Home » Posts tagged "Inovação" (Page 3)

DIAS, Adriano Júnior. Relações entre a Estrutura Organizacional, a Gestão do Conhecimento e a Inovação, em Empresas de Base Tecnológica. Dissertação, 2012.

O presente trabalho evidencia como se relacionam a Estrutura Organizacional, a Gestão do Conhecimento e a Inovação, em empresas de base tecnológica, por intermédio de um estudo de caso numa empresa deste segmento econômico. Seus objetivos foram alcançados por meio de pesquisa que adotou abordagem qualitativa, indutiva, como meio de alcançar os pressupostos, num primeiro ciclo, cabendo ao segundo ciclo, a coleta de dados primários e sua confrontação com os aludidos pressupostos para obtenção das conclusões finais. O trabalho traz, em sua estrutura, o contexto em que se desenvolveu a pesquisa, já em seu intróito, como fruto de levantamentos de dados feitos em documentos, de onde nasceram o título funcional e a pergunta de pesquisa, deixando a revisão sistemática de literatura como fonte de validação desses importantes itens, e como base para a obtenção dos autores que foram adotados, por primeiro, durante a revisão bibliográfica. A análise e interpretação dos dados primários coletados se deram por intermédio do procedimento sistêmico de redução da realidade. Os resultados foram suficientes para extrair da realidade estudada, os insumos necessários para a realização do seu batimento com os pressupostos nascidos da análise e interpretação dos dados secundários coletados. Diversas foram as conclusões, dentre as quais: a) a Estrutura Organizacional orienta as empresas para a economia da Inovação, desde que alinhada a uma cadeia de valor também orientada neste sentido; b) a Gestão do Conhecimento relaciona-se com a Inovação como fonte e meio pelo qual são gerados novos conhecimentos necessários à sua materialização; e c) a Estrutura Organizacional relaciona-se com a Gestão do Conhecimento, especialmente no nível da empresa, pela facilitação das interações multidisciplinares entre os indivíduos durante o processo de desenvolvimento e de implementação da Inovação. O sucesso das empresas de base tecnológica inovadoras está no elevado grau de adaptabilidade do seu portfólio à realidade de cada cliente, como meio de ser efetiva para os mesmos.

Link para download: Adriano Junior Dias

MIGUEZ, Viviane Brandão. Uma Abordagem de Geração de Ideias para o Processo de Inovação. Dissertação, 2012.

Este trabalho tem como objetivo propor uma abordagem para o processo de geração de ideias inovadoras. Esta abordagem auxiliará as organizações sistematizando  o processo de geração de ideias e garantirá que, ao final do processo, a organização tenha uma ideia inovadora para lançar ao mercado. Para tanto analisou-se os modelos de geração de ideias encontrados na literatura, identificou-se quais técnicas de criatividade poderiam estimular um processo de criação de conhecimento dentro do processo de geração de ideias inovadoras. Posteriormente propôs-se atividades e tarefas que compõe a abordagem de geração de ideias. Essas atividades e tarefas foram executadas por uma equipe e finalmente, após o resultado discutido, foram observados ajustes para a abordagem.

Link para download: Viviane Brandão Miguez

FERNANDES, Roberto Fabiano. Uma proposta de modelo de aquisição do conhecimento para identificação de oportunidades de negócio nas redes sociais. Dissertação, 2011.

As organizações convivem em um ambiente extremamente competitivo e necessitam conquistar cada vez mais mercados e alcançar vantagens competitivas sustentáveis. Neste sentido, a identificação de oportunidades é cada vez mais relevante a essas organizações, que necessitam estar em processo contínuo de inovação. Por outro lado, nota-se que grande parte do conhecimento sobre as organizações e seus produtos ou serviços estão disponíveis nas redes sociais. Como característica inerente às redes sociais, o crescente tráfego de dados e informações apresentado pelas redes pode conter os conhecimentos necessários para alimentar o processo de inovação, principalmente no que se refere a fase de identificação de oportunidades. Desta forma, este trabalho discorre sobre a importância do processo de inovação para as organizações, dando ênfase a uma de suas fases, propondo um modelo de aquisição do conhecimento disponível no conhecimento prévio do empreendedor e no conhecimento existente nas redes sociais. Integram o modelo a técnica de análise de conteúdo, o modelo CESM e a metodologia CommonKADS. A análise de conteúdo é empregada na descrição objetiva, sistemática e quantitativa do conteúdo manifesto pela aplicação de uma entrevista, que tem por objetivo interpretá-la. Já o modelo CESM e a metodologia CommonKADS foram aplicados em conjunto e proporcionaram a elicitação de elementos organizacionais envolvidos na concepção de sistemas baseados em conhecimento. Por fim, foi proposto um modelo composto de procedimentos metodológicos pertencentes à gestão e à engenharia do conhecimento para a aquisição do conhecimento organizacional, voltados à identificação de oportunidades nas redes sociais.

 

Link para Download: Roberto Fabiano Fernandes

GUBIANI, Juçara Salete. Modelo para Diagnosticar a Influência do Capital Intelectual no Potencial de Inovação nas Universidades. Tese. 2011.

As universidades sempre foram consideradas elementos-chave para o desenvolvimento econômico e cumprem um importante papel na criação do conhecimento. Elas possuem um capital intelectual considerável quando comparadas às empresas: têm um capital humano capacitado, capital estrutural adequado para incrementar e explorar esse capital humano e um capital relacional com os principais interlocutores da sociedade. São coadjuvantes no processo de inovação e atuam como agentes de inovação nos sistemas de inovação. Interagem com a sociedade, identificam problemas, propõem a solução e criam conhecimento. A tese coloca como problema, a ausência da identificação e mensuração dos componentes do capital intelectual, disponível nas universidades, e o diagnóstico da influência destes na criação do conhecimento para a inovação. Para resolver o problema, a pesquisa propõe um modelo de análise, e, para a verificação de consistência do modelo, foi realizado um estudo de caso na Universidade Federal de Santa Maria. Os dados primários foram obtidos por meio de um questionário desenvolvido e aplicado aos professores pesquisadores da Universidade. Usando técnicas de análise multivariada, foi possível testar o modelo e chegar a um mapa do potencial de criação de conhecimento da Universidade. Os resultados mostram similaridades com os relatos da literatura que aborda o ambiente das empresas: a existência de relação entre os componentes do capital intelectual, a influência direta do capital intelectual no potencial de criação de conhecimento e uma dependência do resultado inovador atrelado ao potencial de criação do conhecimento para a inovação na Universidade. Ao abordar o potencial de inovação no ambiente acadêmico, destaca-se o caráter exploratório e o ineditismo da proposta, um assunto ainda em construção, dependente da articulação institucional e da efetiva aplicação da Lei de Inovação brasileira no ambiente de pesquisa.

Link para Download: Juçara Salete Gubiani

GIUGLIANI, Eduardo. Modelo de Governança para Parques Científicos e Tecnológicos no Brasil. Tese. 2011.

O processo de absoluta ruptura enfrentado pela sociedade do conhecimento, baseada em elementos intangíveis, assim como pela globalidade e pelo potencial dos relacionamentos, tem induzido o mundo a novos caminhos e à evolução das organizações ao largo de suas experiências anteriores, visto serem estas em muitos aspectos inexistentes sob o foco das demandas atuais. Os Parques Tecnológicos, vetores mundialmente reconhecidos do desenvolvimento baseado em conhecimento e inovação, dentro da conjuntura econômica contemporânea, têm recebido especial atenção como um tipo de entidade organizacional diferenciada e relevante. Membros de uma cadeia de elementos voltados para capacitar um país ao desenvolvimento, os Parques Tecnológicos, assim como os Sistemas de Inovação, os Sistemas Produtivos Locais e os Arranjos Produtivos Locais, passam a ter seu modelo estrutural aprimorado, seus conceitos revistos, seus atores caracterizados, sua taxonomia definida e uma nova forma de relacionamento, interno e externo. Esta pesquisa projeta o conceito da Governança Corporativa (GC) sobre a estrutura organizacional de um Parque Tecnológico no Brasil, dentro do domínio de ciência, tecnologia e inovação, caracterizando-o como Parque Científico e Tecnológico (PCT), e busca, desse modo, definir a GC para este contexto, avaliá-la em sua origem, caracterizá-la e oferecer a proposição de um Modelo de Governança para Parques Científicos e Tecnológicos no Brasil, baseado em Campos de Análise da Governança aplicados ao ambiente brasileiro dos PCTs. Para esta finalidade, constituiu-se uma amostra com vistas à verificação do modelo proposto, a partir da elaboração de instrumentos metodológicos adequados a uma pesquisa de natureza aplicada e exploratória. Os resultados alcançados sugerem a aderência do modelo proposto aos princípios da GC, ampliando a base de análise desta às especificidades dos PCTs. Da mesma forma oferece um arcabouço organizacional com efetivas possibilidades de convergência aos conceitos e mecanismos da governança, permitindo a incorporação das reconhecidas boas práticas da governança aos processos organizacionais dos PCTs no Brasil.

Link para download: Eduardo_Giugliani

OROFINO, Maria Augusta Rodrigues. Técnicas de criação do conhecimento no desenvolvimento de modelos de negócio. Dissertação, 2011.

Transformações organizacionais têm se beneficiado da agilidade proveniente das novas tecnologias, proporcionando o desenvolvimento de novas formas de criação de valor e de transações comerciais entre empresas que vêem suas fronteiras serem expandidas e ampliadas. Neste contexto, o desenvolvimento de modelos de negócio representa a maneira de como uma organização cria, captura e distribui valor. A gestão organizacional, a partir da era do conhecimento, associada à disseminação das tecnologias da informação e de novos métodos de avaliação dos ativos intangíveis, exige a adoção de métodos e técnicas de gestão do conhecimento. Esta dissertação tem o propósito de apresentar a evolução do conceito de modelo de negócio, suas representações, características e o seu processo de desenvolvimento bem como destacar os principais métodos e técnicas de criação do conhecimento organizacional que podem ser utilizados no processo de desenvolvimento de modelos de negócio. Os procedimentos metodológicos utilizados foram a pesquisa bibliográfica para a revisão da literatura, a utilização de desk research para o aprimoramento e complementaridade das fontes pesquisadas e consulta dirigida a especialistas através de questionário semiestruturado. O diferencial que o estudo apresenta diz respeito ao levantamento bibliográfico realizado sobre modelos de negócio e métodos e técnicas de gestão e criação do conhecimento. As limitações desta pesquisa estão na sua realização tendo em vista às restrições de acesso ao grupo de especialistas selecionados. Conclui-se que o desenvolvimento de modelos de negócio é um tema emergente, e associado à criação do conhecimento organizacional, como uma nova unidade de análise organizacional requer estudos complementares.

Link para download: Maria Augusta R. Orofino

PRADA, Charles A. Proposta de modelo para o gerenciamento de portfólio de inovação: modelagem do conhecimento na geração de ideias. Dissertação, 2009.

O objetivo da presente dissertação é propor um modelo para o gerenciamento de portfólio de inovação suportado pela modelagem de conhecimento, com o intuito de dinamizar e melhorar a eficácia do processo de inovação. As pesquisas sobre gestão de portfólio possibilitaram identificar a dificuldade dos modelos de portfólio de projetos inovadores em detalhar adequadamente a etapa da geração de ideias e integrá-la ao restante dos processos do gerenciamento de portfólio. Desta forma, o modelo apresentado desdobra esta primeira etapa em detalhes para que se possa abranger os principais aspectos que a envolvem, como também, utilizar a metodologia CommonKADS para modelar o conhecimento. Para tanto, foram pesquisados temas como inovação, geração de ideias, critérios, seleção e avaliações de ideias, gerenciamento de portfólio de projetos, modelos de gestão de portfólio, conhecimento ao longo do processo de inovação, engenharia do conhecimento e a metodologia CommonKADS. O modelo proposto está dividido em quatro processos: geração de ideias; seleção de ideias; constituição e avaliação dos projetos; e desenvolvimento dos projetos. Na etapa da geração de ideias aplica-se a metodologia CommonKADS utilizando os modelos de organização, tarefas, agentes, de conhecimento e, por fim, o modelo de comunicação. Por meio da modelagem do conhecimento a etapa da geração de ideias deverá ser convertida em um ativo organizacional que auxiliará as organizações nas futuras tomadas de decisão ao longo do processo de inovação. Desse modo, espera-se que o modelo proposto possa auxiliar as organizações no gerenciamento do portfólio de inovação, impulsionando a geração de ideias e fomentando estímulos para os idealizadores enviarem suas ideias.

Link para download: Charles Prada