Home » Posts tagged "Conhecimento"

DOROW, Patrícia Fernanda. COMPREENSÃO DO COMPARTILHAMENTO DO CONHECIMENTO EM ATIVIDADES INTENSIVAS EM CONHECIMENTO EM ORGANIZAÇÕES DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM. Tese, 2017.

O compartilhamento do conhecimento é considerado um fenômeno complexo e reconhecido como o processo mais importante na espiral de conversão do conhecimento. Assim, o objetivo desta tese é compreender o compartilhamento do conhecimento em atividades intensivas em conhecimento em organizações de diagnóstico por imagem. Para tanto, realizaram-se três estudos em organizações de radiodiagnóstico com 43 radiologistas (22 novatos e 21 especialistas). As formas de investigação foram: observações, entrevistas e confirmações dos resultados. Identificados os melhores ambientes e práticas, foi possível entender as particularidades existentes nos motivadores, inibidores e aceleradores. Os resultados revelam que uma cultura de cooperação e união favorece as interações entre os profissionais que, por sua vez, desenvolvem a perícia de modo mais rápido exatamente por compartilharem de maneira intensa os conhecimentos.

 

Link para download: PATRICIA DOROW

TORQUATO, Mirian. O Despertar da Criatividade: Gerenciando o Medo. Tese, 2017.

As organizações, na atual era do conhecimento, estão inseridas em um mercado altamente competitivo. Dessa forma, os colaboradores, capital intelectual organizacional, necessitam ser incentivados, na sua singularidade, no que se refere ao desenvolvimento de seus talentos, ou seja, devem ter oportunidades de aflorar o potencial criativo em suas ações cotidianas. Porém, existem fatores inibidores do potencial criativo que dificultam o processo criativo organizacional. Muitas vezes, o medo do fracasso aterroriza as pessoas e, portanto, pode ser considerado um dos maiores obstáculos ao sucesso criativo. Há estudiosos no assunto que sustentam a ideia de que, para a expressão dos talentos humanos, há a necessidade de um trabalho de autoconhecimento em que as pessoas possam entrar em contato com seus medos para o entendimento da possibilidade do caminhar juntos (pessoa/medo) na jornada do processo criativo ou para a construção de novos conhecimentos, habilidades e atitudes, gerando a confiança necessária para geração de novas ideias, surgimento da criatividade e consequente inovação. Neste contexto, esta tese tem por objetivo analisar os fatores  que limitam o potencial criativo do ser humano frente ao medo. O procedimento metodológico para fins a que se propõe este estudo seguiu a linha da Pesquisa Qualitativa e procedimentos de Pesquisa Quantitativa, de cunho Exploratório e Descritivo, sendo que na sua trajetória utilizou instrumentos como questionário, análise estatística, entrevista semiestruturada e análise de conteúdo.  Como resultado desta pesquisa, a partir da análise qualitativa, das sugestões dos participantes da pesquisa para trabalhar o medo das pessoas na vida pessoal e/ou profissional; da análise quantitativa e do conhecimento acadêmico, profissional e pessoal da autora, foram elaboradas recomendações e sugestões de intervenções vivenciais que trabalham o medo para facilitar a confiança criativa às pessoas em seus processos criativos, ou seja, facilitar o despertar  do potencial criativo, as capacidades que têm de ter novas ideias e coragem para testá-las na busca da inovação nos processos criativos. Os resultados apresentados contribuem para o processo de desconstrução e consequente construção 16 de novos conhecimentos, habilidades e atitudes por meio da geração da confiança criativa tão necessária à expressão dos talentos inerentes ao ser humano. As sugestões apontadas exigem mudanças no comportamento e na cultura das pessoas, mas, sobretudo no contexto organizacional, pois sendo os colaboradores capital intelectual organizacional, se faz necessário que sejam estimulados na sua singularidade a expressar seu talento em um ambiente interno, como práticas vivenciais que favoreçam o autoconhecimento com a presença de incentivos e desafios para que, assim, a criatividade possa florescer.

Link para download: Mirian Torquato

VIDOTTO, Juarez Domingos Frasson. Influências do Capital Humano na Memória Organizacional. Tese, 2016.

A ascensão do capital humano é uma característica marcante da economia do conhecimento. A dinâmica dessa economia tornou as organizações mais dependentes dos aspectos humanos, ou seja, das competências dos seus colaboradores. A competência das pessoas é representada pelos seus conhecimentos, habilidades e atitudes que podem proporcionar vantagens competitivas. Os conhecimentos adquiridos pelas experiências dos indivíduos, tanto na forma explícita quanto na tácita, também fazem parte da memória organizacional. Assim, as pessoas ao armazenarem conhecimentos também se tornam repositórios da memória da organização, que é acionada para dar suporte às atividades presentes. O objetivo principal desse estudo é analisar a influência de fatores do capital humano nos conhecimentos armazenados na memória organizacional. Procurou-se dimensionar em que medida os aspectos humanos como liderança, motivações, qualificações, satisfação e criatividade podem impactar os diversos tipos de conhecimentos que são retidos na memória organizacional. A pesquisa empírica teve a participação de 220 gerentes de relacionamento de uma instituição financeira localizada no Estado de Santa Catarina. A análise dos dados foi efetuada com técnicas estatísticas. Por meio da análise fatorial foi possível agrupar as variáveis do capital humano em três fatores: Liderança e motivações; Qualificações; e, Satisfação e criatividade. As variáveis relativas aos conhecimentos da memória organizacional foram agrupadas em cinco fatores: Político; Social; da Rede; do Trabalho; e da Indústria e história da organização. A análise de correlações foi utilizada para dimensionar as influências dos fatores do capital humano nas dimensões de conhecimento da memória organizacional. Os resultados indicam que todos os fatores do capital humano estão positivamente correlacionados com os conhecimentos da memória organizacional, com destaque para as correlações mais significativas dos fatores Qualificações e Satisfação e criatividade com o conhecimento Político da memória, e do fator Liderança e motivações com a Rede de conhecimento da memória da organização. Este trabalho contribui para aproximar os dois campos de pesquisa, o capital humano e a memória organizacional e, nas discussões dos resultados, se recomenda uma série de ações estratégicas para melhorar as inter-relações entre ambos. Nas considerações finais apresentam-se contribuições teóricas e práticas do estudo, além do apontamento de temas para futuras pesquisas.

Link para download: Juarez Vidotto

MANHÃES, Mauricio Cordeiro. Innovativeness and Prejudice: Designing a Landscape of Diversity for Knowledge Creation. Tese, 2015.

O interesse organizacional contemporâneo a respeito da inovação levou a várias tentativas de domá-la por meio de amplas chamadas para as práticas de criatividade e design. Na maioria das vezes, essas chamadas fogem do confronto entre o processo de renovação contínua do efêmero de um lado; e a tradição e o preconceito, por outro. O objetivo deste estudo é fazer sentido de um discurso para aumentar o potencial de criação de conhecimento de grupos, de modo a atuarem na direção do futuro, para um melhor desempenho e longevidade. Baseado no conceito de Necessidade de Enquadramento (Need for Closure), a partir de uma perspectiva hermenêutica e inspirado por uma abordagem metodológica reflexiva, o presente estudo lança luz sobre os impactos do preconceito nos esforços inovadores de grupos. Os dados e resultados apresentados respondem positivamente à pergunta de pesquisa da tese, indicando que existe uma relação entre a tendência de motivação cognitiva de indivíduos em um grupo (NFC Mean) e o potencial desse grupo de criar produtos percebidos como inovativos (OUP Mean). Esses resultados habilitam a descrever o NFC Mean como uma variável preditora (ou explicativa) positiva e significativa do OUP Mean.Apoiado por um estudo empírico e análise quantitativa de dados. Assim, este estudo propõe uma heurística baseada em determinantes de inovatividade relacionados a preconceito (denominada Prejudice Related Innovativeness Determinants Heuristic – PRIDHe), para aumentar efetivamente o potencial inovativo de grupos sociais. A heurística sugere formas de alocar pessoas em e define uma política de governança para grupos, a fim de proporcionar um ambiente criativo onde o preconceito não somente limita as ações como sugere novas oportunidades de atuar em direção ao futuro. A principal contribuição teórica deste trabalho reside nas reflexões sobre os impactos positivos do preconceito nos esforços inovativos. Em seu núcleo, o discurso proposto neste texto pode ser resumido como: organizações cientes de seus preconceitos possuem maior probabilidade de apresentar um melhor desempenho.

 

Link para download: Mauricio Cordeiro Manhães

CASTILHO, Carlos Albano Volkmer de. O Papel da Curadoria na Promoção do Fluxo de Notícias em Espaços Informativos Voltados para a Produção de Conhecimento. Tese, 2015.

A curadoria de informações é uma nova área de estudo cuja importância é cada vez maior devido às consequências da combinação de dois fenômenos recentes na internet: a Avalancha Informativa e os Grandes Dados (Big Data). Ao filtrar, selecionar, agregar valor e disseminar recomendações, a curadoria contribui para aumentar a estruturação e difusão de informações e intensificar o fluxo de conteúdos necessários à produção de conhecimento. Por se tratar de uma área ainda pouco estudada foi necessário definir termos como dado, notícia, informação, conhecimento, bem como processos de curadoria de informações, fluxo de informações e espaços informativos. A curadoria de informações foi tomada como tema central do trabalho por sua função na disseminação de informações voltadas para a produção de conhecimento em comunidades de usuários. Os procedimentos metodológicos adotados no desenvolvimento do trabalho foram orientados pela Teoria Fundamentada em Dados (Grounded Theory) e pela obra de John Creswell sobre organização de pesquisas acadêmicas. A análise do processo de curadoria de informações partiu da coleta de dados obtidos durante seis meses de monitoramento do blog Content Curation World. Estes dados foram posteriormente interpretados com base nas teorias de Max Boisot, sobre fluxos informativos. A análise de 17.907 reações dos receptores às 167 postagens com recomendações do curador mostrou a relevância do papel do fluxo de dados na alimentação da produção de conhecimento numa rede social frequentada por 4.120 usuários aglutinados em torno da preocupação com a curadoria de informações.

 

Link para download: CARLOS ALBANO VOLKMER DE CASTILHO

TECCHIO, Edivandro Luiz. A Influência da Espiritualidade no Processo de Gestão do Conhecimento em Empresas de Base Tecnológicas. Tese, 2015.

Mudanças profundas estão ocorrendo no local de trabalho e a espiritualidade é apontada como um dos temas principais. A gestão e a espiritualidade, consideradas por muito tempo incompatíveis, nos últimos anos se aproximaram. A Espiritualidade nas Organizações ganhou força nas últimas duas décadas, com diversos pesquisadores desenvolvendo estudos com o objetivo de verificar se a espiritualidade afeta o desempenho dos trabalhadores nas organizações. Comoo campo organizacional é amplo, muitos temas ainda não foram explorados, ou seja, relacionados com a Espiritualidade nas Organizações. A Gestão do Conhecimento é um desses temas, especialmente se for considerado o Processo de Circulação de Conhecimento – KCP. Não foram encontrados estudos que analisassem se a Espiritualidade nas Organizações exerce influência no Processo de Circulação de Conhecimento. Aproveitando essa oportunidade de pesquisa, o objetivo geral desta tese é estudar a relação entre a Espiritualidade na Organização e o Processo de Circulação do Conhecimento. Com base no paradigma funcionalista foi conduzida uma pesquisa quantitativa (survey) com corte transversal, junto a 133 (cento e trinta e três) trabalhadores de 20 (vinte) empresas de base tecnológica do município de Chapecó-SC, vinculadas ao Polo Tecnológico do Oeste Catarinense – DEATC. A análise dos dados ocorreu por meio de técnicas estatísticas, tanto descritivas (média, moda, desvio padrão, variância, coeficiente de variação e assimetria), quanto inferenciais (correlação e regressão linear simples). Os resultados demonstram como as três dimensões da Espiritualidade nas Organizações, senso de comunidade, trabalho com significado e vida interior, influenciam os cinco Componentes do Processo de Circulação de Conhecimento (criação, acumulação, compartilhamento, utilização e internalização). A Espiritualidade nas Organizações influencia positivamente o Processo de Circulação de Conhecimento. Especificamente, as dimensões da Espiritualidade nas Organizações senso de comunidade e trabalho com significado apresentam correlação significativa ao nível de 1% com a criação, acumulação, o compartilhamento, utilização e a internalização de conhecimento, ou seja, todos os componentes do Processo de Circulação de Conhecimento. Elas também são significativas, ao nível de 5%, para explicar a variância de todas as variáveis dependentes. Por outro lado, a variável vida interior apresentou correlação, ao nível de significância de1%, com as variáveis acumulação, compartilhamento, utilização e internalização de conhecimento, sendo, significativa (p<5%) para explicar a variância das variáveis acumulação, utilização e internalização de conhecimento. Já para as variáveis criação e compartilhamento de conhecimento, vida interior não é significativa para explicar suas variações. Os resultados sugerem que os indivíduos estão mais propensos a criar, acumular, compartilhar, utilizar e internalizar conhecimento  quando desenvolvem seu trabalho em uma organização onde a espiritualidade está presente. Portanto, em que pese vida interior não ter apresentado associação significativa com as variáveis criação e compartilhamento de conhecimento, infere-se que, a Espiritualidade nas Organizações influencia o Processo de Circulação de Conhecimento, contribuindo na determinação de sua eficácia.

 

Link para Download: Edivandro Luiz Tecchio

SILVA, Charles Odair Cesconetto da. A Disseminação do Conhecimento Científico através do Filme Documentário. Dissertação, 2013.

Com a expansão e popularização da WEB e da TV, estas tornaram-se as principais fontes de acesso ao conhecimento científico de uma significativa parcela da população (National Science Board, 2008). Neste sentido, considera-se que os documentários científicos representam um potencial instrumento de consciência e educação. Com o intuito de contribuir com a sistematização do estudo sobre documentário e disseminação do conhecimento científico, o presente trabalho busca compreender as características de filmes documentários cuja finalidade seja a disseminação de conhecimentos científicos. Para se chegar ao objetivo, foi realizada uma pesquisa bibliográfica de caráter exploratório para relacionar conceitos de “conhecimento científico” e “documentário científico”. Adotou-se como metodologia, a pesquisa qualitativa e o estudo de caso. Seguindo os procedimentos metodológicos, foram analisados três documentários, o que permitiu a compreensão da estrutura narrativa e técnica destes. Como resultados chegou-se à conclusão de que os documentários que tenham esta finalidade devem simplificar os conhecimentos abordados, de maneira a facilitar a compreensão por parte do público geral; devem usar todos os meios possíveis para que ele seja atraente para o espectador e, acima de tudo, o discurso e a defesa das ideias contidas nestes filmes devem respeitar critérios e procedimentos científicos.

Link para Download: Charles Odair Cesconetto da Silva

DOROW, Patrícia Fernanda. O Processo de Geração de Ideias para Inovação: Estudo de Caso em uma Empresa Náutica. Dissertação, 2013.

 

As organizações alcançam melhorias por meio da inovação. Porém, ainda existe uma lacuna no início do processo de inovação, mais especificamente na atividade de geração de ideias que ainda carece de pesquisas empíricas. Nesse sentido, o propósito deste trabalho foi identificar como acontece a geração de ideias em uma empresa que realiza inovações. Para isso, foi realizada primeiramente uma busca sistemática para identificar modelos de geração de ideias, sendo escolhidos e analisados. Posteriormente, foi feita a análise comparativa entre os modelos indicando pontos comuns entre eles. Como existe muita confusão em relação aos termos geração de ideias, ideação e gestão de ideias, foi feita a clarificação dos termos de acordo com os autores que os utilizam. A pesquisa de campo compreendeu inicialmente cinco entrevistas com os gerentes de diferentes áreas da empresa. Os dados foram analisados utilizando a técnica de análise de conteúdo. Finalmente, foram realizadas mais duas entrevistas com o diretor e o presidente da empresa para a verificação do instrumento de análise. O processo de geração de ideias utilizado pela empresa foi comparado aos modelos existentes na literatura e alguns ajustes foram observados. Conclui-se que a falta de definição de um modelo formal dificulta um desenvolvimento dinâmico na empresa, o que poderia tornar os processos mais claros e permitir um melhor entendimento da importância do processo de inovação por parte de todos na empresa.

Link para download: Patrícia Fernanda Dorow

NUNES, Carolina Schmitt. O Compartilhamento de Conhecimento entre os Agentes de um Curso na Modalidade EAD: Um Estudo de Caso. Dissertação, 2013.

O compartilhamento de conhecimento enquanto processo da gestão do conhecimento é fundamental na aprendizagem individual e organizacional. Na educação a distância o compartilhamento de conhecimento pode colaborar para um melhor rendimento dos alunos no que se refere à aprendizagem e para a melhoria do desempenho do curso em termos da gestão do mesmo. Considerando a expansão significativa da modalidade de educação a distância no Brasil na última década, a presente dissertação busca analisar como ocorre o compartilhamento de conhecimento entre os integrantes de uma curso de graduação na modalidade EaD. O curso estudado foi o curso de graduação em Administração ofertado pelo Departamento de Ciências da Administração da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Para isso foram realizadas  entrevistas semi estruturadas com integrantes do curso que desempenham diferentes funções no período entre maio e outubro de 2012. As entrevistas foram realizadas nos polos de apoio presencial e na sala de Tutoria da UFSC, posteriormente as entrevistas foram transcritas, codificadas e analisadas segundo o paradigma interpretavista. Dentre os resultados, verificou-se entre quais integrantes do curso o compartilhamento de conhecimento acorre, dentre esses, observou-se maior intensidade nas interações entre alunos e alunos, e entre alunos e tutores (presenciais e a distância). As interações ocorriam por diferentes meios que eram poderiam ser suportados por TICs ou não, estes meios não eram apenas os adotados oficialmente pelo curso, sendo que o compartilhamento de conhecimento acontecia também informalmente. Ainda foi possível identificar alguns dos fatores críticos ao compartilhamento de conhecimento no contexto estudado, nesse sentido, observou-se que o polo de apoio presencial e a forma como é gerido tem impacto direto no compartilhamento de conhecimento entre os agentes do curso.

Link para download: Carolina Schmitt Nunes