Home » Posts tagged "Representação de conhecimento"

BORDIN, Andréa Sabedra. Framework Baseado em Conhecimento para Análise de Rede de Colaboração Científica. Tese, 2015.

Entender a configuração da colaboração científica em um ambiente de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) permite a tomada de decisão em vários níveis, desde o individual até o estratégico. Análise de Redes Sociais (ARS) é um dos métodos utilizados analisar redes de colaboração científica. Nele uma rede é usualmente representada como um grafo ou matriz, o que carece de semântica e não permite que sejam analisadas características adicionais dessa rede. Ao analisar exclusivamente a estrutura da rede através das métricas de ARS, não contemplando o conteúdo dos artefatos oriundos da colaboração, perde-se um insumo importante que pode contribuir nesta análise. Percebe-se também que tarefas de análise de rede de colaboração científica são intensivas em conhecimento, pois requerem o conhecimento de um especialista, nem sempre disponível, de como realizar as tarefas. Conduzido pela abordagem metodológica Design Science Research, este trabalho apresenta uma proposição de representação ontológica de conhecimentos necessários – conhecimento de domínio, conhecimento de tarefa e solução de tarefa – para a realização de um conjunto de dezoito tarefas de análise de rede de colaboração, juntamente com um conjunto de artefatos para armazenamento e recuperação de dados dessas representações combinados em um framework de conhecimento para análise de rede de colaboração científica. A abordagem de modelagem de conhecimento é inspirada na noção de Problem-Solved Method (PSM) e utiliza a técnica de decomposição de tarefa (task-structure). O framework oferece artefatos de representação de conhecimento e módulos de implementação que podem ser reutilizados em outros contextos ou aplicações. Ele foi avaliado junto a gestores de Programas de Pós-Graduação onde verificou-se que as tarefas são relevantes e que os resultados possuem um grau de confiança alto. As ações de gestão propostas para as tarefas indicam a aplicabilidade como instrumento de gestão pois seus resultados evidenciam a realidade de um contexto de colaboração científica, baseado em produções em coautoria, e podem ser utilizados como insumo para a tomada de decisão por gestores, pesquisadores e comunidade do ambiente analisado.
Link para download: Andrea Sabedra Bordin

SALLES, Bertholdo. Desenvolvimento de uma base de conhecimento de casos clínicos de pacientes portadores de Desordem Temporomandibular, como forma de organização do conhecimento e auxílio no diagnóstico.Tese, 2009

Este trabalho apresenta uma proposta de organização interativa e colaborativa do conhecimento sobre Desordens Temporomandibular para utilização em um portal científico na área odontológica. Pretende-se com a organização do conhecimento sobre Desordens Temporomandibulares agilizar a recuperação de dados, adquirir o conhecimento para a adaptação a novos casos e oferecer um instrumento de apoio aos acadêmicos e profissionais da área odontológica. A pesquisa utiliza uma técnica de abordagem descritiva qualitativa e exploratória, que inclui revisão da literatura, coleta de imagens de diagnóstico e procedimentos que visam explicitar e aplicar o processo de organização do conhecimento em um banco de dados, para propiciar a conexão entre sinais e sintomas de Desordens Temporomandibulares (DTMs) com a imagem da patologia correspondente. Desta forma, criar um mecanismo interativo e colaborativo que possibilita uma aproximação facilitada entre os conhecimentos técnicos-científicos-acadêmicos com a área de atuação profissional.

Link para download: Bertholdo Salles

RISUENHO, Flavio. Avaliação da qualidade da informação dos controles de eventos de falha e manutenção de equipamentos industriais. Dissertação, 2009.

Este trabalho propõe a construção e uso de um indicador para monitorar e controlar a qualidade das informações que podem ser obtidas a partir dos controles de eventos de falha e manutenção em equipamentos da indústria petrolífera. Para isso, através de pesquisa bibliográfica, identifica: os cenários das áreas de confiabilidade e manutenção industrial, os principais usos das informações desses registros em estudos de confiabilidade e os atributos de qualidade da informação pertinentes ao processo de coleta e acompanhamento dessas informações. A tarefa de monitoração é então adaptada para esse contexto, gerando um indicador evolutivo para a qualidade de coleta capaz de representar a situação da qualidade dos registros, o qual é elaborado com base no conhecimento de especialistas desse processo. Este indicador traduz, em uma visão gerencial, a situação da qualidade dos controles de eventos de falha e manutenção, tornando possível o acompanhamento periódico da qualidade das informações desse processo e, por conseqüência, diminuindo a incerteza das informações geradas a partir de seus dados e melhorando a qualidade potencial das decisões tomadas com base nessas informações.

Link para download: Flavio Risuenho