Home » Posts tagged "Indicadores de desempenho"

ALVES, Lourdes. Gestão em Instituições de Educação Superior: Proposta de Referencial Fundamentado na Abordagem da Gestão do Conhecimento. Tese, 2016.

A evolução da tecnologia, a globalização e o surgimento da era
da informação e do conhecimento estabeleceu uma nova
dinâmica na forma de como as organizações efetuam as suas
gestões. Neste sentido, tal qual qualquer tipo de organização no
mundo contemporâneo, os modelos de gestão das instituições de
educação superior precisam evoluir e inovar em seus processos
acadêmicos e administrativos para atender esse novo
paradigma, onde o diferencial competitivo é o conhecimento. A
sociedade espera da universidade que ela possibilite a formação
de um profissional que tenha competência para atuar em um
mercado dinâmico, criativo, sistêmico e em rápidas
transformações, com mente aberta e capacidade de pensamento
crítico e capaz de solucionar problemas, inovar e liderar. A
mudança no modelo de formação desse tipo de profissional
requer, da universidade, a transformação de seu modelo de
gestão, saindo do tradicional para um mais inovador. Para tanto
torna-se necessário a utilização de ferramentas de gestão mais
atualizadas e que permitam uma dinâmica universitária
compatível com as funções principais da educação superior que
são o ensino, a pesquisa e a extensão. O tema desta tese
consiste na utilização de indicadores de desempenho, práticas
de gestão do conhecimento e de outras ferramentas de gestão
na administração de instituições de educação superior. Assim, o
objetivo deste trabalho é propor um referencial para a gestão
universitária fundamentado na abordagem da gestão do
conhecimento. Para tanto utilizou-se de outros conceitos e
ferramentas como a teoria sistêmica, o planejamento estratégico,
metodologia do SINAES e Modelo SECI de conversão do
conhecimento organizacional. A metodologia consiste de uma
abordagem quali-quantitativa, adotando-se pesquisas
bibliográfica e documental e do survey para a coleta de dados
por meio de questionário estruturado. Foram utilizados os
indicadores da Portaria MEC nº 92, de 2014, de outros
resultantes da pesquisa bibliográfica e dos que compõem a
metodologia utilizada pela Q&S World University Ranking
2015/16. As práticas de GC foram selecionadas a partir dos
estudos desenvolvidos por Davel e Snyman (2005); APO (2010);
Ghani (2009); e Batista (2006). O resultado foi a identificação de
10
indicadores de desempenho e práticas de gestão do
conhecimento considerados relevantes pelos participantes da
pesquisa, para subsidiar os diagramas que compõem a proposta
desta tese, apresentados em 3 eixos (PDI, PGA e GI). O trabalho
culmina com um Modelo de Referencial para Gestão
Universitária. Conclui-se que a utilização de conceitos e
ferramentas de gestão mais inovadoras auxiliem um maior
número de universidades brasileiras a obter melhor classificação
na avaliação efetuada pelo INEP/MEC e galgar posições de
destaques nos rankings internacionais.

 

Link para download: Lourdes Alves

 

JUNIOR, Vanderlei Freitas. Ontologia para Representação Semântica de Indicadores de Desempenho Considerando Aspectos de Vaguidade, Temporalidade e Relacionamento entre Indicadores. Tese, 2016.

Os indicadores são amplamente utilizados pelas organizações como forma de avaliar, medir e classificar o desempenho organizacional. Parte integrante de sistemas de avaliação de desempenho, os indicadores são, muitas vezes, compartilhados ou comparados com diferentes setores internos ou até mesmo com outras organizações. Entretanto, alguns indicadores possuem associada certa vaguidade e imprecisão, carecendo-lhe também de semântica. Desta forma, a presente tese ocupou-se de apresentar um modelo de conhecimento baseado em ontologia e lógica difusa para representar semanticamente e de forma genérica os indicadores, tratando-se a imprecisão e vaguidade, além de contribuir incluindo a percepção da temporalidade e relacionamento entre indicadores. Utilizando-se a metodologia Design Science Research Methodology, o modelo foi considerado adequado, evidenciando, através da realização de entrevistas, a importância da representação da imprecisão, vaguidade, temporalidade e o relacionamento entre diferentes indicadores no contexto de avaliação de desempenho.

 

Link para download: Vanderlei Freitas Junior

SANTOS, Paloma Maria. Framework de Apoio à Democracia Eletrônica em Portais de Governo com Base nas Práticas de Gestão do Conhecimento. Tese, 2014.

Graças a sua capilaridade e facilidade de acesso, os portais de governo são tidos como um dos canais mais importantes para a prestação de serviços públicos e para a interação entre o governo e o cidadão. Muito além de um mero cartão de visitas ou um palanque eletrônico, um portal de governo deve permitir o exercício da cidadania e o aperfeiçoamento da democracia. Dessa forma, deve fomentar iniciativas que aumentem a participação cidadã nos debates e decisões governamentais, além de buscar a accountability na gestão pública. A Gestão do Conhecimento pode contribuir para a realização desses objetivos da democracia eletrônica. Assim, é de fundamental importância desenvolver um portal de governo que seja capaz de atendê-los. O presente estudo, de caráter aplicado, descritivo e exploratório, parte da identificação, análise e representação dos constructos-chave no domínio da democracia eletrônica, para a proposição de um framework que dê suporte a sua realização em portais de governo. A partir da explicitação das dimensões de análise, dos indicadores e das variáveis capazes de fomentar a democracia eletrônica, foi estruturado um framework que mostrou ser consistente tanto do ponto de vista teórico quanto do empírico. Sua aplicação prática revelou que os portais avaliados não estão sendo utilizados como ferramentas em prol do avanço na construção e no aperfeiçoamento da democracia, e que os processos fomentados com mais intensidade são o uso, o armazenamento e o compartilhamento de conhecimento.

 

Link para Download: Paloma Maria Santos

WOLF, Sérgio Machado. Influência da Competência Empreendedora dos Coordenadores nos Indicadores de Desempenho dos Polos Ead. Tese, 2014.

Este trabalho objetiva analisar a influência da competência empreendedora dos coordenadores de polos nos indicadores de desempenho dos polos de educação a distância do sistema Universidade Aberta do Brasil no Estado de Santa Catarina. Para tanto, identifica-se a competência empreendedora requerida aos coordenadores de polo; desenvolve-se uma metodologia para determinar o índice de competência empreendedora por meio da avaliação dos seguintes indicadores: conhecimentos, habilidades, atitudes e nível de entrega; relacionam-se os indicadores de Competência Empreendedora dos coordenadores com os indicadores de desempenho dos polos, tendo por referência a avaliação realizada pela CAPES. Sua base teórica se fundamenta na gestão do conhecimento e na sua utilização pelas organizações, nas competências e no empreendedorismo. Descreve o histórico, a legislação, o funcionamento e os objetivos do Programa Universidade Aberta do Brasil, além do seu contexto na educação na modalidade a distância. Também discorre sobre suas peculiaridades, bem como sobre a aplicação dessa modalidade ao ensino superior brasileiro, apontando a importância das atividades desenvolvidas pelos coordenadores de polo. Seguiu-se uma abordagem metodológica descritiva e documental, predominantemente qualitativa. Por meio deste trabalho, obtiveram-se relevantes associações entre o nível de competência empreendedora do coordenador do polo e a avaliação efetuada pela CAPES. Verificou-se que o grupo de coordenadores de polo avaliado totalizou 79,85% de índice de competência empreendedora, associado a um índice de 85,71% de sucesso (conceito AA) na avaliação. Por meio dos contributos das práticas e dos métodos da gestão do conhecimento, a metodologia desenvolvida pode ser aplicada em outras áreas em que a competência empreendedora também seja a força motriz do processo.

 Link para download: Sérgio Machado Wolf

IGARASHI, Wagner. Aprendizagem organizacional: proposta de um modelo de avaliação. Tese, 2009.

As pesquisas que estão sendo desenvolvidas na área de aprendizagem organizacional, a partir dos anos 90, buscam gerar subsídios aos envolvidos com o tema. Estes subsídios podem enfocar tanto a identificação dos elementos que devem ser observados ao se proceder a avaliação da aprendizagem organizacional, quanto os aspectos vinculados aos elementos que apoiem a estruturação de processos destinados à avaliação; bem como aspectos que têm relação com as ações geradas, a fim de se obter melhoria de desempenho. Nesse sentido, este estudo busca responder ao seguinte questionamento: como desenvolver um modelo de avaliação direcionado à aprendizagem organizacional, a partir de perspectivas teóricas, que permitam visualizar as possibilidades de melhoria de desempenho? Alinhado a este questionamento, este estudo tem como objetivo estruturar um modelo de avaliação direcionado à aprendizagem organizacional. Para o desenvolvimento do modelo foram utilizadas duas plataformas (teórica e empírica). Em relação aos resultados obtidos quanto à pesquisa teórica, no contexto nacional a partir da base SciELO e no contexto internacional a partir do Portal de Periódicos da Capes, considera-se que a pesquisa teórica gera subsídios ao estudo em relação à identificação das percepções sobre a aprendizagem organizacional; ao processo de avaliação e aos indicadores de desempenho. Ainda em relação às concepções teóricas foram analisados estudos que apresentam proposições direcionadas à aprendizagem organizacional. A análise teórica possibilitou identificar elementos que auxiliam na estruturação do modelo, dentre os quais se destacam: (a) a estratégia organizacional, (b) a cultura organizacional, (c) a infraestrutura organizacional, (d) os recursos humanos internos e (e) as relações externas. A partir destas percepções, foi estruturado um processo composto por três fases (Estruturação, Operacionalização e Gerenciamento do desempenho), as quais permitem passar aos resultados obtidos no segundo momento da pesquisa, vinculados aos aspectos empíricos. Para isso, o modelo de avaliação proposto neste estudo foi aplicado, a título de análise de viabilidade, em duas organizações. A partir das aplicações considera-se que um modelo, nos moldes propostos, possibilita a análise das estratégias adotadas no processo de gestão, em diversos níveis, ou seja, pode-se verificar o desempenho da organização, quer seja em nível local (indicadores), em níveis intermediários (percepções, ações estratégicas e preocupações macro), ou ainda em termos globais. A partir dos resultados obtidos com as aplicações realizadas, o modelo proposto demonstrou apoiar as organizações estudadas, por gerar compreensão dos elementos que podem alavancar a aprendizagem organizacional, por permitir que seja visualizado o perfil de desempenho e por possibilitar aos gestores planejar ações de gerenciamento.

Link para download:
Wagner Igarashi

LOHN, Vanderléia Martins. Sistemática para seleção de projetos de Responsabilidade Social com impacto no negócio das Instituições de Ensino Superior. Dissertação, 2009.

A implementação da Responsabilidade Social tem sido uma tarefa de difícil execução para as organizações, reportando como causa freqüente resultados não satisfatórios ao posicionamento estratégico, pois seu sucesso não depende apenas de boas práticas sociais, mas também de fazer com que os projetos sociais tornem-se parte do negócio da organização. As dúvidas geradas nesse sentido ainda confundem muitos gestores sobre a implementação da Responsabilidade Social, questionando o retorno do investimento das práticas de ações sociais baseadas somente em necessidades sociais, sem retorno à sustentabilidade e ao aumento da vantagem competitiva da organização. As organizações têm buscado encontrar meios de medir o impacto de tais projetos sobre os indicadores de desempenho e, neste sentido, propõese desenvolver uma sistemática para selecionar projetos de Responsabilidade Social que tenha impacto nos indicadores de desempenho vinculados ao negócio de uma Instituição de Ensino Superior. Para a construção desta sistemática, considera-se a pesquisa bibliográfica realizada, onde são caracterizados os objetivos estratégicos para a construção dos indicadores de desempenho característicos de Instituições de Ensino Superior, os indicadores de Responsabilidade Social, identificados os modelos de indicadores pesquisados na literatura, além das ferramentas e métodos de sistemas, que proporcionaram identificar as relações de influências dos enlaces construídos entre os indicadores e projetos de extensão universitária.
A aplicação da sistemática possibilitou identificar os projetos que geram impacto nos indicadores de desempenho da IES, possibilitando, desta forma, estabelecer critérios para a seleção de projetos de Responsabilidade Social futuros, neste caso, os projetos de extensão universitária. Além disso, a aplicação da sistemática em uma IES permitiu observar a relação de impacto dos indicadores de Responsabilidade Social sobre os indicadores de desempenho, de forma a identificar a importância da Responsabilidade Social para uma IES, uma vez que foi comprovado o retorno de investimento dos projetos.

Link para download: Vanderleia Martins Lohn