porno
beşiktaş escort mecidiyeköy escort aksaray escort bahçeşehir escort
Home » Page 2

FIGUEIRA, Felipe Louro. Proposta de Um Modelo de Maturidade de Gestão de Projetos, que Incorpora os Processos Sistêmicos de Gestão do Conhecimento. Dissertação, 2020.

A Gestão do Conhecimento (GC) ainda é um desafio para numerosas organizações, principalmente aquelas em que há desempenho de atividades de projetos. Estes desafios acontecem, por si só, devido a própria natureza dos projetos. Isto gera dificuldades na aprendizagem por repetição bem como na integração do conhecimento interprojeto e intraprojeto. Por conseguinte, modelos de maturidade de gestão de projetos auxiliam as organizações a superarem seus obstáculos para entregar projetos bem-sucedidos. O Portfolio, Programme & Project Management Maturity Model (P3M3) da Axelos é único ao olhar o sistema como um todo e não somente aos processos, porém, ainda não enfatiza a GC em todos os seus níveis de maturidade. A partir deste contexto, o presente trabalho tem o objetivo de propor um Modelo de Maturidade de Gestão de Projetos incorporando os processos sistêmicos de Gestão do Conhecimento. Para propor o modelo, foram levantados os processos relevantes da GC, inspirado no European Committee for Standardization (CEN). A pesquisa é de natureza descritiva e possui uma abordagem qualitativa. Após o desenvolvimento do novo modelo, o mesmo avaliado por um grupo de cinco especialistas da área de gestão de projetos e gestão do conhecimento. Como resultado, verificou-se que o modelo proposto excedeu o esperado em sua avaliação. Neste sentido, o modelo conceitual apresentado foi considerado relevante para as organizações que desejam avaliar a maturidade em gestão de projetos (GP) levando em consideração os processos de GC, sendo estes de identificação, criação, armazenamento, compartilhamento e uso do conhecimento no ambiente do projeto. A aplicação e manutenção do modelo adaptado é proposta para estudos futuros, bem como a utilização de métodos quantitativos como forma de aumentar o poder de generalização dos resultados. A partir dos resultados deste trabalho, espera-se agregar conhecimento ao campo da GC no ambiente de projetos e avaliação maturidade.

Palavras-chave: Maturidade em Gestão de Projetos. Gestão do Conhecimento. Modelo de Maturidade. P3M3. PjM3.

Link para download: Felipe Louro Figueira.

MARQUES, Maria Angelica Jung. Framework Conceitual do Potencial de Coprodução de Inovação em Ecossistemas de Inovação. Tese, 2020.

Os ecossistemas de inovação são sistemas dinâmicos compostos de atores cujas relações podem ir da simples coexistência geográfica a complexas relações de compartilhamento de recursos, cocriação de valor e inovação. Entre os enfoques de estudos desses sistemas estão as abordagens baseadas na metáfora dos ecossistemas biológicos e na percepção de que, nesses ambientes, o conhecimento é um dos principais recursos compartilhados. Isso tem instigado pesquisadores a investigar sobre seus mecanismos e processos, incluindo os fatores promotores de colaboração, cocriação e coprodução nestes ambientes complexos que desencadeiam e promovem a inovação. Nesta tese, parte-se da seguinte questão de pesquisa: “como avaliar o potencial de gerar inovação coproduzida em ecossistemas de inovação?”. Para responder esta questão, foi concebido um framework conceitual para análise do potencial de coprodução de inovação em ecossistemas. A proposta tem bases nos construtos das teorias da inovação, ecossistemas de inovação e capacidades dinâmicas. Para compreender a natureza e a dinâmica de interações dos atores ecossistêmicos na coprodução de inovação, o modelo tem base na definição de escala crescente de tipos de produção coletiva de inovação (i.e., coexistência, cooperação, colaboração, cocriação e coprodução). Com base nesses construtos multidisciplinares e na abordagem metodológica DSR – Design Science Research, foram caracterizadas as dimensões e variáveis do potencial de coprodução de inovação nestes ecossistemas. Para análise de consistência do modelo proposto, as relações entre as variáveis identificadas na literatura foram avaliadas por especialistas experientes no planejamento e gestão de ecossistemas de inovação. A análise comparativa identificou, em geral, a concordância entre as relações apontadas na literatura e a percepção dos especialistas, com destaque para variáveis mais influentes e motrizes do sistema. Adicionalmente, o modelo identifica variáveis potenciais de conflitos sociais inerentes aos atores ecossistêmicos e os sistemas de conhecimento contribuintes para a coprodução de inovação. O framework conceitual proposto demonstrou ser um instrumento relevante na identificação de fatores e na caracterização das relações com potencial de favorecer a inovação coproduzida em ecossistemas de inovação.

Palavras-chave: inovação; coprodução; ecossistemas de inovação; potencial de coprodução; interdisciplinaridade; transdisciplinaridade, capacidades dinâmicas.

Link para download: Maria Angelica Jung Marques.

SCHIMMELPFENG, Leonardo Enrico. Transmídia e Fansubs: Estratégias Aplicadas a Cursos Online Acessíveis à Pessoa com Deficiência Visual. Tese, 2020.

Muitos cursos on-line disponibilizados em Ambientes Virtuais de Ensino Aprendizagem (AVEAs) são produzidos sem explorar as particularidades do digital, pois são criados com o intuito de apenas replicar o formato de uma aula em uma sala física nos ambientes virtuais. Os projetos educacionais realizados em um AVEAs devem trabalhar com a produção de conteúdos educacionais pensados para os diversos meios digitais, principalmente, com a diversidade de usuários que podem realizar os cursos. Diante dessa prerrogativa, a pesquisa mapeou o uso de recursos de acessibilidade em cursos on-line com permissão para que as pessoas com deficiência visual usem AVEAs com Tecnologias Assistivas (TAs) integradas – promovendo assim uma participação autônoma. Baseada em uma análise crítica desse mapeamento, a presente pesquisa desenvolveu o protótipo e a produção de um curso on-line voltado para estudiosos e entusiastas do recurso de audiodescrição (AD) e do público com deficiência visual (DV) interessado em atuar como consultor em AD. Denominado “Introdução para Consultores em Audiodescrição”, o curso foi disponibilizado em um AVEA acessível, utilizando conceitos de transmídia como forma de mobilizar os usuários à participação e imersão nos processos de construção do conhecimento. Também são abordados os conceitos presentes na transmídia como fansub (processo de legendagem feitas por comunidades de fãs) e da Cultura Participativa, o que possibilitou que grupos não especialistas em AD (com participantes de diversas regiões do Brasil), realizassem remotamente a audiodescrição de dois filmes que ainda não continham o recurso. A pesquisa é tecnológica e conduzida pelo método do Design Science Research (DSR). A partir do levantamento de uma classe de problemas, busca-se uma solução viável, elaborando projeto, prototipagem, desenvolvimento e avaliação por especialistas para o artefato desenvolvido, assim como a explicitação das aprendizagens, elencando ganhos científicos e tecnológicos. A partir do desenvolvimento e disponibilização do AVEA (com 284 alunos inscritos), foram obtidas as recomendações para o uso de estratégias transmídia em plataformas de educação e a proposta da criação de comunidades colaborativas para a realização de ADs.

Palavras-chave: acessibilidade, aprendizagem on-line, audiodescrição, estratégias transmídia, fansubs.

Link para download: Leonardo Enrico Schimmelpfeng.

FIGUEIRA, Jussara Paraná Sanches. Experiências “anômalas” de alunos de um curso de pós-graduação: uma interpretação a partir da Biologia do Conhecer. Tese, 2020.

Esta tese de doutorado é uma análise interpretativista das experiências “anômalas” de alunos de um curso de pós-graduação, a partir do ponto de vista da Biologia do Conhecer (MATURANA, 1997, 2001, 2005, 2014a, 2014b, MATURANA; VARELA, 2003, 2011, MATURANA; PÖRKSEN, 2004), no nível do indivíduo; relaciona o campo de estudo dessas experiências ao campo de estudo do conhecimento. Tem como proposição a ideia de que, sob o ponto de vista da Biologia do Conhecer, experiências “anômalas” de alunos de um curso de pós-graduação podem ser interpretadas como experiências de conhecimento. Constam na tese as delimitações da pesquisa; a contextualização teórica do tema; e os motivos de aderência da pesquisa ao Programa EGC. Os objetivos específicos foram traçar uma fenomenologia geral das experiências “anômalas” relatadas; identificar e compreender as características dessas experiências; e compreender de que modo essas experiências podem ser interpretadas como experiências de conhecimento. Foram aceitos como informantes 8 alunos do curso de pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, da Universidade Federal de Santa Catarina – EGC, a partir de 2016, que afirmaram ter vivido algum tipo de experiência “anômala”, e que quiseram participar voluntariamente do estudo. Os dados foram levantados de acordo com o método da pesquisa qualitativa básica, através de entrevistas não estruturadas, em profundidade, e analisados através de análise temática, informada pela Biologia do Conhecer. A partir dos temas encontrados, os resultados foram discutidos em capítulos: o observador e a experiência; a explicação e a experiência; os domínios cognoscitivos e a explicação da experiência; a objetividade na experiência e o conflito de realidades; a objetividade “entre parênteses” e a resolução do conflito; a razão e a emoção na experiência; o amor e o conhecimento na experiência; e a experiência “anômala” e a criação de conhecimento. A conclusão foi a de que os relatos das experiências “anômalas” analisados, dentro de seu domínio de ações, são descrições explicativas perceptuais de natureza e de criação objetivas, verdadeiras, válidas, reais, e, principalmente, amorosas, racionais, desejáveis, e de valor cognitivo para aqueles que as vivem. A tese propõe que esse tipo de experiência possa ser compreendido dentro de um paradigma de objetividade “entre parênteses”, e nomeado pela ciência sem o estigma da anormalidade ou da excepcionalidade, mas como um tipo de experiência corriqueira de percepção, criação de realidades e de conhecimento, assim como são tantos outros tipos de experiências de fundamentação amorosa da esfera da existência humana. Também foram feitas sugestões para futuras pesquisas.

Palavras-chave: Experiências Anômalas. Conhecimento. Biologia do Conhecer. Maturana.

Link para download: Jussara Paraná Sanches Figueira.

ESPER, Aulina Judith Folle. TORNAR-SE LÍDER: uma reconstrução das trajetórias desenvolvimentais de líderes de Organizações Intensivas em Conhecimento. Tese, 2020.

Esta pesquisa teve por objetivo compreender o processo de desenvolvimento de líderes de Organizações Intensivas em Conhecimento (OICs). O interesse pelo tema surgiu da carência de estudos empíricos sobre a trajetória desenvolvimental de líderes nas organizações em geral e, mais especificamente, da carência de pesquisas sobre o desenvolvimento de líderes em OICs. A metodologia utilizada foi baseada no discurso interpretativo, a partir de um design qualitativo, e orientada pela abordagem da pesquisa narrativa. Foram entrevistados oito líderes vinculados a três OICs localizadas no município de Florianópolis (SC). Os entrevistados atuam há mais de dez anos como líderes em OICs e relataram as suas histórias de vida. A partir da coleta dos dados e de sua análise, verificou-se um processo de autodesenvolvimento que ocorre por meio da aprendizagem formal e informal. As formas de desenvolvimento verificadas foram integradas a um modelo que se propôs a explicar o processo de desenvolvimento de líderes de OICs. Neste modelo, o processo de desenvolvimento ocorre a partir da autorreflexão, em que a pessoa constrói a sua identidade de líder. Este processo pode envolver o autodesenvolvimento por ajuste ou reação, ou o autodesenvolvimento planejado pelos líderes. O desenvolvimento também pode ocorrer sob a influência de fatores ambientais (autoexperimentação, pessoas de referência e pontos de virada) e de diversas estratégias de desenvolvimento de líderes (coaching, mentoring, participação em programas de desenvolvimento e em MBAs, além de processos terapêuticos e métodos de feedback, troca de experiências). Ao fim da pesquisa, apresentou-se uma discussão sobre de que maneira o modelo proposto integra os três níveis de profundidade do processo de desenvolvimento de líderes (habilidades, identidade e autorregulação e desenvolvimento de adultos).

Palavras-chave: Desenvolvimento de líderes. Organizações Intensivas em Conhecimento. Trajetória desenvolvimental. Autodesenvolvimento. Pesquisa narrativa.

Link para download: Aulina Judith Folle Esper.

KOEHLER, Fernanda dos Santos. Análise Transacional como Ferramenta para os Modos de Conversão do Conhecimento Estabelecidos pelo Modelo SECI. Tese, 2020.

Reconhecido como importante fator organizacional desde o final dos anos de 1960, o conhecimento para sua criação e incremento deve passar pelo processo de conversão do conhecimento tácito para explícito e pela capacidade dos indivíduos em compartilhar e internalizar os conhecimentos existentes. O compartilhamento do conhecimento, por sua, vez, está diretamente ligado com o processo social de estabelecer confiança para estimular a comunicação entre indivíduos. Estabelecer esta atmosfera de confiança é desafiador para os gestores, pois dependendo da forma como for conduzida, a troca de conhecimentos carrega o medo de mudanças com relação a estruturas de poder. Os modos de conversão do conhecimento estabelecidos pelo Modelo SECI permitem a fluidez dos conhecimentos tácito e explicito entre os níveis individual, de grupo, organizacional e inter organizacional, mas aplicar o modelo em si não basta, para o sucesso da conversão do conhecimento organizacional é necessário ir além e utilizar ferramentas que estimulem a confiança cognitiva e afetiva. Da Psicologia surgem abordagens que auxiliam no direcionamento do comportamento e dentre elas está a Análise Transacional, na qual estuda-se o comportamento visível do indivíduo de forma que consiga autodirigir seus comportamentos e sentimentos nas variadas situações diárias, este estudo teve como objetivo propor um modelo conceitual de avaliação dos Estados de Ego nos modos de conversão do conhecimento estabelecidos pelo Modelo SECI. Utilizando a técnica Delphi e a Análise Fatorial, três fatores latentes foram destacados em cada modo de conversão do conhecimento categorizando os Estados de Ego de alta influência, média influência e baixa influência. Observa-se uma variação entre Estados de Ego de alta influência para cada um dos modos de conversão, para o modo de conversão Socialização, destacaram-se como alta influência os Estados de Ego em circuito negativo, em um primeiro momento, o circuito negativo é tachado como ruim, mas ao considerar que na Socialização ocorre a conversão de conhecimento tácito em tácito, e que o processo dá-se com o compartilhamento de modelos mentais e/ou habilidades técnicas, faz-se necessário considerar um certo nível de egoísmo, criticidade, ansiedade e submissão. O modo de conversão Externalização apresentou como Estado de Ego com alta influência o Criança Adaptada em seu circuito positivo, ou seja comportamento assertivo, amigável e atencioso para articulação do conhecimento tácito em conceitos explícitos e o estímulo para a utilização de metáforas, analogias, conceitos, hipóteses ou modelos. Ao demonstrar o comportamento de CA existe o estímulo para a explicitação do conhecimento tácito. O modo de conversão Combinação, tem como facilitadores a consulta em documentos, redes de comunicação (sistemas organizacionais), conversas utilizando meios de comunicação, reuniões, com a conversão do conhecimento explícito para explicito, tem como objetivo a sistematização de conceitos, ou seja, classificam, categorizam, e recombinam para criação de conhecimento. O Estado de Ego Pequeno Professor em seu circuito positivo foi identificado como de alta influência neste modo de conversão, considerando a sua característica comportamental intuitiva. Por fim, relacionado ao “aprender fazendo” o modo de conversão atua na conversão do conhecimento explícito em conhecimento tácito. Destacaram-se como Estados de Ego de alta influência Pai Atencioso, Adulto, Criança Adaptada e Pequeno Professor em circuito positivo, demonstrando que compreensão, consciência, atenção, intuição e racionalidade, dentre outros, são comportamentos que estimulam no momento da aprendizagem. Por fim, compreende-se que esta pesquisa demonstra em seu resultado a possibilidade concreta de avanços no campo de estudo de aproximação entre a Análise Transacional e a Gestão do Conhecimento.

Palavras-chave: Análise Transacional. Estados de Ego. Conversão do conhecimento. Modelo SECI.

Link para Download: Fernanda dos Santos Koehler.

FARIAS, Giovanni Ferreira de. Um framework para implementação de PBL no Moodle. Tese, 2020.

Metodologias ativas de aprendizagem têm se tornado importante para a educação superior no Brasil, pois Ministério da Educação passou a exigir a sua inclusão nos planos pedagógicos em diversos cursos. Uma das metodologias ativas de aprendizagem mais utilizadas é a Aprendizagem Baseada em Problemas, mais conhecida por ­Problem-Based Learning (PBL).  Trata-se de uma metodologia em que o estudante aprende, em geral em grupo, através de análise e solução de problemas especificados pelo professor. Na sua versão autêntica, PBL envolve avaliação cognitiva (o que se aprende) e socioemocionais (atitudes e comportamento perante si mesmo e o grupo durante a aprendizagem). Consequentemente, sua implementação não é trivial e implica em alta carga de trabalho docente. Portanto, recursos tecnológicos como a plataforma Moodle passaram a ser empregados para suportar a implementação de PBL. Porém, o professor que procura implementar PBL com o uso do Moodle enfrenta limitações da ferramenta para atender a todos os processos da metodologia. Também enfrenta a escassez de bibliografia e formação focados na metodologia, que sejam amigáveis e contextualizados para a realidade do ensino superior brasileiro. Este estudo propôs um framework denominado OpenPBL, composto por quatro componentes. 1) O modelo metodológico que considera a realidade digital e educacional da educação superior. 2) Um plug-in que habilita a plataforma Moodle a implementar tal modelo. 3) O uso de templates que podem ser gerados, compartilhados e reaproveitados por professores usuários do Moodle e do citado plug-in. 4) Um curso online para facilitar o entendimento conceitual e procedural dos demais componentes. O objetivo deste trabalho foi obter um framework, facilitar a implantação de PBL no Moodle, usando um modelo metodológico adequado ao uso desta tecnologia. Um painel Delphi foi utilizado para verificar a conformidade do framework proposto à realidade para o qual ele foi concebido. Nele, os componentes do framework foram apresentados a especialistas no uso de PBL na educação superior brasileira, também usuários do Moodle. Foi feito um protótipo de alta fidelidade do plug-in, e seu uso foi demonstrado em vídeo, como parte do curso online do framework.Após duas rodadas Delphi, os especialistas confirmaram a conformidade do framework com os objetivos pelos quais ele foi proposto. O modelo metodológico é de fácil entendimento, também devido à documentação e ao curso online. O plug-in facilita a implementação de PBL por um professor com o uso do Moodle, especialmente se este poder contar com templates previamente concebido por outrem e compartilhado para ser usado como recurso educacional aberto. Portanto, o resultado deste trabalho pode trazer uma significativa contribuição para a implementação de PBL com o uso do Moodle não apenas no ensino superior no Brasil, mas também em qualquer segmento educacional onde se possa usar o Moodle e a metodologia PBL. Isso vem a atender uma necessidade social concreta, referente ao cada vez mais demandado uso de metodologias ativas de aprendizagem no ensino superior brasileiro. Este trabalho também tem potencial de subsidiar outros trabalhos de pesquisa que venham a investigar aspectos de uso da metodologia e da tecnologia não explorados nesta tese.

Palavras-chave: Problem-Based Learning, PBL, Moodle, Framework, Metodologias Ativas de Aprendizagem.

Link para download: Giovanni Ferreira de Farias.

SILVA, Lucyene Lopes da. Framework conceitual Dandelion de Análise de Redes Sociais e Tecnologias da Informação e Comunicação para organizações em rede. Tese, 2020.

Na era do conhecimento, devido à informação e à comunicação estarem presentes no processo de desenvolvimento de qualquer que seja o serviço ou produto trabalhado nas organizações, se faz necessária a gestão dos fluxos de informação e comunicação. Apesar da noção da existência de conexões entre pessoas e organizações, e também da ciência do processo de desenvolvimento de produto ou serviço baseado em fluxos de informação e comunicação, ainda é indispensável identificar e analisar a organização e seus fluxos dispersos, considerando o uso da Análise de Redes Sociais (ARS) e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) para transformação em conhecimento. O objeto deste estudo é um modelo para identificação e análise de organizações em rede, o que demanda responder como construir um framework conceitual, visto que este se apresenta como uma rede ou um plano de conceitos interligados, oferecendo uma compreensão abrangente destes fluxos de informação e comunicação. Com o objetivo geral de construir um framework conceitual de ARS e TIC para organizações em rede, esta Tese está baseada nos pressupostos teóricos das teorias de redes, das organizações em rede e a utilização das TIC, assim como da educação em rede. Considerada quanto à sua natureza uma pesquisa aplicada, trabalha uma visão de mundo pragmática e é caracterizada como indutiva quanto ao método de abordagem, adicionando ainda à abordagem intuitiva. Do ponto de vista de seus objetivos é considerada uma pesquisa exploratória e descritiva em que aborda o problema de forma qualitativa, segue e aprimora a metodologia descritiva e cartográfica para organizações em rede. Para a coleta de dados, utilizaram-se as seguintes técnicas: revisão sistemática e a revisão integrativa, análise documental, visitas aos sítios da internet, entrevistas semiestruturadas, questionário com perguntas fechadas, mapeamento argumentativo e as observações participante e sistemática. A organização escolhida pertence a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (RFEPCT), e trata-se especificamente do Instituto Federal Catarinense (IFC). O resultado da investigação foi a construção do Framework conceitual Dandelion de ARS e TIC para organizações em rede. Em vista do modelo existente, o uso dos diversos softwares aplicativos (Mconf RNP, MOODLE, IRaMuTeQ, GEPHI e LiteMap), de forma prática, aprimorou e contribuiu com a utilização de ARS e TIC em cada um dos sete elementos do Framework conceitual Dandelion: (1) identificação e sistematização da história da organização, (2) análise dos principais eventos, serviços e stakeholders da rede, (3) identificação e análise da comunicação na organização em rede, (4) identificação da utilização das TIC na organização em rede, (5) identificação dos níveis fractais da organização em rede, (6) desenho da rede com o uso de ARS e TIC e (7) análise da organização rede. Como contribuição final, destaca-se que o Framework conceitual Dandelion visa estruturar e relacionar os aspectos relevantes dos fluxos de informação e comunicação de maneira sistemática. Os sete elementos observados no modelo de identificação e análise de organizações em rede facilitam e potencializam a interação da rede. Os conceitos estudados, suas interligações e a sua aplicação prática buscam explicitar sobre os conhecimentos discutidos e facilitam o entendimento para sua utilização.

Palavras-chave: Framework conceitual. Análise de Redes Sociais (ARS). Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Instituto Federal Catarinense (IFC). Organizações em rede. Educação em rede.

Link para download: Lucyene Lopes da Silva

OSINSKI, Marilei. Framework de avaliação do impacto de parques científicos e tecnológicos: um estudo comparativo. Tese, 2020.

Esse estudo busca solucionar o seguinte problema de pesquisa: “Como desenvolver um framework de avaliação de impactos provocados pela implantação de um Parque Científico e Tecnológico?”. Para alcançar o referido objetivo, essa pesquisa contou com procedimentos metodológicos com abordagem mista, lidando tanto com dados qualitativos quanto quantitativos. A triangulação metodológica ocorreu por meio da realização de Revisão Sistemática Integrativa, aplicação de questionários e entrevistas semi-estruturadas. Trata-se de uma pesquisa descritiva, exploratória, bibliográfica e explicativa. A natureza dessa pesquisa é básica. A triangulação de teorias concentrou-se nos principais conceitos e características apresentados na literatura científica que se referem aos temas: Habitats de inovação, Parques Científicos e Tecnológicos e Avaliação de impacto. A triangulação de pesquisadores resultou da aplicação dos instrumentos de coleta de dados (questionário/ framework e entrevistas semi-estruturadas) a três públicos distintos: gestores dos PCTs, gestores das empresas inseridas nos PCTs e membros da sociedade local – destaca-se que aos últimos não foi aplicado o questionário/ framework (tanto do Parque Científico de la Universidad Carlos III de Madrid como do Tecnopuc). A triangulação de dados ocorreu por intermédio desses dois Parques Científicos e Tecnológicos. A análise dos dados foi realizada por meio do teste t de Student e da análise descritiva. Os resultados mostram características, similaridades e diferenças entre os impactos provocados pelos referidos parques, bem como pontos de discordância e concordância entre o posicionamento dos participantes desse estudo a respeito do tema em questão. O teste t de Student aponta que não há diferença estatisticamente significativa entre os resultados dos referidos parques para os impactos causados por eles na dimensão cultural. Por outro lado, o teste aponta que há diferença estatisticamente significativa nos impactos econômicos e sociais causados pelos parques em questão nas regiões onde estão inseridos. Pode-se inferir que o principal impacto causado tanto pelo Parque Científico de la Universidad Carlos III de Madrid quanto pelo Tecnopuc é econômico. Esse impacto foi considerado o principal tanto pela maioria dos membros da sociedade do entorno quanto pelos gestores de todas as seis organizações inseridas nos referidos parques que participaram da presente pesquisa. Nesse contexto, o impacto econômico é considerado não apenas o principal, mas é destacado como sendo positivo para a região. Como sugestões para estudos futuros, considera-se relevante desenvolver projetos a fim de explorar e ampliar as formas como um parque científico e tecnológico pode ter impactos ambientais no seu entorno. Considera-se que seria interessante realizar estudos longitudinais, que possibilitariam comparar os resultados da presente pesquisa com resultados gerados pelos parques daqui a alguns anos (cinco ou dez anos, por exemplo), verificando se houve ou não evolução e alteração dos impactos no período analisado.

Palavras-chave: Parques Científicos e Tecnológicos. Inovação. Habitats de inovação. Avaliação de impacto.

Link para Download: Marilei Osinski

AIRES, Regina Wundrack do Amaral. Desenvolvimento de Competências Gerais para a Sociedade em Transformação Digital: uma Trilha de Aprendizagem para profissionais do setor industrial. Dissertação, 2020.

A Sociedade em Transformação Digital é a sétima revolução vivida pela humanidade e está exigindo profissionais com um novo conjunto de competências, o que evidencia a necessidade de desenvolvimento constante, a fim de superar eventuais lacunas. Neste contexto, o desenvolvimento constante dos profissionais se torna estratégico e passa a estar presente na pauta das organizações de todos os segmentos econômicos, sejam públicos ou privados. Neste estudo, identificou-se que há Competências Gerais exigidas de todos os profissionais, independente de cargo ou hierarquia, sendo que como desenvolver tais competências foi a lacuna de conhecimento explorada nesta pesquisa. Assim, buscando alcançar o objetivo geral: Propor uma Trilha de Aprendizagem para desenvolvimento das Competências Gerais exigidas aos profissionais do setor industrial para a Sociedade em Transformação Digital, este estudo utilizou-se da pesquisa tecnológica e do método qualitativo, que foi desenvolvido com etapas teórica e verificação de consistência em campo com representantes de indústrias e especialistas em educação de uma renomada instituição de ensino, tendo como entregas: uma Matriz de Competências Gerais, uma relação de Diretrizes para construção da Trilhas de Aprendizagem, três Canvas para desenvolvimento ágil de Trilhas de Aprendizagem e uma Trilha de Aprendizagem proposta para desenvolvimento de Competências Gerais em profissionais do setor industrial. Esse trabalho resultou na criação de uma metodologia de desenvolvimento de Trilhas de Aprendizagem, que foi constituída para ser flexível e adaptável a diferentes necessidades organizacionais e atender à agilidade requerida pela Sociedade em Transformação Digital.

Palavras-chave: Transformação Digital. Indústria 4.0. Quarta Revolução Industrial. Competências Gerais. Desenvolvimento de Competências. Universidade Corporativa. Educação Corporativa.

Link para download: Regina Wundrack do Amaral Aires