porno
Home » Archive by category "Dissertação"

LEITE, Andre de Oliveira. Atividade de Definção do Conceito de Produto no Front End da Inovação: um Estudo Qualitativo em Organizações de Tecnologias em Florianópolis/SC. Dissertação, 2020.

Inovar faz parte das necessidades organizacionais, sendo considerada uma forma em que os empreendedores exploram oportunidades para o desenvolvimento de novos negócios, processos ou serviços. A inovação é composta por um processo de várias etapas, iniciando pelo Front End da Inovação (FEI), seguindo do Desenvolvimento de Novos Produtos (NPD) e da Comercialização. O FEI é o início deste processo, composto pelas atividades relacionadas à oportunidade, ideias e definição do conceito. A atividade de definição do conceito é a fase final do FEI, nela a atenção deve ser redobrada para evitar falhas nas fases seguintes do processo de inovação. Este trabalho tem como objetivo analisar como ocorre a atividade de definição do conceito em organizações de tecnologia no contexto de Florianópolis/SC. Para tanto, foi realizado uma pesquisa de cunho qualitativo, tendo como instrumento de coleta de dados a realização de entrevistas semiestruturadas com gestores de três organizações do setor de tecnologia. Como resultados foi identificado que nas organizações pesquisadas existem etapas, que se mostraram semelhantes ao abordado na literatura, em relação à situação final na apresentação de uma definição de conceito. Entretanto, existem particularidades referentes à forma de operação relacionada em cada negócio, com diferenças pontuais, em especial na maneira de estruturação de seus processos. Destaca-se que as etapas são compostas por elementos que participam ativamente na atividade de definição do conceito, sendo eles: atores, ferramentas, métodos e técnicas. Observou-se que alguns dos elementos fazem relação com os abordados pela literatura, mas não em sua totalidade, visto que a literatura trata esta atividade de forma genérica, sem considerar o contexto de cada negócio. Recomenda-se para trabalhos futuros o aprofundamento desta pesquisa em outros setores da economia, além da análise com maior número de organizações, para que se possa verificar se os resultados se repetem.


Palavras-chave: Inovação. Front End da Inovação. Atividade de Definição do Conceito.

Link para download: Andre de Oliveira Leite

ELEUTHERIOU, Vanessa Cardoso Santos. Identidade e Pertencimento em Cidades Humanas Inteligentes: o caso de Santa Maria/RS. Dissertação, 2017.

Uma das maiores críticas ao modelo tradicional de smart cities é a aparente falta de conexão com o elemento humano e a “homogeneização” e “robotização” de cidades que um desenvolvimento focado em tecnologia pode trazer. Nesse sentido, surge a visão das cidades mais humanas, inteligentes e sustentáveis (CHIS), que percebe a importância do investimento em capital humano e social e de processos participativos de governança para o estabelecimento de uma smart city. Uma das maiores dificuldades no tema das cidades inteligentes é, ainda, como promover de fato esse envolvimento dos cidadãos no processo. Sugere-se, então, o fortalecimento da imagem da cidade em conexão com a identidade local para fazê-lo funcionar e ser sustentável a longo prazo, principalmente através das mídias do conhecimento. Os temas se conectam através da relação entre o sentimento de pertencimento com o lugar e o comprometimento da população em trabalhar por sua melhoria, além da atração de investimentos e turismo e retenção de talentos. A pesquisa revelou que ainda não há muitos estudos relacionando os conceitos de identidade e imagem da cidade com o de humane smart cities; destaca-se, porém, o projeto europeu My Neighbourhood, que considera o senso de pertencimento na criação de uma plataforma de colaboração para CHIS. Assim, o objetivo deste estudo é trazer para o debate, principalmente para o gestor público, a importância deste fator na melhoria do bem-estar e da qualidade de vida de uma cidade, tornando-a mais humana. Utilizado o método qualitativo com entrevistas semiestruturadas, realizou-se o estudo de caso em Santa Maria/RS, com o propósito de investigar como atores locais enxergam a identificação com a cidade e quais potencialidades podem ser trabalhadas para o fortalecimento de sua imagem. A cidade foi selecionada por possuir um interesse no tema das CHIS e ter passado por uma tragédia que não só afetou sua imagem externamente, mas como ainda é uma memória vívida e dolorosa na mente de seus moradores e no próprio território, já que o prédio da boate se mantém em escombros tal como foi deixado após o incêndio em 2013. Através da comparação das falas dos entrevistados com os conceitos relacionados à identidade, percebeu-se que ainda falta um cuidado da administração pública com relação ao tema, especialmente na ausência de compensação pela tragédia – tanto de indenização para as famílias das vítimas, quanto na definição do que fazer com o prédio destruído -, mas também a falta de visão que considere os conceitos de identidade como fatores para o desenvolvimento. Por fim, a autora sugere o uso de workshops para o entendimento e captura da imagem da cidade por participação direta de seus cidadãos, através de ferramentas de design thinking.

Palavras-chave: Cidades humanas inteligentes. Identidade. Senso de pertencimento.

Link para Download: Vanessa Cardoso Santos Eleutheriou

SCANDOLARA, Daniel Henrique. Ícones em língua de Sianis como Referência na Linguagem Visual em Ambientes Virtuais de Ensino e Aprendizagem (AVEAS). Dissertação, 2020.

Partindo da complexidade que a língua oral impõe às pessoas surdas ao acesso de conteúdos de cursos e a navegação em Ambientes Virtuais de Ensino e Aprendizagem (AVEAs), observou-se, com base em uma revisão integrativa da literatura, que não havia, até o momento, a utilização de ícones em língua de sinais no Moodle com a finalidade de proporcionar acessibilidade e acesso a recursos para uma educação inclusiva. Com isso, o objetivo desse trabalho foi auxiliar na criação de um artefato com ícones em língua brasileira de sinais aliados ao texto escrito para favorecer o acesso de pessoas surdas a cursos e recursos presentes em um ambiente virtual de ensino e aprendizagem. Elegeu-se como metodologia a pesquisa qualitativa de natureza tecnológica. Com os resultados das buscas nas bases e com o acréscimo de trabalhos pertinentes relacionados, foi viável fundamentar a teoria, em que se relacionaram temas e pesquisas das áreas de ambientes virtuais de ensino e aprendizagem acessíveis, práticas de visualidade por meio da língua de sinais e tecnologias assistivas. Com isso, os ícones foram desenhados e criados com o auxílio de profissionais do Instituto Federal de Santa Catarina – Campus Palhoça Bilíngue, sendo, em seguida, incorporados ao artefato e avaliados por professores e alunos surdos voluntários. Para validação do objeto proposto ao público surdo, a coleta de dados deu-se a partir de uma entrevista semiestruturada e com a realização de cinco tarefas durante a apresentação do artefato. Ocorreu nesta etapa a observação do sujeito surdo na utilização do AVEA e foi realizado o registro em vídeo. A conclusão possibilitou a implementação dos ícones em língua de sinais aliados ao português na modalidade escrita em um AVEA, além da validação por alunos e professores surdos, mostrando-se uma ferramenta eficiente e acessível. Utilizar a imagem e o texto em uma única perspectiva constrói-se uma teoria bilíngue que colabora para que os usuários de um AVEA possam entender melhor a estrutura e organização da informação do mesmo. A pesquisa realizada permitiu apontar áreas para trabalhos futuros no que tange outras barreiras comunicacionais que os surdos encontram em AVEAs.

Palavras-chave: Acessibilidade digital. Surdo. Letramento visual. Tecnologia educacional. Ambiente virtual de aprendizagem.

Link para Download: Daniel Henrique Scandolara

AMARAL, Melissa Ribeiro do. Empoderamento da Mulher Empreendedora: Uma Abordagem Visando o Enfrentamento de Barreiras. Dissertação, 2020.

A literatura evidencia que as conquistas obtidas pelas mulheres não são capazes de promover a equidade entre os gêneros. No âmbito do empreendedorismo, a mulher empreendedora enfrenta, além dos obstáculos que fazem parte da vida de um empreendedor, barreiras invisíveis em função do gênero. O objetivo dessa dissertação consiste em compreender o empoderamento da mulher como contribuição ao enfrentamento das barreiras que dificultam o empreendedorismo. Para que o objetivo proposto fosse atingido, a pesquisa foi conduzida por uma abordagem qualitativa, de cunho exploratório e descritiva. Os dados foram coletados por meio de enquete e questionário de competência empreendedora, com duas perguntas descritivas que permitiram a melhor seleção das entrevistadas. Foi feita a análise temática da entrevista semiestruturada com foco em incidentes críticos, aplicada em vinte empreendedoras de cinco cidades de Santa Catarina. Os resultados desta pesquisa identificaram que as barreiras do preconceito, da discriminação, do teto de vidro e da falta de empoderamento, autoconhecimento e autoconfiança permeiam as barreiras da dupla jornada ou conflito trabalho-família, barreiras socioculturais e a obstrução masculina. Também foi possível identificar que as mulheres empreendedoras conquistam o espaço no âmbito do empreendedorismo a custa de mais esforço e dedicação que seus pares masculinos. Para se inserirem nesse ambiente, elas têm atitude e lançam mão de características femininas como a calma, paciência e persistência, marcam posição, mostram competência, adquirem autoconfiança e enfrentam suas barreiras internas. Nesse sentido, o empoderamento da mulher aparece como um caminho a ser trilhado pelas empreendedoras no enfrentamento das barreiras ao empreendedorismo.

Palavras-chave: Empoderamento da mulher. Mulher empreendedora. Barreiras ao empreendedorismo.

Link para download: Melissa Ribeiro do Amaral

BATISTA, Alessandra Duarte. Sistemática para Adoção de Observatórios Tecnológicos de Conhecimento como Práticas de Gestão do Conhecimento Organizacional. Dissertação, 2019.

Observatórios de conhecimento, na forma tecnológica, são instrumentos de apoio ao planejamento e à gestão em diversos domínios de atividade socioeconômica. Este estudo tem como objetivo estabelecer uma sistemática para a adoção de Observatórios Tecnológicos de Conhecimento (OTCs) como prática de Gestão do Conhecimento Organizacional (GCO). A partir da compreensão do contexto organizacional, propõe-se uma sistemática de apoio à definição e implantação de OTCs em ambientes de inovação. Reconhecendo a falta de consenso na literatura para o conceito de “Observatórios”, este trabalho partiu da caracterização desses instrumentos e da identificação e classificação de seus benefícios no apoio em processos de tomada de decisão estratégicos a uma organização, em diferentes áreas de geração de valor. Entre esses, um dos mais relevantes é o apoio à gestão organizacional, principal protagonista na geração de valor baseado em conhecimentos. Neste trabalho, OTCs são compreendidos como instrumentos tecnológicos de apoio à criação e gestão de competências em redes de indivíduos, grupos, organizações ou regiões, em diferentes domínios socioeconômicos. A partir da aplicação da Metodologia CommonKADS, modelo da organização e do método Design Science Research (DSR), foi desenvolvida e aplicada uma sistemática para desenvolvimento de OTCs. A sistemática foi aplicada em um Projeto de Referência no setor de energia. Como resultados, obteve-se o apoio às etapas de concepção, especificação, desenvolvimento e implantação do Observatório, com inclusão de atributos que o potencializam a se transformar em prática de gestão do conhecimento na organização.

Palavras-chave: Conhecimento. Construção do conhecimento. Observatório. Observatórios de conhecimento tecnológicos. Coprodução.

Link para Download: Alessandra Duarte Batista

LUMINI, Milena. A Produção de Conhecimento sobre Sustentabilidade e o Incentivo ao Comportamento Pró-ambiental: um Estudo em blogs sobre Lixo Zero. Dissertação, 2019.

Esta pesquisa investiga como ocorre a produção de conhecimento sobre sustentabilidade em blogs e o seu incentivo ao comportamento pró-ambiental. O estudo se insere no contexto da necessidade de mudanças comportamentais dos indivíduos e da sociedade para se atingir um futuro sustentável. Mudança de comportamento requer novos conhecimentos, valores, atitudes e normas que podem ser conquistados a partir de novas informações. Nesse sentido, a pesquisa tem como objetivo analisar se blogs com a temática Lixo Zero apresentam informações capazes de produzir o conhecimento necessário para a adoção de comportamentos pró-ambientais.  A gestão dos resíduos é um dos principais desafios à sustentabilidade e o conceito de Lixo Zero é colocado como uma forma de resolver este problema. A pesquisa utiliza o método da análise de conteúdo, com a técnica da análise categorial temática. O objeto de pesquisa é o conjunto de 32 postagens de quatro blogs. A análise é baseada na literatura sobre os domínios do conhecimento, que afirma haver maior probabilidade de influenciar um comportamento pró-ambiental quando quatro tipos de conhecimento (declarativo, processual, de efetividade e social) são abordados de maneira conjunta e convergente, com ênfase para os conhecimentos de efetividade e social.  Os resultados encontrados demonstram que embora os blogs apresentem todos os domínios do conhecimento, eles não aparecem maneira convergente. Em todos os blogs, pelo menos um dos posts deixou de apresentar um dos domínios. Além disso, identificou-se uma predominância do domínio do conhecimento processual, referente às informações sobre processos e como agir, em todos os blogs, com destaque para a ação individual. Embora isso seja considerado um avanço da comunicação sobre sustentabilidade, os conhecimentos mais relevantes para influenciar o comportamento (de efetividade e o social) foram os menos abordados. Assim, conclui-se que há espaço para aprimorar a comunicação sobre sustentabilidade a partir da exploração do conhecimento de efetividade e social. Entende-se que esses domínios são mais difíceis de se comunicar, seja por serem menos óbvios para o cidadão comum ou por envolverem noções que não são facilmente explicitadas. Ressalta-se, ainda, a necessidade de incentivar comportamentos que tragam mudanças sistêmicas, como a exigência de regulamentações em favor da sustentabilidade.

Palavras-chave: Domínio do conhecimento. Sustentabilidade. Blogs. Comportamento Pró-Ambiental. Lixo Zero. 

Link para Download: Milena Lumini

FIGUEIREDO, Leonardo Souza Reis. Práticas de Gestão do Conhecimento e Barreiras à Aprendizagem Organizacional. Dissertação, 2019.

Nos ambientes contemporâneos, onde o acúmulo de competências técnicas e mercadológicas é essencial, a mudança é um elemento chave para que as organizações tenham seu amadurecimento empresarial e consequente permanência no mercado. A mudança de pensamentos e atitudes por parte dos indivíduos, dos grupos e da organização é tratada aqui pela alcunha de aprendizagem organizacional, e como inúmeras outras mudanças, estão sujeitas à resistências e barreiras. Essas barreiras à aprendizagem se espalham por todos os processos da aprendizagem, desde o insight do indivíduo até a institucionalização de um conhecimento. Como forma de mitigá-las, apresentam-se as práticas de gestão do conhecimento, um conjunto de atividades relativas ao conhecimento, ligadas aos processos de identificação, criação, armazenamento, compartilhamento e utilização de conhecimentos voltados para o aperfeiçoamento da gestão do conhecimento nas organizações. Desta forma o objetivo desta pesquisa é estabelecer as relações entre barreiras à aprendizagem organizacional e as práticas de gestão do conhecimento em uma organização de base industrial tecnológica. Esta é uma pesquisa de natureza descritiva, que se utiliza de uma abordagem qualitativa na forma de um estudo de caso único em uma organização industrial de base tecnológica. A coleta de dados deu-se por meio de entrevistas semiestruturadas com diretores e gerentes e observações dentro de uma organização escolhida. A análise destes dados foi realizada por meio de um cruzamento das informações contidas na literatura sobre os temas e as respostas obtidas nas entrevistas. Os resultados apontam a presença da aprendizagem organizacional na organização alvo, assim como barreiras a esta aprendizagem e a realização de práticas de gestão de conhecimento. Subsequentes análises permitem relacionar as barreiras à aprendizagem organizacional encontradas com as práticas de gestão do conhecimento consolidadas pela literatura. Mobilizando este conhecimento, pôde-se montar uma proposta que concilia práticas de gestão do conhecimento alinhadas com as necessidades da organização, visando atuar nos processos de aprendizagem organizacional considerados deficitários e levando em consideração os tipos de conhecimentos envolvidos. Acredita-se que a realização das ações propostas pela organização estudada contribuirá para a eficiência da aprendizagem organizacional e consequente renovação estratégica.

Palavras-chave: Práticas de Gestão do Conhecimento. Aprendizagem Organizacional. Barreiras à Aprendizagem Organizacional.

Link para download: Leonardo Souza Reis Figueiredo.

SILVA, Lucas Evaristo Scaini. Modelo de Comercialização de Arroz para Pequeno Agricultor: uma Análise nas Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul. Dissertação, 2016.

O processo de inovação é visto atualmente por muitas empresas como um potencial que lhes fornece vantagem competitiva no mercado em que atuam. Os mercados hoje são altamente competitivos, visto toda a tecnologia e os recursos que as organizações dispõem ao seu alcance. Então, destacar-se neste mercado é crucial para a sobrevivência, ainda mais em época de crise. Em se tratando do agronegócio do arroz, essa afirmação também é verdadeira, pois os produtores se encontram em um mercado de alta competitividade, com baixa margem de lucratividade. Porém, isso não é o suficiente para que os mesmos busquem novos conhecimentos que os tornem competitivos. A falta de instrução faz com que muitos produtores acabem estagnados, os tornando descrentes de que mudanças em sua forma de pensar, plantar e, comercializar, pode ser o que falta para alavancar seus negócios. O conhecimento por parte do autor sobre as deficiências do processo de comercialização de arroz, com as lacunas identificadas pela literatura, foi o que motivou essa pesquisa. Então, com o conhecimento prévio do pesquisador, com o suporte da literatura e, da aquisição de conhecimento com especialistas, foi proposto como objetivo para este trabalho o desenvolvimento de um modelo conceitual que represente o processo de comercialização do arroz. Esse modelo foi desenvolvido para ser utilizado pelos pequenos agricultores, visando aumentar a efetividade nas vendas e, melhorar o retorno financeiro após a comercialização da matéria-prima. O modelo é visto como uma forma híbrida de comercialização de arroz e, traz antigas formas de venda, porém, vistas e apresentadas de uma maneira totalmente nova, tudo para poder auxiliar da melhor forma o produtor agrícola. Para alcançar tal objetivo, a pesquisa optou pela abordagem qualitativa, que utilizou os conhecimentos obtidos através de busca sistemática e, da realização da aquisição de conhecimento por meio de questionário, para elaboração do modelo. Acredita-se que com este modelo os agricultores serão capazes de identificar qual a melhor forma ou, qual a forma mais adequada para comercializar seu produto com seu mercado alvo. Acredita-se que os resultados obtidos durante esse trabalho podem ser generalizados a todos os pequenos agricultores. Servindo também, como ponto de partida para pesquisas futuras acerca do tema.

Palavras-chave: Inovação. Agronegócio.  Processo de Comercialização do Arroz. Aquisição de Conhecimento.

Link para download: Lucas Evaristo Scaini Slva

ALMEIDA, Paulo Roberto Alves de. Hipervídeo na Educação de Surdos. Dissertação, 2016.

Este trabalho discute o uso do hipervídeo em práticas educativas destinadas às pessoas surdas. Esta discussão constrói-se a partir de revisões bibliográficas, do design e desenvolvimento de um protótipo, com a temática de projeção cilíndrica ortogonal, e da avaliação do protótipo feita pelo público-alvo da pesquisa. Este processo caracterizou o hipervídeo como uma mídia capaz de ampliar o acesso dos surdos ao conhecimento, oferecendo recursos para atender à diferentes necessidades que são identificadas ao longo deste trabalho. Trata-se de uma pesquisa exploratória conduzida a partir de métodos qualitativos. A revisão bibliográfica dedicou-se ao conhecimento do perfil do público-alvo, às características fundamentais da mídia que se pretende explorar, ao entendimento de como este público-alvo pode ter acesso ao conhecimento por meio desta mídia, e ainda à análise de trabalhos que buscaram encontrar soluções em mídia educativa para surdos e que pudessem ser tomados como referência. É conduzida com o sentido de gerar compreensão e prescrever soluções para os problemas evidenciados. Com relação ao perfil do público-alvo, foram discutidas as formas especiais de comunicação praticadas pelos surdos, algumas questões culturais, perspectivas educacionais praticadas ao longo do tempo e aspectos cognitivos das pessoas surdas. Tendo como foco o ensino de Geometria Descritiva, também foi realizada revisão bibliográfica sobre o ensino de matemática para surdos. Para a exploração das características fundamentais do hipervídeo realizou-se um estudo sobre as diferentes linguagens que compõem esta mídia. Neste sentido, trata-se de uma mídia baseada na linguagem audiovisual e na linguagem hipertextual da hipermídia. Portanto, a discussão teórica e a exploração dos trabalhos que se dedicaram a construir soluções educativas para surdos evidenciaram que a hipertextualidade e a linguagem audiovisual oferecem suporte para a construção de soluções específicas. Da revisão bibliográfica, destacam-se algumas particularidades da mídia e do surdo, como público-alvo, que estabeleceram sugestões para a construção de um protótipo endereçado a ampliar o acesso das pessoas surdas ao conhecimento. Neste sentido, são ressaltadas as particularidades do hipervídeo em: oferecer suporte para facilitar a compreensão das palavras soletradas nos vídeos em Libras, integrar as imagens e outros recurso gráficos às sinalizações, adaptar-se a diferentes perfis de aprendizagem e navegação e provocar interesse em explorar a mídia. Com base nestes requisitos, construiu-se um protótipo que foi testado pelo público-alvo, a partir da constituição de um grupo focal, como base para coleta de dados e posterior análise pelo método da análise de conteúdo. Como resultado, salientou-se o caráter de inovação e de suporte ao conhecimento, sendo a mídia bem aceita pelo público-alvo. A partir das considerações feitas pelos participantes da pesquisa foram geradas recomendações para futuros trabalhos nesta área.

Palavras-chave: Educação. Surdos. Hipervídeo.

Link para download: Paulo Roberto Alves de Almeida

CEMIN, Xênia. Sistemas de Memória Organizacional: um Estudo de Caso. Dissertação, 2018.

Os sistemas de memória organizacional podem ser entendidos como um conjunto de dispositivos de retenção de conhecimento que coletam, armazenam e proveem acesso à experiência organizacional. Este  trabalho objetivou analisar a percepção da efetividade dos sistemas de memória organizacional baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina. Para tanto, foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados Scopus e Web of Science e uma revisão narrativa a fim de se compreender as temáticas de memória organizacional e sistemas de memória organizacional. Foram escolhidas 17 publicações que satisfazem ao escopo da pesquisa e estão compreendidas entre o período de 1995 e 2017. A percepção da efetividade dos SMO baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina, considerou as características de conteúdo, estrutura e processos de coleta, manutenção e acesso ao conhecimento experiencial. Verificou-se que o site institucional, e-mail institucional, repositório de arquivos e as mídias sociais são os SMO baseados em computador utilizados pelos jornalistas no apoio às suas atividades de comunicação institucional, sendo todos esses sistemas acessados por meio da tecnologia. Foram consideradas como efetivas as características relacionadas ao conteúdo dos SMO em suas atividades laborais. Já em relação à estrutura de indexação, percebeu-se que a maioria dos SMO são pouco efetivos, retratando negativamente sua utilização e recuperação. No que se refere aos processos operativos de coleta, verificou-se que a maioria dos SMO pesquisados foi classificada como não filtrada. De modo geral e em relação à manutenção dos conteúdos nos repositórios pesquisados, em sua maioria foi classificada como formal, e teve a percepção comprometida em relação a essa característica do sistema devido a não haver uma política de manutenção relacionada à atualização e gerenciamento dos arquivos nos repositórios. Por fim, verificou-se que mesmos os sistemas de memória organizacionais sendo diferentes, há uma ligação entre eles em relação à sobreposição de conteúdo.

Palavras-chave: Memória organizacional. Sistema de memória organizacional. Instituição de ensino superior pública.

Link para download: Xênia Cemin