Home » Posts tagged "Gestão de Pessoas"

LAPOLLI, Juliana. Mapeamento de competências: uma ferramenta para a Gestão de Pessoas utilizando a abordagem da Teoria Geral de Sistemas. Dissertação, 2010.

O caráter sistêmico do setor de Gestão de Pessoas é resultado da incorporação de conceitos oriundos da Teoria Geral de Sistemas e da demanda pelo conhecimento estratégico, o que torna relevante a analise da Gestão de Pessoas sob esta ótica. Esta dissertação trata da Gestão de Pessoas como função sistêmica, agregando valor a estratégia e integração organizacional. Aborda o Mapeamento de Competências como ferramenta do setor de Gestão de Pessoas a partir de uma compreensão sistêmica das organizações, a qual identifica as competências organizacionais disponíveis e as necessárias, tornando possível o desenvolvimento de novas estratégias e processos de gestão. Para validar o enfoque proposto foi aplicado na Clinica de Medicina Estética e do Esporte “Beleza”, um modelo de Mapeamento de Competências, baseado nos autores Borges-Andrade; Lima, verificando as possíveis estratégias de treinamento e mudanças na empresa. A aplicação foi realizada de acordo com o pensamento sistêmico, levando em consideração o elemento humano e o modo como ele se relaciona com o ambiente, que é um sistema dinâmico. Assim, observou-se, além dos colaboradores que exercem atividades no setor administrativo, alguns dos colaboradores técnicos. De acordo, também, com o pensamento sistêmico, todo o trabalho da Gestão de Pessoas desde o Mapeamento de Competências até a remuneração, deve ser pensado de forma estratégica e sistêmica: buscando alcançar um estado constante de equilíbrio, de modo que os processos e o sistema como um todo não chegue a um repouso estático.

Link para Download: Juliana Lapolli

GIRARDI, Dante Marciano. O Compartilhamento dos Processos de Recursos Humanos: uma contribuição para a gestão do conhecimento organizacional. Tese, 2009.

O conhecimento é, cada vez mais, essencial ao desenvolvimento e é ele que torna as organizações mais competitivas. O ambiente organizacional vem aprendendo continuadamente a gerar conhecimento, transformando-o em inovação, novas tecnologias, sistemas, produtos e serviços. Assim, as pessoas (colaboradores) passam a ser cada vez mais importantes para a estratégia das organizações. O valor da Área de Recursos Humanos (RH), atualmente, está na otimização dos processos de gestão de pessoas no sentido de torná-los uma vantagem competitiva, gerando competências críticas. A melhor forma encontrada para a gestão de pessoas é um processo mais participativo, descentralizado, de parceria, de compartilhamento com os demais gestores da empresa. Então, torna-se preponderante verificar o estágio atual desse compartilhamento e sua contribuição para as  organizações, mormente as grandes empresas catarinenses, universo deste estudo. O objetivo da pesquisa foi demonstrar a contribuição da Consultoria Interna de Recursos Humanos para a Gestão do Conhecimento, a partir de práticas de gestão de pessoas, adotadas nas maiores indústrias catarinenses. Para os fins a que se propõe este estudo, os procedimentos metodológicos seguiram a linha da pesquisa qualitativa, por meio das técnicas de pesquisa descritiva e aplicada. A pesquisa de campo, cujo universo foram as empresas catarinenses e a amostra envolveu as sete maiores em número de colaboradores, sendo que as unidades de análise foram os gestores de pessoas (RH) dessas empresas. Para análise dos dados, utilizou-se análise documental e de conteúdo. Quanto aos resultados, empreendendo sob a ótica da criação do conhecimento proposta por Nonaka e Takeuchi (1997), a consultoria interna auxilia principalmente nas etapas de socialização e externalização do conhecimento. Além disso, permite uma maior interação nos três níveis descritos por Sabbag (2007), individual, grupal e organizacional, desde que sejam implementadas em sua totalidade e os consultores possuam autonomia nos processos. Assim, analisando a contribuição da consultoria interna de Recursos Humanos para a Gestão do Conhecimento, pode-se perceber que as empresas que possuem maior grau de autonomia e maior nível de implementação, são aquelas em que os processos são mais compartilhados, socializados e internalizados pelos colaboradores. Dessa forma, pode-se afirmar que nas empresas analisadas o desenvolvimento dos processos de consultoria interna de RH catalisa os resultados da Gestão do Conhecimento nas mesmas.

Link para download: Dante Girardi