Home » Sem categoria » MEZZAROBA, Mariana Pessini. Framework para Avaliação de Portais do Poder Judiciário Brasileiro a Partir de Mecanismos de Gestão do Conhecimento. Tese, 2019.

MEZZAROBA, Mariana Pessini. Framework para Avaliação de Portais do Poder Judiciário Brasileiro a Partir de Mecanismos de Gestão do Conhecimento. Tese, 2019.

Esta tese pretende abordar a utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por parte de órgãos da Administração Pública brasileira, especificamente no Poder Judiciário e seus Tribunais de Justiça estaduais, associada a conceitos de Gestão do Conhecimento (GC) e de Governo Eletrônico (e-Gov).  O e-Gov é uma forma de gestão de informações e serviços realizada por instituições e órgãos governamentais fomentada pelas TIC, que necessita de monitoramento nas formas de implantação e em seu aprimoramento. Uma das formas de entrega é a disponibilização de portais na internet que oferecem informações e serviços específicos por instituição. A Gestão do Conhecimento apresenta mecanismos e práticas elencadas às tecnologias que podem colaborar para a disponibilização de portais baseado em GC e assim, contribuir na ampliação do conhecimento de seus usuários. Este trabalho tem como objetivo elaborar um framework que servirá para verificar de que forma os portais do Poder Judiciário brasileiro estão contribuindo para a ampliação do conhecimento de seus usuários (neste caso, os cidadãos) a partir da análise de recursos associados a três mecanismos de Gestão do Conhecimento: Acesso, Criação e Transferência de Conhecimento. Através de Revisão Sistemática de Literatura, de estudo exploratório, descritivo, qualitativo e aplicado elaborou-se um framework para avaliar os portais do Judiciário a partir de mecanismos de GC. Para a elaboração do framework foram levantados uma série de itens, além disso, foi realizada uma associação de conceitos entre os mecanismos de GC e os estágios evolutivos de e-Gov visando identificar quais estágios são suportados por estes mecanismos. Esta etapa contou com a análise de especialistas para verificação. Após, foi realizada a aplicação do framework nos portais dos 27 Tribunais de Justiça estaduais, incluindo o do Distrito Federal e Territórios para avaliar os mecanismos de GC presentes nestes portais por meio de uma análise quantitativa simples. Os resultados apontam que alguns portais são falhos em mecanismos que propiciem Acesso ao Conhecimento (pelo usuário), principalmente por não disponibilizar ferramentas de acessibilidade e busca. A Criação de Conhecimento (que ocorre por parte das organizações) é realizada adquirindo informações de contato e recebendo, por canais próprios, dúvidas, elogios, críticas ou sugestões sendo utilizada por grande parte dos portais analisados, porém, através desta pesquisa não se pôde avaliar como estes comentários são recebidos e trabalhados pela equipe responsável pelos portais. A Transferência de Conhecimento (da organização para o usuário e entre os usuários) ocorre de forma muito primitiva nos portais analisados, que ainda precisam investir em ferramentas de compartilhamento e interação entre a organização e seus usuários, bem como de interação e colaboração entre os usuários.

Palavras-chave: Governo Eletrônico. Avaliação de Portais. Mecanismos de Gestão do Conhecimento. Poder Judiciário brasileiro.

Link para download: Mariana Pessini Mezzaroba.

Posted in Sem categoria