Home » Archive by category "Gestão do Conhecimento" (Page 21)

GOMES, Cleidson Cavalcante. Conjunto de recomendações conceituais e instrumentais para Gestão de projetos para sistemas de informação em saúde. Dissertação, 2007

No Brasil, assim como no resto do mundo, as instituições de saúde sofrem com o crescente aumento do fluxo de informação. Tais instituições vêm necessitando, simultaneamente, melhorar os serviços de assistência ao paciente, reduzir custos operacionais, desenvolver pesquisa científica e promover o ensino. Os projetos de SI têm sido a principal alternativa para atender a esta demanda. No entanto, é recorrente a pouca adequação dos produtos e serviços de SI e TI às necessidades da área da saúde. Neste sentido, o propósito desta dissertação é contribuir com conjunto de recomendações para projetos de sistemas de informação automatizado voltados para ambientes de saúde que possam oferecer uma plataforma mínima necessária de indicadores críticos que sirva como parâmetro para a constituição de sistemas de informação integrados, atingindo desde a fase inicial dos projetos, respectiva implantação e sustentação. A metodologia deste trabalho está segmentada em quatro fases de pesquisa: a) Pesquisa Teórico-bibliográfica, então composta por ciclos complementares de varredura bibliográfica que percorrem distintas áreas do conhecimento com o objetivo de reunir os indicadores mais relevantes em gestão de projetos de sistemas de informação em saúde; b) Pesquisa Exploratória que busca correlações entre os resultados da Pesquisa Técnico-bibliográfica e os projetos contemporâneos mais significativos; c) Pesquisa Quantitativa, esta fase oferece a ratificação dos aspectos mais expressivos percebidos nas duas fases anteriores por meio de questionários direcionados para segmentos de público alvo e d) Avalição de Resultado, que expressa o impacto da aplicação dos indicativos gerados nas fases anteriores sobre projetos em andamento. Além dos resultantes quantitativos e qualitativos das quatro fases de pesquisa isoladamente, do ponto de vista conceitual, identificou-se onze grupos de recomendações. Do ponto de vista instrumental, o presente trabalho produziu documentos que permeiam quatro fatores críticos essenciais: a) Organizacional; b) Recurso Humano; c) Infra-estrutura e d) Financeiro.

Link para Download: Cleidson Cavalcante Gomes

AMBROSI, Sergio Francisco. A gestão do conhecimento nas audiências públicas regionais no Estado de Santa Catarina como processo de planejamento participativo na elaboração do plano plurianual 2004-2007. Dissertação, 2007.

O presente trabalho de Dissertação de Mestrado sistematiza o processo de planejamento participativo na realização de 29 Audiências Públicas Regionais no Estado de Santa Catarina, levantando as prioridades elencadas pela sociedade, por área de investimento, para inclusão no PPA 2004-2007 e LOA 2004, bem como a execução orçamentária dessas ações no período de 01 de janeiro/2005 a 30 de junho/2007, divulgando no site da Coordenadoria do Orçamento Estadual da Assembléia Legislativa. O delineamento metodológico utilizado nesta pesquisa é baseado na observação participante natural, uma vez que o autor pertence ao grupo de trabalho estudado. Utiliza-se a abordagem qualitativa para sistematizar, evidenciar, compreender e descrever o processo e a pesquisa documental da legislação federal e estadual pertinente, como também o referencial bibliográfico para fundamentar o planejamento orçamentário no Brasil e em Santa Catarina, apresentando conceitos e práticas de gestão do conhecimento na administração pública. Como resultado desta pesquisa interpreta-se a relevância da sistematização e divulgação desse processo para democratização do planejamento orçamentário e para a gestão do conhecimento entre os atores envolvidos, os agentes públicos e a sociedade organizada. As Audiências Públicas Regionais com o objetivo de priorizar propostas da sociedade para subsidiar a elaboração do Plano Plurianual (PPA) e da Lei Orçamentária Anual (LOA), no Estado de Santa Catarina, estão previstas nos artigos 47 e 120 da Constituição Estadual de 1989 e na Lei Complementar n° 157/97. Com base nessas prerrogativas constitucionais, a Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina, através da Comissão de Finanças e Tributação, em conjunto com o Governo do Estado, realizou 29 Audiências Públicas Regionais no período de 21/07 a 08/08/2003, envolvendo Prefeitos, Presidentes de Câmaras, Vereadores, e demais segmentos representativos da sociedade, abrangendo 293 municípios, para debater com a sociedade catarinense quais as demandas prioritárias de cada região para serem inseridas no planejamento orçamentário do Estado de Santa Catarina, correspondente ao PPA 2004-2007 e a LOA 2004. Os orçamentos públicos e os métodos que visam o seu planejamento, são instrumentos de muita complexidade de entendimento pela maioria da sociedade. Mesmo os Parlamentares e suas assessorias têm dificuldade de compreender o seu conteúdo, a metodologia de apresentação de emendas ao orçamento e o processo de planejamento para a realização das Audiências Públicas Regionais (APR’s) visando subsidiar a elaboração da peça orçamentária referente ao PPA e a LOA. A cada quatro anos, período em que são realizadas as Audiências Públicas para o PPA, ocorre alteração nos Poderes  Legislativos Federal, Estadual e Municipal, quando novos parlamentares são eleitos, e a falta de uma metodologia que sistematize e divulgue as várias etapas desse processo, dá menos dinamicidade, agilidade, eficiência e transparência aos trabalhos dos atores envolvidos, dificultando o entendimento e aprendizado desses novos políticos e suas assessorias, uma vez que muitos deles terão pela primeira vez um contato mais próximo com a legislação e com o processo pertinente ao planejamento orçamentário.

Link para download: Sérgio Francisco Ambrosi

MATOS, Alexandre Souza. A Importância da Informação do Produto Farmacêutico na linha de frente do Comércio Varejista: Valor da Informação e Percepção. Dissertação, 2007

Este trabalho tem por objetivo aferir a importância da informação do produto na percepção do balconista que atua na linha de frente do segmento varejista farmacêutico. Para tal estudo, primeiramente foi realizada uma pesquisa bibliográfica sobre os aspectos conceituais de temas como ergonomia, ergonomia de produto e cognitiva. Em seguida, foram enfatizadas a importância da percepção, comunicação e a percepção na linha de frente da organização em estudo, de forma clara e simples. Abordou-se também o processo de informação e seu valor, o sistema fundamentado, seus elementos e perspectivas para organização em redes. Enfatizou-se o conhecimento nas organizações por meio do conhecimento tácito e explícito. Na seqüência, foram estabelecidas as bases metodológicas para investigar a informação do produto por um método quantitativo, estabelecida uma coleta de dados por meio do questionário e observação participante, que descreveram os grupos organizados de forma estratificada e definidos como farmácias de supermercados, redes de farmácias e farmácias independentes. Os resultados foram obtidos através da análise dos dados coletados, que descreveram a apresentação da informação, o valor da informação, a percepção do agente e o sistema em estudo.

Link para Download: Alexandre Souza Matos

FERREIRA, Vania Regina Barcellos. A utilização de práticas de gestão do conhecimento em organizações da sociedade civil que trabalham com projetos de inclusão digital – Um estudo de caso. Dissertação, 2007.

Esta pesquisa tem por objetivo identificar e estabelecer as práticas de gestão do conhecimento que possam apoiar as Organizações da Sociedade Civil que trabalham com projetos de inclusão digital e que visam os processos de reconstrução, inserção e fortalecimento da cidadania. Para alcançar esse objetivo, estruturou-se a fundamentação teórica de tal forma que para estudar a inclusão digital tornou-se imprescindível apresentar o ciberespaço. Dentro desse mundo virtual, surge a figura do ‘Novo Estado’, cuja principal característica é a implantação do programa de governo eletrônico (e-Gov). Um dos objetivos estratégicos do programa de e-Gov brasileiro é promover a cidadania através da inclusão social e digital, possibilitando o acesso a serviços, informações e controle social dos agora inseridos cidadãos. Nesse contexto, juntam-se ao Estado as iniciativas das Organizações do Terceiro Setor que para cumprir sua função social procuram o apoio e estabelecem parcerias com as Organizações do Segundo Setor, cujas iniciativas são reconhecidas pela sociedade como ‘Responsabilidade Social’. Dessa maneira, são criadas as ‘Redes Sociais’, em que o Estado e as organizações com ou sem fins lucrativos trabalham unidas em prol da cidadania. Através da metasinapse tecnológica, utilizando os instrumentos das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), as práticas de gestão do conhecimento surgem nesse arcabouço como uma solução para armazenar, disseminar e transferir conhecimentos para o universo social. Esta pesquisa caracteriza-se como exploratória e descritiva. Quanto aos procedimentos metodológicos para obtenção dos dados, foram utilizados: pesquisa documental, bibliográfica e contatos diretos. Foram empregadas as técnicas de observação direta não participante, questionário e entrevista. O método de estudo de caso foi utilizado na análise qualitativa da organização estudada: a Associação Meninos do Morumbi. Esta desenvolve projetos de inclusão digital que abrange o universo pesquisado. A metodologia utilizada se justifica pelo fundamento de que a associação investigada é um caso representativo de organização sem fim lucrativo e com fins sociais, o que possibilitou testar a os fundamentos propostos pela revisão da literatura, qual seja: elaborar uma estrutura teórica cujos resultados possam servir de modelo a Organizações da Sociedade Civil afins. Os resultados deste estudo sugerem que a fundamentação teórica apresentada demonstra que os elementos deste arcabouço (indivíduo, comunidade, Primeiro, Segundo e Terceiros Setores, responsabilidade social, inclusão digital, e-Gov, práticas de gestão do conhecimento, educação e ciberespaço) possuem relações empíricas intrínsecas, podendo, dessa maneira, haver uma evolução teórica e prática do conjunto estudado. Concluiu-se que, com a devida interação entre todos os atores envolvidos nesta pesquisa, incluindo nesse universo as idéias e teorias, as ações sociais realizadas por organizações, como a Associação Meninos do Morumbi, obterão sucesso e tornar-se-ão perenes, verdadeiras organizações do conhecimento.

Link para download: Vania Regina Barcellos Ferreira

PANCERI, Reginete. Desenvolvimento de competências: avaliação de um programa gerencial. Dissertação, 2007.

Os investimentos realizados em programas de capacitação nas empresas requerem instrumentos de avaliação para que se possa comprovar sua eficácia, permitindo que novos recursos sejam utilizados para o aperfeiçoamento das equipes. O foco deste trabalho é a avaliação do programa de desenvolvimento gerencial que visa desenvolver competências comportamentais na equipe de colaboradores mais próximas aos líderes de uma empresa de tecnologia da informação. O estudo aborda as diferenças conceituais de treinamento e desenvolvimento, a visão ontopsicológica sobre o desenvolvimento de lideranças nas empresas, a definição de avaliação e os modelos de avaliação de programas de treinamento propostos por Kirkpatrick e Castro. A organização do programa de desenvolvimento seguiu a orientação do método ontopsicológico bem como a formação do grupo de colaboradores.

Link para download: Reginete Panceri

DALFOVO, Oscar. Modelo de Integração de um Sistema de Inteligência Competitiva com um Sistema de Gestão da Informação e de Conhecimento. Tese, 2007.

A Inteligência Competitiva e os Sistemas de Informação isoladamente tornaram-se uma atividade fundamental para a sobrevivência das organizações neste mercado competitivo. A integração destas atividades possibilita uma mudança de mentalidade nas organizações que passam tratar como fator de vantagem competitiva, tanto as informações estruturadas quanto as não estruturadas. O presente trabalho apresenta a concepção de um modelo em Gestão da Inteligência Competitiva integrada com Sistemas de Informação (GICSI). A concepção do modelo GICSI fundamentou-se em revisão bibliográfica, como estado-da-arte, acrescido de um estudo de campo estatístico descritivo e dedutivo, que apontou os requisitos básicos do modelo. O modelo proposto apresenta as fases e etapas que deve ser seguido, apresentando os resultados na integração entre inteligência competitiva com sistemas de informação, com isso, visando auxiliar a organização na tomada de decisão. A importância de um planejamento que incluam todos os componentes dos Sistemas de Informação integrando-se com Inteligência Competitiva é fundamental neste enfoque, pois trata de uma visão sistêmica desde as bases mais operacionais até chegar a um ambiente mais estratégico, o que possibilita uma estrutura suficiente para assumir o desafio de realizar a gestão do conhecimento dentro de uma organização. Adicionalmente, para validação e viabilização deste modelo, se fez necessário, especificar, implementar e aplicá-lo em uma área experimental, para isso escolheram-se algumas áreas e empresas na Regional do Vale do Itajaí-SC. A escolha destas áreas foi por serem conceituadas nesta região e estarem dentro do Arranjo Produtivo Local (APL). Como resultado, na concepção deste modelo, demonstrou-se a viabilidade na integração entre inteligência competitiva e sistemas de informação, com o objetivo de auxiliar as organizações na tomada de decisão. Através da aplicação deste modelo, conseguiu-se também alcançar outros resultados, mais voltados na integração dos sistemas de informação utilizando-se de Tecnologia da Informação e Comunicação, Business Intelligence, Raciocínio Baseado em Casos, Data Warehouse, Enterprise Resource Planning e outros, como inteligência competitiva nas organizações.

Link para download: Oscar Dalfovo

SILVEIRA, Vilmar Gruttner. Identificação de Atividades Intensivas em Conhecimento em Instituições Financeiras: Uma Proposta de Método. Dissertação, 2007

Em instituições financeiras o conhecimento é um fator central de sucesso. Gerenciar o conhecimento através do alinhamento dessas ações ao longo dos processos empresariais pode configurar-se como uma alternativa. Para tanto, uma das primeiras ações necessárias é a identificação das atividades e processos intensivos em conhecimento. Este trabalho propõe um método para essa identificação baseado em dados sobre as atividades e processos desenvolvidos pela instituição e indicadores sobre o corpo funcional apresentados por Sveiby. Esses dados, por sua vez, podem ser obtidos nas bases dos sistemas ABC presentes na maioria dos bancos e nos sistemas de recursos humanos. A mensuração da intensidade do conhecimento envolvido na execução de uma atividade, bem como do seu potencial para ações de gestão do conhecimento, é feita por meio de dois índices propostos no método. A aplicabilidade do método foi testada em uma instituição financeira brasileira de grande porte, em um universo de mais de 2100 atividades, apresentando resultados válidos considerando a análise conceitual e a consistência dos dados obtidos, permitindo assim o estabelecimento de uma classificação de intensidade de uso do conhecimento nas atividades e processos. Dessa forma, o trabalho apresenta uma contribuição para facilitar e agilizar as fases iniciais de implantação de um projeto de gestão do conhecimento.

Link para Download: Vilmar Gruettner

LASPISA, David Frederick. A Influência do Conhecimento Individual na Memória Organizacional: Estudo de Caso em um Call Center. Dissertação, 2007.

Com o advento de uma economia baseada em conhecimento, os trabalhadores passam a ter maior liberdade e mobilidade tornando-se os próprios donos do novo capital. Nessa nova realidade, o tempo médio que um trabalhador do conhecimento fica em um emprego está diminuindo e, consequentemente, a taxa de rotatividade em vários setores está se elevando. Desse modo, o desafio para as organizações é maximizar o tempo que esses trabalhadores do conhecimento permanecem em suas organizações, sendo este, um dos desígnios da gestão do conhecimento. A gestão do conhecimento busca aproveitar o conhecimento dos funcionários e da própria organização enquanto ela realiza negócios, produz produtos, utiliza e cria seus processos e inova novos produtos e serviços. Um aspecto relevante da gestão do conhecimento é que a mesma amplia as possibilidades da organização, uma vez que se pode utilizar a memória da mesma, a qual tem por finalidade melhorar o desempenho organizacional através do gerenciamento eficaz do conhecimento, não sendo somente um arquivo de informações, mas principalmente uma ferramenta para gerenciar seus ativos intelectuais. Assim, a memória organizacional deve ser utilizada para compartilhar o conhecimento dos membros e da organização, a fim de executar as tarefas no tempo certo e com base nas experiências dos seus trabalhadores e da organização. Nesse contexto, a presente pesquisa tem como objetivo verificar a influência dos conhecimentos individuais na memória organizacional do call center da Celesc, a partir da percepção de seus operadores. Para tanto foram aplicados questionários com foco nas oportunidades individuais que os funcionários possuem para efetuar mudanças nos componentes da memória organizacional. A análise dos resultados permitiu afirmar que os entrevistados acreditam que os seus conhecimentos são compartilhados com os colegas; que suas experiências são capturadas ou registradas de alguma forma pela empresa; que possuem oportunidades de alterar, atualizar ou melhorar os componentes da memória organizacional; bem como, na respectiva empresa existe uma cultura que incentiva o compartilhamento do conhecimento. Finalmente, pode-se afirmar que a pesquisa mostrou que uma alta taxa de rotatividade pode ter influências nos componentes da memória organizacional.

Link para Download: David Laspisa

DONADEL, André Coelho. Um método para representação de processos intensivos em conhecimento. Dissertação, 2007.

O presente estudo tem por objetivo desenvolver um modelo de representação de processos intensivos em conhecimento para suportar a gestão dos recursos de conhecimento intrínsecos aos processos de negócio. Tal demanda surge em função dos  instrumentos hoje dispostos, como ferramentas para representação de diagramas e de gestão de projetos apresentarem grandes limitações com relação ao tratamento do conhecimento. Em decorrência destas limitações as representações de processo de conhecimento perdem expressividade e impedem uma análise detalhada e completa para gestão dos ativos de conhecimento integrados ao processo produtivo da organização.  Para a concretização do modelo um conjunto de conceitos foi levantado permitindo um embasamento sobre os tópicos abordados, entre estes conceitos pode-se citar: processo, conhecimento, ferramentas de representação, gestão do conhecimento e demais tópicos que  caracterizam um fomento a estrutura teórica necessária para o desenvolvimento de um modelo com tais características.  Com o objetivo de identificar as principais demandas na representação de processos de conhecimento foram revisadas uma série de ferramentas que direta ou indiretamente se apresentam para este propósito. Tais ferramentas apresentam uma eficiência relativa para as áreas especifica para as quais foram construídas mas são deficitárias no que tange a gestão global do conhecimento da organização.  A partir da identificação das demandas e da avaliação das ferramentas disponíveis, um modelo para representação de processos de conhecimento foi desenvolvido,  com o foco no processo produtivo da organização. Sua aplicabilidade foi verificada através do processo de gestão de incidentes na cadeia produtiva do petróleo executado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Link para Download: Andre_Donadel

NICOLINI, Aline Torres. A contribuição da análise do contexto organizacional na concepção de sistemas baseados em conhecimento – Tecnologia KMAI. Dissertação, 2006.

Esta pesquisa tem por objetivo estabelecer uma estrutura de referência conceitual sobre a análise do contexto organizacional, aplicada na concepção de um Sistema Baseado em Conhecimento baseado na tecnologia KMAI. A caracterização metodológica desta pesquisa é classificada como exploratória e descritiva. As ferramentas utilizadas para o levantamento de dados foram a pesquisa bibliográfica, documental e o estudo de caso. Com relação à análise dos dados, a pesquisa é do tipo qualitativo. Na fundamentação teórica, foi abordada a influência da Tecnologia da Informação nas organizações. Para tal, foram utilizados os conceitos e concepções dos Sistemas Baseados em Conhecimento. Referente à concepção desses sistemas, foram estudadas a Engenharia do Conhecimento, o processo de desenvolvimento de software e análise de sistemas e requisitos. Quanto à importância da análise do contexto organizacional, foram estudados os elementos que caracterizam o contexto organizacional e duas metodologias denominadas CommonKADS e Engenharia da Mente, que abordam a questão da análise do contexto organizacional para a concepção de Sistemas Baseados em Conhecimento. Foi caracterizada a tecnologia KMAI e, também, realizado estudo de caso sobre a aplicação dessa tecnologia, denominada Sistema Gestão SAEI. No estudo de caso, foram identificados os elementos organizacionais e subjetivos envolvidos na concepção do Sistema Gestão SAEI e a sua respectiva adequação no contexto da organização. A partir da coleta de dados, foi estabelecida uma estrutura de referência conceitual para a concepção de Sistemas Baseados em Conhecimento, a tecnologia KMAI, no que se refere à análise do contexto organizacional.

Link para Download: Aline Torre Nicolini