Home » Page 2

SIMON, Rangel Machado. ADAPTAÇÃO COMO MÍDIA PARA O CONHECIMENTO: UMA ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM UTILIZADOS EM DISCIPLINAS DE GRADUAÇÃO. Dissertação, 2017.

O presente trabalho questiona como ambientes virtuais de aprendizagem (AVA)
adaptativos conseguem aperfeiçoar a capacidade de codificação, disseminação e
aplicação do conhecimento pelo usuário, nas diferentes mídias, bem como o que
difere um ambiente adaptativo dos demais. Para isso, foi dividido em: a) pesquisa
exploratória, b) levantamento bibliográfico da literatura, c) observação
sistemática, d) pesquisa-ação quantitativa e qualitativa, e) análise e discussão dos
resultados e f) conclusão e trabalhos futuros. Na pesquisa-ação (quarta e principal
etapa deste trabalho), foi dividida em quatro ciclos, iniciando com a construção do
conhecimento pelos participantes; aplicação dos critérios na amostra por aqueles
e pelo pesquisador; aplicação e fixação do conhecimento adquirido pelos
primeiros e feedback dos participantes por meio de questionário de questões
objetivas e dissertativas. Como principais resultados, constatou-se que os
ambientes virtuais de aprendizagem adaptativos conseguem codificar dados com
mais eficácia em relação aos tradicionais (não-adaptativos), já que possuem
tecnologia voltada para isso. Essa codificação amplia a possibilidade de melhoria
na disseminação e aplicação de conhecimentos de maneira eficiente, já que a
análise de dados faz com que se conheça o estudante e se crie um espaço mais
propenso para a aprendizagem, melhorando o processo de construção de
conhecimento.

 

Link para download: Rangel Machado Simon

ZACARKIM, Valder Lemes. A CAPACIDADE EMPREENDEDORA COMO FATOR CRÍTICO DE SUCESSO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Dissertação, 2017.

O Gerenciamento de Projeto é uma atividade composta por diversas áreas de conhecimento, ferramentas e processos que visam facilitar o planejamento, o controle, a execução e o cumprimento de um objetivo. Contudo, a condução e utilização da metodologia de forma a atingir os objetivos, depende das capacidades do Gerente de Projeto, muitas vezes aquém de todas as necessidades específicas do projeto. Essas capacidades são cada vez mais demandadas pelas organizações por estarem em consonância com o dinamismo tecnológico presente no mercado atual. Portanto, em se tratando de geração de valor, a capacidade do indivíduo em inovar, empreender e, por conseguinte atender satisfatoriamente aos Fatores Críticos de Sucesso de um projeto são fundamentais para a manutenção da competitividade das Empresas de Base Tecnológica. Diante deste contexto, o objetivo desta dissertação consistiu em verificar as relações existentes entre a Capacidade Empreendedora de Gerentes de Projeto e os Fatores Críticos de Sucesso de Gerenciamento de Projetos em uma Empresa de Base Tecnológica. Para atingir o propósito traçado, metodologicamente assumiu-se uma abordagem qualitativa, de caráter exploratório e descritivo. Os dados foram coletados por meio de uma pesquisa bibliográfica e de um estudo empírico em uma Empresa de Base Tecnológica, mediante pesquisa documental, entrevista semiestruturada e questionário elaborado no projeto Skills para a obtenção da Capacidade Empreendedora. Como resultado desta pesquisa, em linhas gerais, verificou-se que as relações identificadas permitem uma análise diferenciada do Gerente de Projeto no tocante à sua capacidade de atendimento aos FCS de um projeto. Além disso, compreendeu-se que estas relações podem ajudar na definição de qual o perfil necessário do gestor, bem como quais são os pontos que precisam ser evoluídos para o gerenciamento satisfatório de um projeto. Por fim, identificou-se que o maior desafio do Gerente de Projeto é também o maior desafio do Empreendedor, uma vez que ambos precisam das capacidades de gestão bem desenvolvidas para atuar em seu empreendimento ou projeto.

 

Link para download: Valder Lemes

TORRES, Maricel Karina Lopez. TEORIA SUBSTANTIVA DA TRAJETÓRIA DE UM CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE PRODUTO, NO CONTEXTO E HISTÓRIA DE UM INSTITUTO FEDERAL. Tese, 2017.

No âmbito da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e
Tecnológica (Rede Federal), muitas instituições passaram por
significativas transformações. Em Santa Catarina, a Escola Técnica
passou para Centro Federal de Educação, Ciência e Tecnologia e, após
seis anos passou a ser Instituto Federal. Em uma dessas transições, foram
ofertados os primeiros cursos superiores de tecnologia. O Curso Superior
de Tecnologia em Design de Produto – CSTDP foi um desses cursos. O
ensino de design, em uma instituição de caráter tecnicista e de tradição
típica industrial foi algo inovador e ao mesmo tempo singular. Frente ao
cenário apresentado, constatou-se que a crescente expansão da Rede
Federal e as transformações institucionais ocorridas, inseriram os
indivíduos em uma nova realidade e formas de interação, em contexto
dinâmico. Diante disso, esta pesquisa se propôs a desenvolver uma teoria
substantiva sobre a trajetória de um Curso Superior de Tecnologia em
Design de Produto, no contexto e história do Instituto Federal de Santa
Catarina. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que adota o método da
Grounded Theory – GT para produzir uma teoria substantiva enraizada
em dados empíricos. Foram coletados dados dos professores pioneiros
que participaram da maior parte da trajetória do curso (concepção,
criação, implantação e reestruturação). A principais técnicas de coleta de
dados consistiu na entrevista semiestruturada e análise de documentos.
Para a delimitação da teoria foram adotadas técnicas de análise típicas da
GT: etapas de codificação, comparação constante, saturação teórica e
validação. Os resultados das análises foram registrados em memorandos
e diagramas. Dentre os resultados, evidenciou-se que a trajetória do curso
registrou conquistas e dissabores, que descrevem condições vivenciadas
e que implicaram ou sujeitaram os envolvidos a: (a) lidar com as
transformações institucionais; (b) lidar com os processos de identificação;
(c) lidar com a ideia de “design mal compreendido”, (d) operacionalizar
o CSTDP; (e) lidar com a chegada de novos professores (e com a saída
de outros); (f) lidar com as diferentes motivações e expectativas; e (g)
lidar com novos sonhos e incertezas em relação ao futuro do próprio curso
e da área de conhecimento na instituição. Ainda, a análise dessa trajetória
e dos elementos implicados, resultou do desenvolvimento das categorias
que integram o esquema teórico da teoria substantiva: (a) Projeto do
CSTDP; (b) Professores; (c) Desafios Enfrentados no CSTP; e a categoria
central denominada (d) Inconstância dos Eventos. Essas categorias
encontram-se fundamentadas nos dados empíricos e estão relacionadas
aos eventos implicados na trajetória do curso, no contexto da história e
das transformações ocorridas na instituição. A teoria explica ações e
interações entre a Instituição, o CSTDP e os Professores, limitando-se à
área substantiva a que pertence. Todos esses elementos descrevem
processos de mudança em movimento, influenciados por fatores externos
à própria organização.

Link para download: Maricel Torres

ALMEIDA, Thábata Clezar de. O COMPARTILHAMENTO DO CONHECIMENTO EM PORTAIS DE E-PARTICIPAÇÃO LEGISLATIVA. Dissertação, 2017.

Esta dissertação compara o compartilhamento do conhecimento de portais de e-participação governamentais e não governamentais, partindo-se da hipótese de que é possível, desde que com base em um checklist de critérios, modelados com base nas etapas do processo do conhecimento. A justificativa para um estudo comparativo como esse se dá em razão da escassez de pesquisas sobre o tema, malgrado a Cartilha Nacional de Governança Digital ressalte a importância de seu estudo, inclusive sugerindo métricas. Assim, observar como se dá o compartilhamento do conhecimento pode apontar no que é possível aprimorar os modelos de eparticipação governamentais e estreitar a relação entre Estado e cidadão. Para alcançar os objetivos traçados, a metodologia dividiu-se em sete etapas. Como principais resultados encontrados, pode-se mencionar, de início, que a aprovação de projetos de lei sobre a e-participação, em tramitação na Câmara dos Deputados, pode influenciar significativamente no aumento de participações em modelos governamentais, ao permitir projetos de lei de iniciativa popular pela internet, reconhecendo a eparticipação como um serviço público e aumentando os investimentos na democracia eletrônica, na transparência e na disponibilidade. Ademais, a ausência de glossários em todos os portais também foi constatada, asseverando a exclusão digital e prejudicando a qualidade do debate. Por fim, observou-se que todos os modelos precisam adaptar a sua interatividade e publicidade em redes sociais mais usadas por Young Millennials, se quiserem sustentar e até mesmo ampliar as participações.

 

Link para download: Thabata Clezar de Almeida

ARAÚJO, Thiago de Souza. Um framework para o e-Judiciário estadual baseado na Governança e Gestão do Conhecimento. Tese, 2017.

Esta tese aborda a relação entre estratégia e estrutura organizacional com foco no conhecimento, prática organizacional e governança organizacional. Tem por contexto o conceito de e-Judiciário. O objetivo geral da tese é analisar a eficácia da estrutura organizacional operacional de Administração do Poder Judiciário estadual (PJE). Analisa-se a especialização funcional, seus impactos na eficácia organizacional tanto quantitativamente quanto qualitativamente. O trabalho é interdisciplinar e multiparadigmático, como tal sintetiza e concilia diferentes linhas teóricas, de diferentes disciplinas como a Administração, a Engenharia e Gestão do Conhecimento, Economia e o Direito. A abordagem é holística e sistêmica; científica-tecnológica. O estudo é teóricoempírico; hipotético-dedutivo e posteriormente indutivo (desenvolvimento do framework Judiciário Virtual Especializado – JVE); é qualitativo e quantitativo (mixed research) com elementos de Grounded Theory. Aplicam-se diversas técnicas: pesquisa de campo, documental, coleta e análise de dados, estudo de caso e entrevistas. Similarmente há um grande conjunto de instrumentos de pesquisa, incluindo triangulacão quantitativa-qualitativa, sistemas de gerenciamento de banco de dados, questionários, metodologia CommonKADs, Software de modelagem de dados Unified Modeling Language (UML), software de análise estatística, editor de ontologias, dentre outros. Os resultados confirmam as hipóteses: comarcas já especializadas são mais eficazes (+47%); estas também apresentam maior qualidade na prestação jurisdicional e grau de inovação. Propõese o JVE que propicia a especialização funcional do Juiz desde o início da carreira por meio de uma estrutura organizacional matricial geográfico-temática na qual há especialição em matérias de direito de forma geograficamente distribuída utilizando-se os documentos eletrônicos e teleconferências. O JVE por meio de engenharia do conhecimento, permite “load balance” para distribuição de processos entre juízes especializados em diferentes localizações geográficas especializados no mesmo tema, envolto em uma robusta estrutura de gestão e governança estratégica do conhecimento no poder judiciário estadual.

 

Link para download: Thiago Souza Araujo

SILVA, Andreza Regina Lopes da. DESIGN EDUCACIONAL PARA GESTÃO DE MÍDIAS DO CONHECIMENTO. Tese, 2017.

A concepção de um curso na modalidade a distância envolve diferentes desafios, entre os quais se destaca a elaboração da mídia do conhecimento, pois esta exerce a função de mediação pedagógica. Converge com esta realidade a intersecção dos temas “design educacional” e “gestão”. Assim, o objetivo desta tese de doutorado é propor um modelo de design educacional como processo de gestão para elaboração de mídias do conhecimento em projetos de educação a distância. Para atender a este objetivo, a pesquisa classifica-se como científica, de natureza teórico-prática, com finalidade aplicada, trabalhada segundo uma abordagem exploratório-descritiva. Para a coleta e a análise de dados, utilizou-se da técnica de métodos mistos, empregando-se práticas de pesquisa quantitativa e qualitativa. A interpretação da análise resultou de uma interlocução triangulada a partir do tripé conceitual: design educacional; gestão do conhecimento e gestão de projetos. Os resultados encontrados permitiram a construção de um modelo teórico-conceitual de design educacional denominado Ariadne. Este modelo apresenta-se como sendo uma direção flexível que valoriza as competências, os processos e as tecnologias necessárias para a elaboração de mídia do conhecimento na modalidade a distância e está organizado de modo a direcionar esta produção de modo que se atinja o objetivo desejado. Dada a crescente complexidade dos projetos educacionais, conclui-se que processos de gestão de projetos e gestão do conhecimento integrados à prática do design educacional contribuem para atender aos princípios de ensino-aprendizagem a partir da gestão de elaboração de tais mídias.

 

Link para download: Andreza Regina Lopes da Silva

VALDATI, Aline de Brittos. PROCESSO DE SELEÇÃO DE IDEIAS EM EMPRESAS INOVADORAS, Dissertação.

A capacidade de inovar é essencial para as empresas no contextual atual, pois é um fator que permite manterem-se competitivas no mercado. A inovação pode ser entendida como um processo, possível de ser gerenciado, que exige a combinação de novos conhecimentos e a transformação de ideias em negócios. Esse processo tem como primeira parte, o Front End, o qual é responsável, dentre outras tarefas, em selecionar ideias que poderão tornar-se possíveis produtos. Essa tarefa é considerada crítica, pois, o resultado desta, influenciará o sucesso final da inovação. A escolha de quais ideias seguirão adiante, é uma tomada de decisão importante que está envolta em incertezas e as empresas devem estar atentas a isso, trabalhando de forma que não torne esse processo subjetivo ou racional. Desse modo o objetivo desta pesquisa é analisar como ocorre o processo de seleção de ideias em organizações inovadoras. Para isso foi conduzida uma pesquisa qualitativa, com pesquisa de campo em três empresas de Santa Catarina, de portes médio e grande. Os dados foram coletados em entrevistas semiestruturadas junto aos membros das empresas envolvidos diretamente no processo de inovação. Como resultado, ao se comparar as etapas do processo de seleção de ideias encontrados na literatura com os da pesquisa de campo, bem como os critérios, conclui-se que o processo de seleção de ideias ocorre de forma definida em duas e não estruturada em outra, porém, as três baseiam a sua seleção em critérios pré-definidos. Esses critérios são correspondentes em alguns aspectos ao que a literatura apresenta e estão divididos entre aspectos técnicos e tecnológicos, econômicos e estratégicos. Entretanto, além de ter esses critérios definidos, as empresas ainda carecem de métodos mais estruturados tanto para tomar a decisão final quanto para tratar o grande volume de ideias. A pesquisa pode contribuir para o campo teórico e prático, primeiro a partir do estudo e compreensão de como acorre o processo de seleção e assim acrescer de novos conhecimentos e o segundo, para as organizações aprimorarem o processo e desenvolverem novas soluções, ainda que o estudo apresente como limitação principal o fato dos resultados não poderem ser generalizados.

Link para download: Aline de Brittos Valdati 

PEREIRA, Larissa Mariany Freiberger. OGDPub: UMA ONTOLOGIA PARA PUBLICAÇÃO DE DADOS ABERTOS GOVERNAMENTAIS. Dissertação, 2017.

Embora um número significante de agências governamentais vem aderindo ao movimento de dados abertos, no Brasil os municípios enfrentam sérias dificuldades para se inserirem neste movimento. A maior parte dos municípios não disponibilizam seus dados brutos, apenas relatórios com informações já processadas. Observa-se ainda uma considerável dificuldade para encontrar estes dados na Web e, quando encontrados, não é tarefa simples compreendê-los. Se os dados não são encontrados ou não são compreendidos, tornam-se subutilizados. Neste sentido, a presente pesquisa propõe uma ontologia de domínio (OGDPub) que apoie a publicação de dados abertos governamentais publicados por municípios brasileiros. A ontologia proposta fornece um arcabouço de metadados para descrição dos datasets, permite que a estrutura organizacional do município seja representada e propõe uma classificação dos datasets em uma linguagem compreensível ao cidadão. Espera-se, com isso, que estes dados sejam encontrados mais facilmente na Web, que sua compreensão seja mais simples e, por fim, que seja dada proveniência aos datasets. A verificação da OGDPub se deu em duas etapas, a saber: (1) instanciação de datasets reais de uma cidade brasileira na ontologia e (2) realização de consultas SPARQL simulando buscas realizadas por usuários. Por fim, acredita-se que a OGDPub colabore para que os dados governamentais oriundos de municípios brasileiros sejam disponibilizados ao público em formato aberto e que seu uso seja facilitado.

Link para Download: Larissa Maryane Freiberger Pereira

MARQUES, Demis. MODELO PARA AUDITORIA DO CONHECIMENTO EM GERENCIAMENTO DE PROJETO. Dissertação, 2017.

A implantação da gestão do conhecimento (GC) no gerenciamento de projetos tem sua relevância reconhecida pela literatura científica e apresenta desafios distintos da gestão do conhecimento organizacional em especial pelos elementos de temporalidade (projetos tem um período de duração definido) e singularidade (objetivos orientados a um propósito específico). Em especial, destaca-se aqui a etapa da GC que se refere a auditoria do conhecimento. A auditoria do conhecimento (AC) está na primeira fase da implantação da gestão do conhecimento, na fase de diagnóstico. A AC é uma revisão dos ativos de conhecimento da uma organização e sistemas de gestão do conhecimento. Tem como principal resultado a demonstração de onde o valor está sendo criado através de capital humano e estrutural, destacando os pontos onde as ações de gestão do conhecimento podem ser melhor aplicadas. O objetivo deste trabalho é a elaboração de um modelo para auditoria do conhecimento, para o contexto específico de gerenciamento de projetos. O processo de auditoria do conhecimento é constituído por um conjunto de etapas representadas na literatura por modelos de auditoria do conhecimento. Foi realizada uma revisão da literatura buscando encontrar modelos que pudessem contribuir para os resultados desta pesquisa. Nesse processo treze modelos foram encontrados, que atendiam os critérios definidos. Esses modelos foram comparados entre si e seus elementos essenciais foram utilizados para composição de um meta-modelo. Esta proposta de modelo contou ainda com a incorporação de elementos específicos para projetos como dimensões de análise relacionadas a temporalidade (conhecimentos no ciclo de vida do projeto) e singularidade (tipos de conhecimento em projetos). Como forma de verificação do modelo proposto foram realizadas três etapas: verificação prévia, interna e externa, esta última a partir de grupo focal com especialistas em projetos. O resultado é um modelo de auditoria do conhecimento para gerenciamento de projetos que contém seis etapas: planejamento, mobilização, inventário do conhecimento, fluxos do conhecimento, resultados e re-auditoria. O estudo contribui para o avanço de pesquisas sobre o tema, em especial apresentando o estado da arte sobre auditoria do conhecimento, modelos de auditoria do conhecimento e por fim a proposição de um modelo de auditoria do conhecimento para gerenciamento de projetos, que pode contribuir, para que praticantes em projetos lancem mão do modelo a fim de melhorar seus processos de gestão do conhecimento em projetos. Como limitação a esta pesquisa destaca-se que não houve aplicação do modelo ficando esta etapa como sugestão para trabalhos futuros.

Link para download: Demis Marques

CARREIRA, Suely da Silveira. Diretrizes para Práticas de Gestão do Conhecimento nas Organizações de Economia de Comunhão à Luz do Perfil do Empreendedor Social. Tese, 2017.

O conhecimento, atualmente, e o fator de producao imprescindivel para o
crescimento das organizacoes. Assim, compreender como as organizacoes
gerenciam seus conhecimentos tacito e explicito, e como estes sao
transformados em conhecimento organizacional podera proporcionar
ganhos em competitividade e crescimento seguro e sustentavel do ponto de
vista economico. Este estudo tem como objetivo estabelecer diretrizes que
promovam praticas de gestao do conhecimento, nas organizacoes de
Economia de Comunhao, a luz do perfil do empreendedor social. A
pesquisa foi realizada em 22 organizacoes brasileiras que participam do
projeto Economia de Comunhao. O projeto esta disseminado em 194
paises, sendo que no Brasil, ha aproximadamente 125 organizacoes
participantes. Para o desenvolvimento do estudo, foram aplicados
formularios a amostra da pesquisa, a fim de verificar as praticas de gestao
do conhecimento, e testes, para tracar o perfil do empreendedor das
organizacoes pesquisadas. Para validacao do questionario utilizou-se do
metodo estatistico denominado de coeficiente ƒ¿ de Cronback e as analises
foram realizadas pelo metodo qualitativo. A pesquisa identificou forte
relacao entre o perfil do gestor e as praticas de gestao do conhecimento.
Foram propostas diretrizes para a implementacao de praticas de Gestao do
conhecimento nas organizacoes pesquisadas sendo: diretrizes gerais para
todas as empresas, diretrizes por perfil empreendedor de acordo com as
caracteristicas comportamentais, e tambem diretrizes que diferem do
comportamento, direcionadas para proporcionar crescimento e
desenvolvimento pessoal do gestor.

 

Link do Download: Suely da Silva Carreira