porno
beşiktaş escort mecidiyeköy escort aksaray escort bahçeşehir escort
Home » Archive by category "Gestão do Conhecimento" (Page 20)

MAFRA, Priscilla Martins Ramos. Proposta de uma sistemática para a modelagem de risco de crédito sob a perspectiva da teoria da resposta ao item. Tese, 2010.

A avaliação do desempenho de uma empresa pleiteante ao crédito ganha, cada vez mais, relevância no cenário atual, em função da instabilidade que caracteriza os mercados nos quais as empresas estão inseridas. A avaliação do risco de crédito emerge como um processo-chave, imprescindível para o equilíbrio do mercado e para a definição de políticas e estratégias das instituições financeiras. Neste sentido, este trabalho tem como objetivo geral desenvolver uma sistemática para a avaliação do risco de crédito, com a criação de uma escala de medida padronizada, por intermédio da Teoria da Resposta ao Item – TRI. A utilização da TRI para a avaliação do risco de crédito fundamenta-se, principalmente, na possibilidade de criação de uma escala de medida padronizada, que permite realizar comparações entre diferentes empresas e da mesma empresa, em diferentes períodos. Para o alcance do objetivo geral, estabelecem-se os seguintes objetivos específicos: a) identificar os componentes que influenciam o risco de crédito; b) investigar o impacto dos componentes do Risco de Crédito na avaliação do risco; c) desenvolver uma escala de medida padronizada para avaliação do Risco de Crédito. Dessa forma, elabora-se uma sistemática para o desenvolvimento da medida de avaliação de risco de crédito – MRISC composta de seis etapas: definição dos fatores do risco de crédito a serem avaliados, identificação e seleção das variáveis para a avaliação do risco de crédito, estabelecimento da métrica para a construção da escala de avaliação das variáveis, desenvolvimento da escala de medida de avaliação do risco de crédito – MRISC, comparação do desempenho estimado no modelo da TRI com o desempenho real, por meio da regressão logística e monitoramento, que consiste na possibilidade de inserção de novas variáveis por intermédio da equalização. Para o desenvolvimento da MRISC, utilizam-se os seguintes modelos da TRI: modelo logístico de dois parâmetros para itens dicotômicos e modelo de resposta gradual de Samejima. Com a aplicação dos modelos, foi possível definir os itens âncoras em cada nível da escala, estimando o desempenho das empresas quanto ao risco de crédito. Com base na análise dos itens âncoras, determinam-se quatro níveis para o modelo dicotômico e seis níveis para o modelo politômico, auferindo um ganho de informação com a utilização do segundo modelo. Os resultados da regressão logística para o modelo politômico permitem salientar que a hipótese nula é rejeitada, ao nível de significância de 5%, em favor da hipótese alternativa (H1: existe associação entre as variáveis escore de crédito e situação de pagamento). Por fim, analisa-se o processo de criação do conhecimento na sistemática proposta para o desenvolvimento da medida de avaliação do risco de crédito – MRISC, com a identificação de quatro ciclos do processo de criação do conhecimento que caracterizam o desenvolvimento da MRISC.

Link para download: Priscilla Martins Ramos Mafra

SILVA, Mirian Torquato. A contribuição da gestão do conhecimento no processo de supervisão de estágio em organizações públicas: um estudo de caso. Dissertação, 2010.

Esta pesquisa tem como objetivo demonstrar a contribuição da Gestão do Conhecimento para a Supervisão de Estágio na Secretaria de Estado da Infraestrutura, a partir da prática dos supervisores de estágio do Programa “Novos Valores” do Governo do Estado de Santa Catarina. Este programa tem como finalidade assegurar oportunidade de aprendizado para inserção no mercado de trabalho do estudante residente no Estado de Santa Catarina e matriculado em curso regular de ensino médio, educação profissional, ensino superior e educação especial. Utilizou-se o método de Estudo de Caso, adotando-se como campo de pesquisa o Departamento da Infra-Estrutura (DEINFRA) e Departamento de Transportes e Terminais (DETER), em especial os supervisores de estágio, os estagiários e os responsáveis pelos setores de estágio nas gerências de Recursos Humanos dos respectivos órgãos. Observou-se a necessidade do tripé (pessoas, processos e tecnologia) para o desenvolvimento de um ambiente em que os supervisores do Programa “Novos Valores” serão encorajados a criar, aprender, compartilhar e usar o conhecimento para o seu benefício, dos estagiários, da organização, e da própria sociedade. Observou-se, ainda, a necessidade do estímulo ao crescimento pessoal e profissional dos estagiários, oferecendo-lhes possibilidades de um caminhar sinérgico e expressão criativa (corporal e intelectual) para que possam se “mover” no mundo num contínuo processo de educação. Por fim, com os resultados obtidos na pesquisa, busca-se contribuir para a reflexão e o aprimoramento do processo de supervisão de estágio no tocante à Gestão do Conhecimento, como novo paradigma nas organizações públicas.

Link para Download: Mirian Torquato Silva

GARIBA, Chames Maria Stallvierri. Tomada de Decisão: uma Abordagem utilizando a linguagem corporal da dança e a gestão do conhecimento. Tese, 2010.

O campo de atuação do gestor, executivo ou dirigente organizacional, tornou-se complexa, à medida que as transformações organizacionais determinaram formas de produção eficazes e, conseqüentemente eficientes maneiras de os profissionais exercerem suas atividades, interferindo diretamente nos processos decisórios. Assim, ao se tomar a decisão de argumentar, agir, avaliar e tornar a argumentar, deve-se levar em consideração não somente conhecimentos técnico-administrativos, mas o conhecimento sensível presente na expressão, intuição, percepção, imaginação. Articular o conhecimento dos aspectos administrativos com o sensível por meio da linguagem corporal da dança faz a diferença na flexibilização de ações que buscam no movimento vivido uma conexão, uma harmonização entre a inteligência, as sensações, as percepções, contribuindo para a construção de seres humanos conscientes de suas capacidades. O objetivo do trabalho foi demonstrar como técnicas da linguagem corporal da dança contribuíram para auxiliar gestores, executivos ou dirigentes corporativos em sua tomada de decisões, por meio da criação de um ferramental dessa atividade corporal. Para os fins a que se propôs este estudo, os procedimentos metodológicos seguiram a pesquisa qualitativa, por meio das técnicas de pesquisa descritiva e exploratória. Na pesquisa de campo, o universo foram os “gestores de unidade” de uma organização de economia privada, denominada Banco X S/A. Para a análise de dados utilizou-se a análise de conteúdo e a triangulação de dados. Para permitir a validação, realizou-se também uma entrevista semi-estruturada, por meio da técnica de triangulação de especialistas. Constatou-se que a utilização das técnicas da dança pautadas principalmente na improvisação e em processos coreográficos permitiu além de novas experiências corporais, o estímulo à criatividade e à ousadia. Essas elaborações permitiram que, a todo o momento, os participantes tomassem decisões numa perspectiva de entender que movimento selecionar e conectar para a criação dessas figuras, exercitando de forma individual a construção do coletivo. No caso, a aquisição de conhecimentos tornou-se um processo interminável de atualização constante, com a contribuição das experiências práticas que ampliaram a capacidade criadora, contribuindo significativamente para a construção de uma Gestão do Conhecimento, destacando-se, também, que as pessoas são fundamentais à consecução dos objetivos organizacionais relacionados à Gestão do Conhecimento. Concluiu-se que a criação do ferramental utilizando-se técnicas da  linguagem corporal da dança, contribuiu para o processo de tomada de decisões, pois além de potencializar as atividades dos participantes em questão, permitindo uma maior flexibilidade em suas decisões, favoreceu o desenvolvimento de vertentes artísticas, culturais, éticas, estéticas, sociais, vislumbrando-se uma dança mais democrática, rompendo com a idéia de que é necessária uma técnica específica para realizá-la. Espera-se que estas reflexões levem a conexões, idéias e discussões, sobretudo ao aprofundamento das atividades de dança, numa oportunidade de investimento inovador, contemplando, também, a valorização da potencialidade humana.

Link para Download: Chames Maria S. Gariba

GOMES FILHO, Antonio Costa. Inovação sistemática com responsabilidade social nos empreendimentos de base tecnológica: o modelo MCNSTRIZ. Tese, 2010.

A Gestão do Conhecimento pressupõe o compartilhamento e a externalização de idéias propostas pelo capital intelectual das organizações, que, por sua vez, possibilitam a criação de novos conhecimentos que se traduzem em vantagem competitiva. Se a produtividade é uma preocupação do sistema empresa em seu ambiente interno, a competitividade é uma preocupação advinda do sistema externo ao microambiente empresarial. Dessa forma, a Inteligência Competitiva possibilita ir além da definição de estratégias, auxiliando na competitividade empresarial numa gestão pró-ativa. Para os empreendimentos que almejam liderança em tecnologia, a inovação sistemática permite rapidez e aceleração nos processos, no entanto, a inovação deve vir acompanhada de responsabilidade social, em reação a uma exigência da sociedade voltada para o Desenvolvimento Econômico Sustentável. A carência de um método que permita integrar o Capital Intelectual, a Gestão do Conhecimento, a Inteligência Competitiva aos modelos de negócios que permitam a inovação com responsabilidade social com vistas à sustentabilidade do negócio, aumentando o ciclo de vida e tornando o empreendimento perene no tempo na Sociedade do Conhecimento, levou o autor a propor o Método MCNS-TRIZ. Este é composto por 43 Princípios e permite conceber soluções criativas para os Modelos de Negócios, respeitando as expectativas dos diversos stakeholders, e de forma a atender a todos de uma maneira equilibrada, evitando soluções de compromisso. A aplicação se fez em um teste piloto e esse método foi inserido em um modelo conceitual e aplicado à criação de empreendimentos de base tecnológica, sendo útil na criação de modelos de negócios sustentáveis em sua fase de concepção. O modelo conceitual denominado de Modelo MCNS-TRIZ foi descrito em forma de modelagem de processos, sendo composto por três fases: idéia, método e modelo de negócios. Todas as fases incluem atividades e tarefas, num total de seis atividades e dezesseis tarefas. A verificação do modelo MCNS-TRIZ foi feita em dois estudos de caso, o caso número 1 com nível elevado de abstração, cuja seleção respeitou o Princípio da Idéia Inovadora, o caso número 2 com nível baixo de abstração, que respeitou o Princípio da Marca. Os resultados comprovaram a viabilidade técnica de aplicação do modelo e a necessidade de ajustes para aplicação a outros casos.

Link para Download: Antonio_Costa_Gomes_Filho

AMIN, Esperidião Helou Filho. Um modelo de gestão pública por indicadores de sustentabilidade em associação com observatórios urbanos. Tese, 2010.

A necessidade de superar os entraves que comprometem a eficiência e a eficácia da gestão pública tem impulsionado a criação e disseminação de instrumentos destinados à aferição de desempenho. Esta constatação enseja o problema de pesquisa: “de que modo os indicadores de sustentabilidade, em associação com observatórios urbanos, podem se constituir em instrumentos de aprimoramento da gestão pública?”. O objetivo da presente pesquisa é propor um modelo de gestão pública com base nos indicadores de sustentabilidade controlados e acompanhados por observatórios urbanos. Os esforços para “reinventar” a administração pública resultam na adoção de modelos de gestão por indicadores. Indicadores são expressões reduzidas da realidade social, econômica ou ambiental que se pretende avaliar e melhorar. No desenvolvimento de modelos de gestão por indicadores, dois aspectos têm importância crucial: a legitimidade e confiabilidade dos indicadores e a relevância de seu foco para a sociedade. O primeiro aspect pode ser satisfatoriamente atendido pela incorporação – como auditor externo – dos Observatórios Urbanos, preconizados pela ONU, especialmente para acompanhar os Objetivos do Milênio e a Agenda HABITAT. Implantados com as características de uma ONG, podem contribuir na busca de uma confiabilidade e transparência maior, ampliando a participação da comunidade no processo. No âmbito governamental, os Tribunais de Contas começam a utilizar indicadores também. O segundo decorre do primeiro. Ampliada a participação da comunidade, o foco dos indicadores pode e deve ser aprimorado, aperfeiçoando seus objetivos visando a contribuir para a efetiva melhoria de atendimento a necessidades da sociedade. Além deste aspecto, a utilização de indicadores vinculados à sustentabilidade pode constituir a inovação na gestão pública que esta pesquisa pretende alcançar.

Link para Download: Esperidião Amin Helou Filho

MANHÃES, Maurício C.. A INOVAÇÃO EM SERVIÇOS E O PROCESSO DE CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO: uma proposta de método para o design de serviço. Dissertação, 2010.

Dado o cenário competitivo global contemporâneo, a inovação em serviços é um tema que demanda ser estudado em maior abrangência e aprofundamento. No sentido de colaborar para o aumento do número dessas pesquisas é que foi proposto este trabalho. Embora exista uma diáspora de pesquisas sobre inovação e design, sobre conhecimento e colaboração, proporcionalmente são poucas as que procuram articular esses conceitos sob o signo do serviço e propor um artefato como resultado. Assim, a forma pela qual as organizações podem criar conhecimento a partir de redes de valor para a geração de novas proposições de serviço é o que procura investigar esta pesquisa. Para a referida investigação, este estudo adotou o método de pesquisa da ciência-design ou DSRM (Design Science Research Method). Através de uma revisão de literatura de abrangência interdisciplinar, cobrindo os termos Inovação, Serviço, Design, Conhecimento e Gestão, foi possível articular e apresentar uma base de conhecimento integrado. Esta serviu de fundamento para a proposição de um método para a coleta de informações qualitativas e geração de conhecimento com a participação de uma rede de valor determinada. Estes são considerados insumos para a proposição de novos conceitos e valores, que ocorre no início do processo de desenvolvimento de novos serviços. O método proposto busca articular, entre outros, os conceitos de co-evolução entre os espaços problema e solução, o processo de criação do conhecimento e o de comunicação multimodal. Ele foi aplicado e demonstrou, de forma pragmática, a sua validade. Este trabalho, por fim, colaborou para preencher a lacuna identificada ao articular um conjunto de literatura interdisciplinar, ao propor um artefato na forma de um método e ao criar oportunidades para futuras pesquisas sobre o cenário exposto.

Link para Download: Mauricio Manhaes

TEIXEIRA, Fernanda Pires. Gestão do conhecimento aplicada à gestão sustentável do turismo em parques nacionais. Tese, 2010.

Esta tese tem como objetivo a construção de um modelo tecnológico que dê suporte à gestão do conhecimento do turismo sustentável em Parques Nacionais amparado por ferramentas tecnológicas que permitam a interação e colaboração do conhecimento entre os envolvidos com a prática dessa atividade turística. O principal motivador deste estudo refere-se à lacuna na troca de informações e experiências práticas e na ausência de um efetivo processo de colaboração em redes entre gestores, pesquisadores, sociedades locais e demais interessados. Outro fator motivador é a dificuldade relacionada tanto ao entendimento das questões conceituais sobre turismo sustentável quanto às estratégias para promover a aplicação desse conceito. O trabalho tem como foco a gestão do conhecimento do turismo sustentável em Parques Nacionais, destacando-se a importância de promover ampla discussão e reflexão com relação ao desenvolvimento deste tema. A base teórica para sustentação desta pesquisa divide-se em duas partes: a primeira, referente à pesquisa bibliográfica sobre unidades de conservação, em particular os Parques Nacionais, sobre práticas de turismo em áreas protegidas e a criação e gestão do conhecimento; a segunda, referente à pesquisa de campo para levantamento dos processos e fluxos de informações relacionados ao turismo sustentável nos Parques Nacionais. Como resultado desta pesquisa, apresentar-se-á um modelo tecnológico com a finalidade de proporcionar a colaboração e interação das pessoas e, consequentemente, a criação e o compartilhamento do conhecimento entre gestores e demais pessoas envolvidas com o turismo nos Parques Nacionais, transformando conhecimentos tácitos em conhecimentos explícitos.

Link para Download: Fernanda Pires Teixeira

DALL’AGNOL, Roberto Mauro. A Gestão Da Inovação Nas Universidades: O Capital Social E A Institucionalização De Unidades De Inovação No Ambiente Acadêmico. Tese, 2010.

A inovação está associada à capacidade de criação e disseminação do conhecimento. O compartilhamento de conhecimentos é, portanto, um aspecto ligado à essência da gestão da inovação, uma vez que possibilita a disseminação e a criação de novos conhecimentos e consequentemente potencializa a inovação. A pesquisa que se apresenta refere-se à gestão da inovação no ambiente acadêmico, concentrando-se nos segmentos responsáveis por essa gestão, conhecidos como NIT’s, Agências, Escritórios, etc. e aqui denominados de Unidades de Inovação – UI. A problemática pesquisada consistiu na identificação de contribuições para melhorias na gestão da inovação concentrando-se no Capital Social e na Institucionalização das UI – o primeiro por ser meio de compartilhamento de conhecimentos e o segundo como suporte às necessidades estruturais das UI – Ambos foram definidos como dimensões da pesquisa. O referencial teórico apóia-se em conceitos e elementos da Inovação, Gestão da Inovação, Institucionalização de UI e Capital Social, demonstrando a forte relação de influência entre as temáticas. A pesquisa desenvolvida foi de natureza aplicada, adotando uma abordagem qualitativa, de caráter exploratório; como procedimento utilizou-se a pesquisa bibliográfica e a pesquisa in loco, esta realizada por meio de entrevistas semiestruturadas. O objeto foi o conjunto das UI das Universidades Comunitárias de Santa Catarina e algumas UI de Referência em nível nacional; Os sujeitos foram os gestores das UI Comunitárias; e os gestores de uma amostra intencional de UI de Referência, além de uma amostra de Pesquisadores de ambos os tipos de UI. As entrevistas foram realizadas utilizando-se um instrumento que serviu de roteiro para a coleta de dados, o qual foi composto de questões envolvendo as duas dimensões da pesquisa: 1) Capital Social, resultante da customização do Integrated Questionnaire for the Measurement of Social Capital  -SC-IQ (World Bank, 2003); e, 2) Institucionalização de UI, resultante de uma elaboração própria concebida a partir de aspectos considerados relevantes para a Institucionalização de uma UI, verificável em Pimentel(2005, 2008 e 2009), Lotufo(2009), Santos(2009) e Terra(2001), entre outros. A estruturação do instrumento constou de um detalhamento das dimensões em 4(quatro) constructos e estes em 8(oito) categorias de análise. O instrumento também foi submetido a análise de três especialistas em inovação visando realizar melhorias e assegurar sua consistência. A etapa de coleta de dados consistiu na realização de 100% das entrevistas com gestores das UI e com uma amostra envolvendo 3(três) pesquisadores de Universidades sede de UI de Referência e 2(dois) pesquisadores de Universidades sede de UI Comunitárias; se observou que as contribuições dos gestores serviram como diagnóstico e indicativo das práticas das UI, enquanto as contribuições dos pesquisadores voltaram-se mais às necessidades de melhorias das UI, permitindo assim fortalecer as proposições finais do trabalho. As práticas identificadas foram classificadas segundo as categorias de análise da pesquisa e seus respectivos constructos, comparando-se as práticas das UI de Referência com as práticas das UI Comunitárias de modo a se identificar lacunas em cada categoria. As mesmas foram organizadas por constructos e agrupadas, também por constructo de acordo com suas relações de proximidade, via diagramas de causa e efeito; os resultados obtidos, por agrupamento, serviram de base para a indicação das proposições da pesquisa. Finalmente, apresentam-se proposições, apoiadas nas dimensões do Capital social e da Institucionalização, que possibilitam a melhoria da gestão da inovação pelas UI Comunitárias.

Roberto Mauro Dall’Agnol

QUINCOZES, Eliana da Rosa Freire. Liderança e mudança em organizações intensivas do conhecimento: o caso da Embrapa Clima Temperado. Dissertação, 2010.

Este trabalho tem como objetivo compreender as relações entre liderança e melhoria do desempenho em organizações intensivas em conhecimento. Para atender a esse objetivo, foi realizado um estudode caso em uma organização intensiva em conhecimento, a EmbrapaClima Temperado. Essa organização passou por um processo demudança que provocou significativa melhoria no seu desempenho,durante o período em que novos líderes assumiram sua gestão. Aanálise desse processo de mudança teve a finalidade de compreender,a partir das percepções dos entrevistados, como ocorreu o processode mudança na organização; qual a percepção dos líderes e lideradossobre o que é ser líder; o fenômeno da liderança na organização emfoco; os papéis dos líderes no processo de mudança e o seu estilo deliderança. Dessa maneira, desenvolveu-se o estudo de caso através deuma pesquisa qualitativa. Para a coleta de dados, foram feitasentrevistas com empregados da organização e uma análisedocumental. Os resultados do estudo mostram que os líderesdesenvolveram ações e desempenharam papéis importantes no planejamento da mudança, no incentivo à formação de equipes, nasuperação das resistências, no incentivo à criatividade e naparticipação das pessoas durante a mudança. Verificou-se, também, aimportância do discurso do líder como um recurso para motivar ecomprometer os empregados com a mudança organizacional. Osresultados do estudo mostram que os líderes da organizaçãoexerceram um papel importante durante o processo de mudança,porém, os resultados positivos foram produtos de um trabalho emequipe, onde todos, líderes e liderados, trabalharam.

Link para Download: Eliana Quincozes