Home » Page 3

QUINGERSKI, Leandro. KE-IOT: Uma proposta de modelo de sistema baseado em conhecimento para ambientes de Internet das Coisas (IoT). Dissertação, 2019.

A expansão da quantidade e variedade de dispositivos conectados à internet já ultrapassou o número de habitantes do planeta e continua a crescer em grande escala, diante deste cenário surge a área da Internet das Coisas e com isso uma série de novas aplicações e inovações começam a emergir, em âmbito social, organizacional e governamental, tendo aplicações em diversas áreas, como: saúde, transporte, agricultura, energia, indústria, entre outras. Diante desta revolução tecnológica gerada pela IoT, uma série de desafios necessitam ser superados, entre eles, a garantia de interoperabilidade é um dos pontos principais, pois com o imenso volume de dados gerados, e dos diversos protocolos, redes de comunicação e formatos utilizados é necessário que a interoperabilidade seja trabalhada para permitir que a IoT aconteça. O uso de ontologias e tecnologias da web semântica permite gerar a interoperabilidade necessária para atender a esta demanda latente da IoT e tem tido papel chave nas iniciativas dadas neste sentido, além disso, também possibilita criar maior significado aos dados brutos gerados pelos dispositivos conectados, permitindo gerar informações e inferir novos conhecimentos a partir da geração de uma base de conhecimento deste contexto. Neste sentido, este estudo propõe um modelo que aborda o cenário da IoT com uma ótica da Engenharia do Conhecimento (EC), propondo um modelo de sistema baseado em conhecimento para ambientes de IoT apoiado principalmente no uso de ontologias e web semântica, porém, expandindo para possibilidades de utilização de outras técnicas da EC. E a partir do desenvolvimento de um ambiente simulado de IoT, foi possível validar conceitos, fluxos e alguns dos principais requisitos que compõem o modelo proposto, sendo gerada uma base de conhecimento com os dados de dispositivos conectados (agente simulado). Durante o processo de desenvolvimento do modelo proposto e do ambiente simulado, foi possível coletar resultados experimentais que permitem a evolução dos mesmos e a expansão para diversas áreas de aplicação, pois o modelo foi elaborado com uma abordagem generalizada, o que permite realizar especializações de acordo com as aplicações a serem implementadas.

Palavras-chave: Engenharia do Conhecimento. Sistemas de Conhecimento.  Ontologias. Web semântica. Internet das Coisas. IoT. Web das coisas. Web Semântica das Coisas.

Link para download: Leandro Quingerski.

FLORES, Heriberto Alzerino. Maturidade em gestão do conhecimento na administração pública: um estudo na Prefeitura Municipal de São José/SC. Dissertação, 2019.

Esta dissertação trata da gestão do conhecimento em nível municipal. O gestor público municipal, assim como nas demais esferas precisa dispor de metodologias e ferramentas que permitam atender suas demandas locais de forma eficiente e eficaz. A inserção de modelos de Gestão do Conhecimento permite aos municípios promover a inovação na prestação dos serviços aos cidadãos/usuários. Para tanto, a pergunta norteadora do estudo é: Qual o grau da maturidade em gestão do conhecimento na Secretaria de Administração da Prefeitura Municipal de São José? O objetivo foi diagnosticar o grau de maturidade em gestão do conhecimento na Secretaria de Administração da Prefeitura Municipal de São José. Quanto a metodologia empregada é uma pesquisa aplicada, qualitativa, bibliográfica, caracterizada como um estudo de natureza descritiva e exploratória. Para a obtenção dos dados aplicou-se o Instrumento para Avaliação da Gestão do Conhecimento na Administração Pública Brasileira, concebido por Helou (2015). O estudo permitiu concluir que a organização está no segundo nível de maturidade em GC, ou seja, no nível “constatando” onde há a presença de ações de GC, mas estas são mal realizadas. Além disso, identificou-se pontos fortes e oportunidades de melhoria em GC, dentre os quais pode-se destacar como fortes o reconhecimento por parte da liderança e dos colaboradores que o conhecimento seja um recurso organizacional estratégico e contribua de forma significativa no processo de tomada de decisão, e que o clima organizacional é favorável para o compartilhamento do conhecimento entre os servidores. Como oportunidade de melhoria, verificou-se que os resultados indicaram que a organização deve empreender esforços na busca pela valorização das pessoas e na adequada alocação de seus recursos, além de promover ações que visem a capacitação dos servidores para a implementação de uma GC mais eficiente e eficaz. Com o conhecimento do grau de maturidade em GC da organização, bem como dos pontos fortes e das oportunidades de melhoria, foi elaborado um Business Case com o objetivo de nortear e justificar a importância das ações da organização para a implementação da GC em seu ambiente organizacional, levando em consideração os objetivos propostos, a descrição do projeto, as possíveis contribuições do projeto à organização, os fatores críticos de sucesso e a relação dos custo-benefício.

Palavras-chave: Administração pública. Gestão do conhecimento. Maturidade em Gestão do conhecimento.  

Link para download: Heriberto Alzerino Flores.

FILÉTI, Giovana de Souza. Iniciativas de Ação Social de Cooperativas à Luz da Inovação Social. Dissertação, 2019.

As inovações sociais tornaram-se importantes na resolução de problemas sociais em diversos níveis. Para que uma inovação possa ser considerada de cunho social, deverá apresentar uma nova solução, criada ou modificada, para resolver problemas e atender às necessidades sociais que até então não foram resolvidas com as ferramentas e soluções existentes, causando impacto social. Princípios relacionados às transformações sociais, econômicas e ambientais, fazem parte de organizações coletivas chamadas de cooperativas. O objetivo deste estudo é analisar de que forma as iniciativas de ação social das cooperativas agropecuárias da região da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense – AMESC, podem fomentar a inovação social. Para tal, foi realizada uma pesquisa de abordagem qualitativa e descritiva, com entrevistas semiestruturadas. Como resultado, entende-se que as cooperativas em questão atendem ao preceito da inovação social, uma vez que os projetos realizados por elas evidenciam os elementos característicos estudados na literatura. Isto significa que, após a identificação do problema, unem-se atores (associados, colaboradores, parceiros e beneficiários), que, por meio de atividades planejadas e com foco em resoluções coletivas, buscam, após a implementação, expandi-las e difundi-las. Observa-se também que os objetivos destas ações estão relacionados ao empoderamento e à participação cada vez mais atuante de mulheres e jovens nas cooperativas; à formação de empreendedores cada vez mais conscientes e sustentáveis; ao combate à desigualdade e melhores condições de vida, e também, à educação das crianças na cultura do cooperativismo. Por conseguinte, esta dissertação contribui para a academia no momento em que aproxima o saber acadêmico do saber popular, por meio de uma pesquisa empírica. Além disso, almeja-se que as cooperativas possam aplicar as contribuições dessa pesquisa em suas atividades diárias de forma sistêmica.

Palavras-chave: 1. Inovação Social. 2. Cooperativas. 3. Iniciativas sociais. 4. Impacto Social. 5. AMESC.

Link para download: Giovana de Souza Filéti.

ZANUZZI, Cinthya Mônica da Silva. Avaliação da Maturidade da Gestão do Conhecimento das Unidades Produtoras Integradas da Agroindústria Avícola. Dissertação, 2019.

O agronegócio brasileiro é um exemplo de como o conhecimento e a inovação transformam um setor produtivo. No Brasil, a cadeia da avicultura de corte é a segunda maior produtora e a maior exportadora mundial de carne de frango. Apesar dos números expressivos, atualmente existe um grande desafio de aumentar a produção de alimentos seguros de forma sustentável. Diante do contexto, o presente estudo aborda as contribuições que a Gestão do Conhecimento (GC) pode fornecer para o setor, ao analisar o conhecimento como um ativo organizacional valioso que pode ser utilizado no apoio à decisão e na elaboração de novas estratégias. Um importante fator para o sucesso da GC é a capacidade de definir algumas medidas para avaliar sua efetividade, assim diferentes modelos para a avaliação de maturidade de GC são propostos na literatura.  O presente trabalho tem como objetivo avaliar o grau de maturidade de gestão do conhecimento das unidades produtoras integradas da agroindústria avícola. Para tanto, foi realizada uma busca bibliográfica e  uma revisão sistemática da literatura, em seguida, foram selecionados como referência dois modelos de avaliação da maturidade da gestão do conhecimento: o método APO (2009) e o método Erpen (2016). Esses modelos foram adaptados ao setor avícola para realização de uma pesquisa quantitativa, por meio da aplicação de um questionário em 240 unidades produtoras integradas de três agroindústrias avícolas catarinenses. A análise descritiva dos dados permitiu, na primeira parte, a caracterização dos avicultores, pois mostrou o baixo nível de escolaridade dos pesquisados, já que aproximadamente 56% possuem nível fundamental e idade média de 47 anos. Na segunda parte, a caracterização da atividade, a avicultura é apontada como principal atividade econômica para 73,33% dos respondentes. Por fim, a terceira parte do questionário trata do grau de maturidade de gestão do conhecimento das unidades produtoras  integradas, cujo nível é Externalização Experimental (51,65 pontos). Na percepção dos avicultores, as dimensões com melhor desempenho são respectivamente: Processos, Liderança, Tecnologia e Pessoas. Percebe-se que a gestão do conhecimento nas unidades produtoras avícolas é insipiente, podendo ser aprimorada por meio da adoção de práticas de gestão do conhecimento e do uso intensivo de tecnologias, como robótica, inteligência artificial, big data, entre outras.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento. Maturidade de Gestão do Conhecimento.  Sistema de coordenação agroindustrial.  Avicultura.

Link para download: Cinthya Mônica da Silva Zanuzzi.

SILVA, Alix Ribeiro da. Uso de Elementos da Linguagem Visual e Ensino de Desenho Pictográfico para Surdos: Desenvolvendo uma Comunicação Alternativa. Dissertação, 2019.

O presente trabalho foi desenvolvido a partir de estudo de caso realizado com sete alunos surdos pertencentes ao Atendimento Educacional Especializado da Escola de Educação Básica Nossa Senhora da Conceição, município de São José – SC. Possuiu o objetivo de desenvolver, a partir do ensino de desenho pictográfico com uso de elementos da linguagem visual, uma comunicação alternativa para abordar a Educação Ambiental para pessoas surdas. Como métodos, empregou-se a Revisão Sistemática de Literatura, a fim de se ter clareza e firmeza do objetivo da pesquisa, além de servir de fundamentação teórica. Também realizou-se investigação bibliográfica de forma integrativa, para conhecer o público da pesquisa, ter-se subsídio para o ensino de desenho pictográfico com uso de elementos da linguagem visual, em especial a forma, ponto, linha e cor; a fim de contribuir com uma comunicação alternativa voltada a Educação Ambiental. A pesquisa desenvolveu-se em três etapas: inicialmente, trabalhou-se com Educação Ambiental, considerando o conhecimento dos alunos e oportunizando novos conhecimentos por meio de atividades realizadas por meio de sete intervenções. Na segunda parte da pesquisa, trabalhou-se o ensino de desenho com uso dos elementos da linguagem visual, a partir das palavras-chave sobre Educação Ambiental identificadas na primeira etapa. Em seguida, utilizaram-se os pictogramas gráficos desenvolvidos a partir dos desenhos dos alunos. Os resultados alcançados a partir do estudo demonstraram-se satisfatórios, visto que responderam à questão norteadora proposta, consolidando-se com a criação de pictogramas (preto e branco e coloridos – visualmente mais atraentes para os surdos) que favoreceram a comunicação alternativa, uma estratégia de acessibilidade e inclusão.

Palavras-chave: Pictogramas; Linguagem Visual; Ensino de Desenho; Pessoas Surdas; Educação Ambiental.

Link para download: Alix Ribeiro da Silva.

ZIMMER, Paloma. Framework para a gestão de consórcios de pesquisa pré-competitiva com múltiplos stakeholders. Tese, 2018.

Apesar de o tema “relação governo, universidade e empresa para pesquisa e desenvolvimento colaborativa” ter recebido relativa importância nas últimas décadas, as alianças estratégicas envolvendo esses três atores para a realização de pesquisa pré-competitiva têm sido pouco exploradas pela literatura. Nesse cenário esta tese propõe um framework, fundamentado em boas práticas, que sintetiza e formaliza a base de conceitos e recomendações práticas para a interação colaborativa entre governo, universidade e empresa nas atividades de pesquisa pré-competitiva. O framework proposto foi construído a partir de uma revisão sistemática da literatura em periódicos indexados na Scopus, Web of Science, e EBSCO, e por meio de um estudo de caso no Southern Ontario Smart Computing Innovation Platform – SOSCIP. Com sede em Ontário, o SOSCIP é único consórcio de pesquisa e desenvolvimento do Canadá que utiliza a computação avançada para impulsionar a inovação. Durante o estudo de caso foram realizadas observações participante, análise documental, e entrevistas em profundidade. Este estudo de caso foi subsidiado com recursos disponibilizados pela CAPES. A versão final do framework foi apresentada a especialistas no assunto, que verificaram a consistência das práticas propostas. A partir das premissas deste estudo, constatou-se que as ações promovidas pelo ecossistema de inovação estimulam a atividade colaborativa entre universidade e indústria para pesquisa pré-competitiva. As alianças para pesquisa colaborativa envolvendo universidade, indústria e governo precisam ser gerenciadas por uma estrutura de governança bem-definida. A execução de projetos colaborativos bem-sucedidos é reflexo das práticas adotadas (i) no âmbito do projeto, pela própria equipe do projeto, (ii) das ações promovidas pela aliança e das (iii) ações desencadeadas pelos agentes do ecossistema de inovação. Palavras-chave: consórcio de pesquisa; aliança estratégica; pesquisa pré-competitiva; colaboração universidade-empresa-governo.

Palavras-chave: consórcio de pesquisa; aliança estratégica; pesquisa pré-competitiva; colaboração universidade-empresa-governo.

Link: Paloma Zimmer

FOSSARI, Ivana Maria. Estratégias para o Compartilhamento do Conhecimento nos Processos de Hospitalização Pediátrica visando o Cuidado Resolutivo. Tese, 2018.

A sociedade do conhecimento vê o capital intelectual transformar-se em vantagem competitiva nas organizações onde informações e conhecimento são rapidamente articulados em redes. Nas organizações hospitalares, o modelo biomédico estabelecido é beneficiário desse processo dinâmico e complexo que se reflete, além das prescrições informatizadas, no acesso a exames laboratoriais e de imagens mediatizados pelo avanço tecnológico, que, diante do ritmo acelerado de seu desenvolvimento, coloca-se à frente, muitas vezes, do desenvolvimento das pessoas que habitam os espaços hospitalares. A medicina das conquistas científicas e tecnológicas, em contrapartida, perde gradativamente o olhar clínico generalista. No processo de hospitalização em pediatria, várias pesquisas nas áreas das ciências da saúde, humanas e sociais evidenciam que a abrangência da assistência à criança e acompanhante necessita do trabalho em equipe multidisciplinar para viabilizar o compartilhamento dos saberes na busca de uma visão sistêmica de saúde. A presente tese tem como objetivo estabelecer estratégias para o compartilhamento do conhecimento nos processos de hospitalização pediátrica visando o cuidado resolutivo. Para atingir o objetivo proposto, foi utilizada uma abordagem metodológica qualitativa e, em relação a sua classificação geral é do tipo exploratória e descritiva, utilizando como estratégia de pesquisa, o estudo de caso. A coleta de dados ocorreu por meio dos métodos: revisão bibliográfica; pesquisa documental; grupos focais; e entrevista semiestruturada. A revisão bibliográfica ocorreu em dois momentos, a revisão sistemática da literatura com buscas em três bases de dados: Scopus, Web of Science e Medline e a pesquisa bibliográfica. Para caracterizar as duas organizações hospitalares escolhidas, foi utilizada a pesquisa documental priorizando os documentos pertinentes ao tema proposto. Assim como, a aplicação das técnicas de grupo focal com profissionais da saúde, e de entrevistas semiestruturadas com os acompanhantes das crianças hospitalizadas, para compilar dados advindos dos sujeitos de pesquisa. Os dados coletados foram analisados sob a ótica da análise temática, dando suporte à criação de vinte e nove estratégias que, posteriormente, foram validadas por especialistas, por meio do método Delphi, em três rodadas consecutivas. Ao final da terceira rodada, obtiveram-se vinte seis estratégias, sendo estas as estabelecidas para o compartilhamento nos processos de hospitalização pediátrica visando o cuidado resolutivo.

Palavras-chave: Processo de Hospitalização. Hospitalização Pediátrica. Compartilhamento do Conhecimento.

Link para download: Ivana Maria Fossari

SILVA, Lucas Evaristo Scaini. Modelo de Comercialização de Arroz para Pequeno Agricultor: uma Análise nas Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul. Dissertação, 2016.

O processo de inovação é visto atualmente por muitas empresas como um potencial que lhes fornece vantagem competitiva no mercado em que atuam. Os mercados hoje são altamente competitivos, visto toda a tecnologia e os recursos que as organizações dispõem ao seu alcance. Então, destacar-se neste mercado é crucial para a sobrevivência, ainda mais em época de crise. Em se tratando do agronegócio do arroz, essa afirmação também é verdadeira, pois os produtores se encontram em um mercado de alta competitividade, com baixa margem de lucratividade. Porém, isso não é o suficiente para que os mesmos busquem novos conhecimentos que os tornem competitivos. A falta de instrução faz com que muitos produtores acabem estagnados, os tornando descrentes de que mudanças em sua forma de pensar, plantar e, comercializar, pode ser o que falta para alavancar seus negócios. O conhecimento por parte do autor sobre as deficiências do processo de comercialização de arroz, com as lacunas identificadas pela literatura, foi o que motivou essa pesquisa. Então, com o conhecimento prévio do pesquisador, com o suporte da literatura e, da aquisição de conhecimento com especialistas, foi proposto como objetivo para este trabalho o desenvolvimento de um modelo conceitual que represente o processo de comercialização do arroz. Esse modelo foi desenvolvido para ser utilizado pelos pequenos agricultores, visando aumentar a efetividade nas vendas e, melhorar o retorno financeiro após a comercialização da matéria-prima. O modelo é visto como uma forma híbrida de comercialização de arroz e, traz antigas formas de venda, porém, vistas e apresentadas de uma maneira totalmente nova, tudo para poder auxiliar da melhor forma o produtor agrícola. Para alcançar tal objetivo, a pesquisa optou pela abordagem qualitativa, que utilizou os conhecimentos obtidos através de busca sistemática e, da realização da aquisição de conhecimento por meio de questionário, para elaboração do modelo. Acredita-se que com este modelo os agricultores serão capazes de identificar qual a melhor forma ou, qual a forma mais adequada para comercializar seu produto com seu mercado alvo. Acredita-se que os resultados obtidos durante esse trabalho podem ser generalizados a todos os pequenos agricultores. Servindo também, como ponto de partida para pesquisas futuras acerca do tema.

Palavras-chave: Inovação. Agronegócio.  Processo de Comercialização do Arroz. Aquisição de Conhecimento.

Link para download: Lucas Evaristo Scaini Slva

ALMEIDA, Paulo Roberto Alves de. Hipervídeo na Educação de Surdos. Dissertação, 2016.

Este trabalho discute o uso do hipervídeo em práticas educativas destinadas às pessoas surdas. Esta discussão constrói-se a partir de revisões bibliográficas, do design e desenvolvimento de um protótipo, com a temática de projeção cilíndrica ortogonal, e da avaliação do protótipo feita pelo público-alvo da pesquisa. Este processo caracterizou o hipervídeo como uma mídia capaz de ampliar o acesso dos surdos ao conhecimento, oferecendo recursos para atender à diferentes necessidades que são identificadas ao longo deste trabalho. Trata-se de uma pesquisa exploratória conduzida a partir de métodos qualitativos. A revisão bibliográfica dedicou-se ao conhecimento do perfil do público-alvo, às características fundamentais da mídia que se pretende explorar, ao entendimento de como este público-alvo pode ter acesso ao conhecimento por meio desta mídia, e ainda à análise de trabalhos que buscaram encontrar soluções em mídia educativa para surdos e que pudessem ser tomados como referência. É conduzida com o sentido de gerar compreensão e prescrever soluções para os problemas evidenciados. Com relação ao perfil do público-alvo, foram discutidas as formas especiais de comunicação praticadas pelos surdos, algumas questões culturais, perspectivas educacionais praticadas ao longo do tempo e aspectos cognitivos das pessoas surdas. Tendo como foco o ensino de Geometria Descritiva, também foi realizada revisão bibliográfica sobre o ensino de matemática para surdos. Para a exploração das características fundamentais do hipervídeo realizou-se um estudo sobre as diferentes linguagens que compõem esta mídia. Neste sentido, trata-se de uma mídia baseada na linguagem audiovisual e na linguagem hipertextual da hipermídia. Portanto, a discussão teórica e a exploração dos trabalhos que se dedicaram a construir soluções educativas para surdos evidenciaram que a hipertextualidade e a linguagem audiovisual oferecem suporte para a construção de soluções específicas. Da revisão bibliográfica, destacam-se algumas particularidades da mídia e do surdo, como público-alvo, que estabeleceram sugestões para a construção de um protótipo endereçado a ampliar o acesso das pessoas surdas ao conhecimento. Neste sentido, são ressaltadas as particularidades do hipervídeo em: oferecer suporte para facilitar a compreensão das palavras soletradas nos vídeos em Libras, integrar as imagens e outros recurso gráficos às sinalizações, adaptar-se a diferentes perfis de aprendizagem e navegação e provocar interesse em explorar a mídia. Com base nestes requisitos, construiu-se um protótipo que foi testado pelo público-alvo, a partir da constituição de um grupo focal, como base para coleta de dados e posterior análise pelo método da análise de conteúdo. Como resultado, salientou-se o caráter de inovação e de suporte ao conhecimento, sendo a mídia bem aceita pelo público-alvo. A partir das considerações feitas pelos participantes da pesquisa foram geradas recomendações para futuros trabalhos nesta área.

Palavras-chave: Educação. Surdos. Hipervídeo.

Link para download: Paulo Roberto Alves de Almeida

CEMIN, Xênia. Sistemas de Memória Organizacional: um Estudo de Caso. Dissertação, 2018.

Os sistemas de memória organizacional podem ser entendidos como um conjunto de dispositivos de retenção de conhecimento que coletam, armazenam e proveem acesso à experiência organizacional. Este  trabalho objetivou analisar a percepção da efetividade dos sistemas de memória organizacional baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina. Para tanto, foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados Scopus e Web of Science e uma revisão narrativa a fim de se compreender as temáticas de memória organizacional e sistemas de memória organizacional. Foram escolhidas 17 publicações que satisfazem ao escopo da pesquisa e estão compreendidas entre o período de 1995 e 2017. A percepção da efetividade dos SMO baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina, considerou as características de conteúdo, estrutura e processos de coleta, manutenção e acesso ao conhecimento experiencial. Verificou-se que o site institucional, e-mail institucional, repositório de arquivos e as mídias sociais são os SMO baseados em computador utilizados pelos jornalistas no apoio às suas atividades de comunicação institucional, sendo todos esses sistemas acessados por meio da tecnologia. Foram consideradas como efetivas as características relacionadas ao conteúdo dos SMO em suas atividades laborais. Já em relação à estrutura de indexação, percebeu-se que a maioria dos SMO são pouco efetivos, retratando negativamente sua utilização e recuperação. No que se refere aos processos operativos de coleta, verificou-se que a maioria dos SMO pesquisados foi classificada como não filtrada. De modo geral e em relação à manutenção dos conteúdos nos repositórios pesquisados, em sua maioria foi classificada como formal, e teve a percepção comprometida em relação a essa característica do sistema devido a não haver uma política de manutenção relacionada à atualização e gerenciamento dos arquivos nos repositórios. Por fim, verificou-se que mesmos os sistemas de memória organizacionais sendo diferentes, há uma ligação entre eles em relação à sobreposição de conteúdo.

Palavras-chave: Memória organizacional. Sistema de memória organizacional. Instituição de ensino superior pública.

Link para download: Xênia Cemin