Home » Posts tagged "Práticas de Gestão do Conhecimento"

DOROW, Patrícia Fernanda. COMPREENSÃO DO COMPARTILHAMENTO DO CONHECIMENTO EM ATIVIDADES INTENSIVAS EM CONHECIMENTO EM ORGANIZAÇÕES DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Tese, 2017.

O compartilhamento do conhecimento é considerado um fenômeno complexo e reconhecido como o processo mais importante na espiral de conversão do conhecimento. Assim, o objetivo desta tese é compreender o compartilhamento do conhecimento em atividades intensivas em conhecimento em organizações de diagnóstico por imagem. Para tanto, realizaram-se três estudos em organizações de radiodiagnóstico com 43 radiologistas (22 novatos e 21 especialistas). As formas de investigação foram: observações, entrevistas e confirmações dos resultados. Identificados os melhores ambientes e práticas, foi possível entender as particularidades existentes nos motivadores, inibidores e aceleradores. Os resultados revelam que uma cultura de cooperação e união favorece as interações entre os profissionais que, por sua vez, desenvolvem a perícia de modo mais rápido exatamente por compartilharem de maneira intensa os conhecimentos.

 

Link para download: PATRICIA DOROW

DÁVILA, Guillermo Antonio. Relações Entre Práticas de Gestão do Conhecimento, Capacidade Absortiva e Desempenho: Evidências do Sul do Brasil. Tese, 2016.

No contexto econômico atual, dinâmico, com alto fluxo de capitais, produtos e informação, o conhecimento tornou-se um recurso-chave para a competitividade das organizações. A gestão desse conhecimento é necessária para as organizações alcançarem vantagens competitivas sustentáveis, por meio da inovação, uma característica intrínseca nas organizações que sobrevivem no contexto atual. Diante dos diversos desafios que as organizações enfrentam para inovar, o conhecimento externo torna-se fundamental e, consequentemente, a Capacidade Absortiva (CA) adquire importância, por ser uma capacidade-chave para criar valor a partir desse conhecimento externo. Por outro lado, as práticas de Gestão do Conhecimento (GC) são rotinas intencionais voltadas a gerenciar de forma eficiente o conhecimento envolvido nos processos da organização. A relação entre práticas de GC e CA não tem sido devidamente explorada na academia, embora a própria literatura aponte uma estreita relação entre esses conceitos. Diante do exposto, este estudo objetivou analisar as relações entre práticas de GC, CA e o Desempenho Organizacional. Para esse fim, foi utilizada uma abordagem quantitativa com as seguintes hipóteses testadas em empresas do Sul do Brasil: a) as práticas de GC influenciam positivamente na CA; b) organizações com uma melhor CA potencial têm uma melhor CA realizada; c) o nível de CA de uma organização influencia positivamente seu desempenho; e d) as práticas de GC influenciam positivamente o desempenho de uma organização. Os resultados do estudo trouxeram elementos que contribuem ao fechamento da lacuna existente no que tange ao estudo da CA dentro da GC, bem como forneceram recomendações práticas que permitirão às organizações tomar medidas concretas para melhorar sua CA e seu desempenho a partir do gerenciamento das práticas de GC. A principal contribuição deste estudo é o modelo construído e avaliado estatisticamente, o qual permitiu responder às hipóteses que decantaram dos objetivos da pesquisa. Dessa forma, constatou-se que as práticas de GC relacionadas com a Gestão Estratégica do Conhecimento, Cultura Organizacional e Estrutura Organizacional influenciam na CA Potencial; enquanto as práticas de GC das dimensões Gestão Estratégica e Tecnologias de Informação e Comunicação influenciam na CA Realizada. Evidenciou-se também que a CA influencia no desempenho por meio da CA Realizada, a mesma que é influenciada pela CA Potencial e pelas práticas de GC. Em adição, as evidências indicam que as práticas de Gestão Estratégica do Conhecimento são as mais
relevantes por terem influência significativa no Desempenho, na CA Potencial e na CA Realizada. Finalmente, foram identificados e apresentados um grupo de práticas de GC prioritário na melhoria da CA e os resultados organizacionais.

Link para download: guillermo-antonio-davila

ALRCON, Dafne Fonseca. DIRETRIZES PARA PRÁTICAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Tese, 2015.

Esta tese tem por objetivo a criação de diretrizes para a implantação das Práticas de Gestão do Conhecimento – PGCs no contexto da Educação a Distância – EAD, com foco no processo de produção de Ambientes Virtuais de Aprendizagem – AVAs. O motivo para a escolha destes temas de pesquisa se deve a percepção da escassez da utilização formal das PGCs em sistemas de EAD. Esta escassez foi percebida, principalmente pela revisão da literatura, orientada aos serviços e processos de EAD. Nesse intento, o percurso metodológico adotou a técnica de Survey que permitiu analisar detalhadamente o grau de maturidade da Gestão do Conhecimento nas organizações de EAD, por meio de um questionário eletrônico, onde participaram (88) organizações formadoras e fornecedoras de serviços de EAD. Para a construção das diretrizes foram identificados os Fatores Críticos de Sucesso – (FCS) e formulado o Modelo de Educação a Distância suportado pela Gestão do Conhecimento. O fator determinante observado na criação do Modelo de EaD emerge da relação contraditória existente entre o elevado índice de percepção por parte das organizações investigadas sobre a relevância das PGCs e a baixa frequência de utilização das práticas, principalmente nas etapas de concepção e desenvolvimento dos AVAs. Como resultado, foram identificadas (05) proposições, contendo (37) diretrizes para implantação das PGCs em organizações e serviços de EaD, cujo intuito está na melhoria da qualidade dos processos de produção de AVAs.

 

Link para download: Dafne Fonseca Alarcon

 

 

FRAGA, Bruna Devens. Conhecimento como Ativo Organizacional: Estudo de Caso em Programa de Pós-Graduação. Dissertação, 2015.

No contexto atual das organizações, vistas como entes cognitivos, cujo principal ativo é o conhecimento, torna-se fundamental compreendê-lo como recurso e geri-lo de forma sustentável. Logo, é necessário utilizar métodos e estratégias para identificar e compreender o conhecimento de forma sistemática e orientada aos re-sultados e objetivos organizacionais. Neste cenário, a gestão do conhecimento é vista como uma abordagem integrada por processos de identificação, criação, compartilhamento, armazenamento e aplicação do conhecimento como recurso valioso para as organizações. No que tange a estes aspectos, alguns autores afirmam que para gerenciar é preciso mensurar, da mesma forma que as iniciativas de gestão do conhecimento necessitam ser avaliadas, a fim de certificar quais ações estão em andamento, como são percebidas pelos seus colaboradores e, quando necessário, elaborar redefinições estratégicas relacionadas à gestão do recurso conhecimento. Neste contexto, este trabalho tem por objetivo analisar o recurso conhecimento como ativo organizacional em um Programa de Pós-graduação. Trata-se de uma pesquisa de natureza aplicada, de abordagem quali-quantitativa, que por meio de estudo de caso analisa as dimensões e práticas de GC e a caracterização dos eixos de conhecimento crítico. Para isso, foi proposto um procedimento metodológico adaptado ao estudo de caso, que permitiu analisar de forma transversal o recurso conhecimento e identificar como o mesmo é percebido pelos docentes do Programa. Como resultado da aplicação e análise da correlação dessas dimensões, foi possível inferir sobre o papel da tecnologia da informação como suporte para realizar os processos da gestão do conhecimento. De forma a corroborar esta visão, deve-se potencializar as práticas de GC identificadas de forma a contribuir com os resultados e objetivos do Programa. Neste sentido, faz-se necessária uma liderança voltada para gerir o recurso conhecimento e articular as práticas consideradas informais pela organização, de forma a promover um maior alinhamento transversal entre as diferentes áreas de pesquisa. Quanto à visão estratégica do recurso conhecimento como um processo é suportada pela identificação e caracterização dos eixos críticos de conhecimento, que estão alinhados aos resultados e objetivos do planejamento estratégico do contexto estudado.

 

Link para download: Bruna Devens Fraga

SANTOS, Paloma Maria. Framework de Apoio à Democracia Eletrônica em Portais de Governo com Base nas Práticas de Gestão do Conhecimento. Tese, 2014.

Graças a sua capilaridade e facilidade de acesso, os portais de governo são tidos como um dos canais mais importantes para a prestação de serviços públicos e para a interação entre o governo e o cidadão. Muito além de um mero cartão de visitas ou um palanque eletrônico, um portal de governo deve permitir o exercício da cidadania e o aperfeiçoamento da democracia. Dessa forma, deve fomentar iniciativas que aumentem a participação cidadã nos debates e decisões governamentais, além de buscar a accountability na gestão pública. A Gestão do Conhecimento pode contribuir para a realização desses objetivos da democracia eletrônica. Assim, é de fundamental importância desenvolver um portal de governo que seja capaz de atendê-los. O presente estudo, de caráter aplicado, descritivo e exploratório, parte da identificação, análise e representação dos constructos-chave no domínio da democracia eletrônica, para a proposição de um framework que dê suporte a sua realização em portais de governo. A partir da explicitação das dimensões de análise, dos indicadores e das variáveis capazes de fomentar a democracia eletrônica, foi estruturado um framework que mostrou ser consistente tanto do ponto de vista teórico quanto do empírico. Sua aplicação prática revelou que os portais avaliados não estão sendo utilizados como ferramentas em prol do avanço na construção e no aperfeiçoamento da democracia, e que os processos fomentados com mais intensidade são o uso, o armazenamento e o compartilhamento de conhecimento.

 

Link para Download: Paloma Maria Santos

BENÍTEZ HURTADO, Segundo Raymundo. Práticas de Gestão do Conhecimento no Processo de Formação de Docentes em uma Universidade Privada do Equador. Dissertação, 2012.

As instituições de educação superior (IES), ao desempenhar um importante papel no crescimento sustentável e econômico dos países, estão obrigadas a implementar estratégias que utilizem o conhecimento para estimular a inovação e melhorar os serviços educacionais. Face a esta necessidade, a Gestão do Conhecimento (GC) oferece um conjunto de práticas que possibilitam auxiliar às organizações na identificação, criação, armazenamento, troca e uso do conhecimento. Estas práticas,  apoiadas na tecnologia, são fundamentais nas estratégias de GC que as IES devem implementar. Face a este panorama, a pesquisa tem por objetivo compreender a realidade das IES a respeito do uso das práticas de GC, do uso da tecnologia bem como propor ações que possibilitem institucionalizar as práticas em questão como parte de uma estratégia organizacional de GC. Para isto, identificam-se as práticas de GC e tecnologias web 2.0 que as suportam dentro das IES e se analisa o grau de uso e de importância das mesmas dentro do processo de formação docente da Universidad Técnica Particular de Loja (UTPL). Para uma melhor compreensão da adopção das práticas de GC se analisa o grau de maturidade, a relação com cada uma das etapas do processo de GC e a relação  uso versus importância. A partir da análise, foi possível observar que as práticas de GC e as tecnologias web 2.0 não são amplamente utilizadas embora sejam conhecidas. Neste sentido, a implementação de ações relacionadas com a institucionalização das práticas supõe uma mudança na forma de executar diversos processos, no comportamento das pessoas  e no papel da tecnologia dentro das IES; ou seja, a implementação de ações deve estar vinculada a uma estratégia de GC que involucre a toda a organização.

Link para Download: Segundo Raymundo Benítez Hurtado

DE SÁ, Mohana Faria. Avaliação de Práticas de Gestão do Conhecimento de Parques Tecnológicos: Uma Proposta para apoio à Gestão Pública. Tese, 2011.

Diversos países têm incluído em suas políticas de desenvolvimento socioeconômico os Parques Tecnológicos (PqT), percebidos como um dos principais atores dos Sistemas Regionais de Inovação. Pesquisadores e entidades internacionais ligadas a estes habitats de inovação concordam que um PqT é composto por uma diversidade de atores de inovação e que sua missão está intrinsecamente ligada à articulação destes atores na promoção da inovação. Neste contexto, um fator crítico ao alcance da missão do PqT é a Gestão do Conhecimento (GC) do mesmo e, particularmente, o emprego de práticas de GC. Embora o conhecimento seja considerado fator estratégico aos PqT, a GC não surge explicitada em políticas públicas como fator de análise, avaliação, acompanhamento e planejamento de PqT. Esta pesquisa tem como objetivo propor um método de avaliação de práticas de GC de PqT. O método proposto tem base em três construtos: (i) PqT percebidos como organizações de conhecimento; (ii) levantamento de práticas de GC de PqT; e (iii) indicadores para avaliação organizacional das práticas de GC de PqT. Para assegurar comparabilidade entre diferentes PqT, o método proposto inclui adaptação do questionário que a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) utiliza para avaliar práticas de GC junto a atores empresariais. Os indicadores propostos foram calculados para PqT em operação no Brasil, com análise qualitativa auxiliada por entrevista semiestruturada junto a especialistas nas áreas de GC e PqT. O principal resultado da tese é a construção de indicadores que servem como referenciais comparativos do estado das práticas de GC de PqT e, desta forma, como instrumentos de apoio à gestão, ao planejamento, ao acompanhamento e à avaliação de PqT, de modo sintonizado com as demandas da sociedade do conhecimento.

Link para download: Mohana Faria de Sá

VEIGA, Carla. A Influência das Práticas da Gestão do Conhecimento na Fase do Pré-Desenvolvimento de Produto: Estudo de Caso em uma Empresa “Classe Mundial” do Setor Odontomédico. Dissertação, 2008.

As organizações inseridas nesse cenário extremamente globalizado necessitam para se manterem competitivas, aprimorar permanentemente suas estratégias de gestão visando o lançamento de produtos inovadores em um menor tempo, com menor custo e que atendam as necessidades do cliente. Pesquisas apontam que uma das formas de se obter destaque nesse ambiente, pode ocorrer através do Processo de Desenvolvimento de Produto – PDP. Considerando a relevância do PDP para as organizações, este trabalho tem por objetivo principal identificar as práticas de Gestão do Conhecimento – GC, e sua influência na fase do pré-desenvolvimento de produto. Estudos destacam que o sucesso do PDP relaciona-se diretamente a gestão eficaz do conhecimento, criado ao longo desse processo, principalmente devido ao grande número de pessoas envolvidas. Desta forma, para que o conhecimento gerado no PDP não se perca e possa ser aplicado em futuros projetos de desenvolvimento, se faz necessário a implementação de práticas voltadas a captura, armazenamento e compartilhamento desse conhecimento. No intuito de perceber a influência das práticas de GC, no âmbito do PDP, mais especificamente na fase do projeto de desenvolvimento, aplicouse um estudo de caso a partir da metodologia quali-quantitativa, exploratória e descritiva, embasada na revisão da literatura. A análise dos dados foi realizada sob o método da triangulação. O estudo foi conduzido a partir de entrevistas e questionários realizados junto às pessoas diretamente envolvidas com o PDP. Os resultados do trabalho apontaram, que a ausência de práticas voltadas a capturar, armazenar, documentar e compartilhar o conhecimento gerado no PDP está impactando nos custos de produção, dificultando a retenção do conhecimento, bem como no seu compartilhamento. Para finalizar, os resultados da análise demonstraram que embora a empresa apresente problemas no gerenciamento do conhecimento inerente ao PDP, a mesma vem empenhando-se para incorporar um novo raciocínio e foco gerencial para seu processo de desenvolvimento.

Link para download: Carla Veiga

FERREIRA, Vania Regina Barcellos. A utilização de práticas de gestão do conhecimento em organizações da sociedade civil que trabalham com projetos de inclusão digital – Um estudo de caso. Dissertação, 2007.

Esta pesquisa tem por objetivo identificar e estabelecer as práticas de gestão do conhecimento que possam apoiar as Organizações da Sociedade Civil que trabalham com projetos de inclusão digital e que visam os processos de reconstrução, inserção e fortalecimento da cidadania. Para alcançar esse objetivo, estruturou-se a fundamentação teórica de tal forma que para estudar a inclusão digital tornou-se imprescindível apresentar o ciberespaço. Dentro desse mundo virtual, surge a figura do ‘Novo Estado’, cuja principal característica é a implantação do programa de governo eletrônico (e-Gov). Um dos objetivos estratégicos do programa de e-Gov brasileiro é promover a cidadania através da inclusão social e digital, possibilitando o acesso a serviços, informações e controle social dos agora inseridos cidadãos. Nesse contexto, juntam-se ao Estado as iniciativas das Organizações do Terceiro Setor que para cumprir sua função social procuram o apoio e estabelecem parcerias com as Organizações do Segundo Setor, cujas iniciativas são reconhecidas pela sociedade como ‘Responsabilidade Social’. Dessa maneira, são criadas as ‘Redes Sociais’, em que o Estado e as organizações com ou sem fins lucrativos trabalham unidas em prol da cidadania. Através da metasinapse tecnológica, utilizando os instrumentos das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), as práticas de gestão do conhecimento surgem nesse arcabouço como uma solução para armazenar, disseminar e transferir conhecimentos para o universo social. Esta pesquisa caracteriza-se como exploratória e descritiva. Quanto aos procedimentos metodológicos para obtenção dos dados, foram utilizados: pesquisa documental, bibliográfica e contatos diretos. Foram empregadas as técnicas de observação direta não participante, questionário e entrevista. O método de estudo de caso foi utilizado na análise qualitativa da organização estudada: a Associação Meninos do Morumbi. Esta desenvolve projetos de inclusão digital que abrange o universo pesquisado. A metodologia utilizada se justifica pelo fundamento de que a associação investigada é um caso representativo de organização sem fim lucrativo e com fins sociais, o que possibilitou testar a os fundamentos propostos pela revisão da literatura, qual seja: elaborar uma estrutura teórica cujos resultados possam servir de modelo a Organizações da Sociedade Civil afins. Os resultados deste estudo sugerem que a fundamentação teórica apresentada demonstra que os elementos deste arcabouço (indivíduo, comunidade, Primeiro, Segundo e Terceiros Setores, responsabilidade social, inclusão digital, e-Gov, práticas de gestão do conhecimento, educação e ciberespaço) possuem relações empíricas intrínsecas, podendo, dessa maneira, haver uma evolução teórica e prática do conjunto estudado. Concluiu-se que, com a devida interação entre todos os atores envolvidos nesta pesquisa, incluindo nesse universo as idéias e teorias, as ações sociais realizadas por organizações, como a Associação Meninos do Morumbi, obterão sucesso e tornar-se-ão perenes, verdadeiras organizações do conhecimento.

Link para download: Vania Regina Barcellos Ferreira