Home » Gestão do Conhecimento » FELICIANO, A.M. Extensão Rural: Criação, Estratégias de Uso e Retenção do Conhecimento. Tese, 2013.

FELICIANO, A.M. Extensão Rural: Criação, Estratégias de Uso e Retenção do Conhecimento. Tese, 2013.

As transformações econômicas e sociais e o progresso da ciência, ocorridos sobretudo a partir do século XX, elevaram o conhecimento à condição de fator basilar à competitividade organizacional. Na composição do conhecimento organizacional, o conhecimento tácito oferece substanciais contribuições à leitura do ambiente, ampliando suas possibilidades de uso e sua competitividade. As organizações de extensão rural, pelo perfil técnico e ambiente de atuação, acessam facilmente esse tipo de conhecimento. Nas atividades de campo, os técnicos extensionistas estão inseridos em complexas redes de relacionamentos e conhecimentos, estabelecidas pela interação permanente com expressiva gama de atores, cada qual com interesses e necessidades, providos de conhecimentos próprios dos seus negócios e diferentes visões de mundo. O objetivo desta tese consistiu em estabelecer diretrizes para os processos de criação, estratégias de uso e retenção do conhecimento para organizações de extensão rural. Metodologicamente, assume características de pesquisa exploratória e descritiva, tendo seu caminho percorrido com o uso de instrumentos como o grupo focal, a análise de conteúdo e o método delphi. Os resultados apresentados contribuem com as organizações por oferecerem elementos à reflexão sobre a importância do conhecimento e sua gestão para a geração de diferenciais competitivos. Permitem afirmar que as organizações de extensão rural são criadoras de conhecimentos, contudo não praticam sua adequada gestão. A modernização dessas organizações passa pela necessidade de revisar suas estratégias e seus processos, adotando o conhecimento como fator propulsor de seu desenvolvimento interno e de sua competitividade externa e as pessoas como seu mais valioso ativo. A implementação das diretrizes propostas exige mudanças no comportamento e na cultura, para as quais as organizações demonstram não estar preparadas. A gestão do conhecimento não está inserida no contexto das organizações públicas de extensão rural, sobretudo por desconhecerem suas práticas, suas estratégias e seus modelos.

Link para Download: Antonio Marcos Feliciano

Posted in Gestão do Conhecimento, Tese and tagged as , ,