porno
beşiktaş escort mecidiyeköy escort aksaray escort bahçeşehir escort
Home » Archive by category "Gestão do Conhecimento" (Page 21)

MIRANDA, Angélica Conceição Dias. Proposta de diretrizes para bibliotecas universitárias nortearem a gestão do conhecimento Institucional em Instituições Federais de Ensino Superior. Tese, 2010.

A realidade das organizações e das pessoas é a constante busca de conhecimento para aperfeiçoamento e competitividade. Existe uma necessidade constante de buscar as melhores práticas e de reinventá-las. O gerenciamento do conhecimento produzido nas instituições passou a ser visto como elemento-chave para o desenvolvimento institucional. Este projeto de pesquisa teve como objetivos pesquisar e identificar, com base na literatura, os conceitos existentes de gestão do conhecimento nas IFES; pesquisar e identificar as práticas de gestão do conhecimento produzido pelas IFES existentes e gerenciado pelas BUs; identificar as IFES que depositam a produção intelectual na BU; investigar a existência de políticas institucionais de informação nas IFES e sua influência na gestão do conhecimento produzido; levantar quais são os procedimentos para gerenciamento do conhecimento produzido nas IFES; delinear diretrizes para gestão do conhecimento produzido nas BUs/IFES e a avaliação das diretrizes propostas. Tratase de uma pesquisa aplicada, cujo objetivo é gerar conhecimentos e contextualizálos na realidade social, educacional, científica e tecnológica brasileira, de modo a auxiliar na solução de problemas específicos. Quanto aos objetivos, trata-se de um estudo exploratório; em relação aos procedimentos, é uma pesquisa bibliográfica. Os resultados da primeira etapa da pesquisa levam a crer que existe uma confusão entre saber o que é administrar o conhecimento produzido pelas IFES e a administração dos materiais tradicionalmente existentes. A proposta de diretrizes apresentada retratou as BUs na GC do conhecimento produzido nas IFES, do ponto de vista dos seus processos, estrutura e políticas como provedora desse conhecimento. Observou-se que, para gerenciar o conhecimento produzido, faz-se necessária a existência de uma política institucional que assegure, na prática, o que a BU pode fazer por sua instituição. Conclui-se que existe um reconhecimento, embora teórico, no que se refere à importância de a BU deter a organização da produção do conhecimento das IFES.

Link para acesso: Angelica Miranda

SOUSA, Marco Aurélio Batista de. Modelo de avaliação das atividades da gestão do conhecimento no sistema de gestão ambiental. Tese, 2010.

Este estudo teve como base dois assuntos que vêm sendo objeto de atenção e investigação de vários setores da sociedade, sobretudo no contexto de organizações empresariais, a saber: gestão do conhecimento e gestão ambiental, aos quais têm sido atribuídos razões substanciais de proporcionar vantagens competitivas sustentáveis àqueles que melhor as identificam e as consideram em seus negócios. Neste cenário, esta pesquisa se propôs a avaliar as atividades da gestão do conhecimento no sistema de gestão ambiental, mediante um modelo proposto para essa finalidade. Para tanto, realizou-se inicialmente uma pesquisa em fontes secundárias de referenciais teóricas a respeito dessas duas temáticas principais. O estudo da gestão do conhecimento voltou-se fundamentalmente à identificação de suas atividades e aos modelos que propiciam avaliá-las. O foco da gestão ambiental se refere à apresentação de modelos de sistemas de gestão ambiental, respaldados pela bibliografia especializada, procurando simetrias entre as principais atividades relacionadas a este sistema. Posteriormente realizou-se uma pesquisa exploratória por meio de um estudo de caso em uma destilaria do setor sucroalcooleiro. Os dados foram coletados por meio de visitas in loco nesta unidade, bem como pela aplicação de questionários, com questões abertas e fechadas e entrevistas semi-estruturadas a responsável pela área ambiental desta organização. Para analisar esses dados foi utilizada a abordagem predominantemente qualitativa e os resultados da pesquisa demonstram o reconhecimento, importância e a avaliação positiva da efetividade das atividades da gestão do conhecimento no que se refere às ações ambientais realizadas por esta empresa.

Link para Download: Marco_Aurelio_Batista

BOTELHO, Louise L. R. Ascensão Profissional de Executivas em Empresas Baseadas no Conhecimento. Dissertação, 2008.

Esta dissertação tem como objetivo geral compreender o fenômeno da ascensão profissional a partir da perspectiva das executivas. Foi realizada em empresas de base tecnológica (EBT’s) localizadas no Parque Tecnológico Tecnópolis, em Florianópolis, Santa Catarina. Para a construção da presente pesquisa foi necessário, em primeiro lugar, recuperar nas narrativas das mulheres executivas suas percepções sobre seu caminhar pessoal e profissional, buscando entender as diversas influências experimentadas por elas durante suas trajetórias. O segundo objetivo foi o de conhecer as estratégias utilizadas pelas executivas para ascenderem profissionalmente em suas organizações. Todas essas questões permitiram descrever as regularidades que ocorrem na ascensão profissional feminina. Como procedimento metodológico, foi utilizada a pesquisa qualitativa, com a aplicação de entrevistas semiestruturadas e estudo de casos múltiplos. Com relação à amostragem, foi investigado o universo de três executivas que atuavam em cargos de comando em suas organizações. Assim, pode-se considerar que a presente pesquisa demonstra que a carreira feminina é complexa, pois a mulher executiva sofre influências de várias frentes. O sentimento de culpa, a falta de tempo, o excesso de viagens, o estresse, as barreiras, preconceitos e o conflito entre carreira e família também aparecem no estudo como fatores de influência relevantes para a compreensão da carreira feminina. Quanto às contribuições para o campo teórico, este trabalho poderá servir de alicerce literário no que tange à ascensão feminina em EBT’s. No campo prático, este estudo pode servir de subsídio à formulação de programas de desenvolvimento de carreiras femininas no cenário corporativo, mais precisamente no tocante as ETB’s. Outra possibilidade é a de servir de alicerce para o preparo das novas gerações de mulheres para os desafios que elas encontrarão no campo empresarial, levando em consideração as mudanças e contextos internos e externos que circundam as organizações. Por fim, acredita-se que o espaço destinado nas organizações para mulheres em cargos hierárquicos ainda é ínfimo. Assim, este estudo pode proporcionar uma maior compreensão sobre os obstáculos e as estratégias utilizadas pelas executivas para ascenderem em suas organizações através de suas próprias percepções sobre o fenômeno da ascensão.

Link para download: Louise Botelho

LAPOLLI, Juliana. Mapeamento de competências: uma ferramenta para a Gestão de Pessoas utilizando a abordagem da Teoria Geral de Sistemas. Dissertação, 2010.

O caráter sistêmico do setor de Gestão de Pessoas é resultado da incorporação de conceitos oriundos da Teoria Geral de Sistemas e da demanda pelo conhecimento estratégico, o que torna relevante a analise da Gestão de Pessoas sob esta ótica. Esta dissertação trata da Gestão de Pessoas como função sistêmica, agregando valor a estratégia e integração organizacional. Aborda o Mapeamento de Competências como ferramenta do setor de Gestão de Pessoas a partir de uma compreensão sistêmica das organizações, a qual identifica as competências organizacionais disponíveis e as necessárias, tornando possível o desenvolvimento de novas estratégias e processos de gestão. Para validar o enfoque proposto foi aplicado na Clinica de Medicina Estética e do Esporte “Beleza”, um modelo de Mapeamento de Competências, baseado nos autores Borges-Andrade; Lima, verificando as possíveis estratégias de treinamento e mudanças na empresa. A aplicação foi realizada de acordo com o pensamento sistêmico, levando em consideração o elemento humano e o modo como ele se relaciona com o ambiente, que é um sistema dinâmico. Assim, observou-se, além dos colaboradores que exercem atividades no setor administrativo, alguns dos colaboradores técnicos. De acordo, também, com o pensamento sistêmico, todo o trabalho da Gestão de Pessoas desde o Mapeamento de Competências até a remuneração, deve ser pensado de forma estratégica e sistêmica: buscando alcançar um estado constante de equilíbrio, de modo que os processos e o sistema como um todo não chegue a um repouso estático.

Link para Download: Juliana Lapolli

YOUSSEF, Ahmad Youssef. Um Modelo de Gestão do Conhecimento em Administração para uma Organização Universitária Interinstitucional. Tese, 2010.

Pesquisa focada na definição de um modelo conceitual de Gestão do Conhecimento em administração para a Organização Universitária Interamericana – OUI, estando inserida nos estudos da Gestão do Conhecimento (GC) e da Gestão da Informação (GI), considerando conceitos relacionados ao conhecimento (tácito e explícito) e ao Modelo de Organização e de Administração das IES. A construção do modelo se deu de forma a envolver conceitos multidisciplinares que englobam Ciências da Informação, Ciências Cognitivas e da Administração. A metodologia empregada utiliza o método de triangulação, sendo que a pesquisa usou dois métodos, indutivo e dedutivo, valendo-se da análise bibliográfica (para sustentação teórica do modelo), do estudo comparado (para a avaliação de diferentes modelos de GC, além de práticas e do modelo de mensuração do conhecimento), da pesquisa quantitativa ou de campo para medir as práticas de GC usadas pelas IES pesquisadas e, também, de uma pesquisa qualitativa (para analisar a consistência do modelo com dirigentes de IES ligadas à OUI). Os resultados indicam que é possível definir um modelo de Gestão do Conhecimento em Administração para a OUI e que outros trabalhos podem ser desenvolvidos, a partir da proposta apresentada nesta tese.

Link para download: Youssef Ahmad

SOARES, Everton Léo. Marketing de relacionamento na área hospitalar sob a ótica da gestão do conhecimento. Dissertação, 2010.

Sob a ótica da gestão do conhecimento, as diretrizes para a implantação do marketing de relacionamento na área hospitalar poderão auxiliar os profissionais e as instituições de saúde de todo o Brasil a compreenderem os passos necessários a um projeto de aproximação com seus pacientes, objetivando melhorar a relação ao mesmo tempo em se cria uma memória permanente. Estudos desta natureza permitem uma melhor visualização do que é necessário para que as organizações possam empreender projetos de marketing de relacionamento baseados na gestão do conhecimento, com maior velocidade e de forma mais assertiva. O objetivo geral deste trabalho é propor diretrizes para implantação do marketing de relacionamento na área hospitalar, tendo como suporte a gestão do conhecimento. Os objetivos específicos são: identificar, na área hospitalar, a cultura e a adoção de procedimentos voltados à gestão eficiente dos serviços ao cliente; e verificar, também na área hospitalar, a existência de uma visão acerca da gestão do conhecimento. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa aplicada, com abordagem qualitativa exploratória. Do ponto de vista dos procedimentos técnicos, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, com levantamento através de entrevista semiestruturada. A população alvo é composta pelos hospitais privados da Região Sul e Sudeste do Brasil; e a amostra por dois hospitais localizados em São Paulo, dois no Rio Grande do Sul, e um em Santa Catarina. Constata-se que no segmento da saúde, como em outros, é possível utilizar a gestão do conhecimento em áreas ou ações específicas, como é o caso de um projeto de marketing de relacionamento. A validade deste trabalho está na possibilidade de identificar ações de marketing de relacionamento praticadas por cinco notórios hospitais nacionais, e de observar de que forma a gestão do conhecimento está inserida para o sucesso destes projetos. Com relação ao objetivo geral dessa pesquisa, pode-se concluir que todas as diretrizes apresentadas seriam vazias sem a aplicação total dos  onceitos da gestão do conhecimento, pois a transformação de conhecimentos tácitos em explícitos permite que os membros da organização hospitalar assimilem informações preciosas sobre a relação com os pacientes.

Link para download: Everton Léo Soares

SANTOS, Fladimir Fernandes dos. Modelo de gestão para promover a criação e o compartilhamento de conhecimento em comunidade virtual de prática. Tese, 2010.

Após identificar alguns fatores que interferem na realização das iniciativas de criação e de compartilhamento de conhecimentos, em comunidade virtual de prática (VCoP), e que esse tipo de comunidade que pretende proporcionar a capacitação dos seus membros para o conhecimento, não garante que tais iniciativas sejam executadas, procurou-se, na presente tese, propor um modelo de gestão para promover a criação e o compartilhamento de conhecimentos em VCoP. Para atingir o proposto, efetuou-se uma pesquisa bibliográfica e uma pesquisa exploratória e descritiva, sendo esta última realizada por intermédio de um estudo de caso em uma VCoP. Os dados foram coletados por meio das técnicas de análise de documentos, de análise do ambiente e de entrevistas não-estruturadas com quatro moderadores da comunidade. Os dados coletados foram analisados qualitativamente, com o auxílio do método indutivo, e foram explicados pelo princípio da abordagem teórica. Após essas etapas, foram identificados os requisitos necessários para o estabelecimento do modelo; a partir daí, foram delineados os elementos que ele deveria contemplar. Em seguida, buscou-se, pelo Método Delphi, um consenso de opiniões de especialistas a respeito do modelo delineado, de forma a verificar sua consistência. Os resultados mostram que a aceitação plena do  modelo ficou acima do limite mínimo estabelecido para este estudo, que era de 50%. Os comentários dos especialistas geraram reflexões sobre alguns pontos; em vista disso, alguns elementos foram melhorados, e uma versão final foi proposta. O modelo é para ser utilizado em VCoP já constituída e legitimada, apoiada e caracterizada como uma entidade importante para uma organização. O modelo está estruturado em quatro fases que englobam procedimentos que precisam ser desenvolvidos em sequência, sem esquecer que todos os componentes, abordados no modelo, devem ter a participação dos membros da comunidade. A primeira fase começa com a preparação da comunidade; nela, é preciso escolher um patrocinador para todo o processo de gestão, esclarecer no que consiste a gestão que pretende promover a criação e o compartilhamento de conhecimentos, formar grupos e definir os ativistas do conhecimento. A segunda fase consiste na identificação de fatores que influenciam a gestão do conhecimento. Essa fase envolve a análise da cultura vigente, a identificação da visão de futuro, o diagnóstico da situação atual, a análise ambiental e a identificação de fatores críticos de sucesso da VCoP. Na terceira fase,é preciso estabelecer as questões e as ações que capacitam para o conhecimento, determinar indicadores de desempenho e definir o plano de ação. A última fase do modelo é composta pelos procedimentos de divulgação do plano de ação e de monitoramento e avaliação de todo o processo de gestão.

Link para download: Fladimir Santos

THIESEN, Juares. Método para a Construção e Análise de Cenários Prospectivos em Planejamento Educacional Baseado na Gestão do Conhecimento. Tese, 2009.

A Tese tem por objetivo desenvolver um método para a construção e análise de cenários prospectivos em planejamento educacional baseado na Gestão do Conhecimento. O estudo tem um caráter qualitativo, com abordagem interdisciplinar e foi desenvolvido em três etapas essenciais: a revisão de literatura, a elaboração do método e a verificação de sua consistência. Na revisão da literatura faz-se o aprofundamento das abordagens teóricas sobre estudos prospectivos considerando-se a educação como centralidade e a inserção dessa metodologia no Brasil e em Santa Catarina. O método de construção e análise de cenários para aplicação em planejamento educacional é composto por três matrizes. Uma Matriz de Referência que contém o mapeamento das metodologias de construção e análise de cenários prospectivos disponibilizados na literatura; uma Matriz Orientadora, que identifica os aspectos comuns de proposição dos autores no que se refere às etapas para a construção de cenários prospectivos e uma Matriz de Convergência que contém a estruturação final do método proposto para aplicação em planejamento educacional. A verificação dos aspectos de consistência do método é feita por intermédio da aplicação do Método Delphi a um grupo de especialistas pesquisadores na área de prospecção de cenários e um grupo de gestores que coordenam a Educação Pública em Santa Catarina. A aplicação do Método Delphi revela aceitação do método em todas as suas dimensões. O trabalho de pesquisa, no seu todo, confirma três importantes pressupostos: que os estudos prospectivos possuem, nos seus fundamentos e na sua formulação, estreita relação com as práticas de Gestão do Conhecimento; que a metodologia de construção e análise de cenários prospectivos é uma ferramenta adequada para orientar a elaboração de planejamentos na área da educação e que essa metodologia, quando adotada para elaboração de planejamentos educacionais precisa ser adaptada às suas características e especificidades – daí a necessidade de formulação de um modelo. A Tese revela a importância da adoção da metodologia de construção e análise de cenários no âmbito educacional e como as práticas da Gestão do Conhecimento podem auxiliar na sua formulação.

Link para download: Juares da Silva hiesen

FERNANDES, Luciano Lazzaris. Gestão do conhecimento em projetos de extensão universitária direcionados às pessoas com deficiência. Tese, 2009

A presente pesquisa teve como objetivo geral analisar os processos de integração, aquisição e disseminação do conhecimento entre os serviços extensionistas da UFSC direcionados às pessoas com deficiência, bem como propor diretrizes para auxiliar esses processos. O caminho metodológico se fundamentou na pesquisa qualitativa exploratória. A população foi constituída por coordenadores de extensão e diretores do departamento ligados à extensão da UFSC. Os dados foram obtidos através de entrevistas semi-estruturadas. Para analisar as entrevistas foi utilizado o software ATLAS TI. Esta pesquisa evidenciou que os projetos trabalham isoladamente, em guetos; existe a preocupação da equipe gestora na produção e disseminação do conhecimento colaborativo; a extensão ao mesmo tempo em que possibilita vivências concretas de aprendizagem, garante o retorno para a academia das necessidades da comunidade bem como de novos conhecimentos formando, nesse processo, uma espiral do conhecimento; os projetos direcionados às pessoas com deficiência podem ser comparados aos sistemas adaptativos complexos; há interesse de todos os coordenadores em participar de grupos para desenvolver ações e políticas inclusivistas na UFSC. Além dessas evidências, a pesquisa detectou um descaso das instituições públicas de ensino superior quanto ao Decreto 5296 de 02/12/04, no que tange a acessibilidade às páginas iniciais da web. Outra constatação foi para as home page das Pró-Reitorias ligada a extensão dessas instituições, onde não encontrou-se nenhum link para os projetos, nem informações mais detalhadas sobre os mesmos. Concluímos o estudo propondo que seja criado dois instrumentos: um núcleo de estudo e um portal web que possam dar conta de todos os aspectos detectados na pesquisa.

Link para download: Luciano Lazzaris Fernandes