Home » Archive by category "Dissertação"

QUEIROZ, Márcio Pinheiro. ANALISANDO A HIERARQUIA DIKW. Dissertação, 2018.

A presente dissertação faz uma análise da hierarquia DIWK – a qual inclui os conceitos de dado, informação, conhecimento e sabedoria – usando-se de uma interlocução das disciplinas da Gestão do Conhecimento com alguns aspectos da Psicanálise. A hierarquia DIKW é um elemento norteador de muitos estudos que lidam com informação e conhecimento, trata-se de tema referência e fortemente presente em áreas como gestão do conhecimento e ciências da informação. As definições dos elementos que compõem a hierarquia são das mais variadas e se mostram influenciadas tanto pelo campo de atuação, quanto pela abordagem teórica do autor que as seleciona. Este trabalho conta com uma revisão literária da hierarquia DIKW, explorando as diferentes definições dos termos da hierarquia e suas relações inerentes. Após análise extensiva das óticas acerca do fenômeno, alguns questionamentos lógicos são feitos, permeando pontos fundamentais encontrados na literatura, assim como outros que surgem no decorrer da análise. Discutem-se conceitos de realidade objetiva e subjetiva; agente do conhecimento; linguagem. Termina-se por concluir que, apesar de uma ferramenta útil para auxiliar no cotidiano das discussões do conhecimento, por simplificar a complexa abstração da temática em três ou quatro níveis bem destacados, a pirâmide acaba por não abarcar certos aspectos e elementos fundamentais do complexo do conhecimento. Um esquema geral é proposto como produto da análise e discussão, onde é esboçada uma narrativa sobre o campo do conhecimento e possíveis relações entre seus elementos.

 

Link para download: Márcio Pinheiro Queiroz

OLIVERIA, Aline Cristina Antoneli de. INOVAÇÃO SOCIAL DIGITAL: MAPAS CONCEITUAIS BASEADOS EM UMA ABORDAGEM INTEGRATIVA. Dissertação, 2018.

Há, atualmente, um grande movimento de empreendedores e inovadores da sociedade civil que está desenvolvendo soluções digitais inspiradoras para os desafios sociais. Convencionou-se denominar de inovações sociais digitais a estas novas soluções habilitadas para as TIC’s, que atendem simultaneamente a uma necessidade social mais efetivamente do que a solução existente, aumentando a capacidade dos cidadãos de agir. Ao perceber o estabelecimento de conceitos referentes à Inovação Social Digital (ISD) e ao realizar buscas iniciais sobre fundamentos que estabelecessem uma relação teórica entre a Inovação Social e a cultura digital, surgiu a necessidade de buscar um referencial que dê suporte teórico à emergente área da ISD. Inserida na área de concentração Mídia e Conhecimento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC), na linha de Pesquisa Mídia e Disseminação do Conhecimento, a presente pesquisa objetiva, portanto, identificar referenciais teóricos que possibilitem fundamentar pesquisas em ISD, buscando compreender quais são os temas trabalhados nas publicações científicas selecionadas que tratam do assunto. Em uma abordagem integrativa de conceitos, utilizando métodos e ferramentas como revisão integrativa, análise temática e mapa conceitual, a pesquisa apresenta a convergência de temáticas referentes à Inovação Social, Inovação Digital, aspectos e comportamentos da cultura digital, que podem fundamentar teoricamente a Inovação Social Digital. Como resultados, foram estruturados mapas conceituais, que localizaram teoricamente a Inovação Social e as definições sobre Inovação Digital, como sendo termos definidores da Inovação Social Digital. Os referenciais teóricos levantados apresentaram também os aspectos da inteligência coletiva, com os comportamentos da era digital como colaboração, engajamento, cooperação e cocriação, juntamente com a infraestrutura do ciberespaço como local híbrido onde as inovações sociais digitais ocorrem. Por abordar aspectos teóricos referentes à ISD, esta pesquisa poderá contribuir com pesquisas empíricas que tratem de iniciativas sociais digitais no Brasil e no mundo.

 

Link para download: Aline Cristina

OTOWICZ, Marcelo Henrique. CAPACIDADE ABSORTIVA E DESEMPENHO INOVADOR EM PEQUENAS EMPRESAS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS. Dissertação, 2018.

Em um mercado cada vez mais competitivo e globalizado, a inovação é uma necessidade inerente para a sobrevivência das empresas. E, para a efetivação de resultados inovadores, o insumo conhecimento é tido como vital. Então, a capacidade de absorver novos conhecimentos, ou a capacidade absortiva (CA), pode representar o potencial de sucesso de uma empresa. No contexto das pequenas empresas, que exibem importante representatividade econômica no Brasil, contínuos desafios tornam essa realidade ainda mais complexa. Dessa forma, a inovação ganha ainda mais evidência como ferramenta competitiva dos pequenos negócios. Apoiado nessa conjuntura, o objetivo deste trabalho é verificar e analisar a relação entre capacidade absortiva e desempenho inovador em pequenas empresas da Grande Florianópolis, considerando a perspectiva de Agentes Locais de Inovação (ALI). Para o cumprimento deste propósito, desenvolveu-se pesquisa com abordagem quali-quantitativa tanto na coleta como na análise dos dados, que foram coletados através de questionário aplicado junto aos Agentes Locais de Inovação para a capacidade absortiva, bem como os dados do desempenho inovador foram obtidos junto ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), sendo embasados na ferramenta Radar da Inovação e em apontamentos dos mesmos ALI. Como principais resultados da pesquisa, verificou-se que a intensidade da capacidade absortiva mensurada revela potencial apenas moderado para as pequenas empresas da Grande Florianópolis, indicando oportunidades para melhor aproveitar esta habilidade. Em relação ao desempenho inovador, grande parte dos resultados indicam empresas conservadoras ou inovadoras eventuais, o que aponta que falta sistematização das práticas voltadas à inovação. Por meio da análise da correlação entre as medidas da CA com as do desempenho inovador, identificou-se que, de modo geral, maiores valores de CA acompanham maiores valores para a inovação. Além disso, a dimensão macro Processos do Radar da Inovação foi a que apresentou maiores coeficientes de correlação com as variáveis da CA nas análises realizadas, bem como o setor de serviços foi o que revelou melhores associações entre capacidade absortiva e desempenho inovador.

Link para download: Marcelo Henrique Otowicz

FURLANI, Thiago Zilinscki.ENGAJAMENTO DE CORPORAÇÕES COM STARTUPS NA QUARTA ERA DA INOVAÇÃO: RECOMENDAÇÕES E SUGESTÕES. Dissertação, 2018.

Novos modelos de iniciativas de inovação para grandes corporações
surgiram nos últimos anos e têm obtido destaque frente à volatilidade,
alta concorrência e disputa por novos conhecimentos e vantagens
competitivas. Vivemos em um momento guiado pela economia do
conhecimento onde a inovação é parte fundamental para o
desenvolvimento econômico e social de nossa sociedade, e no âmbito
empresarial, é fundamental para a sobrevivência das empresas. Estamos
na porta da chamada quarta era da inovação onde a maioria das
inovações será fruto do engajamento entre organizações estabelecidas e
startups, diferentemente das chamadas eras anteriores onde as principais
fontes de inovação eram laboratórios corporativos e empreendedores
investidos apenas por capital de risco. Dentro desse novo ecossistema de
inovação, iniciativas de engajamento ganham cada vez mais atenção das
grandes corporações por significaram oportunidades para inovar,
realizar parcerias e suprir necessidades estratégicas internas. A partir de
uma revisão dos trabalhos mais relevantes sobre o tema e da coleta de
dados através de entrevistas com gestores de diferentes iniciativas
existentes no país, essa dissertação caracteriza os diferentes modelos de
engajamento e analisa como diferentes corporações abordam o tema,
contribuindo ao fim, com orientações para melhorar a gestão de
iniciativas existentes e fornecer conhecimentos para as corporações que
desejam ingressar no movimento. Os modelos de Hackathons, Open
Innovation, Incubadoras, Aceleradoras e de Investimento direto variam
entre si de acordo com os objetivos e resultados esperados. Para
corporações que iniciam seu movimento de engajamento recomenda-se
estratégias de aproximação para evoluir o conhecimento acerca do tema
e preparar a organização para iniciativas futuras de maior risco.
Empresas com processos mais estruturados e experiência em inovação
devem desenvolver iniciativas mais robustas variando o modelo de
acordo com seus recursos, interesses temporais, adesão a risco e
comprometimento interno.

 

Link para download: Thiago Zilinscki Furlani

MENDES, Vanessa Nascimento. ANÁLISE DA USABILIDADE E EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO: UM ESTUDO DE CASO DE UM CURSO DA PLATAFORMA TIM Tec. Dissertação, 2018.

MENDES, Vanessa Nascimento – Análise da usabilidade e experiência
do usuário: um estudo de caso de um curso na plataforma TIM TEC. 2018.
Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) –
Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento,
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – Brasil, 2018.
Os MOOCs – curso online aberto e massivo, são cursos online
disponibilizados de forma massiva e geralmente gratuita para usuários.
Representam uma ferramenta importante para a educação. Neste caso
para a democratização do ensino na educação profissional e tecnológica
brasileira. Um MOOC é geralmente ofertado por meio de plataformas, e
neste modo online, é a interface que assegura a interação dos usuários
com os elementos do curso. Este trabalho propõe um estudo de caso sobre
a usabilidade e experiência do usuário no curso UX e UI Design na
plataforma MOOC TIM Tec. O objetivo dessa pesquisa é elaborar
heurísticas para a análise de usabilidade e experiência do usuário na
plataforma MOOC TIM Tec. A questão central da pesquisa que norteia
este estudo é: Quais os aspectos de usabilidade devem ser considerados
na avaliação de MOOCs?. Esta é uma pesquisa de caráter exploratóriodescritiva,
qualitativa com análise de dados na perspectiva do método
dedutivo. A técnica utilizada foi um estudo de caso. Os procedimentos
foram, uma revisão da literatura para entender melhor os conceitos de
usabilidade e a experiência dos usuários do MOOC. Elegeu-se o curso
UX e UI Design por ser da área do estudo ofertado na plataforma TIM
Tec. Neste, a interface foi avaliada por meio de um método de inspeção,
para isso elaborou-se uma avaliação heurística, que foi encaminhada e
conformada por especialistas da área. Os resultados indicam que através
da avaliação heurística pode-se observar problemas relacionados à
usabilidade que interferem na interação do usuário no MOOC TIM Tec,
que podem ser da natureza do design instrucional do curso e /ou da
plataforma TIM Tec. O elenco de heurísticas elaborado pode ser
empregado para avaliar o design instrucional de cursos e também
questões relacionadas à usabilidade de plataformas MOOC.

 

Link para download: Vanessa Nascimento

MENEGAZZO, Carolina. PARQUES TECNOLÓGICOS – SUSTENTABILIDADE ECONÔMICO FINANCEIRA: UM ESTUDO DE CASO NO SAPIENS PARQUE. Dissertação, 2018.

A inovação tecnológica tem requerido novas formas de organização no mundo do mercado globalizado. A criação de outros espaços organizacionais incluiu o modelo dos parques tecnológicos. Estes, como políticas públicas, têm como propósito estimular o empreendedorismo e a inovação, aumentar a competitividade das empresas e proporcionar a dinamização do desenvolvimento econômico nas regiões em que são implantados. A problemática desta pesquisa tem como foco a sustentabilidade econômico financeira destes empreendimentos. O objetivo é analisar os componentes do modelo de negócios que influenciam na sustentabilidade econômico financeira do Sapiens Parque e como esses componentes podem servir de referencial para outros parques tecnológicos. A metodologia básica baseia-se em um estudo de caso, de natureza descritiva e análise qualitativa. Os procedimentos se limitam à revisão de literatura e análise de modelos de negócios, em especial do modelo de negócio do Sapiens Parque – objeto do estudo de caso. A base teórica aprofunda o conceito de modelo de negócio em Parques Tecnológicos e sustentabilidade econômico financeira. Como resultado, fica demonstrado que, segundo os modelos estudados, o modelo de negócios do Sapiens Parque é sustentável econômico financeiramente e, deste, pode-se extrair algumas premissas para orientar um modelo de negócio, até certo ponto, aplicável para outros Parques Tecnológicos, abrindo-se outras questões de pesquisa e produção científica nessa área.

 

Link para download: Carolina Menegazzo

PEREIRA, Andréa Karla. IDÉIAS, COMPREENSÃO E PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DOS LÍDERES EMPRESARIAIS NO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ (SC). 2009.

Ressaltando a importância e atualidade da temática Responsabilidade Social
Empresarial, o presente trabalho busca analisar como os líderes empresariais de
Itajaí (SC) compreendem o tema, identificando os motivos que os levam a adoção ou
não de práticas socialmente responsáveis em suas respectivas organizações e a
importância que os mesmos atribuem a tais ações. A abordagem teóricometodológica
privilegia, neste trabalho, uma perspectiva interpretativa, pois nos
permite analisar líderes empresariais e organizações em suas representações como
um fluxo de ações que constroem a realidade local, sem considerar os fenômenos
econômicos como algo dado ou consolidado, reflexo de uma racionalidade abstrata.
Os dados foram coletados a partir de entrevistas, com a utilização de roteiros semiestruturados
permitindo uma melhor leitura desta temática. A partir das narrativas
dos entrevistados, foi possível analisar a interface entre conceito, prática e
importância que as lideranças empresariais atribuem ao tema. Como conclusão, o
presente trabalho identifica certa carência de conhecimento por parte das lideranças
pesquisadas sobre o tema, o que torna necessário a construção de debates para os
diferentes setores da econômica local, que não só promova um maior entendimento
e esclarecimento do assunto, mas, que vá de encontro às necessidades do
momento. Com isso, o estudo resgata a afirmativa de Ashley, Queiroz, Cardoso et al
(2003) de que é de fundamental importância o desenvolvimento do conceito de
responsabilidade social empresarial, através de um caminho alicerçado por visões
coerentes e conscientes quanto sua verdadeira função.

 

Link para download: Dissertação final

FAGUNDES, Vinícius Bossle. PROPOSTA DE USO DE ENGENHARIA DO CONHECIMENTO PARA REVISÃO SISTEMÁTICA. Dissertação, 2018.

O conhecimento se expande a cada dia e uma forma de evidenciar seu avanço é pela revisão sistemática de literatura. Consiste em um processo formal, repetitivo e documentado para identificar, avaliar e analisar literatura relevante para um tópico, questão ou fenômeno específico. Por tratar-se de um processo complexo, trabalhoso e sujeito a erros, esta dissertação buscou identificar ferramentas de Engenharia do Conhecimento que pudessem auxiliar na realização deste processo com mais confiabilidade e eficiência. Após levantar na literatura os principais problemas e necessidades apontados pelos autores, buscou-se sistemas e ferramentas disponíveis e se elaborou um modelo conceitual de sistema baseado em conhecimento para apoio ao processo de revisão sistemática de literatura, mais precisamente na fase de condução da revisão, na etapa de identificação da pesquisa, fornecendo o recurso de busca integrada de literatura. Um protótipo foi desenvolvido e aplicado, apresentando um aumento na eficiência de 16% quando comparado ao procedimento manual. Sugere-se ampliar a solução para envolver as demais fases da revisão sistemática da literatura.

Link para download: Vinícius Bossle Fagundes

CHANG, Daniel Lage. CSBC: UMA ESTRATÉGIA PARA PROMOVER CIDADES SUSTENTÁVEIS. Dissertação, 2018.

A humanidade se encontra em intenso processo de urbanização. Até 2050 serão mais de 2 bilhões de habitantes adicionais vivendo em cidades e ampliando a demanda por recursos naturais e infraestrutura. Esta tendência ocorre dentro de um delicado processo de mudanças climáticas onde a integridade da biosfera encontra-se em alto risco. A complexidade do meio urbano e a natureza interdisciplinar da sustentabilidade demandam uma visão sistêmica da vida e tornam a promoção de cidades sustentáveis um grande desafio para acadêmicos, formuladores de políticas, gestores públicos, empreendedores e líderes urbanos. As cidades concentram conhecimento e inovação para gerar o impacto necessário para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O desenvolvimento urbano baseado no conhecimento é um novo paradigma para desenvolver territórios a partir de atividades baseadas no conhecimento que resultem em maior nível de prosperidade compartilhada e qualidade de vida para seus habitantes. O objetivo deste trabalho é propor uma estratégia para promover cidades sustentáveis baseadas no conhecimento. A pesquisa qualitativa realizada envolve a revisão sistemática integrativa da literatura com as abordagens sobre avaliação de cidades sustentáveis e análise dos pontos fortes e limitações dos principais modelos e iniciativas levantados e a elaboração de estudo de caso sobre a implementação em Florianópolis dos indicadores de sustentabilidade da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis. Os dados coletados por meio de análise de documentos e observação participante no Grupo de Trabalho de Indicadores da Rede Veracidade Florianópolis foram analisados e produziram subsídios para a elaboração da estratégia proposta. A Cidade Sustentável Baseada no Conhecimento é uma estratégia composta por três eixos interconectados: laboratórios de inovação urbana como direcionadores de implementação, desenvolvimento urbano baseado no conhecimento como abordagem integrada de gestão do conhecimento e sistema de capitais como estrutura de valor para o monitoramento e avaliação da sustentabilidade da cidade. A implementação desta estratégia pode ser estimulada por desafios urbanos definidos para orientar missões e mobilizar atores para acelerar a transformação urbana sustentável de cidades.

download: Daniel Chang

PALANDI, Fernanda Elisa Demore. THE CULTURAL PROCESS OF DEMATERIALIZATION FOR ACHIEVING SUSTAINABLE OUTCOMES IN KNOWLEDGE SOCIETIES. Dissertação, 2018.

Desde o nosso surgimento no planeta Terra, utilizamo-nos de ferramentas como extensores de nossas funções humanas, o que nos levou a evoluir através das novas descobertas na ciência dos materiais, os quais moldaram o mundo e a forma como a sociedade interage com ele. Isto nos levou à tecnologia moderna, que nos permite fazer mais (intangível) com menos (tangível). A desmaterialização, que caracteriza a transição para a era do conhecimento, já está acontecendo em nossa sociedade. A consequência da ação do ser humano no planeta mostra visível um declínio na qualidade ambiental. O período de tempo geológico proposto em que estamos, o Antropoceno, é caracterizado por catástrofes ambientais e pela busca pela sustentabilidade. A sociedade precisa ser alertada para uma necessária transformação cultural. Sociedades do conhecimento devem obedecer à tendência de redução sistemática de insumos materiais. Assim, a desmaterialização pode ser vista e adotada como o elo entre a variação das manifestações econômicas no volume de materiais processados e os modos de viver e compreender o processo cultural da desmaterialização. Para responder à pergunta de pesquisa de ‘como as sociedades do conhecimento podem adotar estilos de vida mais desmaterializados?’, o objetivo geral foi definido como ‘desenvolver compreensão do processo cultural de desmaterialização para adotar práticas sustentáveis nas sociedades do conhecimento’. A análise segue uma abordagem metodológica qualitativa para a investigação empírica. Quanto à coleta de dados, adotou-se a abordagem de entrevista semiestruturada. Um total de 12 atores-chave de associações comerciais, sociais, academias e governamentais foram selecionadas por seu envolvimento com práticas sustentáveis, de desmaterialização e ou conhecimento sobre economia e sociedades do conhecimento. Optou-se por uma revisão integrativa da literatura. Como resultado, o modelo interpretativo do processo cultural da desmaterialização para alcançar resultados sustentáveis em sociedades do conhecimento está representado com a elaboração de um framework sobre o processo cultural da desmaterialização. O Estágio zero inicia com a motivação pessoal; o Estágio 1 é a atmosfera do conhecimento; o Estágio 2 é a consciência nasce no indivíduo; o Estágio 3 é o metabolismo social; o Estágio 4 é a ética do ciclo de vida.; e o último e quinto estágio é o da desmaterialização. A ideia do framework é de que ele seja navegável, forma dinâmica e cíclica, como a teoria dos hiperlinks, ou seja, o usuário pode adentrar nos níveis que por hora deseja de forma a desenvolver suas qualidades naquele sentido e depois navegar para outro nível até que todos estejam alcançados. Este framework acima de tudo, é um framework de indução: ele induz que o indivíduo ou a comunidade, ou a organização busque o melhoramento nos níveis que julga necessário melhorar. Não traz uma obrigatoriedade de seguir um padrão, mas induz que se busquem práticas que levem a uma cultura mais desmaterializada.

Link para download: Fernanda Elisa