNIOR, Divino Ignácio. Modelo de sistema baseado em conhecimento para apoiar processos de tomada de decisão em ciência e tecnologia. Tese, 2011.

Os fluxos de capital e conhecimento que geram desenvolvimento socioeconômico são influenciados, no Brasil, por políticas, planejamento em C,T&I, e monitoramento. O sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação, ou SNCTI, gera informação operacional disponível em plataformas públicas, mas a carência de sistemas de conhecimento nesse contexto leva à pergunta de pesquisa: como revelar conhecimentos para apoiar a tomada de decisão em C,T&I a partir de fontes de informação geradas pelos atores do SNCTI? Assim, foi criado um Modelo de Sistema Baseado em Conhecimento para apoiar processos de tomada de decisão em C,T&I baseado em instrumentos de Engenharia do Conhecimento (CommoKADS, KMDL, Ontologias OWL-DL e SWRL), e também, num referencial teórico-contextual sobre a C,T&I e Gestão do Conhecimento, para dar-lhe contexto, propósito e semântica. O Modelo criado foi aplicado num caso de planejamento em C&T, com a construção de um SBC, e verificou-se que o Modelo é capaz de usar informação de fontes públicas e revelar conhecimento para um Gestor de C,T&I. É escalável e é uma contribuição metodológica para a Engenharia do Conhecimento por articular diferentes instrumentos, e futuramente, pode ser experimentado em outras áreas do Conhecimento.

Link para Download: Divino Ignacio Ribeiro Junior

OLIVEIRA, Thiago P. S. de. Sistemas Baseados em Conhecimento e Ferramentas Colaborativas para a Gestão Pública: Uma Proposta ao Planejamento Público Local. Dissertação, 2009.

Esta dissertação remete à área das ciências econômicas, por abordar conceitos relacionados ao planejamento público local e à área de engenharia, por abordar conceitos relacionados a sistemas inteligentes, com foco na representação do conhecimento do cidadão. Em primeira instância, aborda-se o conceito de planejamento público local, os instrumentos de planejamento público previstos pela Constituição Brasileira e as metodologias identificadas na literatura. Posteriormente são apresentadas as vantagens e limitações deste instrumento de planejamento. Em segunda instância, faz-se um panorama geral sobre o governo eletrônico, abordando conceitos e objetivos, além de apresentar informações sobre o uso de computadores e internet pelos cidadãos brasileiros, com base em pesquisa realizada no ano de 2007. Também aborda-se conceitos relacionados à democracia eletrônica, que é vista como futuro do governo eletrônico, além de descrever os projetos já realizados, identificando as principais vantagens e limitações referentes à participação da população através da internet. Embora o planejamento público local permita maior participação do cidadão na tomada de decisão, em razão da sua proximidade com o gestor público local, evidencia-se a baixa participação nesses processos em razão da necessidade de presença física, com local e hora pré-determinados. Da mesma forma, a literatura evidencia que o uso de tecnologias permite ao cidadão colaborar através de sistemas online em processos de participação popular. Porém, a participação através desses sistemas também possui alguns limitantes, tal como a falta de organização e estrutura das informações. Por essa razão, esta dissertação buscou identificar sistemas e ferramentas online capazes de auxiliar na interação entre o gestor público e o cidadão, além de permitir a organização e o tratamento do conhecimento do cidadão, fornecendo relatórios e gráficos capazes de auxiliar o gestor a identificar as principais demandas da população e, com isso, permitindo a elaboração de planos mais eficazes. A pesquisa identificou serviços WEB 2.0, portais colaborativos e um sistema baseado em conhecimento que possuem os requisitos necessários a uma plataforma de apoio a elaboração do planejamento público local. Por envolver sistemas baseados em conhecimento, também propõe-se o uso de nove domínios de conhecimento, além do monitoramento de quarenta e oito fontes de informação relevantes aos domínios propostos. Este trabalho também buscou propor estratégias para divulgação da plataforma, bem como os resultados e riscos esperados, haja vista que não basta propor uma tecnologia capaz de auxiliar na interação entre o gestor público e o cidadão, pois ela precisa ser utilizada por esses dois atores para apresentar os resultados esperados.

Link para download: Thiago Oliveira

SANTOS, Cristina Souza. O acesso ao conhecimento em sistemas inteligentes de gestão e análise estratégicas – uma aplicação na segurança pública. Dissertação, 2006.

O grande diferencial apresentado pelos Sistemas Baseados em Conhecimento (SBC) foi a possibilidade de armazenar o conhecimento de um determinado domínio e fazer com que o sistemas considerassem este conhecimento para gerar seus resultados. Este consiste num nobre objetivo e numa idéia fascinante quando se fala de Inteligência Artificial. No entanto sabe-se que um dos grandes gargalos dos SBC é justamente a aquisição e a representação do conhecimento de uma forma eficiente para que ele possa de fato interferir nos resultados do sistema. Trabalhar com conhecimento de forma explícita limita as suas possibilidades de aplicação, uma vez que a grande maioria dos processos, heurísticas e sinapses do ser humano acontece inconscientemente no momento em ele adquire habilidade no que faz. Métodos como o da observação, permitem que alguns destes passos já internalizados possam ser abstraídos. No entanto, muita coisa ainda permanece desconhecida. Assim, percebe-se que a tarefa das equipes que desenvolvem SBC é bastante complicada, pois além de capturarem e representarem o conhecimento nos sistemas é preciso que os usuários entendam a forma como isso foi feito para conseguirem gerar resultados em cima do seu próprio conhecimento, repassado ao sistema. A capacidade de processamento de grandes volumes de informação agregada ao conhecimento representado indicam o próspero desenvolvimento de supersistemas que poderão identificar conhecimentos ocultos e apresentar conclusões inalcançáveis para a mente humana em um curto espaço de tempo. Para que isso seja possível, entretanto, não são necessários apenas sistemas computacionais inteligentes, mas sim, equipes altamente preparadas e capacitadas para manipular suas funcionalidades com a destreza de quem orienta seu próprio conhecimento ao resultado almejado. Uma nova tecnologia muitas vezes desperta mais resistência do que curiosidade, provavelmente pelo receio em não conseguir operar esta ferramenta da maneira mais adequada. A criação e manutenção da motivação nestes usuários são essenciais para que os sistemas sejam absorvidos pelos processos de trabalho já existentes, sendo necessário, para isso, ativar os mecanismos cognitivos da criatividade e curiosidade, além de desmistificar a tecnologia como instrumento poderoso e independente. A compreensão de que a tecnologia é extremamente dependente da ação humana e o pleno entendimento das formas de interação do usuário com o sistema geram um entusiasmo que ultrapassa os limites individuais e contagia toda a equipe. Este é outro fator que pode apresentar resultados surpreendentes. A integração da equipe de especialistas, gestores e usuários permite que o sistema perceba os problemas considerando todos os pontos de vista e gere respostas adequadas a cada um deles. Neste sentido é preciso identificar formas de acessar e aprimorar o conhecimento disponível no sistema adequando-o constantemente às novas necessidades da organização. Uma organização pública brasileira que hoje demonstra deficiências sérias na questão da gestão do conhecimento e da informação é a segurança pública. Este trabalho busca, ao final, apresentar uma estrutura tecnológica viável e eficiente de gestão inteligente de conhecimento, adequando a mesma à realidade existente nestas organizações, buscando aproximar ao máximo estas ferramentas dos seus usuários.

Link para download: Cristina Souza Santos