Home » Archive by category "Engenharia do Conhecimento"

PEREIRA, Larissa Mariany Freiberger. OGDPub: UMA ONTOLOGIA PARA PUBLICAÇÃO DE DADOS ABERTOS GOVERNAMENTAIS. Dissertação, 2017.

Embora um número significante de agências governamentais vem aderindo ao movimento de dados abertos, no Brasil os municípios enfrentam sérias dificuldades para se inserirem neste movimento. A maior parte dos municípios não disponibilizam seus dados brutos, apenas relatórios com informações já processadas. Observa-se ainda uma considerável dificuldade para encontrar estes dados na Web e, quando encontrados, não é tarefa simples compreendê-los. Se os dados não são encontrados ou não são compreendidos, tornam-se subutilizados. Neste sentido, a presente pesquisa propõe uma ontologia de domínio (OGDPub) que apoie a publicação de dados abertos governamentais publicados por municípios brasileiros. A ontologia proposta fornece um arcabouço de metadados para descrição dos datasets, permite que a estrutura organizacional do município seja representada e propõe uma classificação dos datasets em uma linguagem compreensível ao cidadão. Espera-se, com isso, que estes dados sejam encontrados mais facilmente na Web, que sua compreensão seja mais simples e, por fim, que seja dada proveniência aos datasets. A verificação da OGDPub se deu em duas etapas, a saber: (1) instanciação de datasets reais de uma cidade brasileira na ontologia e (2) realização de consultas SPARQL simulando buscas realizadas por usuários. Por fim, acredita-se que a OGDPub colabore para que os dados governamentais oriundos de municípios brasileiros sejam disponibilizados ao público em formato aberto e que seu uso seja facilitado.

Link para Download: Larissa Maryane Freiberger Pereira

MARTÍNEZ, Diego Jessie. Sistema Baseado em Conhecimento (SBC) de Apoio à Capacitação Organizacional. Dissertação, 2017.

Evitar a perda da memória organizacional e a dependência de uma ou poucas pessoas é um desafio da Era do Conhecimento. Conhecimentos chave são aqueles vitais para o cumprimento da missão, permitem alcançar os objetivos estratégicos e estão alinhados com a construção da visão organizacional. Conhecimentos chave, independentes do nível (estratégico, tático ou operacional), criam vantagens competitivas de longo, médio e curto prazo. O objetivo desta pesquisa é propor um Sistema Baseado em Conhecimento (SBC) de apoio à capacitação organizacional. A aplicação foi realizada em uma instituição bancária. É utilizado um método que combina a metodologia de engenharia de ontologias e método incremental de desenvolvimento. Engenharia de ontologias é uma metodologia, da Engenharia do Conhecimento (EC), para o desenvolvimento ordenado e por etapas de SBC. O método incremental permite chegar de forma ágil no primeiro protótipo, para posteriormente, ir incorporando novas funcionalidades em ciclos curtos sucessivos. Como resultado deste trabalho, tem-se a proposta de um SBC, suportado por ontologia, para apoio ao aprendizado e ferramenta de consulta no domínio do curso Autorregulação Bancária – Conhecimentos Gerais. Adicionalmente, foram propostas métricas de avaliação do desempenho da Gestão do Conhecimento (GC) para este e outros cursos de capacitação semelhantes na organização. A aplicação do método permitiu concluir que a metodologia híbrida, aqui proposta, auxilia efetivamente o desenvolvimento de SBC de apoio à capacitação organizacional, pudendo ser replicável em outros cursos, e tendo como critérios fundamentais a agregação de valor, a escalabilidade e a interoperabilidade.

 

Link do Download: Diego Jessie Martínez

GOMES, Murilo Silveira. Proposta de Arquitetura para Ecossistema de Inovação em Dados Abertos. Dissertação, 2017.

Os ecossistemas de inovação e de software utilizam de tecnologias para apoiar seus objetivos. Estes ecossistemas possuem particularidades, mas também muita semelhança em alguns aspectos, como por exemplo, a inovação. As tecnologias semânticas por sua vez vem sendo destaque em pesquisas e no desenvolvendo de algumas tecnologias que auxiliam no vislumbre semântico dos dados. Não foi identificado na literatura nenhum estudo que realizasse um paralelo entre os dois ecossistemas e que utilizasse como base as tecnologias semânticas em um ecossistema. Desta forma, esta dissertação tem como objetivo propor uma modelagem de um ecossistema de inovação baseado em tecnologias semânticas utilizando elementos que compõem os ecossistemas de inovação e de software. Para a coleta dos dados, foi utilizado do método de revisão sistemática realizada em três bases de dados SCOPUS, IEEE e Web of Science e priorizando os papers dos últimos cinco anos para coleta de dados sobre os ecossistemas de inovação e de software, e uma revisão narrativa para dar embasamento sobre as tecnologias semânticas. Como resultados obtidos, foram elencados características e/ou fatores de sucesso dos ecossistemas de inovação e software, realizando o seu agrupamento, e foram identificados também na literatura as tecnologias e ciclos de vida que auxiliam na publicação de dados. Como resultado final desta dissertação, foi proposto uma arquitetura e recomendações que utilizam os elementos pertencentes de ambos os ecossistemas de inovação e de software, agregando um ciclo de vida e as tecnologias que auxiliem na publicação de dados a este ecossistema de inovação em tecnologias semânticas. É observado neste estudo uma oportunidade de execução para obtenção de resultados reais, contribuindo com uma evolução para este trabalho, abrindo novas oportunidades de pesquisas e uma nova perspectiva de serviços e produtos que podem ser oferecidos a sociedade.

 

Link para download: Murilo Gomes

ANDRIANI, Mateus Lohn. Um Método para a Construção de Taxonomias Utilizando a DBPedia. Tese, 2017.

O processo de criação de taxonomias demanda esforço de especialistas de domínio, engenheiros de taxonomias, investimento financeiro e tempo. Devido às limitações existentes em fornecer estes recursos em sua integralidade em diversas organizações, muitos projetos que envolvem a construção de taxonomias não atingem o êxito esperado. Este trabalho pretende auxiliar na construção de taxonomias através da proposição de um método automatizado para a sua construção. Para a construção deste método, foi adotada uma série de procedimentos metodológicos, que se iniciou com o levantamento do referencial teórico sobre taxonomias e sua construção. Em sequência, foi realizada uma busca sistemática no domínio de construção automatizada de taxonomias, buscando encontrar abordagens e procedimentos já existentes neste campo de estudo. A partir desta revisão, foi elaborado um método para a geração de taxonomias a partir de repositórios de informações textuais com o apoio de bases de conhecimento, que fornecem as relações hierárquicas para verificação das relações taxonômicas entre os termos. Uma implementação deste método em formato de software foi realizada, utilizando uma amostra de currículos da área de conhecimento das Ciências Agrárias cadastrados na Plataforma Lattes como repositório de informações. A versão em português da DBpedia foi adotada como base de conhecimento neste experimento. Esta implementação também adota um processo de reconhecimento de entidades para a descoberta dos termos relevantes que podem ser cadastrados nas taxonomias. As propostas de taxonomias geradas pela implementação foram comparadas estatisticamente com o tesauro AGROVOC, referência na área da agricultura. Com a análise, verificou-se que 60% a 80% dos termos encontrados nas taxonomias geradas pela implementação também estão presentes no AGROVOC, sendo esta oscilação pertinente aos parâmetros de filtragem informados na entrada do método, o repositório de informações textuais utilizado e a base de conhecimento empregada para validação das relações hierárquicas.
Link para download: Mateus Lohn

LEONARDI, Juliana. Ferramenta Avaliativa de Relações Dimensionais na Criação de Conhecimento. Tese, 2017.Link para Download:

A complexidade organizacional tem sido analisada com base em diferentes aspectos que afetam o ambiente interno das organizações, tais como, tecnologias, múltiplas relações com parceiros internos e externos, adaptação por diferenças culturais, aprendizagem e compartilhamento de conhecimento. Dessa forma, as organizações podem ser consideradas como sistemas complexos de incertezas e interações. Sob este aspecto, esta pesquisa visa propor um modelo para avaliação de relações dimensionais na criação de conhecimento organizacional. Para tanto, buscou-se por meio de uma revisão sistemática da literatura, quais dimensões organizacionais estão relacionadas e contribuem na criação de conhecimento. As dimensões identificadas na literatura foram: Cultura Organizacional (CO), Aprendizagem Organizacional (AO), Cognição Organizacional (CgO), Capital Intelectual (CI), Processos e Rotinas (PR), Espaço Tempo Organizacional (ET), Fluxo de Comunicação (FC), Epistemológica (Ept), Ontológica (Ont), Capacidade de Absorção (CA) e Axiológica (Axl). O modelo foi desenvolvido levando em consideração a arquitetura do principal símbolo kabbalístico – a Árvore Sefirótica. Esse símbolo é composto por dez sefiroth e uma não sefirha (DA’AT) com o qual procura representar o cosmo em toda a sua complexidade. O agrupamento de algumas sefiroth na estrutura sefirótica representa três estágios distintos na criação de conhecimento – o cognitivo, o emocional e o comportamental/ação. Esse sistema holístico e complexo pode ser comparado a um sistema organizacional, e o modelo proposto intenciona uma representação estrutural de dimensões organizacionais que podem expressar a complexidade organizacional na criação de conhecimento de forma holística. Compõe o modelo um instrumento avaliativo, validado por especialistas (doutores com ampla visão de negócio em empresas intensivas em conhecimento), que possibilitou a construção de uma escala de métricas dimensionais. O instrumento foi aplicado em cinco empresas de core business distintos para investigar o grau da capacidade de criação de conhecimento organizacional. Para tratamento e análise dos dados foram aplicados os conceitos da Lógica Fuzzy que proporciona tratamento matemático de incertezas da vida, do pensamento humano e de ambientes complexos. Os resultados mostraram que, para cada empresa, a criação de conhecimento organizacional se comporta de forma única revelando em qual nível (cognitivo, emocional e comportamental) de conhecimento a empresa expressa maior capacidade criativa. Esta capacidade de criação de conhecimento organizacional é uma representação do fluxo de energia que interconecta toda a arquitetura holística do símbolo kabbbalístico.

 

Link para Download: Juliana Leonardi

SPERONI, Rafael de Moura. Modelo de Referência Para Indicadores de Inovação Regional Suportado por Dados Ligados. Tese, 2016.

A inovação está associada à implementação de um novo, ou significativamente melhorado, produto ou processo, método de marketing, ou método organizacional, e é reconhecida como um fator-chave para o desenvolvimento econômico. Em função de suas características, a inovação passou a ser vista como um processo complexo que acontece em um ambiente onde diferentes tipos de atores interagem em um sistema, que, quando considerado sob o contexto regional, é chamado de Sistema Regional de Inovação, e que demanda de estratégias e políticas que incentivem e potencializem o desenvolvimento das atividades de inovação, e de ferramentas para avaliação das ações. Diferentes índices são propostos para a mensuração da inovação ao nível das empresas ou em nível nacional, mas que são de difícil aplicação em nível regional, em função subjetividade de escolha das variáveis e da falta de disponibilidade de dados. Esta tese propõe um modelo de referência concebido a partir da análise dos modelos de indicadores compostos para mensuração da inovação regional apresentados na literatura, propondo uma classificação hierárquica para os indicadores. Valendo-se de tecnologias semânticas, o modelo é suportado por Dados Ligados, objetivando a exploração do potencial de dados regionais disponibilizados na Web por iniciativas de dados abertos e transparência pública na definição de índices específicos para a inovação regional, em uma forma tal que possibilitem o seu processamento automatizado. Uma prova de conceito é apresentada com a finalidade de demonstrar a viabilidade de utilização do modelo em aplicações reais. Dados sobre municípios de duas mesorregiões do estado de Santa Catarina foram coletados e publicados na forma de dados ligados e foi desenvolvido um protótipo de aplicação Web para visualização e análise comparativa entre diferentes níveis regionais e de agregação de indicadores.

 

Link para download: Rafael de Moura Speroni

 

TAXWEILER, Rudger Nowasky do Nascimento. Um Modelo Para a Extração de Perfil de Especialista Aplicado às Ferramentas de Expertise Location e Apoio à Gestão do Conhecimento. Dissertação, 2016.

As ferramentas de Expertise Location podem ser utilizadas amplamente na Gestão do Conhecimento para apoiar a identificação e o compartilhamento do conhecimento. Porém, manter os dados dos colaboradores de uma organização atualizados nessas ferramentas pode ser desafiador. Muitas vezes, os colaboradores precisam preencher as mesmas informações em diversos sistemas. Como uma abordagem alternativa para simplificar esse processo de atualização dos dados, este trabalho propõe um modelo para a extração automática de perfis de especialistas a partir de seus documentos não estruturados. Assim, realizou-se uma pesquisa aplicada e exploratória com base em uma revisão integrativa da literatura, a qual resultou na identificação das abordagens atuais para a extração de perfil de especialista que permitisse a construção desse modelo. A partir dessas abordagens, foram elaborados um modelo conceitual e um protótipo baseados em Processamento de Linguagem Natural para a tarefa de extração de informações de perfil de especialistas que possam fornecer insumos para a identificação de seus conhecimentos e de suas áreas de interesse. A implementação do protótipo resultou também em uma ferramenta de código aberto. Tal ferramenta é disponibilizada em um site público, em conjunto com o seu código-fonte, e gera uma página de perfil com o uso de componentes de tag cloud e timeline. Com o intuito de verificar a viabilidade do modelo proposto, a partir de documentos de voluntários, foram executados testes comparando os perfis gerados pela ferramenta com os perfis presentes na rede social LinkedIn. Os resultados dos testes demonstraram que o modelo proposto pode representar uma alternativa viável para a geração de perfis de especialistas de forma automática com o objetivo de apoiar as ferramentas de Expertise Location em uma organização. Consequentemente, a adoção desse modelo pode reduzir a necessidade de atualizações constantes dos perfis de especialistas de forma manual.

 

Link para download: Rudger Nowasky do Nascimento Taxweile

WOSZEZENK, Cristiane Raquel. Modelo Para Descoberta de Conhecimento Baseado em Associação Semântica e Temporal Entre Elementos Textuais. Tese, 2016

O aumento da complexidade nas atividades organizacionais, a vertiginosa expansão da Internet e os avanços da sociedade do conhecimento são alguns dos responsáveis pelo volume inédito de dados digitais. Essa crescente massa de dados apresenta grande potencial para a análise de padrões e descoberta de conhecimento. Nesse sentido, a análise dos relacionamentos presentes nesse imenso volume de informações pode proporcionar novos e, possivelmente, inesperados insights. A presente pesquisa constatou a escassez de trabalhos que consideram adequadamente a semântica e a temporalidade dos relacionamentos entre elementos textuais, características consideradas importantes para a descoberta de conhecimento. Assim, este trabalho propõe um modelo para descoberta de conhecimento que conta com uma ontologia de alto-nível para a representação de relacionamentos e com a técnica Latent Semantic Indexing (LSI) para determinar a força de associação entre termos que não se relacionam diretamente. A representação do conhecimento de domínio, bem como, a determinação da força associativa entre os termos são realizadas levando em conta o tempo em que os relacionamentos ocorrem. A avaliação do modelo foi realizada a partir de dois tipos de experimentos: um que trata da classificação de documentos e outro que trata da associação semântica e temporal entre termos. Os resultados demonstram que o modelo: i) possui potencial para ser aplicado em tarefas intensivas em conhecimento, como a classificação e ii) é capaz de apresentar curvas da força associativa entre dois termos ao longo do tempo, contribuindo para o levantamento de hipóteses e, consequentemente, para a descoberta de conhecimento.

Link para download: Tese_Cristiane Raquel Woszezenki_Versao Final

SILVA, Edson Rosa Gomes. Arquitetura de Conhecimento para Eparticipação: Superando o Problema da Agência com a Engenharia do Conhecimento. tese, 2016.

A Teoria da Agência estuda a relação entre o administrador e o
proprietário do meio de produção. Pela teoria, o comportamento do
administrador pode não estar totalmente alinhado aos interesses da
organização. A teoria aponta para necessidade do monitoramento das
ações desenvolvidas pelo administrador (Agente) para não prejudicar os
interesses do proprietário (Principal). O estudo partiu da governança
corporativa na esfera privada, mas a teoria foi gradativamente
incorporada na análise das instituições públicas. A resolução dos
problemas evidenciados pela teoria refere-se ao alinhamento de
interesses, à transparência das ações e à Accountability, para aprimorar o
controle social. O governo eletrônico, empregando TICs, pode vencer as
barreiras encontradas pela sociedade no processo de participação
eletrônica, criando canais de interação entre cidadãos e governo.
Entretanto, apenas formalização de canais não possibilita participar
efetivamente das ações propostas pelos gestores públicos. Este trabalho
estruturou uma arquitetura de conhecimento que guia a efetivação da eparticipação
nos órgãos públicos. Essa foi amparada pela engenharia do
conhecimento (EC), pois a metodologia adequada e as técnicas ajudarão
no recebimento, tratamento e conversão da informação em
conhecimento para auxiliar a tomada de decisão do gestor público. A
arquitetura de conhecimento para e-participação procurou mitigar os
problemas da agência na esfera pública, possibilitando aos cidadãos
monitorar as ações desenvolvidas, por meio das TICs e amparada pela
EC. Sua verificação foi por aplicação na segurança pública, nos
Conselhos Comunitários de Segurança. Os estágios para aplicação são
apresentados desde o encaminhamento das demandas, passando por
explicitação das necessidades da comunidade até resolutibilidade pelas
ações do gestor público, possibilitando acompanhar a resolução dos
problemas levantados na localidade. Foi empregado o método sistêmico,
para estruturar a argumentação e auxiliar na identificação das interrelações
nos processos de aquisição e explicitação do conhecimento. A
estruturação da arquitetura foi organizada para identificar os atores, os
processos, os conhecimentos e as interações, visando à transparência nas
demandas e ao acompanhamento de resoluções dos problemas pelos eparticipantes
nas comunidades.

 

Link para download: Edson Rosa Gomes da Silva

JUNIOR, Vanderlei Freitas. Ontologia para Representação Semântica de Indicadores de Desempenho Considerando Aspectos de Vaguidade, Temporalidade e Relacionamento entre Indicadores. Tese, 2016.

Os indicadores são amplamente utilizados pelas organizações como forma de avaliar, medir e classificar o desempenho organizacional. Parte integrante de sistemas de avaliação de desempenho, os indicadores são, muitas vezes, compartilhados ou comparados com diferentes setores internos ou até mesmo com outras organizações. Entretanto, alguns indicadores possuem associada certa vaguidade e imprecisão, carecendo-lhe também de semântica. Desta forma, a presente tese ocupou-se de apresentar um modelo de conhecimento baseado em ontologia e lógica difusa para representar semanticamente e de forma genérica os indicadores, tratando-se a imprecisão e vaguidade, além de contribuir incluindo a percepção da temporalidade e relacionamento entre indicadores. Utilizando-se a metodologia Design Science Research Methodology, o modelo foi considerado adequado, evidenciando, através da realização de entrevistas, a importância da representação da imprecisão, vaguidade, temporalidade e o relacionamento entre diferentes indicadores no contexto de avaliação de desempenho.

 

Link para download: Vanderlei Freitas Junior