Home » Sem categoria » SCHNEIDER, Viviane. A Coerência dos Símbolos que Unem Agentes em Contextos Sociotécnicos de Coprodução. Tese, 2019.

SCHNEIDER, Viviane. A Coerência dos Símbolos que Unem Agentes em Contextos Sociotécnicos de Coprodução. Tese, 2019.

O conhecimento coletivo é um conjunto de crenças que formam as culturas, os regramentos, e que reúne todo o espectro simbólico humano. Em contextos sociotécnicos (intensivos em conhecimento e tecnologias), esses símbolos formam um terreno comum de interações que visam coproduzir bens comuns. Contudo, quando pessoas com discordâncias de crenças são colocadas juntas para coproduzir bens comuns, podem surgir diversas barreiras que obscurecem o conhecimento coletivo, como a assimetria de informação, o viés de informação e a falta ou excesso de confiança entre os pares (Conjunto Eclipse). Tendo em vista minimizar esses problemas e tornar o conhecimento coletivo acessível para todos os agentes (humanos, máquinas ou ambos), estabeleceu-se nesta tese uma abordagem de pesquisa a partir do método dedutivo, o qual parte das seguintes premissas para formar uma conclusão: (premissa 1) as pessoas unem-se para coproduzir bens comuns porque acreditam em entidades simbólicas coerentes com suas crenças; (premissa 2) a Web Pragmática apoia a negociação de entidades simbólicas comuns ao apresentar métodos e técnicas para a coprodução de significados e de valores entre agentes humanos e artificiais; (conclusão) símbolos descritos a partir de métodos e técnicas da Web Pragmática unem agentes na coprodução de um bem comum em contextos sociotécnicos. Com base nessas premissas, estabeleceu-se a seguinte questão de pesquisa: “Como representar a coerência de símbolos que unem agentes em contextos sociotécnicos de coprodução?” Para responder a essa questão, esta tese apresenta um metamodelo fundamentado na Web Pragmática e na teoria da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF). O objetivo do metamodelo é representar e verificar a coerência contextual dos elementos simbólicos de um terreno comum em contextos sociotécnicos, por meio de quatro dimensões: a referencialidade, a receptividade, o senso de unidade e a prescritividade. Os instrumentos utilizados para representar essas dimensões são métricas calculadas a partir de dados coletados com o apoio de uma arquitetura de metadados, modelada em três contextos: o referencial, o situacional e o contexto de representação. Para verificar a consistência do metamodelo, foram realizados experimentos em ambientes diversos que buscaram testar potenciais adaptações das métricas bem como verificar a consistência estrutural dos artefatos desenvolvidos. O método de verificação da consistência do metamodelo comparou os resultados da aplicação da arquitetura e métricas no tocante à percepção dos membros de um arranjo coprodutivo sociotécnico. Em uma escala de 0 (inconsistente) até 1 (consistente), no experimento realizado nesta tese obteve-se o resultado 0,860134289, valor que fornece indícios de consistência do metamodelo e demonstra que esta tese possui contribuições científicas para a ampliação de referenciais simbólicos coerentes, os quais promovem a unificação de objetivos e ações, de agentes humanos e artificiais, em contextos sociotécnicos de coprodução.

Palavras-chave: Coprodução. Agentes. Símbolos. Contextos Sociotécnicos. Coerência. Web Pragmática.

Link para download: Viviane Schneider.

Posted in Sem categoria