Home » Gestão do Conhecimento » VICENTINI, Luiz Carlos. A Liderança Autêntica em Contexto Extremo: As Vivências do BOPE – Batalhão de Operações Policiais Especiais de Santa Catarina. Tese, 2015.

VICENTINI, Luiz Carlos. A Liderança Autêntica em Contexto Extremo: As Vivências do BOPE – Batalhão de Operações Policiais Especiais de Santa Catarina. Tese, 2015.

Estudiosos trabalharam fortemente, na primeira década deste século, focados para o desenvolvimento de um modelo genuíno de liderança que permitisse enfrentar os desafios éticos, tecnológicos, de competitividade e de marketing que rondam as organizações ao redor do mundo. Ao mesmo tempo, verificou-se na literatura a exigência para que se desse maior atenção ao contexto organizacional como fator que poderia afetar e ser afetado pela liderança. A presente pesquisa originou-se da constatação de que há lacunas nos estudos sobre liderança autêntica, principalmente quando associada ao contexto extremo, após realização de uma revisão integrativa sobre o tema. O objetivo foi compreender como se manifesta a liderança em eventos que se caracterizam como contexto extremo, comparando as atividades realizadas em contexto de normalidade e extremo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que teve como abordagem metodológica a etnografia. A dificuldade em observar o sujeito no exato momento em que ocorre a ação em contexto extremo levou à complementação do estudo etnográfico com outro, o fenomenológico, com os objetivos de explorar, descrever e analisar experiências vividas individualmente por policiais do BOPE – Batalhão de Operações de Polícia Especial – SC. A pesquisa incluiu a observação direta das interações entre os participantes durante sua rotina de trabalho e a realização de entrevistas a partir de um roteiro semiestruturado. Os dados obtidos foram analisados e interpretados através da análise categorial temática, com o auxílio do software ATLAS.ti. Os resultados mostraram que as características de liderança em situação de normalidade dentro do quartel se mantêm quando os militares são submetidos a condições de contexto extremo, porém há flexibilidade em delegar a liderança neste contexto, baseada nas habilidades e na formação para atingir os objetivos. As relações hierárquicas predominam no BOPE e a patente e a antiguidade é que determinam, a priori, as relações de autoridade e poder. Líder e Comandante exercem funções diferentes, que podem se confundir, a depender das características de liderança do Comando. A liderança se processa em um clima de cooperação, confiança e lealdade que se estabelece naturalmente na convivência e na intimidade, tendo como base a competência para enfrentar a situação dada. Os seguidores são consultados, seja em situação de normalidade ou contexto extremo e veem valorizadas suas opiniões, o que é característica da liderança autêntica. O líder tem características de um líder autêntico, pois acompanha seus seguidores nas missões, é parceiro, troca informações, tem flexibilidade para delegar, atua como um espelho, e, assim consegue
a aderência do grupo. Conclui-se que as relações de liderança no BOPE se caracterizam como liderança autêntica, que se concretiza de forma mais concreta e sólida em contexto extremo. Estes resultados contribuirão para o avanço científico da temática pesquisada, tendo em vista seu ineditismo e as considerações práticas na área de liderança, cujos desdobramentos serão fundamentais para o aprimoramento das relações de liderança autêntica no contexto militar e nas demais organizações.

 

Link para download: Luiz Carlos Vicentini

Posted in Gestão do Conhecimento, Tese and tagged as , , , , , ,