Home » Posts tagged "ontologia" (Page 2)

ROTTA, Maurício José Ribeiro. Modelagem do Conhecimento Legal Necessário na Elaboração de Sentenças em Processos na Área de Defesa do Consumidor. Dissertação, 2013.

A justiça brasileira é morosa, pouco produtiva, burocrática e apresenta custos elevados de operação. De fato, o Estado Brasileiro não entrega resultados eficientes para a solução dos conflitos existentes entre os jurisdicionados, prejudicando os princípios basilares do sistema processual-legal, tais como oralidade, celeridade processual, efetividade, economia e instrumentalidade de formas e a igualdade processual. A ausência de resultados qualitativos é preocupante e demanda ações estruturantes por parte dos governantes. Frente a este cenário, diversas inovações tecno-jurídico-legislativas foram desenvolvidas, cabendo destaque para a instrumentalização da justiça por meio de leis e sistemas para a gestão eletrônica de processos judiciais digitais. Estas providências colaboraram para eliminar o tempo morto do processo – atividades rotineiras e manuais que agregam pouco ou nenhum valor a operação. Contudo, com a eliminação das atividades rotineiras, o magistrado tornou-se o gargalo da tramitação processual, no momento da elaboração das sentenças. Considerando que elaborar uma decisão é uma atividade intensiva em conhecimento, esta pesquisa visa modelar o conhecimento legal necessário na elaboração de sentenças, em casos de rescisão contratual, conforme o código de defesa do consumidor, se valendo de recursos e ferramentas da Engenharia do Conhecimento, em especial a metodologia CommonKADs e ontologias, empregando as ferramentas ontoKEM e Protégé. Como resultado, obteve-se a compreensão aprofundada do trabalho desenvolvido pelos magistrados, em especial acerca das atividades intensivas em conhecimento, e de como a Engenharia do Conhecimento e os princípios de Governo Eletrônico podem apoiar os juízes em suas atividades, gerando mais produtividade e eliminando e/ou reduzindo os gargalos da tramitação eletrônica dos processos judiciais digitais, em benefício direto da população, oportunizando maior transparência, inclusão, democratização do acesso à justiça e maior celeridade e qualidade na prestação jurisdicional.

Link para Download: Mauricio José Ribeiro Rotta

ADOLFO, Luciane Baratto. Uma Ontologia de Apoio a Classificação de Processos Judiciais. Dissertação, 2013.

A classificação de processos judiciais exige do especialista um aporte de conhecimento para ser realizada de forma fundamentada e padronizada como demanda esse tipo de documentação. O resultado da classificação de documentos reflete diretamente na avaliação, que determina a guarda ou a eliminação do processo. Bem como os metadados identificados durante o procedimento servirão como forma de recuperação, ou ainda justificativa do destino dado ao processo, inviabilizando correções no caso da eliminação. As ontologias são caracterizadas como um eficiente meio de representação, compartilhamento e reuso do conhecimento, pois possibilita a utilização da linguagem comum ao domínio através de uma especificação formal compreensível por agentes de softwares e agentes humanos. Este estudo apresenta uma proposta de ontologia para apoio a classificação, de forma a subsidiar o tratamento empregado nos processos judiciais. O estudo baseia-se na aplicação da metodologia CommonKADS e desenvolvimento do Modelo de Conhecimento com o sofwtare Protégé por meio da metodologia Methontology. A pesquisa contempla o percurso de aplicação das metodologias no desenvolvimento da proposta de ontologia através das etapas de contexto, conceito e artefato do CommonKADS, acrescido das etapas de aplicação da Methontology para o desenvolvimento da ontologia proposta. As aplicações das metodologias resultaram em um modelo de conhecimento e um plano de sistema de conhecimento para apoio a classificação de processos judiciais findos demonstrando no Modelo de Projeto.

Link para download: Luciane Baratto Adolfo

STADNICK, Simone. Um Modelo de Conhecimento Para Uso de Balanço Hídrico Superficial no Apoio à Gestão de Recursos Hídricos. Dissertação, 2011.

Esta dissertação trata da representação do conhecimento do especialista em gestão de recursos hídricos ao utilizar os resultados de balanços hídricos superficiais na tomada de decisões e no planejamento do uso deste recurso natural. No Brasil, a Política Nacional de Recursos Hídricos determina que o poder público seja responsável pela gestão dos recursos hídricos, a fim de garantir o uso múltiplo das águas e assegurar, em momentos críticos, o atendimento ao abastecimento humano e à dessedentação animal, considerados prioritários. A utilização de um balanço hídrico superficial na gestão de recursos hídricos é uma tarefa intensiva em conhecimento porque requer que o especialista compreenda as decisões a serem tomadas e atue em prol da solução de problemas e da resolução de conflitos mediante as diferentes variáveis e indicadores que caracterizam a realidade de uma bacia hidrográfica. Por esta razão, no âmbito deste trabalho, o conhecimento é entendido como o fator que determina o aproveitamento e a aplicação de informações no intuito de alcançar objetivos definidos. E, de acordo com Schreiber et al. (2002), a Engenharia do Conhecimento é a disciplina que provê métodos para obter um minucioso entendimento das estruturas e processos usados por profissionais que usam o conhecimento de forma intensiva. O modelo do conhecimento alvo deste estudo foi construído através das técnicas e linguagens formais particulares às ontologias. Nos termos da Engenharia do Conhecimento, as ontologias são modelos que representam um domínio de interesse expressos em um formato computacional. Esta dissertação apresenta como resultado um modelo de conhecimento que conjuga uma ontologia de domínio do cálculo de um balanço hídrico superficial e uma ontologia de aplicação dos indicadores calculados por um balanço hídrico superficial no campo da gestão de recursos hídricos. A ontologia de domínio é a base conceitual para a representação de um balanço hídrico superficial. A valoração dos seus conceitos, a partir dos balanços hídricos superficiais calculados pelo sistema SADPLAN, ampara a construção da ontologia de aplicação que modela o conhecimento do uso de balanços hídricos superficiais no apoio à gestão de recursos hídricos.

Link para Download: Simone Stadnick

LOPES, Luiz Fernando. Um modelo de engenharia do conhecimento baseado em ontologia e cálculo probabilístico para o apoio ao diagnóstico. Tese, 2011.

O diagnóstico, como tarefa intensiva em conhecimento, é um processo complexo uma vez que existe uma grande variedade de elementos e circunstâncias a serem considerados para uma tomada de decisão. Incertezas geradas pela subjetividade, imprecisão e/ou falta de informações atualizadas existem em quase todos os estágios e interferem quanto à segurança e eficácia no resultado. Os dados e informações úteis, quando coletados e tratados adequadamente (técnica), provenientes de diagnósticos realizados (processo) e que permanecem em estado latente, podem tornar-se uma valiosa fonte de conhecimento se associados à experiência e observação do profissional (humano) que os utiliza. Assim, o objetivo desta pesquisa é propor um modelo de Engenharia do Conhecimento que possibilita a geração de novos conhecimentos para apoiar o processo de diagnóstico. As metodologias, métodos e técnicas da Engenharia do Conhecimento, utilizados neste modelo para apoiar este processo, são: CommonKADS, Ontologias, Cálculo Probabilístico e Sistemas de Descoberta Baseados na Literatura. Através da integração entre esses elementos, o modelo proposto é aplicado em um estudo de caso, o qual possibilita que evidências sejam destacadas e analisadas através de pesquisa literária como possíveis novos conhecimentos. Após a confirmação de um novo conhecimento, envolvendo a comunidade científica, o processo de inferência é atualizado. Para a verificação do aspecto de consistência do modelo, buscou-se o consenso de opiniões em um grupo de especialistas utilizando o método Delphi. Os resultados mostram que a aceitação nos conceitos, métodos e técnicas, que compõem o modelo, fica acima de um mínimo estabelecido para este estudo e os comentários dos especialistas geraram reflexões para compor o resultado final deste trabalho. Conclui-se, portanto, que, através desta pesquisa, o modelo proposto atende os requisitos para a geração de novos conhecimentos e contribui para o aperfeiçoamento da tarefa de diagnóstico.

Link para download: Luiz Fernando Lopes

NAPOLI, Márcio. Aplicação de ontologias para apoiar operações analíticas sobre fontes estruturadas e não estruturadas. Dissertação, 2011.

Apesar da importância das ferramentas de processamento analítico on-line (OLAP) para a gestão estratégica, verifica-se que a sua aplicação está restrita às fontes de dados estruturados das organizações. Para analisar os dados não estruturados é necessário tratá-los não apenas como um conjunto de caracteres isolados, mas sim extrair informação desse conteúdo e incluí-la no processo decisório, dessa forma é fundamental trazer o universo textual para as ferramentas de processamento analítico, permitindo realizar as operações OLAP sobre todas as fontes de informação da organização. Com o advento da Web Semântica, surgem novas possibilidades de tratar a integração e exploração dos dados organizacionais. O presente trabalho descreve uma aplicação baseada em ontologias que permite o uso de recursos de processamento analítico como: a análise conjunta de dados estruturados e não estruturados; o acesso transparente as fontes de informação e a exploração dessas fontes por meio de conceitos atrelados a um domínio. Um estudo de caso é apresentado para demonstrar os benefícios da aplicação proposta no domínio da gestão de Ciência & Tecnologia. Ao analisar os resultados da aplicação notamos o enriquecimento das análises, possibilitando uma melhor compreensão do contexto explorado, ao complementá-las com informações oriundas das fontes não estruturadas e, também, a facilidade do usuário ao requisitar informações de forma transparente por meio um modelo de consulta baseado nos conceitos de um domínio.

Link para download: Marcio Napoli

HEINZLE, Roberto. Um Modelo de Engenharia do Conhecimento para Sistemas de Apoio a Decisão com Recursos para Raciocínio Abdutivo. Tese, 2011.

Esta Tese tem por objetivo a construção de um modelo de engenharia do conhecimento para integrar o raciocínio não-monotônico aos Sistemas de Apoio a Decisão-SAD, e assim oferecer um instrumento mais efetivo no auxílio aos processos cognitivos desenvolvidos pelo gestor no âmbito de uma tomada de decisão organizacional. Para identificar os princípios e as alternativas a serem considerados na construção do modelo foi feita uma revisão da literatura sobre as diferentes abordagens dos pesquisadores das áreas de teoria da decisão, teoria do raciocínio, lógica e raciocínio computacional. Desta forma, percebeu-se que os princípios que fundamentam a Teoria do Raciocínio de Peirce, somada à representação do conhecimento com o uso de uma ontologia, poderiam ser aplicados para embasar a criação do modelo que permite aos Sistemas de Apoio a Decisão oferecer o suporte necessário ao gestor, inclusive com recursos para desenvolvimento do raciocínio não-monotônico. O modelo foi então formulado e, posteriormente, submetido à validação por meio  de uma aplicação experimental realizada junto à Universidade Regional de Blumenau e relacionada à gestão dos cursos de pós-graduação stricto sensu oferecidos pela instituição. Entre as conclusões a que se chegou, merecem destaque a viabilidade da integração do raciocínio não-monotônico às funcionalidades analíticas dos Sistemas de Apoio a Decisão e  que ele é instrumento atenuante dos fatores indicados pelos modelos de tomada de decisão como restritivos à racionalidade nos processos decisórios.

Link para download: Roberto Heinzle

ANDRADE, Rafael. Um modelo para recuperação e comunicação do conhecimento em documentos médicos. Tese, 2011.

O grande número de informações disponíveis, que estão em diferentes fontes de dados, exige cada vez mais processamento dos motores de busca. Recuperar informações que estão nessas bases de dados com a melhor precisão possível é um dos desafios a serem alcançados dentro do contexto desta tese. Os registros clínicos médicos contêm uma imensa gama de informações, normalmente escritas em forma de texto livre e sem um padrão linguístico. Os médicos não escrevem os diagnósticos e os laudos do paciente com o uso de elementos de estilo, o que dificulta o processamento e a recuperação da informação por parte dos sistemas computacionais. Consequentemente, obter o conhecimento a partir desses dados não é uma tarefa fácil para um motor de busca. Este trabalho apresenta o desenvolvimento de um modelo, que permite recuperar o conhecimento de informações textuais em documentos médicos. Técnicas de expansão de pesquisas, que utilizam detecção de ativos de conhecimento da ontologia DeCS e de dicionários linguísticos, são utilizadas. O objetivo é ampliar o universo de pesquisa do usuário e criar uma base de conhecimento para permitir o seu reúso. A proposta de tese aqui apresentada difere dos anteriores porque a intenção é retornar às pesquisas dos usuários uma série de documentos médicos muito mais eficazes do que nas tradicionais ferramentas de busca. Com o intuito de melhorar os resultados de uma pesquisa, anotações semânticas e detecção de expressões negativas serão utilizadas para processar os textos médicos. O estudo de caso apresentado no final mostra que, dos dez primeiros resultados do modelo ora proposto, alcançou-se uma média de 90% de precisão, enquanto que o modelo booleano limitou-se a 60%, e com o diferencial de que no modelo tradicional, o usuário teve que refazer suas consultas várias vezes até chegar a um resultado satisfatório, ao passo que no modelo semântico obteve êxito já na primeira consulta. Justamente porque o usuário não encontrou uma resposta nas primeiras pesquisas no modelo booleano, os tempos de resposta médios foram de 49 minutos, contra 0,6 segundos do novo modelo. Conclui-se, dessa forma, que o usuário não precisará despender muito tempo para encontrar a informação ou não precisará procurar em diferentes bases de dados a fim de encontrar a informação necessária.

Link para download: Rafael Andrade

CECI, Flávio. Um Modelo Semi-automático Para a Construção e Manutenção de Ontologias a partir de bases de documentos não estruturados. Dissertação, 2010.

Considerando-se que grande parte do conhecimento de uma organização ou daquele disponível na web são documentos textuais, estes se tornam uma importante fonte para modelos de manutenção de ontologias. Nota-se ainda que o uso das ontologias como meio de representar formalmente o conhecimento vem crescendo em importância no desenvolvimento de sistemas baseados em conhecimento. Nesse sentido, o presente trabalho utiliza técnicas de extração de informação e agrupamento de documentos para explicitar entidades que podem tornarse instâncias de uma ontologia de domínio. Para as fases de validação e classificação das instâncias encontradas, é proposta a utilização de bases de conhecimento colaborativas, contando-se com o auxílio de especialistas de domínio, o que se caracteriza como um processo semiautomático. Visando demonstrar a viabilidade do modelo proposto, foi desenvolvido um protótipo para suportar as fases de extração, validação e classificação dos resultados. O protótipo foi aplicado em um estudo de caso utilizando résumés de alguns pesquisadores, assim como em um estudo experimental mais amplo com résumés de pesquisadores da área de Biotecnologia. Por fim, foram analisados seis trabalhos similares com foco na aprendizagem e na população das ontologias com vistas a propiciar uma avaliação comparativa ante o modelo proposto. De modo geral, verificou-se que o modelo proposto auxilia tanto na construção inicial de uma ontologia de domínio, levando em consideração coleções de documentos (bases de dados não estruturadas), quanto no processo de manutenção de ontologias.

Link para download: Flávio Ceci

CABRAL, Rodrigo Bittencourt. Concepção, implementação e validação de um enfoque para integração e recuperação de conhecimento distribuído em bases de dados heterogêneas. Dissertação, 2010.

Com o crescimento da demanda e da composição de Bases de Conhecimento para os mais diversos fins e a sua disponibilização através da rede mundial de computadores, passou-se a observar a necessidade de organizar este conhecimento e também integrá-lo para possibilitar maior acessibilidade e facilidade na sua manutenção e utilização, devido à caracterização da disposição dispersa e o formato heterogêneo das referidas bases. Neste trabalho é proposto um sistema que efetua integração do conhecimento de bases de dados em contexto genérico, utilizando como estudo de caso o atendimento emergencial no CIT – Centro de Informações Toxicológicas de Santa Catarina – além de possibilitar a manutenção e manipulação deste artefato através do agrupamento de técnicas de recuperação de informação, aperfeiçoamento semântico, expansão de consulta, fonética em um único mecanismo. Foram avaliadas – através de uma revisão sistemática da literatura – as melhores opções disponibilizadas por estudos prévios em pesquisas realizadas nestas áreas a fim de encontrar a melhor combinação a ser utilizada no mecanismo, além da análise do produto final em um comparativo feito entre mecanismos previamente utilizados pelos profissionais no atendimento de urgência.

Link para Download: Rodrigo Bittencourt Cabral

MANICA, Heloise. Modelo de Recuperação e Comunicação de Conhecimento em Emergência Médica com Utilização de Dispositivos Portáteis. Tese, 2009.

A evolução da tecnologia de computação móvel e a crescente informatização em ambientes hospitalares viabilizam o uso de dispositivos portáteis para apoiar as atividades de profissionais que atuam em emergência médica. O ambiente de emergência é caracterizado pela mobilidade e atendimentos que podem ocorrer em situações bastante adversas como tumultos, locais de risco, mau tempo e com recursos escassos. Todos os pacientes, que se encontram em situação risco, devem ser atendidos e tratados da mesma maneira, seguindo os padrões de atendimento determinados pelas organizações de saúde. Adicionalmente, limitações tecnológicas podem dificultar a comunicação e o acesso à informação para tomada de decisão clínica. O processo de assistência médica emergencial é intensivo em conhecimento. Parte deste conhecimento é declarado quando especialistas executam consultas em bases de conhecimento, utilizando seus dispositivos portáteis. Capturar conhecimento neste ambiente complexo sem introduzir alterações na rotina de atendimento é um desafio. Esta pesquisa tem como objetivo principal apresentar um modelo diferenciado de recuperação de documentos para apoiar a decisão clínica com a utilização de dispositivos móveis. Desta forma, qualquer terminologia informal no domínio é extraída sem interferir no fluxo de trabalho dos profissionais em urgências e emergências médicas. O modelo proposto contribui com o desenvolvimento de terminologia para indexação e recuperação da informação em bases de conhecimento. Um cache baseado na semântica das consultas é proposto para auxiliar na extração de conhecimento e tratar limitações tecnológicas. Para testar a viabilidade do modelo proposto, foi desenvolvido um protótipo que foi projetado para funcionamento em um dispositivo portátil. Simulações de estudos de casos, utilizando o protótipo, indicam que o objetivo foi alcançado com sucesso. Adicionalmente, observaram-se contribuições interessantes para aplicações em ambiente de emergência médica como a redução do tempo de resposta de consultas, do consumo de bateria e o aumento da disponibilidade de informação em momentos de desconexão.

Link para download: Heloise Manica