porno
beşiktaş escort mecidiyeköy escort aksaray escort bahçeşehir escort
Home » Archive by category "Dissertação"

SILVÉRIO, Natália. Práticas de GC no compartilhamento de conhecimento: evidências de um projeto multidisciplinar da área socioambiental

A gestão do conhecimento (GC) vem como uma abordagem que auxilia os projetos a perceberem o valor dos seus ativos de conhecimento, o que contribui na redução de falhas, melhoria nas competências, e economia de recursos. Apesar disso, observa-se que a GC e especialmente o compartilhamento de conhecimento, são temas insuficientemente explorados na gestão de projetos, e uma vez que esse processo da GC pode ser limitado devido à natureza temporária dos projetos, pesquisas que unem esses dois campos de investigação se fazem necessárias. Com base nisso, esta dissertação teve como objetivo analisar a potencialidade de práticas de GC para promover o compartilhamento de conhecimento em projeto multidisciplinar da área socioambiental. Para isso, utilizou-se uma abordagem qualitativa e a pesquisa-ação como estratégia de investigação. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas, observações e notas de campo, e a análise dos dados por meio de análise temática. A pesquisa foi conduzida em um projeto multidisciplinar da UFSC, cujo problema era a falta de interação entre as equipes. Isso limitava o compartilhamento de conhecimento, o que poderia impedir o desenvolvimento de conclusões robustas sobre o ambiente natural e sociocultural que estava sendo diagnosticado. Os resultados da pesquisa indicaram a presença dos seguintes facilitadores ao compartilhamento de conhecimento: a percepção de benefícios e de dependência, abertura ao diálogo, a empatia, e o senso de cooperação. Ademais, a estrutura organizacional pouco hierárquica também favoreceu o compartilhamento de conhecimento. Esses fatores contribuíram para minimizar a ausência de laços sociais prévios ao projeto, considerada uma barreira ao compartilhamento de conhecimento pela literatura. Apesar da presença dos facilitadores, percebeu-se que eles por si só não promoviam o compartilhamento de conhecimento, sendo necessário o planejamento e a implementação de duas práticas de GC que levassem em consideração as restrições de isolamento impostas pela pandemia de COVID-19. Com isso, adotou-se uma prática por meio de grupo do WhatsApp e outra por meio de uma planilha online no Google Drive. Na fase de implementação das práticas, observou-se que a interação entre as equipes do projeto aumentou, o que levou ao aumento do compartilhamento de conhecimento, motivado principalmente pela prática de GC por meio do WhatsApp. Tal prática foi realizada de acordo com um cronograma, e os participantes foram motivados e engajados para isso, o que contribuiu para o seu sucesso. A prática por meio da planilha online não obteve sucesso, logo, não promoveu o compartilhamento de conhecimento. Com base no exposto, as evidências apresentadas neste trabalho contribuíram com o avanço dos estudos sobre a GC no contexto de projetos, uma vez que há uma lacuna de pesquisas que conectam esses dois campos de investigação. Os resultados demonstram aos gestores de projetos socioambientais a necessidade de promover o compartilhamento de conhecimento, bem como da escolha de práticas de GC mais adequadas para cada contexto organizacional.

Palavras-chave: Compartilhamento de conhecimento. Práticas de Gestão do Conhecimento. Projeto multidisciplinar. Área Socioambiental.

KASTER, Gerson Bovi. Framework Conceitual Baseado em Aprendizagem de Máquina Supervisionada para Concepção de Sistemas de Agentes Inteligentes para Área Judicial. Dissertação, 2021.

Atualmente existem várias pesquisas na literatura sobre a aplicação de inteligência artificial em sistemas de informação, sejam por meio de agentes inteligentes, técnicas de aprendizagem de máquina (machine learning) supervisionada ou não supervisionada, redes neurais, utilizando técnicas da engenharia do conhecimento dentre outras, contudo, em poucos trabalhos existem informações práticas de como aplicar tais tecnologias nos sistemas de informação já em funcionamento ou mesmo em novos sistemas que estão sendo desenvolvidos. Este trabalho trata do problema de pesquisa relacionado à como adquirir, codificar, armazenar e utilizar os conhecimentos explícitos dos usuários de sistemas de informação da área jurídica, com objetivo de ensinar tais sistemas a executarem tarefas automaticamente. Uma hipótese considerada para a solução do problema relatado é a criação de mecanismos que permitam aplicar técnicas de IA nas interfaces de entrada e saída dos sistemas jurídicos, tal como dados armazenados em bancos de dados, interfaces gráficas e serviços (webservices). A partir da hipótese citada, esse trabalho faz a proposição de um framework conceitual baseado em aprendizagem de máquina supervisionada para concepção de um sistema de agentes inteligentes. Com objetivo de verificar o framework conceitual proposto, foi projetado e desenvolvido um protótipo de sistema de agentes inteligentes para a área judicial. A metodologia de pesquisa utilizada neste trabalho é design science research (DSR) que tem como objetivo principal propor e construir soluções para problemas práticos nas organizações; no caso em questão, o framework e protótipo foram projetados para contribuir com a solução da problemática relativa à demora do judiciário na tramitação e julgamento de processos judiciais.

Palavras-chave: sistemas judiciais; agentes inteligentes; aprendizagem de máquina; engenharia do conhecimento.

Link para download: Gerson Bovi Kaster.

PARANHOS, William Roslindo. Modelo Conceitual para o Desenvolvimento de Organizações Saudáveis. Dissertação, 2021.

O conceito de saúde é considerado complexo e abrangente, o que o torna um constructo presente em vários campos do saber, seja em relação aos aspectos biológicos, no que concerne o tratamento ou prevenção a doenças, ou na promoção do bem-estar das pessoas, adotando-se a mais nova compreensão da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT). A contemporaneidade, impulsionada pela Transformação Digital e assolapada pela pandemia do novo Coronavírus, trazem consigo uma urgência em repensar padrões, relações e gestões, do nível pessoal ao organizacional em busca desse bem-estar. Organizações têm repensado seu modelo de gestão, a fim de considerar seus capitais humano e social em uma perspectiva cada vez mais integradora, o que exige um olhar sistêmico e holístico, ao mesmo tempo, atentando para pessoas e seus relacionamentos, percebendo suas singularidades e diferenças, buscando implantar uma gestão baseada na equidade. Nessa perspectiva, surge o conceito de Organizações Saudáveis, abrigado na Psicologia Positiva e na Psicologia do Trabalho, que possui seu cerne no desenvolvimento de processos que primem pelo bem-estar nas organizações em seus mais variados níveis, iniciando pelas pessoas que as compõem. O desenvolvimento de uma Organização Saudável tem por finalidade criar um ciclo de bem-estar, acreditando que um determinado grupo da organização afeta o outro, que afetará outro e assim sucessivamente, até afetar, novamente, aquele primeiro. Com o objetivo de propor um modelo conceitual para o desenvolvimento de organizações saudáveis, com base no capital humano e capital social, foi realizada uma pesquisa qualitativa, por meio do Método Design Science Research, adaptado de Dresch, Lacerda e Antunes Júnior (2015). De acordo com o método validado pelos autores, a criação de artefatos – aqui nomeado modelo conceitual – surgem no momento em que se identificam que as explanações encontradas na literatura, acerca de determinado tema, ainda não são conclusivas, possibilitando que, a partir daí, o pesquisador crie um modelo, levantando hipóteses e variáveis, passíveis de serem verificadas. Assim, após todo o processo de revisão de literatura e arquitetura de um robusto arcabouço teórico, a primeira versão do modelo, batizado de MoDOS, tornou-se possível. Posteriormente, considerando a necessidade de verificação, o modelo foi analisado por especialistas renomados, com notório saber acerca da temática, que realizaram suas contribuições. Como resultado, o MoDOS pôde ser aperfeiçoado, a fim de que cumpra com os objetivos propostos, resultando em sua terceira e última versão. Por fim o modelo ainda passou por um processo de sintetização, culminando na geração de um framework que torne possível sua aplicação em contextos organizacionais reais. Ficou evidente que se torna cada vez mais necessário o repensar da gestão organizacional, com a intenção de que, mesmo na era da inteligência artificial, processos, relações e, sobretudo, pessoas, sejam (re)humanizadas, permitindo que estas estejam em pleno uso de suas competências e capacidades, culminando em organizações mais saudáveis. Esta pesquisa contribui para o avanço dos estudos na área, pois apresenta um modelo que engloba todos os vieses existentes no desenvolvimento de uma organização saudável, após uma extensa e minuciosa análise da literatura, colaborando com a disseminação do conhecimento nos níveis acadêmico e organizacional.

Palavras-chave: Organizações saudáveis. Capital Humano. Capital Social.

Link para Download: William Roslindo Paranhos.

BELLATO, Rita Lucia. Percepções Sobre as Competências Digitais para os Profissionais da Área de Contabilidade: Um Estudo de Caso. Dissertação, 2021.

O processo da transformação digital trouxe grandes mudanças para todas as áreas de conhecimento da sociedade, sendo acelerado pela COVID-19. Com isso, o processo de ensino e aprendizagem também vem passando por compulsórias modificações e adaptações. O objetivo desta Dissertação é propor diretrizes sobre as principais competências digitais que os futuros profissionais do Curso de Ciências Contábeis devem adquirir para suas inserções no mercado de trabalho contemporâneo. Sob uma abordagem quali-quantitativa, foram utilizados os seguintes procedimentos metodológicos: análise documental do planejamento e diretrizes do curso; revisão integrativa de literatura dos artigos científicos indexados nas bases de dados Web of Science, Scopus e Scielo referente às competências digitais; questionário para identificar a percepção dos estudantes, dos titulados e reflexões em termos de competências digitais necessárias para os futuros profissionais de Ciências Contábeis; entrevista semiestruturada com o Coordenador do Curso de CCN/UFSC para descrever a sua percepção em termos de competências digitais em relação ao Curso. O contexto deste trabalho limita-se ao Curso de Ciências Contábeis da UFSC, na área de Contabilidade. Com base nas tecnologias, propõe-se que as competências digitais podem ser contempladas de forma ativa e enfática durante a formação dos estudantes, desde o ensino fundamental até o superior. Tanto o Coordenador de Curso como os estudantes e titulados acreditam que, no futuro, a educação será híbrida. Certamente, ajustes e modificações podem ser realizados a fim de adequar os cursos no entrosamento da teoria e prática e no quesito competências digitais, e melhor preparar os estudantes e futuros profissionais de Ciências Contábeis, habilitando-os ao exercício da profissão contábil para as organizações civis, industriais e públicas.

Palavras-chave: Transformação digital. Educação digital. Competências digitais. Aprendizagem por competência. Competências do profissional de contabilidade.

Link para download: Rita Lucia Bellato.

CORDEIRO, José Roberto. Jogos Digitais: Inclusão de Idosos. Dissertação, 2021.

Com o uso cada vez mais intenso de mídias digitais para acesso a informações, serviços e comunicação, a inclusão digital é um requisito para a inclusão social. No entanto, há pessoas que não tiveram oportunidades para aprender a utilizar mídias digitais e, com isso, não conseguem utilizá-las a contento. Como parte de esforços para promover a inclusão digital dessas pessoas, vários projetos buscam apresentá-las a computadores e outros dispositivos digitais. Entre as estratégias utilizadas está o uso de jogos digitais, comumente utilizados como recursos motivadores. Este trabalho busca analisar como os elementos de jogos digitais podem promover a inclusão digital. Para isto foi realizada uma pesquisa bibliográfica, a partir da qual foi descrito como as mídias digitais estão integradas ao cotidiano da sociedade atual, a cibersociedade. Esta pesquisa conduziu à definição de quatro indicadores relacionados à inclusão digital de idosos: o interesse no uso de mídias digitais, o medo de cometer erros, a habilidade de uso das interfaces e a compreensão do conceito digital. Foi realizada uma série de análises utilizando o método de close reading, ou leitura densa, de dois edugames, TicTacQuiz e SolitaireQuiz, com o objetivo de encontrar as instanciações de elementos de jogos que apresentam relação com a promoção da inclusão digital a partir dos quatro indicadores definidos. Os resultados sugerem que os jogos dão suporte a agência, que pode ser entendida como a capacidade de realizar ações baseada na possibilidade de escolher uma opção dentre outras possíveis. A agência foi relacionada à promoção da inclusão digital, a partir da sua relação com o aumento da auto-eficácia, que é a confiança na capacidade própria de realizar ações significativas em uma mídia. Identificou-se que os jogos digitais podem ajudar a desenvolver habilidades relacionadas à inclusão digital promovendo agência, em particular agência pessoal, e favorecendo a compreensão de propriedades das mídias digitais.

Palavras-chave: Inclusão Digital, Jogos Digitais, Idosos.

Link para download: José Roberto Cordeiro.

LAPOLLI, Joiceli Rossoni. Felicidade no Trabalho: o seu Significado Visando Proporcionar Melhoria na Produtividade Organizacional. Dissertação, 2021.

Mudanças sociais vêm sendo realizadas em virtude das transformações no mercado de trabalho, porém fatores como a segurança, a saúde e o bem-estar dos trabalhadores ainda são destaques no contexto organizacional, estando ligados diretamente com a produtividade, a sustentabilidade e a competitividade tanto dos trabalhadores quanto da organização para concorrer nos mercados e atingir seus objetivos globais e estratégicos. Dessa forma, a saúde da organização depende da existência de equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional do trabalhador e ainda da relação de equilíbrio entre o trabalhador, o gestor e a organização, pois, quando em sintonia, isso se reflete na felicidade no trabalho e, consequentemente, no desempenho do profissional. Diante do exposto, o objetivo desta dissertação consistiu em analisar os principais aspectos para a felicidade no trabalho de professores de uma instituição pública de ensino superior, visando à melhoria da produtividade organizacional. Para atingir o objetivo proposto, metodologicamente assumiu características de pesquisa bibliográfica – por meio de uma revisão integrativa da literatura –, de campo com instrumento de coleta de dados, o questionário (survey). Este foi aplicado em uma instituição pública de ensino superior, a Universidade Federal de Santa Catarina – campus Florianópolis, tendo como respondentes os professores do Centro Tecnológico da mesma universidade. Como resultado desta pesquisa, tem-se a felicidade com base na tríade (espiritual, relacional e material), a maioria dos aspectos pertencente à dimensão espiritual, depois à relacional e, por último, mas não excluída, à material, evidenciando que a felicidade no trabalho estabelece relações positivas, indo ao encontro do entendimento de que o mais importante na vida é ser para ter.

Palavras-chave: Felicidade no trabalho. Professor. Instituição pública de ensino superior.

Link para download: Joiceli Rossoni Lapolli.

VITOR, Andreici Daiani Vedovatto. Smart who? Citizens and the knowledge of the Global Catastrophic Risks, as observed in the academic literature and in the TED talks. Dissertação, 2021.

Parece-nos que o zeitgeist atual aponta para o colapso da sociedade como a conhecemos. A ameaça dos Global Catastrophic Risks (GCR) – riscos de eventos que podem prejudicar significativamente ou mesmo destruir a civilização humana em escala global – tem reunido a comunidade acadêmica em busca de mapear as causas e entender o futuro da humanidade. A preocupação, no entanto, é que os impactos iminentes dos GCRs se apresentem com maior velocidade que a humanidade está se organizando para enfrentá-los. Pensando nas consequências dos GCRs, é correto apontar a necessidade urgente da sociedade se apropriar do tema, e se responsabilizar individual e coletivamente pela busca de soluções. Nesta perspectiva, o compartilhamento do conhecimento científico é o caminho para consolidar a democracia de acesso à informação de qualidade e o exercício pleno da cidadania. Logo, mapear plataformas digitais comprometidas em compartilhar conhecimento científico é necessário para o desenvolvimento de uma sociedade inteligente e, consequentemente, a mitigação dos Global Catastrophic Risks. O TED Talks é talvez, hoje, o principal exemplo desta nova forma de divulgação, surgido nos últimos anos nas redes públicas de internet. Dada sua importância, a plataforma vem despertando interesse de pesquisadores e acadêmicos em investigar e validar o TED como ferramenta para o compartilhamento de conhecimento com o público de massa. Neste sentido, esta pesquisa teve como objetivo geral validar o TED Talks como plataforma para o compartilhamento de conhecimento científico sobre Global Catastrophic Risks. Para tal, foi realizada uma pesquisa de cunho qualitativo, estruturada em três etapas. A primeira etapa se destina a levantar o conhecimento científico sobre GCR disponível nas bases de dados Scopus e Web of Science atravésde uma revisão sistemática da literatura. A segunda etapa está direcionada a investigar o conhecimento sobre GCR disponível na Plataforma TED Talks. Por fim, a terceira etapa, foca em comparar os conhecimentos mapeados para verificar o papel da Plataforma TED Talks no compartilhamento de Conhecimento Científico sobre GCR. Como resultado, é possível validar a plataforma TED Talks no compartilhamento de conhecimento científico. Todas as cinco categorias mapeadas pelo World Economic Forum (WEF) foram contempladas no pool de TED Talks que forma o corpus deste estudo. A plataforma TED Talks se mostra uma poderosa e importante ferramenta que possibilita aos cientistas divulgar os achados científicos com o público de massa facilitando a democratização do conhecimento e o exercício pleno da cidadania.

Palavras-chave: Riscos Catastróficos Globais. Conhecimento Científico. Ted Talks.

Link para download: Andreici Daiani Vedovatto Vitor.

MÁXIMO, Eduardo Zeferino. Maturidade da Gestão do Conhecimento: uma aplicação ao Modelo de Excelência da Gestão. Dissertação, 2021.

A gestão das organizações privadas está adotando inúmeros modelos e ferramentas para avaliar a eficácia de suas decisões e suas estratégias, além de procurar incorporar as melhores práticas do mercado. Essa adoção nem sempre consegue unir a avaliação da gestão do conhecimento, criando lacunas na avaliação da gestão como um todo. Normalmente, a avaliação da maturidade de Gestão do Conhecimento passa, principalmente, pelas grandes corporações que possuem estruturas mais robustas e processos para este tipo de atividade. Entretanto, lacunas de gestão do conhecimento nas práticas organizacionais são comuns para todos os tipos de organizações, seja ela pequena, média ou grande.  Afim de facilitar e unificar em um único modelo que avalie a gestão da organização e a maturidade da gestão do conhecimento, a presente pesquisa propõe como objetivo a incorporação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG), de fundamentos de avaliação da Gestão do Conhecimento (GC). O desenvolvimento desse modelo/artefato é baseado na metodologia da ciência do design e explora estudos sobre avaliação da maturidade da gestão do conhecimento como princípios para a aplicação em um modelo de gestão. Sua verificação ocorre por meio da aplicação e comparação do modelo existente e do modelo proposto MEG+C, em uma organização já adotante do mesmo. A fim de avaliar quais os impactos a possível adoção e avaliação do conhecimento impactará na gestão da organização. Como resultado, o modelo/artefato permitiu evidenciar lacunas nos processos de gestão da organização não evidenciadas pelo modelo habitualmente utilizado, criando a falta de conhecimentos, e possibilitando a transformação desses pontos em melhorias e inovações organizacionais. Além disso a adoção, a possível avaliação futura por parte de todos os tipos de porte de organizações, de modelos simples de avaliação da gestão e do conhecimento, pode auxiliar na disseminação do uso de práticas do conhecimento e, consequentemente na melhoria organizacional como um todo.

Palavras-chave: Modelo de Excelência da Gestão. Modelos Avaliação da Maturidade do Conhecimento. Gestão do Conhecimento.

Link para download: Eduardo Zeferino Máximo.

BOIANI, Estela da Silva. Formalização da Aplicação da Metodologia WCHIS no 9º Workshop de Cidades Mais Humanas, Inteligentes e Sustentáveis: Estudo de caso na Fazenda Experimental da Ressacada da UFSC– Florianópolis/SC. Dissertação, 2021.

Este Trabalho de pesquisa tem como objetivo formalizar a aplicação da metodologia WCHIS no 9º Workshop de Cidades mais Humanas, Inteligentes e Sustentáveis: Estudo de caso na Fazenda Experimental da Ressacada da UFSC – Florianópolis/SC. Para que o referido objetivo fosse alcançado, utilizou-se a metodologia basilar de desenvolvimento denominada Design Thinking, temas relacionados à governança e conhecimento, conceito CHIS Cidades mais Humanas Inteligentes e Sustentáveis e cidade como um Commons. O estudo teve como cenário o 9º Workshop LABCHIS 2019, um evento organizado por professores e alunos do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina. Nesse contexto, para responder aos desafios impostos pela Sociedade Aprendente, é necessário visualizar uma cidade transformadora a partir do envolvimento dos cidadãos em seu planejamento. A presente pesquisa, quanto aos fins, classifica-se como descritiva e exploratória. Quanto aos meios de investigação valeu-se da pesquisa ação e bibliográfica Quanto às técnicas de coleta de dados foram utilizadas a pesquisa documental e pesquisa qualitativa. Compreende também, o referido trabalho de uma revisão sistemática em bases de dados nacionais e internacionais, que proporcionaram ganhos importantes no âmbito do conhecimento na governança, estendendo o debate desta iniciativa no contexto acadêmico, cujos resultados serão apresentados aos gestores e demais stakeholders (atores) da UFSC e da cidade de Florianópolis. No que tange aos resultados, primeiramente compartilhou-se, uma experiência diferenciada e única mostrando o potencial da aprendizagem entre pessoas e a relação citadina entre aprendentes e ensinantes que envolveu academia, setor privado, sociedade civil e poder público (hélice quadrupla), de modo a inspirar futuros estudos e práticas similares, mostrando uma transformação da prática, pensamentos e ações das pessoas envolvidas, onde estudar e aplicar a metodologia WCHIS, concebe uma produção de conhecimento com base sólida de credibilidade, autenticidade, inclusiva e equitativa.

Palavras Chave: Cidades mais Humanas Inteligentes Sustentáveis. Workshop CHIS. Fazenda Experimental Ressacada UFSC.

Link para download: Estela Boiani da Silva.

SILVA, Sérgio Nicolau da. Modelo de Engenharia do Conhecimento para a Evasão no Ensino Superior. Dissertação, 2021.

A evasão é fenômeno e objeto de estudo desde os anos 50. Hoje no Brasil, o MEC e as IES buscam entender e mitigar tal fenômeno que, quando ocorre, afeta diretamente a sociedade: sem o devido retorno social, acadêmico e econômico, além de frustações pessoais. Este trabalho avaliou as publicações de 2015 até 2019 que apontam possíveis causas de evasão e as variáveis associadas. A partir destes, é proposto um modelo de Engenharia do Conhecimento suportado por uma ontologia que auxilia as instituições de ensino superior a direcionar as suas análises sobre a evasão em suas bases de dados estruturadas. Como prova de conceito (PoC), aplicouse
ao modelo o processo KDD – Knowledge-Discovery in Databases para extrair conhecimentos sobre a correlação entre variáveis e, por meio de machine learning para classificação, a avaliação da capacidade de predição de comportamento futuro de evasão. Como resultado, obteve-se o nível de correlação entre variáveis que direcionam as ações para detalhamento da análise da evasão. No que tange à classificação, dentre os algoritmos de
classificação submetidos, redes neurais se mostrou uma escolha promissora para a instituição analisada, com área sobre a curva ROC de 0,91, acurácia de 0,86, precisão 0,86, recall 0,79 e f-score 0,81. Tais conhecimentos extraídos na PoC – correlação entre variáveis e métricas de capacidade de predição – realimentaram o modelo proposto por meio de uma extensão da
ontologia do modelo. A partir dos resultados alcançados com a PoC, constata-se que o conjunto de causas e variáveis propostas – identificadas no arcabouço de publicações – direciona a fase de seleção de dados no processo KDD e promove nível de confiança para correlação e predição.
Isto torna o modelo um bom direcionador para a análise de evasão. Como evolução, pretendese projetar e implantar um SBC baseado no modelo para a instituição de ensino avaliada, auxiliando-a na Gestão do Conhecimento sobre o fenômeno e a identificar discentes com tendência de evasão a fim de mitigar os riscos.

Palavras-chave: Evasão. Engenharia do Conhecimento. Ontologia. KDD.

Link para download: Sérgio Nicolau da Silva.