Home » Archive by category "Mídia e Conhecimento" (Page 4)

LINDNER, Luis Henrique. Diretrizes para o design de interação em redes sociais temáticas com base na visualização do conhecimento. Dissertação, 2015.

O avanço das tecnologias digitais tem impulsionado a sociedade em rede, intensificando a conexão entre pessoas e informações. Mídias como sites de rede social já se consolidaram como forma de comunicação e colaboração, tornando-se um potencial recurso para construção de conhecimento. Nesse cenário surge o conceito de Rede Social Temática – um site de rede social voltado especificamente para construção de conhecimento, o tema da rede. Ao mesmo tempo, encontra-se uma comunicação cada vez mais visual, auxiliada pela crescente presença de câmeras e dispositivos móveis (smartphones e tablets). Os recursos visuais facilitam a transmissão de informações, experiências e sentimentos, campo de estudo da visualização do conhecimento. Assim, esta pesquisa tem o objetivo de propor diretrizes para o design de interação em redes sociais temáticas com base na visualização do conhecimento. Para isso, a partir de um levantamento bibliográfico, desenvolve-se uma pesquisa descritiva, na qual são observados e analisados dois sites de rede social – Facebook e LinkedIn, além de uma plataforma de colaboração visual, o Realtime Board. A análise dos sites de rede social segue ainda o método da netnografia, desenvolvido especialmente para compreender a interação em comunidades online. Os resultados das observações e análises apontam dificuldades e oportunidades das plataformas existentes, o que leva a elaboração de seis diretrizes para utilização da visualização do conhecimento em interfaces de redes sociais temáticas.
 

link para download:Luís Henrique Lindner

DIANA, Juliana Bordinhão. O Polo de Apoio Presencial e o Desenvolvimento Socioeconômico: Uma Leitura do Entorno. Dissertação, 2015.

A expansão da Educação a Distância no Brasil acontece de forma constante. Através de sua principal característica, na qual professores e alunos estão separados no tempo e no espaço físico, torna-se necessária a criação dos polos de apoio presencial. Com a implantação dos polos, além da oportunidade de acesso ao ensino superior, percebe-se a promoção do desenvolvimento socioeconômico na comunidade em que o mesmo foi implantado. Nesse sentido, esta dissertação tem como objetivo identificar os fatores de transformação no desenvolvimento socioeconômico provocado no entorno do polo de apoio presencial após sua implantação. Para a realização da pesquisa, quanto aos objetivos, classificou-se como descritiva e exploratória. A abordagem adotada para a análise dos dados foi a qualitativa e quantitativa e, para a coleta de dados foi realizado levantamento bibliográfico, documental e aplicação de questionário. O método de análise de dados da pesquisa foi o dedutivo. Os participantes da pesquisa foram coordenadores de polo de apoio presencial do Estado de Santa Catarina que oferecem cursos na modalidade a distância através do Sistema UAB. Após a organização dos dados coletados, os mesmos foram analisados de forma dedutiva, no qual foi possível observar que, independente do índice de desenvolvimento humano do município as organizações produtivas locais sofreram algum tipo de mudança após a implantação do polo. Constatou-se que fatores como o acesso ao ensino superior público, a oportunidade de formação profissional e o crescimento econômico ocasionados após a presença do polo, refletiram no desenvolvimento socioeconômico do seu entorno. Por fim, considera-se que a disseminação do conhecimento, ocasionada pela implantação do polo de apoio presencial, contribui para que a comunidade local adquira um novo olhar sobre o polo, reconhecendo este como elemento que contribui para o desenvolvimento socioeconômico local.

 

Link para download: Juliana Bordinhão Diana

OGLIARI, Celso Luiz. Letramento e o Mundo Comics. Dissertação, 2015.

No limiar da Era do Conhecimento um outro universo se descortina, o mundo virtual. No mundo virtual convergem as novas tecnologias e de suas relações advém novas formas de pensar e ver esses mundos paralelos que coabitam e se alimentam reciprocamente. No ciberespaço toda a estrutura comunicacional que se está delineando não prescinde da linguagem imagética, como expressão da essência, do verbo, do ser possível, da significância rizomática. Esta pesquisa realiza uma leitura da evolução dos diferentes modos de comunicação e, de modo singular, a comunicação imagética. Esta é uma pesquisa de caráter teórico. Evolui em uma leitura e interpretação desvelando o objeto e ao mesmo tempo expondo a importância de, nos tempos atuais, compreender e se apropriar em um modo de comunicação que prioriza o imagético. Tem por objetivo compreender formas e potenciais na cultura atual que superam o letramento na escrita para o letramento visual, tomando como objeto o mundo dos Comics. Teoricamente se apoia nas concepções de comunicação e letramento visual. Aprimora o olhar pela trilha de Santaella (2008) e Merleau-Ponty (1999), Eisner (2005), Manguel (2001), Dondis (2003), Lévy (1999), Jenkins (2009). Discute as implicações entre o modo de comunicação digital, o letramento visual, a escolarização e o mundo dos Comics. Apresenta como resultado o destaque de algumas implicações para com o mundo da escola e seus processos de letramento. Este estudo não trata de uma narrativa conclusiva, se propõe a uma análise indagativa, provocativa, na busca por compreender-se um pouco mais deste meio de comunicação.
Link para download: Celso Luiz Ogliari

CASTILHO, Carlos Albano Volkmer de. O Papel da Curadoria na Promoção do Fluxo de Notícias em Espaços Informativos Voltados para a Produção de Conhecimento. Tese, 2015.

A curadoria de informações é uma nova área de estudo cuja importância é cada vez maior devido às consequências da combinação de dois fenômenos recentes na internet: a Avalancha Informativa e os Grandes Dados (Big Data). Ao filtrar, selecionar, agregar valor e disseminar recomendações, a curadoria contribui para aumentar a estruturação e difusão de informações e intensificar o fluxo de conteúdos necessários à produção de conhecimento. Por se tratar de uma área ainda pouco estudada foi necessário definir termos como dado, notícia, informação, conhecimento, bem como processos de curadoria de informações, fluxo de informações e espaços informativos. A curadoria de informações foi tomada como tema central do trabalho por sua função na disseminação de informações voltadas para a produção de conhecimento em comunidades de usuários. Os procedimentos metodológicos adotados no desenvolvimento do trabalho foram orientados pela Teoria Fundamentada em Dados (Grounded Theory) e pela obra de John Creswell sobre organização de pesquisas acadêmicas. A análise do processo de curadoria de informações partiu da coleta de dados obtidos durante seis meses de monitoramento do blog Content Curation World. Estes dados foram posteriormente interpretados com base nas teorias de Max Boisot, sobre fluxos informativos. A análise de 17.907 reações dos receptores às 167 postagens com recomendações do curador mostrou a relevância do papel do fluxo de dados na alimentação da produção de conhecimento numa rede social frequentada por 4.120 usuários aglutinados em torno da preocupação com a curadoria de informações.

 

Link para download: CARLOS ALBANO VOLKMER DE CASTILHO

GIGLIO, Kamil. Ambiente de Conhecimento da Marca centrada em televisão interativa: convergência digital para um novo modelo de comunicação. Tese, 2014.

No sistema capitalista, os meios econômicos de produção são determinantes no desenvolvimento de outras esferas socioculturais. Historicamente, os produtos da tecnologia são instrumentos da expansão econômica e agentes das transformações sociais. Isso também diz respeito aos produtos da tecnologia eletrônico-digital que, nas últimas décadas, revolucionaram os valores e os costumes socioculturais. Pois, entre outras consequências, consolidou-se a supremacia do consumo de bens simbólicos, como ativos intangíveis, sobre o consumo de bens duráveis, como ativos tangíveis. Com relação à tecnologia digital hipermídia e o contexto de transição no qual se encontra, as telas videográficas dos dispositivos eletrônicos fixos e móveis atuam como campo mediador da vida social e profissional do público que dispõe de acesso e domínio dos meios digitais. Isso alterou e continua alterando os padrões de compreensão e uso dos processos comunicativos. Por consequência, também, transforma os modelos de sociabilidade, fundando uma cultura audiovisual típica desta era digital, caracterizada pela ampliação social da vida privada. A tecnologia digital sustenta a cultura do consumo simbólico das marcas institucionais e comerciais que, também, é relacionada ao fetichismo tecnológico. Neste contexto, a tecnologia digital e os meios de comunicação tornam-se pervasivos e cada vez mais íntimos dos interagentes das marcas. Isso é descrito neste estudo sobre o emprego da tecnologia, em diversos ambientes – físicos e virtuais, e dos recursos narrativos da televisão digital na comunicação da marca institucional e comercial. Primeiramente, trata-se de um estudo exploratório que ofereceu as bases para o desenvolvimento de uma pesquisa aplicada à configuração do modelo estruturante da comunicação da marca, dividido e organizado por módulos baseados em três diferentes tipos de redes (centralizada, descentralizada e distribuída). A configuração do modelo contou com a participação consultiva e avaliativa de grupos de especialistas em marcas, televisão e cultura digital, que atuaram como sujeitos colaboradores da pesquisa. Também, foram considerados diferentes meios eletrônico-digitais que suportam e expandem o que se entende por formato televisivo na contemporaneidade. Em síntese, trata-se de um estudo interdisciplinar aplicado, que relacionou conhecimentos de Engenharia, Mídia e Gestão do Conhecimento, na composição de um modelo de comunicação para estruturar uma programação do conteúdo, destinada à comunicação em
rede da marca institucional e comercial em uma TV disposta em ambiente web e estendida para locais físicos (públicos).

 

Link para download: Kamil Giglio

ZIMMER, Paloma. Atributos Facilitadores para a Construção da Confiança Interorganizacional: Estudo de Caso do Arranjo Catarinense de Inovação. Dissertação, 2014.

Este estudo tem como objetivo avançar no tema confiança interorganizacional, dando maior ênfase sobre os Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT). A escolha desse ambiente como objeto de estudo, decorreu da relevância atribuída aos NITs com o estabelecimento da Lei de Inovação Tecnológica (LEI 10.973/2005). Entre as competências mínimas do NIT consta o zelo pela manutenção da política institucional de estímulo à proteção das criações, licenciamento, inovações e outras formas de transferência de tecnologia entre Instituições de Ciência e Tecnologia com o ambiente empresarial. Nesse sentido, o NIT possui papel fundamental como mediador dos interesses dos pesquisadores com as necessidades das empresas. No entanto, a desconfiança entre universidade e empresa cria um distanciamento entre esses dois atores. As empresas veem o meio acadêmico como uma esfera inacessível e distante do mundo prático. O objetivo geral desta dissertação, foi verifica o grau de maturidade dos atores do arranjo catarinense de inovação quanto a prática dos fatores geradores de confiança interorganizacional identificados na literatura. Para isso, foi realizado um diagnóstico na literatura a fim de identificar quais são os atributos geradores de confiança interorganizacional, para em seguida, verificar se os mesmos são colocados ou não em prática pelos atores do arranjo catarinense de inovação. Como conclusão ao objetivo geral deste estudo, pode-se verificar que os atores do arranjo catarinense de inovação possuem diferentes níveis de maturidade quanto ao grau de adoção dos atributos geradores de confiança interorganizacional. Das instituições pesquisadas, três afirmam colocar em prática quase todos os atributos pesquisados, e também três instituições, utilizam muito pouco dos atributos que foram pesquisados.
 

Link para download:Paloma Zimmer

REGINALDO, Thiago. Referenciais Teóricos e Metodológicos para a Prática do Design Thinking na Educação Básica. Dissertação, 2015.

O design thinking tem sido aplicado na educação básica em diversos países do mundo, inclusive no Brasil. Todavia, muitas dessas práticas documentadas com caráter experiencial empírico estão apresentadas em sites e redes sociais. Uma análise da prática educativa do design thinking, em seu caráter teórico e metodológico, torna-se necessária para compreender quais são suas manifestações intrínsecas na relação com a Educação. Portanto, o objetivo deste trabalho é conhecer os referenciais teóricos e metodológicos que intervêm na prática do design thinking na educação básica. Para alcançar este objetivo realizou-se uma jornada científica exploratória com as técnicas de revisão sistemática, estudo de caso, entrevista com especialistas, observação participante e análise de conteúdo. As etapas desenvolvidas envolveram: (1) duas observações participantes em oficinas de design thinking; (2) entrevistas com quatro especialistas que desenvolvem trabalhos no Brasil na área de design thinking na educação; (3) revisão sistemática em quatro bases de dados internacionais; e (4) descrição de dez iniciativas de design thinking na educação básica brasileira. A partir disso foi possível apresentar três esquemas conceituais (processo histórico, modelo teórico e referenciais teóricos e metodológicos) e os componentes das variáveis metodológicas da intervenção nas atividades de design thinking na Educação Básica. Como resultado dos referenciais teóricos foi verificado que o design thinking apresenta a função social de formação integral, que seus conteúdos e objetivos se relacionam com todas as capacidades (conceituais, atitudinais e procedimentais), e que a concepção de aprendizagem é construtivista atrelada à diversidade dos sujeitos e ao conhecer-na-ação/conhecer-na-reflexão. No que tange aos componentes das variáveis metodológicas o valor da ação é dada pelos sujeitos envolvidos que se tornam protagonistas do processo educativo e utilizam técnicas e habilidades que são complexas de avaliar, mas, que precisam ser avaliadas. Sugere-se, então, um modo formativo de avaliação por meio de diferentes instrumentos de registro.

 

Link para Download:Thiago Reginaldo

CAVALCANTE, Ana Luisa Boavista Lustosa. Design para a Sustentabilidade Cultural: Recursos Estruturantes para Sistema Habilitante de Revitalização de Conhecimento Local e Indígena. Tese 2014.

Ao longo das gerações, os povos indígenas documentam seu conhecimento local em artefatos autóctones. Para a UNESCO, tal conhecimento é parte do patrimônio cultural da humanidade e sua proteção é um imperativo ético. Também, é ampla a diversidade cultural brasileira, contudo, há poucos registros de grafias desenvolvidas por grupos autóctones neste país. Além disso, apesar da grande produção de trabalhos científicos, as formas de expressão indígena registradas no IPHAN são insuficientes em relação à quantidade de etnias no Brasil. Portanto, o conhecimento local e indígena está em constante risco de sofrer prejuízo, degradação ou apropriação indevida. Deste modo, esta pesquisa visou estruturar recursos para a construção de um sistema habilitante de revitalização do conhecimento local e indígena, considerando a sustentabilidade cultural em uma comunidade kaingang no norte do Estado do Paraná. Especificamente, buscou-se identificar elementos e iniciar o registro do conhecimento local, gráfico e visual no trançado kaingang, verificando, junto aos educadores das escolas da Terra Indígena Apucaraninha, as propostas de revitalização deste conhecimento. Para contribuir com a preservação e a valorização cultural, foi possível propor ações de Design e sintetizar etapas e recursos para a estruturação do sistema habilitante proposto. O tipo de pesquisa é a qualitativa cujos procedimentos metodológicos foram estudos bibliográficos, etnográficos e iconográficos realizados por meio de observações, entrevistas, oficinas e levantamentos imagéticos. A triangulação foi utilizada na análise dos dados levantados, possibilitando a codificação de conceitos e ideias para a interpretação. Com a finalidade de estruturar recursos para o desenvolvimento do sistema habilitante foram requeridos conteúdos teóricos e práticos das áreas de Mídia, Comunicação e Design, relacionados e integrados no contexto interdisciplinar das áreas de Antropologia, Engenharia e Gestão do Conhecimento. Com recursos do Design, o registro dos elementos da cultura indígena permitiu a primeira transposição tácita do conhecimento local. Com recursos teóricos das áreas de Antropologia, Linguagem e Sintaxe Visual, a descrição e a interpretação desses elementos possibilitaram a explicitação verbal de parte do conhecimento, configurando uma abordagem sistêmica da temática em estudo.

 

Link para Download: Ana Luisa Boavista Lustosa Cavalcante (1)

BRAGLIA, Israel. Um Modelo Baseado em Ontologia e Extração de Informação como Suporte ao Design Instrucional na Geração de Mídias do Conhecimento. Tese, 2014.

A educação à distância (EAD) é uma realidade em expansão. Sobre esta evolução está o design instrucional permeando as equipes de produção para cursos em EAD. Nesta tese o objetivo foi propor um modelo baseado em ontologia e extração da informação como suporte ao processo de design instrucional na geração de mídias do conhecimento. Sendo assim, esta tese propõe um modelo que tivesse como suporte ontologias de domínio para a EAD – pois todo material instrucional de um curso de EAD nasce de um texto bruto (corpus). Com a intuição de auxiliar a fase de implementação do designer instrucional sob a leitura deste texto bruto, foi criado um modelo de representação baseado em ontologia para que o mesmo possa projetar ao designer instrucional as categorias básicas sobre o texto. Para isso, ao trabalhar o texto bruto, o designer instrucional pode se atribuir de uma ferramenta de extração de informação e, por consequência, agilizar seus insumos de trabalho. É importante destacar que o modelo aqui proposto se expande e funciona em sua totalidade através da integração com outras ontologias para realizar uma representação gráfica do corpus: que expõe conexões existentes entre os termos e como eles podem ainda, em uma visão geral, se inter-relacionar com outros termos do texto. Esta representação gráfica é um mapa conceitual gerado a partir das regras da ontologia que contemplam o modelo. A mídia do conhecimento no modelo são os mapas conceituais gerados. Para exemplifica-lo, três disciplinas do curso Letras/LIBRAS da UFSC foram selecionadas. Os textos brutos destas disciplinas foram marcados de acordo com as regras estipuladas. Sobre estes termos marcados, a ontologia criada foi aplicada e sobre ela, outras ontologias de domínio alimentaram os termos para conceituação e explicação dos mesmos. Com o modelo aplicado, através de verificação com especialistas entende-se que o mesmo é tido como válido e que apresenta possibilidades positivas ao fluxo de design instrucional.

 

Link para Download: Israel Braglia

VELLOSO, Bruno Panerai. Atenção como Critério de Avaliação de Objetos de Ensino e Aprendizagem Baseado em suas Características. Tese, 2014.

Este trabalho buscou alternativas viáveis para identificar e classificar Objetos de Ensino e Aprendizagem com relação ao nível de atenção que pode ser esperado deles. A Atenção desempenha um papel importante no processo de ensino e aprendizagem e identificar objetos que potencializem a atenção dos alunos é relevante no contexto do ensino suportado por tecnologias.

Sendo assim, o objetivo desta pesquisa é elaborar um método de avaliação de objetos de ensino e aprendizagem com base nos níveis de Atenção do aluno.

O método utilizado consistiu em obter a atividade cerebral de alunos por meio de eletroencefalografia relacionando-a com a Atenção durante a utilização de objetos de ensino e aprendizagem. Com base nestas medições foram calculados valores definidos como ”pontuação de atenção” que são diretamente proporcionais a atenção do sujeito testado.

De posse da pontuação de Atenção esta foi relacionada com as características do objeto, gerando um artefato do qual espera-se a capacidade de extrapolação da pontuação de Atenção para outros objetos semelhantes.

Duas tecnologias foram utilizados para a construção do artefato: Redes Neurais Artificiais (Redes de Kohonen) e Classificadores Estatísticos (See5) destas o melhor resultado foi obtido com o uso das redes de Kohonen que se mostraram capazes de classificar objetos com metadados semelhantes indicando níveis próximos de atenção.

Os resultados obtidos indicaram a necessidade de um conjunto mais especifico de características que o conjunto de metadados disponível. Desta forma, neste trabalho foi proposto, e definido, um conjunto metadados baseados em características de design, usabilidade e arquitetura de informação. De posse deste conjunto, novos testes, mais abrangentes, foram executados e os resultados obtidos demonstram que os metadados propostos tem uma relação mais próxima com as características relevantes à atenção.

Este resultado vai de encontro a hipótese tratada neste trabalho: ”Existe um conjunto de dados capaz de descrever um objeto de ensino e aprendizagem e com base neste conjunto é possível inferir, de forma objetiva, um nível de atenção”. Mostrando que o conjunto de metadados proposto, apesar de não ser otimizado, representa o objetos de ensino e aprendizagem de forma mais eficiente, no que tange o nível de atenção esperado, que o conjunto previamente utilizado.

 

Link para Download: Bruno Panerai Velloso