Home » Posts tagged "Gestão"

NUNES, Carolina Schmitt. GESTÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UM FRAMEWORK BASEADO EM BOAS PRÁTICAS. Tese, 2017.

A Educação a Distância emerge cada vez mais como uma possibilidade de acesso e democratização da educação no Brasil. As especificidades da modalidade tornam imperativa a utilização de formas apropriadas de gerenciamento de cursos. A escassez de pesquisas sobre práticas de gestão de sistemas de educação a distância deixa um campo aberto a novas descobertas e reflexões. Portanto, esta tese propõe um framework para a gestão da educação a distância baseado em melhores práticas. A abordagem desta pesquisa é qualitativa. Os procedimentos metodológicos adotados foram: revisão narrativa da literatura, estudo de caso com análise temática, revisão sistemática e validação com especialistas. O estudo de caso foi realizado no curso a distância de Administração da Universidade Federal de Santa Catarina (membro do Sistema Universidade Aberta do Brasil), entre 2006 e 2016, e os participantes foram oito gestores do curso. A revisão sistemática aportou uma relação de boas práticas em nove categorias: gestão de pessoas, tutoria, comunicação, planejamento, design instrucional, tecnologia, institucionalização, gestão financeira e qualidade. A partir dos resultados do estudo de caso e da revisão sistemática, foi elaborado o framework, posteriormente validado com os especialistas, com 11 dimensões de boas práticas: tutoria, comunicação, planejamento, pessoas, institucionalização, pesquisa, relacionamento com stakeholders, tecnologia, qualidade, gestão financeira e design educacional. O objetivo do modelo desenvolvido é – potencialmente – ser um guia para gestores e coordenadores de cursos a distância que desejem melhorar a qualidade dos seus cursos.

 

Link para download: Carolina Schmitt Nunes

SILVA, Andreza Regina Lopes da. DESIGN EDUCACIONAL PARA GESTÃO DE MÍDIAS DO CONHECIMENTO. Tese, 2017.

A concepção de um curso na modalidade a distância envolve diferentes desafios, entre os quais se destaca a elaboração da mídia do conhecimento, pois esta exerce a função de mediação pedagógica. Converge com esta realidade a intersecção dos temas “design educacional” e “gestão”. Assim, o objetivo desta tese de doutorado é propor um modelo de design educacional como processo de gestão para elaboração de mídias do conhecimento em projetos de educação a distância. Para atender a este objetivo, a pesquisa classifica-se como científica, de natureza teórico-prática, com finalidade aplicada, trabalhada segundo uma abordagem exploratório-descritiva. Para a coleta e a análise de dados, utilizou-se da técnica de métodos mistos, empregando-se práticas de pesquisa quantitativa e qualitativa. A interpretação da análise resultou de uma interlocução triangulada a partir do tripé conceitual: design educacional; gestão do conhecimento e gestão de projetos. Os resultados encontrados permitiram a construção de um modelo teórico-conceitual de design educacional denominado Ariadne. Este modelo apresenta-se como sendo uma direção flexível que valoriza as competências, os processos e as tecnologias necessárias para a elaboração de mídia do conhecimento na modalidade a distância e está organizado de modo a direcionar esta produção de modo que se atinja o objetivo desejado. Dada a crescente complexidade dos projetos educacionais, conclui-se que processos de gestão de projetos e gestão do conhecimento integrados à prática do design educacional contribuem para atender aos princípios de ensino-aprendizagem a partir da gestão de elaboração de tais mídias.

 

Link para download: Andreza Regina Lopes da Silva

SANTOS, Marcos Henrique dos. Um Modelo para a Gestão Colegiada Orientada ao Significado por meio da Realização de PDCAs. Dissertação, 2012.

Neste trabalho, busca-se definir o conceito de Gestão Orientada ao Significado (GOS) para a realização de PDCAs (Plan, Do, Check, and Act) por meio do estabelecimento de um modelo baseado em tecnologias oriundas da Engenharia do Conhecimento. Tal modelo se apoia em teorias advindas da Linguística, Semiótica, Teoria da Decisão, Engenharia, Gestão e Mídia do Conhecimento, e busca mitigar o problema de qualidade da informação utilizada para a tomada de decisão em colegiados de gestão corporativa. Para essa tarefa, buscou-se fundamentos na literatura, bem como foi realizado um estudo de caso em uma grande empresa da área financeira. Destacam-se como resultados deste trabalho: i) o avanço no entendimento do processo decisório como produção colaborativa de conhecimento; ii) a proposta de um modelo de facetas pragmáticas que apoia a recuperação contextualizada da informação; e iii) a consequente melhoria da qualidade das decisões pela realização de processos de PDCAs que devem seguir o modelo aqui proposto.

Link para download: Marcos Henrique dos Santos

BATISTA, Fábio Ferreira. Modelo de Gestão do Conhecimento para a Administração Pública Brasileira: como Implementar a Gestão do Conhecimento para Produzir Resultados em Benefício do Cidadão. Pós Doutoramento, 2012.

PREFÁCIO

Para que correr se você não está na estrada certa? Provérbio indiano.

Muitas práticas de Gestão do Conhecimento (GC), implementadas por órgãos e entidades da administração pública brasileira, não estão alinhadas com os direcionadores estratégicos da organização (visão, missão, objetivos estratégicos, estratégias e metas). Assim, parafraseando o provérbio indiano na epígrafe, alguém poderia perguntar a essas instituições: “Para que implementar práticas de GC se elas não ajudam a alcançar seus objetivos estratégicos?” Outras organizações públicas ainda não asseguram a utilização da GC para melhorar processos, produtos e serviços. Para essas, caberia também indagar: “Para que implementar GC se isso não está contribuindo para o aumento da eficiência e para a melhoria da qualidade dos serviços prestados à população?” Este trabalho descreve um modelo para a administração pública concebido para orientar as organizações sobre como implementar GC de tal forma a assegurar o alcance dos objetivos estratégicos e a melhoria de processos, produtos e serviços em benefício do cidadão-usuário e da sociedade em geral. A ideia de realizar este trabalho surgiu de uma constatação: as organizações públicas no Brasil não contavam com um modelo de GC genérico (que servisse para todas as organizações públicas), holístico (que permitisse um entendimento integral da GC), com foco em resultados (que visasse alcançar objetivos estratégicos e melhorar o desempenho) e específico para a administração pública. A oportunidade de construir esse modelo surgiu com o aproveitamento de uma licença-capacitação nos meses de setembro, outubro e novembro de 2011. Nesse período, desenvolvi o trabalho como produto do pós-doutorado que realizei no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (EGC/UFSC). Agradeço a todos que contribuíram para a realização deste trabalho, em especial ao Comitê de Gestão de Pessoas (CGP) do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) pela concessão da licença-capacitação; ao Professor Neri dos Santos (EGC/UFSC) pela orientação e apoio; ao EGC/UFSC por ter-me aceito como pós-doutorando; a Patrícia de Sá Freire (doutoranda do EGC/UFSC) pela ajuda no levantamento de referências bibliográficas; aos colegas da Atividade de Pesquisa Planejada (APP) do Ipea – EGC/UFSC Isamir Carvalho, Angela Amin, Marilda Todescat e Isabel Santos, pelos comentários e sugestões. A minha expectativa é de que o modelo e o manual de implementação da GC aqui propostos sejam úteis para todos aqueles que enfrentam o desafio de institucionalizar a GC na administração pública brasileira.

Link para Download: Fábio Ferreira Batista

SANTOS, Fladimir Fernandes dos. Modelo de gestão para promover a criação e o compartilhamento de conhecimento em comunidade virtual de prática. Tese, 2010.

Após identificar alguns fatores que interferem na realização das iniciativas de criação e de compartilhamento de conhecimentos, em comunidade virtual de prática (VCoP), e que esse tipo de comunidade que pretende proporcionar a capacitação dos seus membros para o conhecimento, não garante que tais iniciativas sejam executadas, procurou-se, na presente tese, propor um modelo de gestão para promover a criação e o compartilhamento de conhecimentos em VCoP. Para atingir o proposto, efetuou-se uma pesquisa bibliográfica e uma pesquisa exploratória e descritiva, sendo esta última realizada por intermédio de um estudo de caso em uma VCoP. Os dados foram coletados por meio das técnicas de análise de documentos, de análise do ambiente e de entrevistas não-estruturadas com quatro moderadores da comunidade. Os dados coletados foram analisados qualitativamente, com o auxílio do método indutivo, e foram explicados pelo princípio da abordagem teórica. Após essas etapas, foram identificados os requisitos necessários para o estabelecimento do modelo; a partir daí, foram delineados os elementos que ele deveria contemplar. Em seguida, buscou-se, pelo Método Delphi, um consenso de opiniões de especialistas a respeito do modelo delineado, de forma a verificar sua consistência. Os resultados mostram que a aceitação plena do  modelo ficou acima do limite mínimo estabelecido para este estudo, que era de 50%. Os comentários dos especialistas geraram reflexões sobre alguns pontos; em vista disso, alguns elementos foram melhorados, e uma versão final foi proposta. O modelo é para ser utilizado em VCoP já constituída e legitimada, apoiada e caracterizada como uma entidade importante para uma organização. O modelo está estruturado em quatro fases que englobam procedimentos que precisam ser desenvolvidos em sequência, sem esquecer que todos os componentes, abordados no modelo, devem ter a participação dos membros da comunidade. A primeira fase começa com a preparação da comunidade; nela, é preciso escolher um patrocinador para todo o processo de gestão, esclarecer no que consiste a gestão que pretende promover a criação e o compartilhamento de conhecimentos, formar grupos e definir os ativistas do conhecimento. A segunda fase consiste na identificação de fatores que influenciam a gestão do conhecimento. Essa fase envolve a análise da cultura vigente, a identificação da visão de futuro, o diagnóstico da situação atual, a análise ambiental e a identificação de fatores críticos de sucesso da VCoP. Na terceira fase,é preciso estabelecer as questões e as ações que capacitam para o conhecimento, determinar indicadores de desempenho e definir o plano de ação. A última fase do modelo é composta pelos procedimentos de divulgação do plano de ação e de monitoramento e avaliação de todo o processo de gestão.

Link para download: Fladimir Santos

LENZI, Greicy K. S. Diretrizes para a Gestão de Projetos de Cursos de Capacitação na Modalidade de Educação a Distância. Dissertação, 2010.

Os cursos na modalidade de Educação a Distância (EAD) exigem processos específicos e complexos para serem realizados. Isso implica na necessidade de um modelo robusto de gestão de projetos que abarque todos os processos para garantir que estes obtenham eficiência e eficácia no processo educacional. Assim, esta dissertação, por meio da aproximação das áreas de EAD e Gerenciamento de Projetos (GP), buscou construir diretrizes de gestão em projetos nessa modalidade de ensino. Destarte, foram identificados os processos de um curso de capacitação e configuradas áreas de gestão de EAD. Os  procedimentos metodológicos delineados foram a pesquisa aplicada, bibliográfica e documental e, o estudo de caso foi executado no LED/UFSC. As atividades efetuadas foram analisadas e apresentadas a partir de uma perspectiva do PMBOK®, bem como foi realizada uma análise comparativa entre um curso que não teve como base o GP e o estudo de caso eleito. A partir disso verificou-se que a aplicação das práticas de gerenciamento de projetos contribui para a melhoria dos padrões de efetividade da Gestão em EAD.

Link para download: Greicy Lenzi