Home » Posts tagged "Compartilhamento de conhecimentos"

NUNES, Israel Honorino. Diretrizes estratégicas para o desenvolvimento de comunidades de prática na área comercial de uma empresa de distribuição de energia elétrica. Tese, 2012.

Esta pesquisa tem por objetivo definir diretrizes estratégicas para constituição de comunidades de prática nos departamentos da área comercial das Centrais Elétricas do Estado de Santa Catarina – CELESC, visando encontrar meios que assegurem o cumprimento das metas estabelecidas nos contratos de resultados entre os departamentos e a área comercial. A partir da identificação do status do processo de gestão do conhecimento daqueles departamentos, com base na metodologia OKA (Organizational Knowledge Assessment), verificou-se a inexistência tanto de processos de gestão de conhecimento, controle de métricas e monitoramento, quanto de comunidades de prática e de processos consequentes de compartilhamento de conhecimentos em empresas do setor elétrico. A fim de que as comunidades de prática fossem utilizadas como recursos para melhoria do desempenho dos departamentos da área comercial, foram correlacionados os indicadores gerais de desempenho específicos de cada um deles com os 19 (dezenove) fatores críticos de sucesso levantados na literatura para mensurar os níveis de impacto dos respectivos fatores sobre os indicadores de desempenho, considerando o cumprimento das metas dos contratos de resultados. Os resultados finais apresentaram as principais lacunas em termos de domínios de conhecimento, comunidades e práticas que deverão ser criadas a partir do estabelecimento das diretrizes estratégicas para tornar possível um processo de gestão de melhoria do desempenho organizacional. As diretrizes estratégicas propostas a partir do levantamento de dados realizado demonstram a necessidade de procedimentos de curto, médio e longo prazo na Diretoria Comercial da CELESC. Dessa forma, a explicitação de domínios, comunidades e práticas pelos gerentes dos departamentos da área comercial evidenciou um conjunto grande de variáveis que precisarão ser objeto de gestão para que o cumprimento das metas tenha resultados da ação dos domínios e das práticas a serem utilizados pelas comunidades futuramente criadas. Tanto a fundamentação adotada quanto a metodologia utilizada possibilitaram identificar, a partir dos indicadores levantados, as não conformidades que resultaram no descumprimento das metas nos contratos de resultados dos anos analisados. Os impactos levantados demonstram efetivamente o quanto a implantação das comunidades de prática nos Departamentos da Diretoria Comercial acelerará o processo de cumprimento das metas nos contratos de resultados. As contribuições resultantes da pesquisa para a área da gestão do conhecimento em comunidades de prática demonstraram a necessidade de gestão estratégica do conhecimento em empresas do setor público visando à melhoria do seu desempenho.

Link para Download:Israel Honorino Nunes

SANTOS, Fladimir Fernandes dos. Modelo de gestão para promover a criação e o compartilhamento de conhecimento em comunidade virtual de prática. Tese, 2010.

Após identificar alguns fatores que interferem na realização das iniciativas de criação e de compartilhamento de conhecimentos, em comunidade virtual de prática (VCoP), e que esse tipo de comunidade que pretende proporcionar a capacitação dos seus membros para o conhecimento, não garante que tais iniciativas sejam executadas, procurou-se, na presente tese, propor um modelo de gestão para promover a criação e o compartilhamento de conhecimentos em VCoP. Para atingir o proposto, efetuou-se uma pesquisa bibliográfica e uma pesquisa exploratória e descritiva, sendo esta última realizada por intermédio de um estudo de caso em uma VCoP. Os dados foram coletados por meio das técnicas de análise de documentos, de análise do ambiente e de entrevistas não-estruturadas com quatro moderadores da comunidade. Os dados coletados foram analisados qualitativamente, com o auxílio do método indutivo, e foram explicados pelo princípio da abordagem teórica. Após essas etapas, foram identificados os requisitos necessários para o estabelecimento do modelo; a partir daí, foram delineados os elementos que ele deveria contemplar. Em seguida, buscou-se, pelo Método Delphi, um consenso de opiniões de especialistas a respeito do modelo delineado, de forma a verificar sua consistência. Os resultados mostram que a aceitação plena do  modelo ficou acima do limite mínimo estabelecido para este estudo, que era de 50%. Os comentários dos especialistas geraram reflexões sobre alguns pontos; em vista disso, alguns elementos foram melhorados, e uma versão final foi proposta. O modelo é para ser utilizado em VCoP já constituída e legitimada, apoiada e caracterizada como uma entidade importante para uma organização. O modelo está estruturado em quatro fases que englobam procedimentos que precisam ser desenvolvidos em sequência, sem esquecer que todos os componentes, abordados no modelo, devem ter a participação dos membros da comunidade. A primeira fase começa com a preparação da comunidade; nela, é preciso escolher um patrocinador para todo o processo de gestão, esclarecer no que consiste a gestão que pretende promover a criação e o compartilhamento de conhecimentos, formar grupos e definir os ativistas do conhecimento. A segunda fase consiste na identificação de fatores que influenciam a gestão do conhecimento. Essa fase envolve a análise da cultura vigente, a identificação da visão de futuro, o diagnóstico da situação atual, a análise ambiental e a identificação de fatores críticos de sucesso da VCoP. Na terceira fase,é preciso estabelecer as questões e as ações que capacitam para o conhecimento, determinar indicadores de desempenho e definir o plano de ação. A última fase do modelo é composta pelos procedimentos de divulgação do plano de ação e de monitoramento e avaliação de todo o processo de gestão.

Link para download: Fladimir Santos

REICHERT, Fernando. Modelo de criação de espaços de colaboração em parcerias público-privadas – PPP por meio de Comunidades de Prática – CoP. Tese, 2008.

O objetivo da presente tese é a concepção de um modelo de criação de espaços de colaboração em PPP por meio de Comunidades de Prática – CoP. O modelo consiste no cultivo de uma CoP entre os atores sociais da inter-organização da parceria, com base num planejamento sistêmico e participativo que utiliza a Metodologia de Sistema Soft – SSM. Os laços sociais das CoP formam padrões de interação entre os parceiros e uma cultura inter-organizacional para a colaboração, e a participação na SSM favorece a criação de valores comuns, o que permite a formação de contextos adequados para o compartilhamento de conhecimentos tanto na dimensão da cultura como na dimensão da abstração. Como o modelo se aplica a qualquer tipo de parceria, independentemente de ser disciplinada por leis de PPP, o mesmo teve a sua aplicabilidade e consistência testadas em uma parceria, formalizada por um convênio entre empresas graneleiras, públicas e privadas, que utilizam um mesmo corredor de exportação de grãos, no porto de São Francisco do Sul, no estado de Santa Catarina. Nesta pesquisa de campo foram utilizados os métodos da História Oral temática, para verificar a existência de evidências de construtos da colaboração, e do Discurso do Sujeito Coletivo – DSC, para identificar os pontos de convergência e divergência entre os conhecimentos dos parceiros. Os resultados obtidos, a partir de entrevistas semi-estruturadas com os atores sociais da gerência média e que tinham um nível similar de tempo de convivência e aprendizagem, mostrou que esse modelo da gestão de conhecimentos é aplicável e consistente para proporcionar melhores desempenhos sócio-econômicos em parcerias público-privadas, pelas sinergias produzidas dos adequados compartilhamentos de conhecimentos gerenciais.

Link para download: Fernando Reichert