Home » Page 45

FERNANDES, Luciano Lazzaris. Gestão do conhecimento em projetos de extensão universitária direcionados às pessoas com deficiência. Tese, 2009

A presente pesquisa teve como objetivo geral analisar os processos de integração, aquisição e disseminação do conhecimento entre os serviços extensionistas da UFSC direcionados às pessoas com deficiência, bem como propor diretrizes para auxiliar esses processos. O caminho metodológico se fundamentou na pesquisa qualitativa exploratória. A população foi constituída por coordenadores de extensão e diretores do departamento ligados à extensão da UFSC. Os dados foram obtidos através de entrevistas semi-estruturadas. Para analisar as entrevistas foi utilizado o software ATLAS TI. Esta pesquisa evidenciou que os projetos trabalham isoladamente, em guetos; existe a preocupação da equipe gestora na produção e disseminação do conhecimento colaborativo; a extensão ao mesmo tempo em que possibilita vivências concretas de aprendizagem, garante o retorno para a academia das necessidades da comunidade bem como de novos conhecimentos formando, nesse processo, uma espiral do conhecimento; os projetos direcionados às pessoas com deficiência podem ser comparados aos sistemas adaptativos complexos; há interesse de todos os coordenadores em participar de grupos para desenvolver ações e políticas inclusivistas na UFSC. Além dessas evidências, a pesquisa detectou um descaso das instituições públicas de ensino superior quanto ao Decreto 5296 de 02/12/04, no que tange a acessibilidade às páginas iniciais da web. Outra constatação foi para as home page das Pró-Reitorias ligada a extensão dessas instituições, onde não encontrou-se nenhum link para os projetos, nem informações mais detalhadas sobre os mesmos. Concluímos o estudo propondo que seja criado dois instrumentos: um núcleo de estudo e um portal web que possam dar conta de todos os aspectos detectados na pesquisa.

Link para download: Luciano Lazzaris Fernandes

MANICA, Heloise. Modelo de Recuperação e Comunicação de Conhecimento em Emergência Médica com Utilização de Dispositivos Portáteis. Tese, 2009.

A evolução da tecnologia de computação móvel e a crescente informatização em ambientes hospitalares viabilizam o uso de dispositivos portáteis para apoiar as atividades de profissionais que atuam em emergência médica. O ambiente de emergência é caracterizado pela mobilidade e atendimentos que podem ocorrer em situações bastante adversas como tumultos, locais de risco, mau tempo e com recursos escassos. Todos os pacientes, que se encontram em situação risco, devem ser atendidos e tratados da mesma maneira, seguindo os padrões de atendimento determinados pelas organizações de saúde. Adicionalmente, limitações tecnológicas podem dificultar a comunicação e o acesso à informação para tomada de decisão clínica. O processo de assistência médica emergencial é intensivo em conhecimento. Parte deste conhecimento é declarado quando especialistas executam consultas em bases de conhecimento, utilizando seus dispositivos portáteis. Capturar conhecimento neste ambiente complexo sem introduzir alterações na rotina de atendimento é um desafio. Esta pesquisa tem como objetivo principal apresentar um modelo diferenciado de recuperação de documentos para apoiar a decisão clínica com a utilização de dispositivos móveis. Desta forma, qualquer terminologia informal no domínio é extraída sem interferir no fluxo de trabalho dos profissionais em urgências e emergências médicas. O modelo proposto contribui com o desenvolvimento de terminologia para indexação e recuperação da informação em bases de conhecimento. Um cache baseado na semântica das consultas é proposto para auxiliar na extração de conhecimento e tratar limitações tecnológicas. Para testar a viabilidade do modelo proposto, foi desenvolvido um protótipo que foi projetado para funcionamento em um dispositivo portátil. Simulações de estudos de casos, utilizando o protótipo, indicam que o objetivo foi alcançado com sucesso. Adicionalmente, observaram-se contribuições interessantes para aplicações em ambiente de emergência médica como a redução do tempo de resposta de consultas, do consumo de bateria e o aumento da disponibilidade de informação em momentos de desconexão.

Link para download: Heloise Manica

MATTÉ, Volnei A. O Conhecimento da Prática Projetual dos Designers Gráficos como Base para o Desenvolvimento de Materiais Didáticos Impressos. Tese, 2009.

A prática projetual dos profissionais em design gráfico gera novos conhecimentos implícitos constantemente. Contudo, salvo exceções, esses conhecimentos permanecem restritos ao ambiente de trabalho desses profissionais, distantes do ambiente acadêmico. Com isso, parte dos conhecimentos gerados na prática profissional dos designers gráficos não é encontrada em publicações científicas ou materiais didáticos, ocasionando lacunas entre a prática profissional e o ensino acadêmico. Como uma das conseqüências dessa situação, observa-se a pouca disponibilidade de publicações nacionais que apresentem conhecimentos relativos ao desenvolvimento do processo projetual. Muitas das publicações disponíveis concentram-se em aspectos conceituais do processo ou mesmo no produto final resultante, contudo, o processo em si, ainda é pouco explorado. Dessa forma, o objetivo desta tese é propor um modelo para transformar em materiais didáticos impressos o conhecimento utilizado pelos designers gráficos durante o desenvolvimento do processo projetual. A pesquisa utilizou uma abordagem quali-quantitativa, aplicada e exploratória e envolveu estudos teóricos abrangendo a atividade projetual do design, a aquisição do conhecimento em design e os materiais didáticos impressos. O modelo de processo desenvolvido foi organizado em quatro fases: (i) planejamento; (ii) elicitação do conhecimento; (iii) análise do conhecimento; e (iv) desenvolvimento do material didático. A primeira fase trata da planificação geral de todo o processo, com ênfase na determinação das características do domínio do conhecimento que será elicitado e do material didático que será desenvolvido. A segunda fase corresponde ao planejamento e execução do processo de elicitação do conhecimento. A terceira fase corresponde à análise, interpretação e organização do conhecimento elicitado. Por fim, a quarta fase consiste em codificar o conhecimento na forma de um material didático impresso. O modelo foi fundamentado pela elicitação e codificação de conhecimento na forma de um material didático na área específica de projeto tipográfico. Além de poder ser utilizado para elicitar e codificar conhecimentos implícitos dessa área, o modelo pode também ser aplicado a outras especializações do design gráfico, desde que focado na prática projetual, pois oferece uma estrutura sistêmica e processual que pode ser aplicada a partir da proposição apresentada nesta tese. Observa-se, com isso, que o modelo responde efetivamente à necessidade de explicitar conhecimentos utilizados pelos designers gráficos no momento do desenvolvimento da sua atividade projetual.

Link para download: Volnei Antônio Matte

BERNARDES, José Francisco. Administração patrimonial nas instituições públicas federais no contexto da gestão do conhecimento. Tese, 2009.

As organizações precisam renovar suas estratégias devido às constantes mudanças nos cenários organizacionais e agindo conforme a demanda tecnológica ou de acordo com manifestações culturais, sociais, econômicas e políticas de seus clientes. As Organizações Públicas necessitam de renovações, principalmente no que se refere ao controle de seus bens móveis ou patrimônio/material permanente. As Instituições Públicas Federais brasileiras possuem um setor de controle patrimonial, bens móveis, onde são controlados todos os recursos patrimoniais necessários para que as instituições funcionem, no entanto cada setor define suas próprias regras de gestão. Há uma diversidade de formas de gestão como vários são os sistemas de informações para controlar esses bens e cada qual procedendo de um jeito na sua gestão patrimonial. Essas ilhas de conhecimento podem estar coletivamente homogeneizadas com uma análise da gestão patrimonial nas Instituições Públicas Federais. Esta Tese teve como objetivo analisar a administração patrimonial em Instituições Públicas Federais no contexto da gestão do conhecimento. A pesquisa foi organizada conforme adaptações da metodologia commonkads, e valeu-se de uma pesquisa do tipo qualitativa e com a finalidade exploratória e descritiva. Para validar os resultados foi utilizado o método da triangulação de dados, fazendo uso da observação participativa, de aplicação de uma entrevista semi-estruturada e das pesquisas do estado da arte. Os resultados confirmam as expectativas de que os setores de patrimônio necessitam de melhorias e inovações em seus modelos de gestão. Nesse sentido, concluiu-se nesta pesquisa que para se ter um sistema de patrimônio que atenda as necessidades dos usuários, ele deve proporcionar um trabalho eficiente e eficaz. Para tanto um setor de patrimônio sistematizado deve ser composto por ferramentas adequadas ao seu funcionamento ou alterar as em funcionamento, destacando a interoperabilidade dos sistemas informatizados utilizado pelas instituições públicas federais brasileiras.

Link para download: José Bernardes

ESPEZIM, Ariana Vilella. Uma contribuição para o conhecimento organizacional: a noção de sujeito do inconsciente. Dissertação, 2009.

O objetivo desta dissertação é oferecer uma contribuição para o conhecimento organizacional através da noção psicanalítica de sujeito do inconsciente. Esta pesquisa se constitui numa análise conceitual e de comparação teórica. Procurar-se-á oferecer a noção do conhecimento clássico e encontrar um ponto de articulação possível deste conhecimento com o conceito de sujeito do inconsciente formulado por Freud e posteriormente trabalhado por Lacan. Trata-se, também, de entender o conhecimento organizacional como um campo de articulação com o sujeito do inconsciente. Do lado do conhecimento clássico, articula-se um saber que aponta para a ideia de essencialidade que está ligada a um saber referencial. Do lado do sujeito do inconsciente articula-se um saber que aponta para um ato singular e para um saber insabido. Esse saber, não tem referente, não é palpável, é de natureza subjetiva, não está pronto e por isso mesmo, precisa ser construído. Somente sua construção com o outro permite sua objetivação. Mostrar a noção do sujeito do inconsciente permite esclarecer de que maneira o conhecimento organizacional pode constituir-se como um savoir-faire.

Link para download: Ariana Vilella

SILVA, Edson R. G. Governo Eletrônico na Segurança Pública: Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento. Dissertação, 2009.

Esta dissertação se preocupa em propor ao gestor público um modelo tecnológico de gestão do conhecimento com adoção de tecnologias da informação e comunicação para subsidiar a tomada de decisão frente ao problema da criminalidade. Para sustentar este modelo, se apresenta uma construção que perpassa por várias teorias relacionadas a algumas áreas do conhecimento desenvolvidas ao longo dos séculos. Verifica-se, ao longo do estudo, como as pessoas processam suas intenções e as transformam em ações, de forma a tomar a decisão mais acertada frente a determinado problema. O intuito aqui destacado é baseado nas premissas da sociedade do conhecimento, que presa pela gestão eficiente do conhecimento nas organizações, podendo estas organizações serem públicas ou privadas. Procura-se, aqui, traçar as diretivas para incorporação dos conceitos da engenharia do conhecimento (EG) na esfera pública. Isto, absorvendo da EG seus métodos e técnicas para formulação de sistemas baseados em conhecimento. Esta formulação deve, contudo, ter suporte de engenheiros do conhecimento, das metodologias de extração e explicitação do conhecimento e da observação dos processos intensivos em conhecimento para mitigar possíveis erros, tendo como plano de fundo o governo eletrônico, que é a fonte para estruturação consciente dos sistemas de conhecimento para a esfera pública federal, estadual e municipal. Esta dissertação ressalta a importância de sistemas de conhecimento como forma de assistir as autoridades na formulação de políticas públicas. O foco de aplicação deste trabalho é a segurança pública, e a solução proposta é a estruturação do Sistema Nacional de onhecimento para Segurança Pública (SNCSP). O SNCSP utilizará as Bases de Conhecimento com as funcionalidades retiradas das técnicas de engenharia do conhecimento com o propósito de subsidiar os agentes públicos na tomada de decisão, dentro de uma gestão compartimentada e autônoma do conhecimento organizacional. Tendo como atributo a interoperabilidade dos sistemas dos órgãos públicos e a integração das informações em várias escalas de governo, as bases de conhecimento desenvolvidas nos níveis federal, estadual, setorial e municipal vão produzir conhecimento para os níveis estratégico, tático e operacional das instituições. Isto visando gerar prognósticos, diagnósticos e projeção de cenários para auxiliar na prevenção, no controle e no combate da criminalidade. Dispondo, assim, dos meios necessários para construção de uma sociedade mais justa, dentro de um estado democrático de direito.

Link para download: Edson Rosa Gomes

IGARASHI, Wagner. Aprendizagem organizacional: proposta de um modelo de avaliação. Tese, 2009.

As pesquisas que estão sendo desenvolvidas na área de aprendizagem organizacional, a partir dos anos 90, buscam gerar subsídios aos envolvidos com o tema. Estes subsídios podem enfocar tanto a identificação dos elementos que devem ser observados ao se proceder a avaliação da aprendizagem organizacional, quanto os aspectos vinculados aos elementos que apoiem a estruturação de processos destinados à avaliação; bem como aspectos que têm relação com as ações geradas, a fim de se obter melhoria de desempenho. Nesse sentido, este estudo busca responder ao seguinte questionamento: como desenvolver um modelo de avaliação direcionado à aprendizagem organizacional, a partir de perspectivas teóricas, que permitam visualizar as possibilidades de melhoria de desempenho? Alinhado a este questionamento, este estudo tem como objetivo estruturar um modelo de avaliação direcionado à aprendizagem organizacional. Para o desenvolvimento do modelo foram utilizadas duas plataformas (teórica e empírica). Em relação aos resultados obtidos quanto à pesquisa teórica, no contexto nacional a partir da base SciELO e no contexto internacional a partir do Portal de Periódicos da Capes, considera-se que a pesquisa teórica gera subsídios ao estudo em relação à identificação das percepções sobre a aprendizagem organizacional; ao processo de avaliação e aos indicadores de desempenho. Ainda em relação às concepções teóricas foram analisados estudos que apresentam proposições direcionadas à aprendizagem organizacional. A análise teórica possibilitou identificar elementos que auxiliam na estruturação do modelo, dentre os quais se destacam: (a) a estratégia organizacional, (b) a cultura organizacional, (c) a infraestrutura organizacional, (d) os recursos humanos internos e (e) as relações externas. A partir destas percepções, foi estruturado um processo composto por três fases (Estruturação, Operacionalização e Gerenciamento do desempenho), as quais permitem passar aos resultados obtidos no segundo momento da pesquisa, vinculados aos aspectos empíricos. Para isso, o modelo de avaliação proposto neste estudo foi aplicado, a título de análise de viabilidade, em duas organizações. A partir das aplicações considera-se que um modelo, nos moldes propostos, possibilita a análise das estratégias adotadas no processo de gestão, em diversos níveis, ou seja, pode-se verificar o desempenho da organização, quer seja em nível local (indicadores), em níveis intermediários (percepções, ações estratégicas e preocupações macro), ou ainda em termos globais. A partir dos resultados obtidos com as aplicações realizadas, o modelo proposto demonstrou apoiar as organizações estudadas, por gerar compreensão dos elementos que podem alavancar a aprendizagem organizacional, por permitir que seja visualizado o perfil de desempenho e por possibilitar aos gestores planejar ações de gerenciamento.

Link para download:
Wagner Igarashi

VIEIRA, Renata J. Incorporação da Inteligência Competitiva às Atividades de Planejamento Estratégico do Projeto de Produtos Industriais. Tese, 2009.

De acordo com as perspectivas da Gestão do Conhecimento, com a evolução do mercado e com o crescimento do volume das informações disponíveis para a empresa, percebe-se uma necessidade crescente por parte das empresas de coletar as diversas informações disponíveis e definir qual a sua melhor aplicação às atividades da empresa, por meio da geração de inteligência, caracterizando o uso de um sistema desenvolvido para a competitividade. Este trabalho propõe o desenvolvimento de um modelo de incorporação de ações da Inteligência Competitiva (IC) ao Planejamento Estratégico do Projeto de Produtos (PEPP). Uma pesquisa exploratória foi a base metodológica deste trabalho. Dentre as cinco empresas que se dispuseram a participar da pesquisa, uma foi escolhida para aplicação do estudo de caso, outra para aplicação do teste-piloto e outra como referência em melhores práticas de IC ou benchmarking. A pesquisa exploratória serviu para (i) conhecer melhor a realidade das empresas em termos de IC e (ii) fazer da seleção para o estudo de caso uma ação também embasada teórica e metodologicamente. O Modelo de Incorporação da IC ao PEPP possui quatro fases, com duas etapas cada, correspondendo aos objetivos específicos da tese. Os resultados mostram que a seqüência estabelecida para a aplicação do Modelo facilitou esta atividade. A verificação da aplicabilidade do Modelo por meio do software i tink® e com base na Dinâmica de Sistemas mostrou a plausibilidade do mesmo. Os resultados apresentados demonstram que, ao se acrescentar informações de IC relevantes em termos de qualidade, se terá um menor tempo gasto no Planejamento Estratégico do Projeto de Produtos da empresa Beta. Com  acréscimo das informações dos elementos de IC conforme os resultados do modelo, se obteve um tempo de PEPP na empresa Beta de 64 dias, menor do que o da empresa selecionada para benchmarking em IC – 79 dias. Com base nos resultados obtidos, e tendo em vista que a empresa pesquisada trabalha com produtos sob pedido, considera-se, cada produto desenvolvido pela empresa como um produto inovador em relação àqueles desenvolvidos anteriormente. Como a inovação está relacionada diretamente às informações que a empresa coleta e como quem desenvolve um projeto de produto e um produto com mais rapidez  chega antes ao mercado, pode-se dizer que esse tipo de incorporação estimula a criação de produtos inovadores.

Link para download: Renta Vieira

SOUZA, Irineu Manoel. Gestão das Universidades Federais brasileiras: uma abordagem fundamentada na Gestão do Conhecimento. Tese, 2009.

As transformações no âmbito das organizações complexas exigem novas formas de gestão, maior flexibilidade organizativa, com sistemas decisórios mais participativos. Essas transformações requerem a busca da melhoria da qualidade nas estruturas e processos administrativos. As instituições universitárias continuam a enfrentar demandas que as teorias organizacionais tradicionais não conseguem atender. Nesse contexto, questiona-se qual a contribuição da gestão do conhecimento para a gestão das IFES. A partir do cenário evidenciado, sugere-se identificar as efetivas contribuições da gestão do conhecimento para a excelência da gestão das universidades federais. Como metodologia de estudo, além da abordagem quantitativa, foi adotada a abordagem qualitativa. Na pesquisa quantitativa, foi utilizada a modalidade survey, por meio de aplicação de questionário às 53 (cinquenta e três) Universidades Federais Brasileiras, criadas e consolidadas até o ano de 2008, inclusive. Na abordagem qualitativa foram efetuadas entrevistas semi-estruturadas com os reitores, ex-reitores, pró-reitores, diretores de centros/faculdades ou equivalentes, chefes de departamentos, coordenadores de cursos, bem como com os docentes, técnicos e estudantes integrantes do Conselho Universitário das IFES pesquisadas. Os resultados da pesquisa indicam que as práticas de gestão do conhecimento são pouco adotadas nas universidades federais. Constatou-se a ocorrência, ainda de forma parcial, das seguintes práticas: sistemas de informações, novas formas organizacionais, estratégia organizacional, avaliação organizacional, comunicação institucional, avaliação de competência individual, planos de reconhecimento e recompensa, estímulo a criatividade e inovação, relacionamento com a sociedade, relacionamento com outras instituições e responsabilidade social. Em relação a práticas de gestão relevantes, tais como gestão por competência, memória organizacional, educação corporativa, aprendizagem e compartilhamento do conhecimento, relacionamento e aprendizagem com instituições nacionais e internacionais, raramente são adotadas nas IFES. As respostas dos questionários, das entrevistas, e demais dados levantados, cotejados com a fundamentação teórica apresentada, embasam as proposições direcionadoras para o desenvolvimento de uma abordagem de gestão das universidades federais no contexto da gestão do conhecimento.

Link para download: Irineu Souza

FLOR, Carla S. Diagnóstico da acessibilidade dos principais museus virtuais disponíveis da internet. Dissertação, 2009.

Esse trabalho tem como proposição o diagnóstico da acessibilidade aos museus virtuais indicados pelo International Council of Museums (2006) como os mais significativos atualmente no mundo. A pesquisa tem como justificativa a carência de estudos sobre acessibilidade e aplicação das diretrizes da Web Content Accessibility Guidelines (2008) nos Museus Virtuais espalhados pelo mundo. A metodologia utilizada foi a da aplicação de uma pesquisa quantitativo-descritiva, que se configura no delineamento ou análise de características de fatos ou fenômenos, sendo nesse caso, consideradas as diretrizes da Web Content Accessibility Guidelines (2008) aplicadas ou não nos museus virtuais analisados. O estudo de relações entre variáveis permitiu obter conclusões sobre os problemas de acessibilidade existentes nos principais museus virtuais. Também foram verificadas as insuficiências dessas diretrizes, uma vez que esses sites possuem características específicas que não se aplicam às diretrizes existentes. A importância da pesquisa está também no fato de que a acessibilidade digital, patrocinada pela evolução das TIC‟s – Tecnologias de Informação e Comunicação é um tema que tem atraído a atenção da Academia por sua relevância social. Os museus virtuais, que a exemplo dos museus físicos tem o papel de dar consequência à organização e difusão do conhecimento, rompem com a noção de tempo e espaço na esteira das transformações protagonizadas pela cibercultura. Eles se configuram como espaços culturais abertos e por isso devem garantir o acesso à maioria da população, apoiados no conceito do Design Universal. Assim, a presente pesquisa identificou e analisou as inconsistências do atendimento às diretrizes propostas pela Web Content Accessibility Guidelines.

Link para download: Carla da Silva Flor