Home » Sem categoria » Visintin, Lidiane. Modelo de maturidade de dados abertos: uma matriz de referência para organizações.

Visintin, Lidiane. Modelo de maturidade de dados abertos: uma matriz de referência para organizações.

Dados abertos podem ser vistos como um movimento para o compartilhamento do conhecimento e a ampliação da democracia, beneficiando tanto a sociedade quanto as organizações que disponibilizam dados. Este tema difundiu-se devido aos benefícios que podem ser observados e também devido a leis e regulamentações que alguns países impõem em busca de transparência, participação social, entre outros. No entanto, observa-se que há organizações que enfrentam desafios organizacionais – relacionados a processos internos, desafios técnicos – relacionados à ausência de metadados, a falta de interoperabilidade e a dificuldade em pesquisar e obter dados, entre outros. Deste modo percebe-se que essa perspectiva inibe o uso e também impacta na confiança dos dados que são disponibilizados nos portais. Tais inconsistências poderiam ser minimizadas com a definição, a implementação, o monitoramento e o aprimoramento das políticas e práticas para o tratamento de dados e com base neste contexto observa-se também que a governança de dados pode contribuir minimizar tais inconsistências. Neste sentido, o presente trabalho tem por objetivo propor um modelo de maturidade de dados abertos, considerando boas práticas aplicadas pelas organizações na abertura e na pós-publicação dos dados e princípios da governança de dados. A pesquisa foi conduzida através do Design Science Research Methodology (DSRM). Deste modo, o modelo desenvolvido permite avaliar politicas e processos, fatores organizacionais e padrões aplicados para dados abertos através de um questionário que viabiliza o preenchimento de uma matriz de referência para avaliação da maturidade. Para aplicar o modelo foi desenvolvida uma aplicação Web, esta que viabiliza a aplicação do questionário e a visualização do resultado obtido. Foram realizadas entrevistas com responsáveis por organizações ou departamentos que realizam a abertura de dados, totalizando três cenários de uso. Através destes cenários de uso foi possível observar o comportamento da estrutura elaborada, bem como coletar percepções e sugestões acerca do questionário aplicado, da estrutura do modelo e dos elementos que o compõem. Ainda para verificar, discutir, divulgar e obter feedbacks acerca do modelo foram realizadas entrevistas com 10 especialistas da área de dados abertos. Deste modo foi possível observar que as médias das percepções apontam que os especialistas concordam em relação à abrangência, relevância e a precisão da estrutura do modelo apresentado. Também foi possível verificar a importância dos elementos que compõem o modelo, dada pelas médias obtidas pelas percepções dos especialistas e ao final são elencadas as sugestões e comentários destes. Considerando a estrutura do modelo, os resultados obtidos através da obtenção dos cenários de uso e finalizadas as entrevistas com os especialistas concluiu-se que a pesquisa desenvolvida contribuiu fornecendo uma estrutura de ciclo de vida e de modelo de maturidade sendo que esta matriz e o ciclo de vida podem ser utilizados como modelos de referência, ou seja, podem ser estendidos, reduzidos ou até mesmo adaptados, permitindo assim a criação de estruturas mais específicas ou mais genéricas abrangendo as diferentes realidades.

Link

Posted in Sem categoria