Home » Archive by category "Gestão do Conhecimento"

AMARAL, Melissa Ribeiro do. Empoderamento da Mulher Empreendedora: Uma Abordagem Visando o Enfrentamento de Barreiras. Dissertação, 2020.

A literatura evidencia que as conquistas obtidas pelas mulheres não são capazes de promover a equidade entre os gêneros. No âmbito do empreendedorismo, a mulher empreendedora enfrenta, além dos obstáculos que fazem parte da vida de um empreendedor, barreiras invisíveis em função do gênero. O objetivo dessa dissertação consiste em compreender o empoderamento da mulher como contribuição ao enfrentamento das barreiras que dificultam o empreendedorismo. Para que o objetivo proposto fosse atingido, a pesquisa foi conduzida por uma abordagem qualitativa, de cunho exploratório e descritiva. Os dados foram coletados por meio de enquete e questionário de competência empreendedora, com duas perguntas descritivas que permitiram a melhor seleção das entrevistadas. Foi feita a análise temática da entrevista semiestruturada com foco em incidentes críticos, aplicada em vinte empreendedoras de cinco cidades de Santa Catarina. Os resultados desta pesquisa identificaram que as barreiras do preconceito, da discriminação, do teto de vidro e da falta de empoderamento, autoconhecimento e autoconfiança permeiam as barreiras da dupla jornada ou conflito trabalho-família, barreiras socioculturais e a obstrução masculina. Também foi possível identificar que as mulheres empreendedoras conquistam o espaço no âmbito do empreendedorismo a custa de mais esforço e dedicação que seus pares masculinos. Para se inserirem nesse ambiente, elas têm atitude e lançam mão de características femininas como a calma, paciência e persistência, marcam posição, mostram competência, adquirem autoconfiança e enfrentam suas barreiras internas. Nesse sentido, o empoderamento da mulher aparece como um caminho a ser trilhado pelas empreendedoras no enfrentamento das barreiras ao empreendedorismo.

Palavras-chave: Empoderamento da mulher. Mulher empreendedora. Barreiras ao empreendedorismo.

Link para download: Melissa Ribeiro do Amaral

WILBERT, Julieta Kaoru Watanabe. Aprendizagem de uma rede global transnacional à luz da aprendizagem multinível: estudo de caso no setor postal internacional. Tese, 2019.

A aprendizagem transforma o aprendiz. Assim como organizações podem aprender, uma rede interorganizacional também pode se transformar ao vivenciar um processo de aprendizagem. É sobre esse processo que trata esta tese. O construto que revela o processo de aprendizagem de uma rede denomina-se network learning – que nesta pesquisa se traduziu por “aprendizagem da rede” (ADR). Uma revisão integrativa realizada revelou que estudos sobre ADR são escassos e pouco se sabe como o processo de aprendizagem de uma rede ocorre. Assim, o objetivo da presente tese é compreender como ocorre o processo de aprendizagem de uma rede (ADR) composta por organizações de diferentes países. O fenômeno foi investigado sob as lentes teóricas da aprendizagem multinível. A estratégia empregada foi um estudo de caso na rede EMS, pertencente ao setor postal internacional, na qual foi possível identificar a ocorrência de ADR. Os dados foram coletados por meio de entrevistas e consulta a documentos, e submetidos à análise temática. Os resultados mostraram que o processo de aprendizagem da rede EMS (ADR-EMS) apresentou quatro dinâmicas e oito subprocessos, que geraram as transformações da rede evidenciando o seu aprendizado. O fenômeno da ADR pode ser influenciado por características da própria rede, por fatores ambientais, relacionais, organizacionais e por indivíduos que representam suas organizações na rede. A existência de uma unidade de coordenação para gestão executiva e operacional do processo de ADR-EMS mostrou-se essencial para seu processo de aprendizagem. A ADR-EMS evidenciou que é possível uma rede aprender, mesmo com uma dimensão de mais de uma centena de membros, de nacionalidades diversas, com diferentes realidades em matéria de nível de desenvolvimento. A tese contribui com a academia ao lhe acrescentar uma pesquisa sobre uma temática ainda recente e propor novas investigações sobre o construto. O trabalho contribui igualmente com o campo da gestão corporativa, ao fornecer elementos que poderão auxiliar no suporte de gestão de redes interorganizacionais que visam a transformações estratégicas de um setor de atuação.

Palavras-chave: Aprendizagem da rede. Aprendizagem interorganizacional. Aprendizagem multinível. Redes interorganizacionais. Setor postal. Transformações estratégicas.

Link para download: Julieta Kaoru Watanabe Wilbert

BATISTA, Alessandra Duarte. Sistemática para Adoção de Observatórios Tecnológicos de Conhecimento como Práticas de Gestão do Conhecimento Organizacional. Dissertação, 2019.

Observatórios de conhecimento, na forma tecnológica, são instrumentos de apoio ao planejamento e à gestão em diversos domínios de atividade socioeconômica. Este estudo tem como objetivo estabelecer uma sistemática para a adoção de Observatórios Tecnológicos de Conhecimento (OTCs) como prática de Gestão do Conhecimento Organizacional (GCO). A partir da compreensão do contexto organizacional, propõe-se uma sistemática de apoio à definição e implantação de OTCs em ambientes de inovação. Reconhecendo a falta de consenso na literatura para o conceito de “Observatórios”, este trabalho partiu da caracterização desses instrumentos e da identificação e classificação de seus benefícios no apoio em processos de tomada de decisão estratégicos a uma organização, em diferentes áreas de geração de valor. Entre esses, um dos mais relevantes é o apoio à gestão organizacional, principal protagonista na geração de valor baseado em conhecimentos. Neste trabalho, OTCs são compreendidos como instrumentos tecnológicos de apoio à criação e gestão de competências em redes de indivíduos, grupos, organizações ou regiões, em diferentes domínios socioeconômicos. A partir da aplicação da Metodologia CommonKADS, modelo da organização e do método Design Science Research (DSR), foi desenvolvida e aplicada uma sistemática para desenvolvimento de OTCs. A sistemática foi aplicada em um Projeto de Referência no setor de energia. Como resultados, obteve-se o apoio às etapas de concepção, especificação, desenvolvimento e implantação do Observatório, com inclusão de atributos que o potencializam a se transformar em prática de gestão do conhecimento na organização.

Palavras-chave: Conhecimento. Construção do conhecimento. Observatório. Observatórios de conhecimento tecnológicos. Coprodução.

Link para Download: Alessandra Duarte Batista

OMAR, Omar. Gestão orçamentária corporativa: uma proposta de modelo de gestão orientado ao conhecimento. Tese, 2019.

A elaboração do orçamento em organizações que contam com diversos centros de receita e de custos constitui uma tarefa complexa que requer planejamento, negociação, projeções e simulações e, não menos importante, confiança. A relação entre os centros de custos e o comitê de gestão orçamentária é caracterizada por uma assimetria da informação e de conhecimento que cria desafios à tarefa coletiva de elaboração e execução do orçamento corporativo, que envolve a criação e compartilhamento de conhecimento a nível organizacional. A teoria da agência discorre sobre os riscos inerentes aos relacionamentos entre principal e agente, uma vez que são caracterizados por uma assimetria da informação entre as partes, e opacidade e incompletude em termos de conhecimento. A teoria da agência foi empregada como base teórica para descrever os relacionamentos entre os centros de custo e receita e o comitê de gestão orçamentária no contexto de organizações corporativas privadas. Estudos da literatura revelaram que o conhecimento passa ao largo das propostas de solução do problema de assimetria da informação decorrente dos processos de gestão orçamentária. A pesquisa é aplicada, qualitativa, exploratória e descritiva, além de contar com um estudo de caso. Através de buscas sistemáticas na literatura; e de coleta de dados na empresa objeto do estudo de caso pôde-se enumerar e descrever os principais aspectos e desafios oriundos da assimetria da informação nos processos de gestão orçamentária. A partir de uma caracterização da assimetria da teoria da agência como uma assimetria de conhecimento, a design Science Research e a metodologia CommonKADS foram empregados para construir um modelo de gestão orientado ao conhecimento de modo a reduzir a assimetria no domínio de pesquisa, o que constitui o principal objetivo deste trabalho. O modelo de gestão é composto por sistemas de conhecimento e uma reorganização dos processos de gestão orçamentária com diretrizes e orientações voltadas ao conhecimento; e foi aplicado na empresa estudo de caso. Dentre os resultados da pesquisa, o modelo pode servir de base para reorientação dos processos de gestão orçamentária em empresas corporativas. A extensão da teoria da agência, caracterizando a assimetria como de conhecimento através da proposição de uma epistemologia voltada ao conhecimento, por sua vez, revigora a própria teoria da agência e cria possibilidades de pesquisa futura que empreguem o ferramental da engenharia e gestão do conhecimento para resolver os problemas de agência em distintos contextos.  Além disso, observou-se que o emprego do conhecimento e das ferramentas de engenharia e gestão do conhecimento contribuem significativamente para redução da assimetria de informação e conhecimento no domínio de gestão orçamentária, resultando em processos de elaboração e execução de orçamentos corporativos mais assertivos e otimizados em termos de produção, alocação e utilização de recursos.

Palavras-chave: Gestão do conhecimento. Engenharia do conhecimento. Conhecimento. Gestão orçamentária. Orçamento. Assimetria da informação. Teoria da agência. Budget slack.

Link para Download: Omar Omar

FAQUETI, Marouva Fallgatter. Liderança em uma biblioteca: Compreensões sob a Perspectiva da Liderança Relacional Socioconstrucionista. Tese, 2019

Esta tese teve como objetivo compreender como emergem processos de Liderança Relacional em uma biblioteca, a partir da perspectiva Socioconstrucionista. Para tanto, foi desenvolvido um estudo de caso com abordagem qualitativa, tendo como instrumento de coleta de dados a entrevista com todos os servidores de uma biblioteca pertencente a um instituto federal de ensino (IF), que se enquadra como biblioteca mista, pois atende ao público escolar (educação básica e técnica) e acadêmico/universitário (educação superior). A relacionalidade é um dos elementos-chave para a liderança em bibliotecas que se situam no nível intermediário da estrutura organizacional macro a que pertencem. Assim, uma das linhas de pesquisa na área de liderança que se adequa a este contexto é a abordagem da liderança relacional socioconstrucionista (LRSC), que envolve estudos sobre construções sociais de liderança em meio a dinâmicas relacionais entre indivíduos engajados em atividades conjuntas. A análise temática foi baseada no modelo de Três Componentes de Endres e Weibler (mecanismo de liderança, conteúdo de liderança e manifestação de liderança) e nos referenciais da Ontologia DAC – Direção, Alinhamento e Compromisso. Os resultados revelaram como ocorrem os processos de interação e construção social com potencial para a emergência de processos de LRSC;quais os elementos facilitam e dificultam a construção de conexões relacionais positivasecomo os processos de LRSC se manifestam em atividades cotidianas de trabalho na biblioteca.Em síntese, conclui-se que processos de LRSC emergem no trabalho cotidiano de uma biblioteca quando pessoas, em atividade conjunta, estabelecem dinâmicas relacionais positivas e cocriam forças influenciadoras, capazes de gerar Direção, Alinhamentos e Compromisso. Como contribuição ao modelo de Três Componentes, foi proposta a inclusão dos referenciais da ontologia DAC para análise dos processos de manifestação de liderança e identificada a situação atípica de “interrupção do processo de liderança em curso”, que ocorre quando forças influenciadoras mediadoras não emergem nos processos de construção social, não descrita no modelo. A inclusão da ontologia DAC no processo de análise gerou um resultado inesperado ao oferecer suporte para sugerir que a produção de DAC em atividades cotidianas de trabalho em conjunto (interpessoal e / ou coletivo), na perspectiva socioconstrucionista, ocorre quando forças influenciadoras são coconstruídas em processos dinâmicos de interação relacional de alta qualidade. As contribuições científicas para o campo de liderança em bibliotecas se referem ao ineditismo quanto ao uso da perspectiva da LRSC, a indicação de que processos de LRSC, em atividades de trabalho cotidianas, favorecem o alcance dos resultados organizacionais e o fato de que problemas relacionais dificultam a emergência de processos de LRSC.

Palavras-chave: Biblioteca acadêmica. Biblioteca escolar. Liderança Relacional. Socioconstrucionismo.

Link para Download: Marouva Fallgatter Faqueti

FREITAS FILHO, Fernando Luiz. Relação entre a Gestão e o Desempenho da Inovação em Organizações Inovadoras Brasileiras. Tese, 2019.

Para a avaliação do processo de inovação de uma organização não basta analisar o seu resultado final, pois um bom desempenho hoje não significa a sustentabilidade dos resultados em longo prazo. Faz-se necessário analisar a relação dos fatores relacionados à gestão da inovação (GI), no desempenho da inovação (DI). Dentro deste contexto, esta tese tem como objetivo analisar a relação entre a gestão e o desempenho da inovação em organizações inovadoras brasileiras. A pesquisa possui concepção pragmática e quantitativa, centrada na análise da relação entre a GI e o DI. A mesma está inserida na linha de pesquisa do Núcleo de Estudos em Inteligência, Gestão e Tecnologias para Inovação (IGTI) do departamento de Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Em uma primeira etapa foi feita uma revisão da literatura que permitiu a identificação dos fatores relacionados à GI que influenciam o DI. Esses fatores foram corroborados por especialistas em inovação, com experiência na GI de indústrias inovadoras, por meio de entrevistas em profundidade. Na sequência, foi desenvolvido o instrumento de pesquisa, que é um questionário, que foi aplicado a gestores de inovação ou de áreas afins de organizações inovadoras de médio e grande porte, do setor industrial brasileiro. O critério de seleção das organizações participantes foi estar presente em rankings de inovação ou ter recebido algum prêmio relevante nessa área. Foram identificadas 154 organizações dentro desse perfil. Ao final, 54 gestores de 50 organizações diferentes responderam à pesquisa. A análise dos resultados foi feita por meio de correlação e por redes Bayesianas. Como resultado da pesquisa, destaca-se o desenvolvimento do instrumento de pesquisa, que pode ser utilizado em trabalhos futuros para a análise da relação entre a GI e o DI, considerando populações diferentes. Além disso, identificou-se que, no contexto pesquisado, que os fatores mais relevantes no DI são a Estrutura organizacional, a Aquisição de tecnologia e a Cultura de inovação. Outra contribuição foi a análise por meio das redes Bayesianas, que apresenta a relação entre os fatores da GI e o DI, bem como um modelo de previsão do DI, considerando a influência dos fatores organizacionais.

Palavras-chave: Inovação. Gestão da Inovação. Antecedentes do Desempenho da Inovação. Desempenho da Inovação.

Link para Download: Fernando Luiz Freitas Filho

SILVA, Talita Caetano. Framework Ponte Tap: gestão da curva de aprendizagem para a efetivação da transferência de aprendizagem para a prática do trabalho. Tese, 2019.

“Como uma Universidade Corporativa em Rede pode gerenciar a curva de aprendizagem, efetivando a transferência de aprendizagem para a prática do trabalho?”. Tal problematização provocou o gatilho necessário para constituir o objetivo geral desta tese: propor um Framework para a gestão da curva de aprendizagem efetivando a transferência da aprendizagem para a prática do trabalho. A literatura mapeada sobre o tema e suas interrelações não evidenciam como a aceleração da curva de aprendizagem pode efetivar a aplicabilidade de um conhecimento (conceito da transferência de aprendizagem) após ações de TD&E. Além disso, focam suas ações unilateralmente em treinamento, não avançando para ações de desenvolvimento e educação). Sabe-se que, para gerenciar a curva e possibilitar a transferência, é importante compreender o processo de desempenho competente, o qual abrange condições externas e internas, os próprios CHAs, e as motivações dos colaboradores. Os elementos supracitados traduziram-se nos objetivos específicos deste estudo: a) identificar os elementos constitutivos e agentes envolvidos para se processar o desempenho competente; b) compreender o Modelo de Universidade Corporativa em Rede e seus processos estruturantes; c) identificar ações de aprendizagem que possibilitam a gestão da curva de aprendizagem; d) identificar o processo de avaliação multinível e a sua relação com a efetivação da transferência de aprendizagem para a prática do trabalho; e) validar o framework de gestão da curva de aprendizagem efetivando a transferência da aprendizagem para a prática do trabalho em uma organização brasileira. Para responder à pergunta-chave evidenciada na primeira frase deste resumo, foi necessário debruçar-se sobre as teorias que alicerçam os estágios de evolução de um Sistema de Educação Corporativa, o qual dá à luz o Modelo de Universidade Corporativa em Rede. Este último, o mais recente, contemporâneo e emergente da Sociedade do Conhecimento. Além disso, foi necessário buscar em teorias de ensino e aprendizagem, premissas importantes na educação de alunos profissionais adultos, dando destaque aos conceitos de curva de aprendizagem e transferência de aprendizagem para a prática de trabalho. Ao se deparar com novas funções e responsabilidades, há a necessidade de desenvolver novas competências, habilidades e atitudes (CHAs) para alcançar o desempenho competente na nova tarefa. Essa problemática foi resolvida por meio do Framework Ponte TAP. Isto é, ao desenvolver CHAs, foi preciso gerenciar a amplitude e a profundidade da curva dos profissionais, antes durante e depois das ações educacionais, até que a aprendizagem seja processada a partir da transferência de aprendizagem para a prática do trabalho. O Framework Ponte TAP foi constituído por quatro camadas essenciais para o planejamento, execução e gestão das ações educacionais, a saber: a) desenvolvimento humano e organizacional e o processo “desempenho competente”; b) Universidade Corporativa em Rede e seus processos estruturantes; c) gestão da curva de aprendizagem por meio de ações de aprendizagem; d) processo de avaliação multinível e a transferência de aprendizagem para a prática do trabalho. O framework foi validado em uma organização brasileira de tecnologia e demonstrou ser efetivo, alcançando resultados que confirmam a aceleração da curva de aprendizagem e efetivação da transferência de aprendizagem para a prática de trabalho. Pode-se destacar três vieses contributivos do framework: a) contribuição teórica, que ficou evidente a partir do diálogo teórico-empírico entre universidade acadêmica e universidade corporativa, com discussões colaborativas, integrando conhecimentos estruturados aos conhecimentos embasados na experiência, o que, segundo David Kolb, resulta no real percurso de desenvolvimento profissional; b) contribuição para a ação, a partir da continuidade do Programa de Integração na organização e também pela rede colaborativa, que se estabeleceu entre mais de 20 stakeholders, os quais atuaram, de forma ativa, em cada uma das camadas de aplicação. Além da própria aceleração da curva de 12 meses para 3 meses; e) e contribuições práticas, uma vez que o framework é compatível com quaisquer análises que envolvam gestão da curva de aprendizagem e transferência de aprendizagem para a prática do trabalho, não sendo único e exclusivo do público e ambiente em que foi aplicado. Além disso, esse framework pode ser aplicado em redes internas e externas de aprendizagem, sendo uma importante ferramenta para profissionais e pesquisadores da área.

Palavras-chave: Transferência de aprendizagem para a prática do trabalho. Universidade Corporativa em Rede. Desempenho competente. Curva de aprendizagem.

Link para Download: Talita Caetano Silva.

FIGUEIREDO, Leonardo Souza Reis. Práticas de Gestão do Conhecimento e Barreiras à Aprendizagem Organizacional. Dissertação, 2019.

Nos ambientes contemporâneos, onde o acúmulo de competências técnicas e mercadológicas é essencial, a mudança é um elemento chave para que as organizações tenham seu amadurecimento empresarial e consequente permanência no mercado. A mudança de pensamentos e atitudes por parte dos indivíduos, dos grupos e da organização é tratada aqui pela alcunha de aprendizagem organizacional, e como inúmeras outras mudanças, estão sujeitas à resistências e barreiras. Essas barreiras à aprendizagem se espalham por todos os processos da aprendizagem, desde o insight do indivíduo até a institucionalização de um conhecimento. Como forma de mitigá-las, apresentam-se as práticas de gestão do conhecimento, um conjunto de atividades relativas ao conhecimento, ligadas aos processos de identificação, criação, armazenamento, compartilhamento e utilização de conhecimentos voltados para o aperfeiçoamento da gestão do conhecimento nas organizações. Desta forma o objetivo desta pesquisa é estabelecer as relações entre barreiras à aprendizagem organizacional e as práticas de gestão do conhecimento em uma organização de base industrial tecnológica. Esta é uma pesquisa de natureza descritiva, que se utiliza de uma abordagem qualitativa na forma de um estudo de caso único em uma organização industrial de base tecnológica. A coleta de dados deu-se por meio de entrevistas semiestruturadas com diretores e gerentes e observações dentro de uma organização escolhida. A análise destes dados foi realizada por meio de um cruzamento das informações contidas na literatura sobre os temas e as respostas obtidas nas entrevistas. Os resultados apontam a presença da aprendizagem organizacional na organização alvo, assim como barreiras a esta aprendizagem e a realização de práticas de gestão de conhecimento. Subsequentes análises permitem relacionar as barreiras à aprendizagem organizacional encontradas com as práticas de gestão do conhecimento consolidadas pela literatura. Mobilizando este conhecimento, pôde-se montar uma proposta que concilia práticas de gestão do conhecimento alinhadas com as necessidades da organização, visando atuar nos processos de aprendizagem organizacional considerados deficitários e levando em consideração os tipos de conhecimentos envolvidos. Acredita-se que a realização das ações propostas pela organização estudada contribuirá para a eficiência da aprendizagem organizacional e consequente renovação estratégica.

Palavras-chave: Práticas de Gestão do Conhecimento. Aprendizagem Organizacional. Barreiras à Aprendizagem Organizacional.

Link para download: Leonardo Souza Reis Figueiredo.

FOSSARI, Ivana Maria. Estratégias para o Compartilhamento do Conhecimento nos Processos de Hospitalização Pediátrica visando o Cuidado Resolutivo. Tese, 2018.

A sociedade do conhecimento vê o capital intelectual transformar-se em vantagem competitiva nas organizações onde informações e conhecimento são rapidamente articulados em redes. Nas organizações hospitalares, o modelo biomédico estabelecido é beneficiário desse processo dinâmico e complexo que se reflete, além das prescrições informatizadas, no acesso a exames laboratoriais e de imagens mediatizados pelo avanço tecnológico, que, diante do ritmo acelerado de seu desenvolvimento, coloca-se à frente, muitas vezes, do desenvolvimento das pessoas que habitam os espaços hospitalares. A medicina das conquistas científicas e tecnológicas, em contrapartida, perde gradativamente o olhar clínico generalista. No processo de hospitalização em pediatria, várias pesquisas nas áreas das ciências da saúde, humanas e sociais evidenciam que a abrangência da assistência à criança e acompanhante necessita do trabalho em equipe multidisciplinar para viabilizar o compartilhamento dos saberes na busca de uma visão sistêmica de saúde. A presente tese tem como objetivo estabelecer estratégias para o compartilhamento do conhecimento nos processos de hospitalização pediátrica visando o cuidado resolutivo. Para atingir o objetivo proposto, foi utilizada uma abordagem metodológica qualitativa e, em relação a sua classificação geral é do tipo exploratória e descritiva, utilizando como estratégia de pesquisa, o estudo de caso. A coleta de dados ocorreu por meio dos métodos: revisão bibliográfica; pesquisa documental; grupos focais; e entrevista semiestruturada. A revisão bibliográfica ocorreu em dois momentos, a revisão sistemática da literatura com buscas em três bases de dados: Scopus, Web of Science e Medline e a pesquisa bibliográfica. Para caracterizar as duas organizações hospitalares escolhidas, foi utilizada a pesquisa documental priorizando os documentos pertinentes ao tema proposto. Assim como, a aplicação das técnicas de grupo focal com profissionais da saúde, e de entrevistas semiestruturadas com os acompanhantes das crianças hospitalizadas, para compilar dados advindos dos sujeitos de pesquisa. Os dados coletados foram analisados sob a ótica da análise temática, dando suporte à criação de vinte e nove estratégias que, posteriormente, foram validadas por especialistas, por meio do método Delphi, em três rodadas consecutivas. Ao final da terceira rodada, obtiveram-se vinte seis estratégias, sendo estas as estabelecidas para o compartilhamento nos processos de hospitalização pediátrica visando o cuidado resolutivo.

Palavras-chave: Processo de Hospitalização. Hospitalização Pediátrica. Compartilhamento do Conhecimento.

Link para download: Ivana Maria Fossari

CEMIN, Xênia. Sistemas de Memória Organizacional: um Estudo de Caso. Dissertação, 2018.

Os sistemas de memória organizacional podem ser entendidos como um conjunto de dispositivos de retenção de conhecimento que coletam, armazenam e proveem acesso à experiência organizacional. Este  trabalho objetivou analisar a percepção da efetividade dos sistemas de memória organizacional baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina. Para tanto, foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados Scopus e Web of Science e uma revisão narrativa a fim de se compreender as temáticas de memória organizacional e sistemas de memória organizacional. Foram escolhidas 17 publicações que satisfazem ao escopo da pesquisa e estão compreendidas entre o período de 1995 e 2017. A percepção da efetividade dos SMO baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina, considerou as características de conteúdo, estrutura e processos de coleta, manutenção e acesso ao conhecimento experiencial. Verificou-se que o site institucional, e-mail institucional, repositório de arquivos e as mídias sociais são os SMO baseados em computador utilizados pelos jornalistas no apoio às suas atividades de comunicação institucional, sendo todos esses sistemas acessados por meio da tecnologia. Foram consideradas como efetivas as características relacionadas ao conteúdo dos SMO em suas atividades laborais. Já em relação à estrutura de indexação, percebeu-se que a maioria dos SMO são pouco efetivos, retratando negativamente sua utilização e recuperação. No que se refere aos processos operativos de coleta, verificou-se que a maioria dos SMO pesquisados foi classificada como não filtrada. De modo geral e em relação à manutenção dos conteúdos nos repositórios pesquisados, em sua maioria foi classificada como formal, e teve a percepção comprometida em relação a essa característica do sistema devido a não haver uma política de manutenção relacionada à atualização e gerenciamento dos arquivos nos repositórios. Por fim, verificou-se que mesmos os sistemas de memória organizacionais sendo diferentes, há uma ligação entre eles em relação à sobreposição de conteúdo.

Palavras-chave: Memória organizacional. Sistema de memória organizacional. Instituição de ensino superior pública.

Link para download: Xênia Cemin