Home » Posts tagged "Gestão Universitária"

TOSTA, Kelly Cristina Benetti Tonani. A Universidade como Catalisadora da Inovação Tecnológica Baseada em Conhecimento. Tese, 2012.

O crescimento da importância do conhecimento e da informação enriquece o papel das universidades, que está em processo de mudança. Tradicionalmente as universidades são reconhecidas como produtoras de conhecimento por meio do ensino e da pesquisa. As universidades interagem com o governo e o segmento empresarial, formando o modelo da Tríplice Hélice, definido por Etzkowitz e Leydesdorff (2000). Por meio desta interação podem se criar estratégias de desenvolvimento, crescimento econômico e transformação social, consequentemente, inovação. Sendo assim, o objetivo geral desta tese é analisar o papel da Universidade como catalisador do desenvolvimento de inovação tecnológica baseada em conhecimento na região oeste de Santa Catarina. Para alcançá-lo foi conduzida uma pesquisa qualitativa, descritiva e estudo de caso, tendo como foco do estudo a região oeste de Santa Catarina. Foram conduzidas onze entrevistas junto a representantes das universidades da região e consultadas mais quatro fontes documentais a este respeito, duas entrevistas e análise de fontes documentais de outras três instituições representantes do segmento produtivo e mais duas entrevistas e quatro fontes documentais de representantes do Governo. Ainda foi aplicado um questionário com perguntas abertas e fechadas sobre o tema com especialistas de reconhecida contribuição na área como grupo de referência. Os especialistas foram selecionados por meio do Portal da Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Os dados foram analisados comparativamente. Entre os resultados encontrados estão a identificação de cinco fatores catalisadores de inovação tecnológica baseada em conhecimento sobre os quais a Universidade atua, que são: pesquisa e criação de conhecimento; criação e formação de capital humano; cultura de inovação; parceria universidade-empresa para compartilhamento do conhecimento; e investimentos e infraestrutura. As atividades de pesquisa estão mais relacionadas ao primeiro fator. As atividades de ensino ao segundo e as atividades de extensão, ao quarto fator. Foi detalhado o modo pelo qual a universidade interfere nesses fatores e ainda foram propostas diretrizes para a ação organizada da universidade no intuito de promover a inovação, e com isso sustentar o desenvolvimento da região estudada.  Esse papel foi consolidado na forma de um framework.

Link para download: Kelly Cristina Benetti Tonani Tosta

PACHECO, Andressa Sasaki Vasques. Evasão e permanência dos estudantes de um curso de administração do sistema Universidade Aberta do Brasil: uma teoria fundamentada em fatos e na gestão do conhecimento. Tese, 2010.

A permanência e a evasão são temas inerentes a todas as Instituições de ensino superior (IES) não sendo diferente na esfera pública, sendo que estas têm uma sinalização da busca de pesquisa sobre esse tema por parte do MEC (Ministério de Educação e Cultura), solicitando aos cursos pesquisas nesse sentido. Assim, esta tese tem como proposta de objetivo Desenvolver uma construção teórica da gestão do curso de administração a distância da UFSC nos processos de evasão e permanência do estudante sob a ótica multiparadigmática. Esta pesquisa adota o método da Grounded Theory, por perceber a contribuição desse método para o desenvolvimento de teorias, bem como sua adaptabilidade ao campo de estudo, o tema e objetivos. Desta forma, foi realizado um estudo de caso qualitativo, tendo como foco de estudo o Curso de Administração a distância da Universidade Federal de Santa Catarina. Foram feitas sessenta entrevistas com os gestores, alunos e tutores. Para a análise desse estudo, foi utilizada a abordagem multiparadigmática, de acordo com os paradigmas interpretativista (predominante), funcionalista, teoria crítica (humanista radical e estruturalista radical) e a gestão do conhecimento. Quanto ao seu resultado, fazendo-se a uma avaliação da abordagem multiparadigmática utilizada, pode-se perceber que o paradigma mais atuante no curso é o funcionalista, por meio da busca da efetividade. Há poucos sinais do paradigma da teoria crítica nas ações do curso, mas na fala dos entrevistados, principalmente em relação as dificuldades do curso e a preparação do aluno. Em relação a teoria fundamentada em dados desenvolvida, o ponto principal percebido da gestão foi a estrutura de gestão e da variabilidade de opções disponibilizadas aos alunos.

Link para download: Andressa Pacheco

SOUZA, Irineu Manoel. Gestão das Universidades Federais brasileiras: uma abordagem fundamentada na Gestão do Conhecimento. Tese, 2009.

As transformações no âmbito das organizações complexas exigem novas formas de gestão, maior flexibilidade organizativa, com sistemas decisórios mais participativos. Essas transformações requerem a busca da melhoria da qualidade nas estruturas e processos administrativos. As instituições universitárias continuam a enfrentar demandas que as teorias organizacionais tradicionais não conseguem atender. Nesse contexto, questiona-se qual a contribuição da gestão do conhecimento para a gestão das IFES. A partir do cenário evidenciado, sugere-se identificar as efetivas contribuições da gestão do conhecimento para a excelência da gestão das universidades federais. Como metodologia de estudo, além da abordagem quantitativa, foi adotada a abordagem qualitativa. Na pesquisa quantitativa, foi utilizada a modalidade survey, por meio de aplicação de questionário às 53 (cinquenta e três) Universidades Federais Brasileiras, criadas e consolidadas até o ano de 2008, inclusive. Na abordagem qualitativa foram efetuadas entrevistas semi-estruturadas com os reitores, ex-reitores, pró-reitores, diretores de centros/faculdades ou equivalentes, chefes de departamentos, coordenadores de cursos, bem como com os docentes, técnicos e estudantes integrantes do Conselho Universitário das IFES pesquisadas. Os resultados da pesquisa indicam que as práticas de gestão do conhecimento são pouco adotadas nas universidades federais. Constatou-se a ocorrência, ainda de forma parcial, das seguintes práticas: sistemas de informações, novas formas organizacionais, estratégia organizacional, avaliação organizacional, comunicação institucional, avaliação de competência individual, planos de reconhecimento e recompensa, estímulo a criatividade e inovação, relacionamento com a sociedade, relacionamento com outras instituições e responsabilidade social. Em relação a práticas de gestão relevantes, tais como gestão por competência, memória organizacional, educação corporativa, aprendizagem e compartilhamento do conhecimento, relacionamento e aprendizagem com instituições nacionais e internacionais, raramente são adotadas nas IFES. As respostas dos questionários, das entrevistas, e demais dados levantados, cotejados com a fundamentação teórica apresentada, embasam as proposições direcionadoras para o desenvolvimento de uma abordagem de gestão das universidades federais no contexto da gestão do conhecimento.

Link para download: Irineu Souza

CISLAGHI, Renato. Um Modelo de Sistemas de Gestão do Conhecimento em um Framework para a Promoção da Permanência Discente no Ensino de Graduação. Tese, 2008.

A chamada era do conhecimento tem provocado mudanças nas organizações e  na sociedade como um todo. Quase que simultaneamente, gestores de  Instituições do Ensino Superior (IES) e governos de todas as  nacionalidades e esferas têm dedicado crescentes esforços na busca do  chamado sucesso acadêmico, sintetizado por uma trajetória na qual o  discente ingressa num determinado curso, recebe uma formação de  qualidade e é diplomado. O desafio tem sido, para as IES públicas,  aplicar bem os recursos públicos assegurando o esperado retorno social  e, para as privadas, manter sua clientela formada por estudantes. Em  ambos os casos buscam-se a redução da evasão discente e a promoção da  permanência. Esta tese tem como objetivo a construção de um modelo de  sistema de gestão do conhecimento baseado num /framework/ desenvolvido  para a promoção da permanência de estudantes no ensino de graduação em  IES brasileiras. Foram levantadas as causas para a evasão discente no  contexto nacional e, com base num abrangente levantamento de teorias e  modelos de desgaste, abandono e permanência discente, foi construído um  modelo de permanência discente compatível com o alcance das intervenções  das IES. Com base nas variáveis deste modelo foram estabelecidos  indicadores, sensores e procedimentos, constituindo um /framework/ para  apoiar a gestão institucional pró-ativa visando à permanência discente.  Complementarmente foi construído um modelo de gestão do conhecimento  para potencializar os resultados do uso deste /framework/, cuja  aplicabilidade foi analisada por meio de um estudo de caso realizado na  Universidade Federal de Santa Catarina. Entre as conclusões a que se  chegou merece destaque a de que o suporte político e as lideranças  institucionais são o elemento-chave mais relevante entre todos e, ao  mesmo tempo, ainda são o maior obstáculo a ser vencido para o sucesso da  GC em IES brasileiras. Também constatou-se que, apesar de freqüentemente  desenvolverem pesquisas e serem geradoras de conhecimento, as IES não  têm o mesmo empenho nem agilidade em fazer com que o conhecimento por  elas gerado seja utilizado em suas atividades meio ou fim.

Link para download: Renato Cislaghi