Home » Posts tagged "Modelo de Conhecimento"

ANDERLE, Daniel Fernando. Modelo de Conhecimento para Representação Semântica de Smart Cities com foco nas Pessoas. Tese, 2017.

Devido ao inchaço das cidades e a crescente demanda por soluções de
problemas cada vez mais críticos, oriundos da recorrente falta de
planejamento e de recursos cada vez mais escassos, o conceito de Smart
Cities está sendo cada mais disseminado pelo mundo, ainda através das
TICs propor soluções aos sérios problemas sociais como: saúde, educação
e segurança. No entanto as pesquisas apontam que para uma cidade se
tornar inteligente e ser bem-sucedida antes de qualquer coisa, a mesma
deve possuir uma estreita relação com seus habitantes, onde deva existir
uma troca bilateral de conhecimento entre seus habitantes e os provedores
de tecnologia, para que possam alinhar-se convergindo de forma mútua
na solução dos referidos problemas. Uma Smart City é muito mais que
tecnologia, é uma cidade onde o centro das soluções são as pessoas e não
as TICs. Uma cidade para ser considerada Smart City, deve garantir aos
seus habitantes acima de tudo qualidade de vida e bem-estar, onde a
tecnologia é apenas meio e não o fim. Desta forma, a presente tese
ocupou-se em estudar e apresentar um Modelo de Conhecimento baseado
em tecnologias como: ontologias, padrões de projeto e análise de
sentimento, que pudessem representar semanticamente e de forma
genérica as dimensões de uma Smart City, buscando colocar sempre como
cerne as pessoas assim como as suas demandas. Partindo desses
pressupostos, desenvolveu-se, o escopo do problema, o levantamento
bibliográfico, a construção de quadro conceitual e dos constructos de uma
Smart City, uma ontologia que buscasse representar as pessoas que
habitam uma cidade, a elaboração de um ferramental onde possibilitasse
analisar a satisfação dos habitantes em relação as dimensões propostas,
propõe-se modelos de padrão de projeto pautado na bibliografia existente.
Por fim, verificou-se a viabilidade do modelo através da opinião de
especialistas de domínio que compõem a tríplice hélice mais a sociedade
civil, é realizado uma análise das suas contribuições para o
desenvolvimento de uma Smart City com foco nas pessoas. O resultado
da tese foi um modelo de conhecimento que através da representação
semântica aponte possíveis trajetórias de aplicações de Smart Cities com
foco nas pessoas.

Link para download: Daniel Fernando Anderle

NAZÁRIO, Débora Cabral. CUIDA – Um Modelo de Conhecimento de Qualidade de Contexto Aplicado aos Ambientes Ubíquos Internos em Domicílios Assistidos. Tese, 2015.

O aumento da utilização de dispositivos portáteis vem gerando uma demanda de informações do ambiente e do usuário, o contexto. Contexto pode ser definido como a relação entre o texto e a situação em que ele ocorre. Em informática, o contexto é formado pelas circunstâncias as quais se utiliza um determinado dispositivo. O uso do contexto pode prover serviços mais dinâmicos e personalizados, sendo um aspecto essencial à garantia da Qualidade de Contexto (QoC), para atender a satisfação dos usuários. A QoC descreve a qualidade da informação que é usada para caracterizar o contexto. Através do levantamento de literatura, foi observada a falta de uniformização de nomenclatura e definições de parâmetros de QoC, além de diferentes formas de quantificação dos parâmetros. Estas dificuldades são refletidas nos modelos de representação, o que prejudica o entendimento e compartilhamento de informações de contexto e QoC. Neste sentido, a Engenharia do Conhecimento pode auxiliar na representação de conhecimento deste domínio, com a utilização de ontologia. Sendo assim, o objetivo desta tese foi pesquisar e desenvolver um modelo de conhecimento de qualidade de contexto, aplicado a um ambiente denominado CUIDA – Contexto Ubíquo Interno em Domicílios Assistidos. A utilização de ontologias como modelo de conhecimento é incentivada, visto que as ontologias representam conhecimento para a comunicação entre os seres humanos, primam pela estruturação, pela organização e pela integração de conhecimento. Desta forma, esta pesquisa contribuiu com um Modelo de Conhecimento de QoC para apoiar pesquisadores e desenvolvedores de computação sensível ao contexto, facilitando o entendimento e acesso aos conceitos deste domínio, permitindo sua reutilização. Com base no modelo desenvolvido foi proposta uma abordagem de avaliação de QoC aplicada a um cenário Ambient Assisted Living (AAL), chamado nesta tese de CUIDA. O objetivo foi demonstrar o uso da avaliação de QoC proposta, avaliando alguns parâmetros. Esta demonstração ocorreu inicialmente com uma prova de conceito através de simulação e em seguida com a certificação dos resultados obtidos através de um estudo experimental que utilizou um cenário real com sensores e-Health. A prova de conceito e o estudo experimental utilizaram sensores biomédicos como pressão arterial, pulso, temperatura corporal, com ênfase no monitoramento da saúde do usuário. O estudo experimental confirmou os bons resultados obtidos na prova de conceito. Foi possível demonstrar que vários casos de qualidade de contexto insuficiente podem ser detectados, assim como as prováveis causas relacionadas, gerando alertas, inclusive para possíveis problemas de saúde. Estes alertas podem com sucesso proporcionar o atendimento de um profissional de saúde de maneira diferenciada, em um tempo reduzido, essencial em casos de emergência.

Link para Download: Debora Cabral Nazario

STADNICK, Simone. Um Modelo de Conhecimento Para Uso de Balanço Hídrico Superficial no Apoio à Gestão de Recursos Hídricos. Dissertação, 2011.

Esta dissertação trata da representação do conhecimento do especialista em gestão de recursos hídricos ao utilizar os resultados de balanços hídricos superficiais na tomada de decisões e no planejamento do uso deste recurso natural. No Brasil, a Política Nacional de Recursos Hídricos determina que o poder público seja responsável pela gestão dos recursos hídricos, a fim de garantir o uso múltiplo das águas e assegurar, em momentos críticos, o atendimento ao abastecimento humano e à dessedentação animal, considerados prioritários. A utilização de um balanço hídrico superficial na gestão de recursos hídricos é uma tarefa intensiva em conhecimento porque requer que o especialista compreenda as decisões a serem tomadas e atue em prol da solução de problemas e da resolução de conflitos mediante as diferentes variáveis e indicadores que caracterizam a realidade de uma bacia hidrográfica. Por esta razão, no âmbito deste trabalho, o conhecimento é entendido como o fator que determina o aproveitamento e a aplicação de informações no intuito de alcançar objetivos definidos. E, de acordo com Schreiber et al. (2002), a Engenharia do Conhecimento é a disciplina que provê métodos para obter um minucioso entendimento das estruturas e processos usados por profissionais que usam o conhecimento de forma intensiva. O modelo do conhecimento alvo deste estudo foi construído através das técnicas e linguagens formais particulares às ontologias. Nos termos da Engenharia do Conhecimento, as ontologias são modelos que representam um domínio de interesse expressos em um formato computacional. Esta dissertação apresenta como resultado um modelo de conhecimento que conjuga uma ontologia de domínio do cálculo de um balanço hídrico superficial e uma ontologia de aplicação dos indicadores calculados por um balanço hídrico superficial no campo da gestão de recursos hídricos. A ontologia de domínio é a base conceitual para a representação de um balanço hídrico superficial. A valoração dos seus conceitos, a partir dos balanços hídricos superficiais calculados pelo sistema SADPLAN, ampara a construção da ontologia de aplicação que modela o conhecimento do uso de balanços hídricos superficiais no apoio à gestão de recursos hídricos.

Link para Download: Simone Stadnick

RAUNTEBRG, Sandro. Modelo de Conhecimento para Mapeamento de Instrumentos da Gestão do Conhecimento e de Agentes Computacionais da Engenharia do Conhecimento Baseado em Ontologias. Tese, 2009.

Esta tese tem como base a visão interdisciplinar da práxis das áreas Engenharia do Conhecimento e Gestão do Conhecimento. Para apoiar a Gestão do Conhecimento em seus processos de criação, organização, formalização, compartilhamento, aplicação e refinamento de conhecimento, a Engenharia do Conhecimento desenvolve modelos, utilizando sistemicamente métodos, técnicas e ferramentas. Uma análise da literatura dessas áreas revelou um desconhecimento dos construtos utilizados em pesquisas e desenvolvimentos interdisciplinares e a necessidade de um modelo de conhecimento da convergência de construtos inerentes. Assim, este trabalho teve como objetivo propor um modelo de conhecimento baseado em ontologias para mapear a utilização de Agentes Computacionais da Engenharia do Conhecimento em Instrumentos da Gestão do Conhecimento. Utilizando elementos da Engenharia de Ontologias, o modelo foi desenvolvido e teve sua viabilidade técnica comprovada em dois cenários, confirmando sua capacidade para: (a) organizar, formalizar e compartilhar conhecimento já estabelecido; e (b) criar conhecimento novo, não estabelecido academicamente, para ser aplicado e/ou refinado. O modelo também foi verificado por nove especialistas de domínio das áreas inerentes, os quais apontaram como resultados: (i) um conjunto de questões que norteiam o entendimento de objetos de investigação em aplicações e pesquisas interdisciplinares da Engenharia e Gestão do Conhecimento; (ii) a explicitação de parte de um modelo de conhecimento no domínio da Engenharia do Conhecimento a ser utilizado no projeto de seus Agentes Computacionais; (iii) a explicitação de parte de um modelo de conhecimento no domínio da Gestão do Conhecimento a ser utilizado na implantação de seus Instrumentos; (iv) uma forma de integração do conhecimento inerente ao projeto de Agentes Computacionais da Engenharia do Conhecimento como soluções tecnológicas mais aderentes aos Instrumentos da Gestão do Conhecimento; e (v) alguns insumos à prospecção de um ambiente aberto para publicação, compartilhamento e exploração do conhecimento interdisciplinar.

Link para download: Sandro Rauntebrg