porno
beşiktaş escort mecidiyeköy escort aksaray escort bahçeşehir escort
Home » Dissertação » WEINZIERL, Greici. Comissão de Humanização – Dificuldades e Barreiras Quanto a Adequação à Política Nacional de Humanização do SUS. Dissertação, 2009.

WEINZIERL, Greici. Comissão de Humanização – Dificuldades e Barreiras Quanto a Adequação à Política Nacional de Humanização do SUS. Dissertação, 2009.

Este estudo tem como objetivo principal identificar as dificuldades e barreiras da Comissão de Humanização quanto a adequação à Política Nacional de Humanização do SUS. A pesquisa foi desenvolvida no Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina sob gestão do Governo Federal, situada no Município de Florianópolis-SC. A Comissão de Humanização do HU foi escolhida como amostra para realização da pesquisa por ser a protagonista da PNH estando diretamente envolvida com o tema e, também, ser a representante oficial perante o Ministério da Saúde e Governo Federal para a disseminação da Política Nacional de Humanização – PNH no referido hospital. O grupo tem registrado em portaria oficialmente 8 (oito) membros. De acordo com a Política Nacional de Humanização, entende-se por “humanização” a valorização dos diferentes sujeitos implicados no processo de produção de saúde: usuários, trabalhadores e gestores. Como estratégia de mudanças, a humanização orienta-se por três princípios: a transversalidade; a estreita vinculação entre a atenção e a gestão em saúde; e a autonomia e protagonismo dos sujeitos nos processos de trabalho.A pesquisa foi desenvolvida na forma de estudo de caso, e adotou como técnica para a coleta dos dados a análise documental, observação participante e realização de entrevista aberta com o grupo da Comissão de Humanização. Sendo utilizado o método hermenêutico para a interpretação dos resultados. A análise dos dados revelou a existência de muitas dificuldades e barreiras a serem transpostas para a institucionalização da política. Entre estes, foram apontados pelos entrevistados: a fragilidade da política de humanização e a própria cultura organizacional instituída. As dificuldades e barreiras ainda fazem com que a implementação integral da PNH seja lenta, porém, existe boa vontade da nova gestão da Comissão de Humanização em resgatar valores esquecidos na instituição e também dar continuidade ao processo de disseminação da política a fim de tornar o HU um exemplo de humanização. O SUS ainda está incompleto, falta implantar atividades que melhorem o sistema e dentre elas muitas ações humanizadoras que ainda não estão em execução nos hospitais públicos. O SUS é um sistema que abrange a todos os Estados do Brasil, e existem diferenças culturais e sociais significativas entre um Estado e outro, principalmente em relação aos recursos disponibilizados para cada região, dificultando a integralidade e universalidade deste sistema. Pela complexidade do SUS também é muito difícil conseguir a implantação de todas as diretrizes da PNH. A equipe de referência disseminadora das ações de humanização precisa ser de alto nível e conhecer bem a legislação, como os direitos e deveres do usuários, estrutura do SUS e a PNH. A humanização não deve ser encarada apenas como um diferencial às organizações de saúde, mas sim como uma necessidade de união de todas as pessoas a fim de atingir o bem estar de todos os envolvidos.

Link para download: Greici Weinzierl

Posted in Dissertação, Gestão do Conhecimento and tagged as , , ,