porno
beşiktaş escort mecidiyeköy escort aksaray escort bahçeşehir escort
Home » Posts tagged "Gestão do Conhecimento" (Page 11)

MACEDO, Marcelo. TV Digital Interativa e Gestão do Conhecimento Organizacional. Tese, 2008.

Esta tese aborda a TV Digital Interativa como uma das tecnologias da Era do Conhecimento que podem auxiliar no processo de Gestão do Conhecimento organizacional. As aplicações e serviços de TVDI podem ser utilizados para fazer uma ponte estratégica entre essa nova tecnologia e o processo de Gestão de Conhecimento nas organizações. Nesse sentido, o objetivo principal desta pesquisa é propor um modelo para analisar a adequação do uso de recursos da TV Digital Interativa à Gestão do Conhecimento organizacional. Se as aplicações e serviços de TVDI forem usadas de maneira adequada, podem tornar-se um poderoso instrumento de criação, compartilhamento e disseminação de conhecimento nas organizações. O ineditismo, além da relação entre a Gestão do Conhecimento Organizacional e a TV Digital Interativa, também aparece na metodologia, pois não foi ainda desenvolvida uma relação entre o Modelo de Criação de Conhecimento de Nonaka e Takeuchi e as aplicações e serviços da TVDI. O modelo desenvolvido trata da relação entre as características e as cinco fases de criação de conhecimento do modelo de Nonaka e Takeuchi, e outra relação entre as aplicações e serviços de TVDI e as características do modelo de Nonaka e Takeuchi. A validação do modelo, com a definição dos conceitos de suporte, contexto e confiança, foi realizada a partir da relação entre a teoria sobre GCO e TVDI, a percepção do autor na aplicação do modelo, e entrevistas com especialistas em TVDI e GC sobre a análise realizada, o método desenvolvido e a necessidade de possíveis mudanças. O modelo foi considerado útil e pertinente por todos os especialistas e alguns pontos positivos foram destacados, tais como: utilidade para fixar o conteúdo; permite a utilização por qualquer tipo de organização; possibilita a paremetrização de cenário, permitindo a análise objetiva de novos negócios que podem surgir; e permite que sejam inseridas outras variáveis.

Link para download: Marcelo Macedo

SANTOS, Adélcio M. Didática ideal para o programa de pós-graduação em engenharia e gestão do conhecimento: especificidades e características andragógicas em análise. Tese, 2008.

O conhecimento constitui-se, hodiernamente, como um fator de sucesso para as organizações. Na sociedade do conhecimento e da informação, o conhecimento se transforma no fator-chave da economia pós-industrial e o principal determinante da mudança ocupacional. Os trabalhadores necessitam se adaptar as novas exigências em termos de educação e, por serem o capital humano da organização, também adquirem relevância uma vez que são responsáveis por todo o capital intelectual que a empresa possui, além de produzirem, compartilharem e transformarem o conhecimento em ação e resultados. Nesse contexto, a Gestão do Conhecimento se configura importante metodologia à disposição das organizações que contribui para criar, compartilhar e disseminar o conhecimento no intento de auxiliar a organização enfrentar da melhor forma possível às forças que o ambiente exerce sobre a organização. Em virtude da importância do conhecimento, a Gestão do Conhecimento tem adquirido espaço em meio à educação superior enquanto disciplina. A didática voltada para a Gestão do Conhecimento deve focar o ensino interdisciplinar e reflexivo. A didática auxilia o professor no planejamento, na orientação e no acompanhamento da aprendizagem do aluno, disponibilizando ao docente diferentes métodos e técnicas que o ajudam a criar situações de aprendizado. No ensino da Gestão do Conhecimento a relação entre aluno e professor não se deve configurar de forma unidirecional, mas sim permitir a participação do aluno, constituindo-se o professor como um facilitador do processo de aprendizado. Ademais, é essencial que o professor faça uso de atividades por meio das quais os alunos possam verificar o funcionamento dos ensinamentos na práxis.

Link para download: Adelcio M. dos Santos

LEHMKUHL, Giuvania Terezinha. Gestão do Conhecimento no Setor Elétrico: Proposta para o Setor de Manutenção de Linhas de Transmissão da Eletrosul – Centrais Elétricas S.A. Dissertação, 2008

O presente trabalho objetivou desenvolver uma proposta de Gestão do Conhecimento (GC) na área de manutenção de linhas de transmissão (LT) de energia elétrica da Eletrosul Centrais Elétricas S/A para retenção, disseminação e utilização do conhecimento crítico. Focalizou-se o estímulo e a transformação do conhecimento tácito em explícito e sua contribuição para o aprendizado contínuo e o desenvolvimento de competências. Foi descrita a transformação do conhecimento crítico sob o ponto de vista dos compartilhamentos ou interações que comporta os processos de socialização, externalização, combinação e internalização. Os componentes do processo de GC, as práticas adotadas e as respectivas categorias nas quais essas práticas foram classificadas objetivam a melhor utilização da GC na área de manutenção. A metodologia adotada é caracterizada como exploratório-descritiva, de natureza qualitativa, estudo de caso e coleta de dados com utilização de entrevistas semi estruturadas e questionários estruturados. O estudo foi realizado no Departamento de Manutenção do Sistema – DMS, que inclui a unidade Regional de Manutenção de Santa Catarina – RMSC, por ser a mais expressiva em manutenção de LT em sua área de atuação e geograficamente melhor acessível. Este estudo se estendeu à Regional de Manutenção do Oeste – RMRO, à Regional do Paraná – RMPR, à Regional de Mato Grosso do Sul – RMMS e à Regional do Rio Grande do Sul – RMRS. A amostra é não probabilística intencional, com entrevistas a empregados do setor de manutenção de LT da Palhoça – SMPAL, de Capivari de Baixo -SMCAP e de Joinville – SMJOI e questionários enviados eletronicamente aos empregados dos setores de manutenção de LT de Farroupilha – SMFAR, Laranjeiras – SMLAR, Santo Ângelo – SMSAN, Campos Novos – SMCNO, Guarapuava – SMGUA, Londrina – SMLON, Curitiba – SMCBA, Campo Grande – SMCGR, e Dourados – SMDOU. Para análise e interpretação dos dados, as informações foram levantadas nos documentos formais e comparadas com o efetivamente praticado e compartilhado. concluiu-se que o modelo atende os objetivos propostos contribuindo para o aprendizado contínuo e o desenvolvimento de competências. Desta forma, recomenda-se que a empresa faça uso da proposta apresentada pela autora sobre Gestão do Conhecimento para a Eletrosul, possível de implantação e utilização, com foco na melhoria dos resultados.

Link para download:Giuvania T. Lehmkuhl

FELICIANO, Antonio M. Contribuição da Gestão do Conhecimento para Ações Empreendedoras de Inclusão Digital. Dissertação, 2008.

O presente trabalho tem por objetivo analisar as contribuições das práticas de gestão do conhecimento no desenvolvimento de projetos de inclusão digital. Para sua construção, a fundamentação teórica procurou abordar a inclusão digital na perspectiva de um ambiente favorável à produção, registro e compartilhamento do conhecimento, além de se constituir num eficiente canal de comunicação entre organizações e disseminador de ações de políticas públicas. Um projeto de inclusão digital deve ser encarado como algo mais amplo e complexo do que simplesmente se disponibilizar recursos de hardware e software para usuários pouco familiarizados com esse tipo de tecnologia. Incluir pessoas comuns num mundo onde a dinâmica das informações atinge velocidades humanamente difíceis de acompanhar exige a implementação de processos de gestão do conhecimento, visão e atitudes empreendedoras. No caso catarinense, a atuação se dá em locais comuns, o meio rural, onde as carências sociais são semelhantes, o distanciamento geográfico implica necessariamente na atuação em rede, além de os usuários fazerem parte de origens culturais diferentes. Sob o ponto de vista da administração do conteúdo diariamente produzido nas unidades de inclusão digital, à luz da perfeita interação entre, tecnologias da informação e comunicação (TICs), conteúdos e usuários, se pretendeu analisar em que medida as práticas de gestão do conhecimento podem contribuir e permitem, eficazmente, o desenvolvimento de diferentes ações, de variadas organizações num único espaço. Dentre as ações de inclusão digital levantadas, e também o Programa de Inclusão Digital Beija-Flor apresentou características suficientes para ser selecionado como objeto de pesquisa de campo. Entre outras, as unidades de inclusão digital ou telecentros estão instalados no meio rural catarinense. Observou-se uma significativa capilaridade, apoio interinstitucional, e também da disponibilidade de informações necessárias ao estudo. Nesse contexto procurou-se destacar também as características empreendedoras dessa iniciativa, além de apresentar elementos da gestão do conhecimento que contribuem para com o desenvolvimento de suas atividades.

Link para download: Antonio Marcos Feliciano

REICHERT, Fernando. Modelo de criação de espaços de colaboração em parcerias público-privadas – PPP por meio de Comunidades de Prática – CoP. Tese, 2008.

O objetivo da presente tese é a concepção de um modelo de criação de espaços de colaboração em PPP por meio de Comunidades de Prática – CoP. O modelo consiste no cultivo de uma CoP entre os atores sociais da inter-organização da parceria, com base num planejamento sistêmico e participativo que utiliza a Metodologia de Sistema Soft – SSM. Os laços sociais das CoP formam padrões de interação entre os parceiros e uma cultura inter-organizacional para a colaboração, e a participação na SSM favorece a criação de valores comuns, o que permite a formação de contextos adequados para o compartilhamento de conhecimentos tanto na dimensão da cultura como na dimensão da abstração. Como o modelo se aplica a qualquer tipo de parceria, independentemente de ser disciplinada por leis de PPP, o mesmo teve a sua aplicabilidade e consistência testadas em uma parceria, formalizada por um convênio entre empresas graneleiras, públicas e privadas, que utilizam um mesmo corredor de exportação de grãos, no porto de São Francisco do Sul, no estado de Santa Catarina. Nesta pesquisa de campo foram utilizados os métodos da História Oral temática, para verificar a existência de evidências de construtos da colaboração, e do Discurso do Sujeito Coletivo – DSC, para identificar os pontos de convergência e divergência entre os conhecimentos dos parceiros. Os resultados obtidos, a partir de entrevistas semi-estruturadas com os atores sociais da gerência média e que tinham um nível similar de tempo de convivência e aprendizagem, mostrou que esse modelo da gestão de conhecimentos é aplicável e consistente para proporcionar melhores desempenhos sócio-econômicos em parcerias público-privadas, pelas sinergias produzidas dos adequados compartilhamentos de conhecimentos gerenciais.

Link para download: Fernando Reichert

SANTOS, Leomar. Modelo de Avaliação de Capital Intangível – Baseado em Medidas Não Financeiras de Mensuração. Tese, 2008.

Com as mudanças ocorridas no cenário organizacional nas últimas décadas, de ordem geográfica, demográfica e de capital, as organizações passaram a defrontar-se com um novo modelo de gestão de seus recursos. A economia baseada no conhecimento e as implicações do uso deste têm forçado alterações significativas nas organizações em seus meios de produção, sua lógica de inovação de produtos e serviços e acima de tudo, na valorização dos indivíduos detentores do conhecimento. Entende-se que o grande desafio para as organizações atuantes na economia baseada no conhecimento é gerenciar o capital intelectual – encontrar e estimular, armazenar e compartilhar – tornou-se a tarefa econômica mais importante dos indivíduos, das empresas e dos países. Com evidência na necessidade de se desenvolver modelos que auxiliem as organizações a melhor identificar e gerenciar seu capital intelectual, o objetivo geral deste trabalho foi de elaborar um modelo de avaliação do capital intangível, baseado em medidas não financeiras, e os objetivos específicos: analisar alguns dos modelos existentes para avaliar ativos intangíveis nas organizações; definir os critérios para avaliar o capital intangível, que serviram de base para a construção do modelo, nos níveis estratégico, tático e operacional; efetuar uma aplicação do modelo, com vistas a avaliar sua efetividade e aplicabilidade; avaliar os elementos do modelo proposto com a prática organizacional. A metodologia constitui-se de um estudo descritivo de natureza qualitativa e a parte prática da pesquisa utilizou o método de estudo de caso que tem por premissa, que um caso estudado com profundidade, pode ser considerado representativo de muitos outros, sendo utilizados como instrumentos de coleta de dados questionários e entrevistas. Conclui-se que o objetivo principal do estudo, elaborar um modelo de avaliação do capital intangível baseado em medidas não financeiras foi atingido, e que a maioria dos modelos de avaliação visam essencialmente definir um padrão ou um valor ecônomico ao capital intangível, sem preocupar-se efetivamente com sua validade e aplicabilidade para o negócios, e em muitos casos não permitindo que a organização defina ações e políticas de obtenção, desenvolvimento e retenção do conhecimento, com vistas a sua adequação aos desafio organizacionais. O aprofundamento dos estudos voltados às teorias de construção do conhecimento organizacional permitiu a identificação das tipologias de conhecimento demandadas em cada nível organizacional, elementos fundamentais na concepção do modelo. Verificou-se na aplicação do modelo como estudo de caso da empresa Gestão Consultoria em Processos Administrativos, que o mesmo serviu ao que se propôs, ou seja, permitiu mensurar e avaliar os ativos intangíveis da organização, sem
tomar como base a valoração financeira.

Link para download: Leomar dos Santos

CISLAGHI, Renato. Um Modelo de Sistemas de Gestão do Conhecimento em um Framework para a Promoção da Permanência Discente no Ensino de Graduação. Tese, 2008.

A chamada era do conhecimento tem provocado mudanças nas organizações e  na sociedade como um todo. Quase que simultaneamente, gestores de  Instituições do Ensino Superior (IES) e governos de todas as  nacionalidades e esferas têm dedicado crescentes esforços na busca do  chamado sucesso acadêmico, sintetizado por uma trajetória na qual o  discente ingressa num determinado curso, recebe uma formação de  qualidade e é diplomado. O desafio tem sido, para as IES públicas,  aplicar bem os recursos públicos assegurando o esperado retorno social  e, para as privadas, manter sua clientela formada por estudantes. Em  ambos os casos buscam-se a redução da evasão discente e a promoção da  permanência. Esta tese tem como objetivo a construção de um modelo de  sistema de gestão do conhecimento baseado num /framework/ desenvolvido  para a promoção da permanência de estudantes no ensino de graduação em  IES brasileiras. Foram levantadas as causas para a evasão discente no  contexto nacional e, com base num abrangente levantamento de teorias e  modelos de desgaste, abandono e permanência discente, foi construído um  modelo de permanência discente compatível com o alcance das intervenções  das IES. Com base nas variáveis deste modelo foram estabelecidos  indicadores, sensores e procedimentos, constituindo um /framework/ para  apoiar a gestão institucional pró-ativa visando à permanência discente.  Complementarmente foi construído um modelo de gestão do conhecimento  para potencializar os resultados do uso deste /framework/, cuja  aplicabilidade foi analisada por meio de um estudo de caso realizado na  Universidade Federal de Santa Catarina. Entre as conclusões a que se  chegou merece destaque a de que o suporte político e as lideranças  institucionais são o elemento-chave mais relevante entre todos e, ao  mesmo tempo, ainda são o maior obstáculo a ser vencido para o sucesso da  GC em IES brasileiras. Também constatou-se que, apesar de freqüentemente  desenvolverem pesquisas e serem geradoras de conhecimento, as IES não  têm o mesmo empenho nem agilidade em fazer com que o conhecimento por  elas gerado seja utilizado em suas atividades meio ou fim.

Link para download: Renato Cislaghi

ECKSCHMIDT, Alex. Avaliação de um Método de Desenvolvimento de Programas de Certificação Setorial como uma Ferramenta de Gestão do Conhecimento. Dissertação, 2008.

O objetivo primordial desta dissertação foi avaliar um método que desenvolve e implanta programas de certificação setorial, como ferramenta de gestão do Conhecimento. O método para desenvolver Programas de Certificação Setoriais selecionado para a avaliação foi o utilizado em Santa Catarina no agronegócio. A estratégia de pesquisa foi formada pela definição dos problemas de pesquisa, quais sejam: a dificuldade de se sistematizar a geração, codificação e disseminação do conhecimento como um desafio da Gestão do Conhecimento. No processo de se desenvolver um programa de certificação, pode-se garantir a codificação do conhecimento de um setor. Em função deste problema, a pergunta de pesquisa foi formulada, questionando a contribuição do método, em desenvolver programas de certificação setoriais, como ferramenta de Gestão do Conhecimento: “O Método de desenvolver Programas de Certificação Setoriais podem contribuir para a Gestão do Conhecimento em setores de negócios?” Para a consecução da pesquisa, visando ao alcance dos objetivos, o entendimento da avaliação do método para o desenvolvimento de programas de certificação setorial teve como alicerce o estudo da Avaliação da Conformidade, já que se trata de um processo sistematizado, acompanhado e avaliado. A pesquisa foi classificada como sendo de natureza aplicada, com abordagem qualitativa, e o trabalho caracterizou-se como um estudo exploratório/descritivo, uma vez que teve como procedimentos técnicos a pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental e o estudo de caso. Como instrumento de coleta de dados foi elaborada uma Lista de Verificação (Check List) sobre a Gestão do Conhecimento submetendo o método em questão a mesma. Para esta análise, a Lista de Verificação foi subdividida nas seis dimensões da Gestão do Conhecimento. Como conclusão do trabalho, verificou-se que foi possível validar o método de desenvolver programas de certificação setorial como uma ferramenta de gestão do conhecimento.

Link para Download: Alex Eckschimidt

SILVA, Maria Miguelina da.Gestão do Conhecimento: um estudo de caso no conselho regional de farmácia de Santa Catarina. Dissertação, 2007.

Como uma organização disseminadora do conhecimento entre seus inscritos, profissionais e a sociedade em geral, o Conselho Regional de Farmácia de Santa Catarina – CRF/SC necessita que as informações sejam repassadas em tempo real, principalmente porque o que determina as ações que a mesma vai desenvolver são basicamente documentação e informações que possam ser acessadas via internet. O funcionamento do Conselho referendado pela existência de uma rede organizada de outras entidades que lhe dão suporte, todos conectados via on-line por meio de diversas práticas e ferramentas tecnológicas. É nesse ponto que se destaca o objetivo principal do presente estudo: o comparativo entre as ferramentas e práticas da Gestão do Conhecimento definidas pelo IPEA. A pesquisa de abordagem qualitativa, delineou-se como Estudo de Caso, pois é o tipo de pesquisa mais utilizada quando se pretende elaborar pesquisas exploratórias e descritivas. A coleta de dados foi efetuada através de fontes bibliográficas, documentais e entrevista com responsáveis pelos principais departamentos do Conselho. A conclusão foi de que, apesar dos entrevistados não conseguirem discorrer sobre o universo que permeia a gestão do conhecimento, eles usam quase todas as ferramentas e, mais, estão se preparando pra melhorar sua gestão na direção do uso integral de todas as práticas, ferramentas e procedimentos que são inerentes a gestão do conhecimento. Conseqüentemente, a apresentação da investigação, seus resultados e conclusões, traduziram-se pela experiência concreta do Conselho na incorporação de algumas tecnologias da informação e propiciou a elaboração de uma configuração alternativa de gestão do conhecimento, permitindo o olhar mais participativo dos componentes do Conselho, sejam eles do corpo executivo, do operacional ou de colaboradores.

Link para download: Maria Miguelina

MEDRADO, Milena Alves. GESTÃO DO CONHECIMENTO E ERGONOMIA: Fatores Biomecânicos na Atividade de Soldagem de Peças. Dissertação, 2007.

É válido ressaltar que as patologias biomecânicas têm aumentado as estatísticas de morbidade nas grandes empresas. Tendo como objetivo conduzir a uma reflexão na perspectiva da ergonomia sobre a questão da variabilidade dos homens, dos equipamentos e da matéria prima inse rida no contexto de trabalho da atividade de soldador. Considerandose o setor de soldagem como um setor de uma Organização mais complexa. A ergonomia e a gestão do conhecimento têm sido solicitadas, cada vez mais a atuarem na análise de processos de reestruturação produtiva, sobretudo, no que se refere às questões relacionadas à caracterização da atividade e à adequação dos postos de trabalho à biomecânica do trabalhador. No trabalho apresentado a seguir será feita uma análise ergonômica associada ao conhecimento humano no setor de soldagem de peças enfatizando o mau uso da biomecânica humana e as complicações patológicas futuras. As contribuições da ergonomia, na introdução de melhorias nas situações de trabalho, se dão por uma via de ação que busca compreender as atividades dos indivíduos em diferentes situações de trabalho com vistas à sua transformação. Assim, o foco de ação é a situação de trabalho inserida em um contexto.

Link para download: Milena Alves Medrado