Home » Archive by category "Tese" (Page 5)

NUNES, Elton Luiz Vergara. Audiodescrição Didática. Tese, 2016.

Na atual sociedade do conhecimento, em que as imagens passaram a ocupar um lugar privilegiado na disseminação do conhecimento, com recursos de visualização cada vez mais presentes, é necessário encontrar um caminho de inclusão para os cidadãos cegos, a fim de que possam exercer seu direito de conhecer e apreender a realidade. Em um país onde cerca de 19% da população tem deficiência visual, com mais de 543 mil pessoas cegas, o acesso a esse tipo de material visual fica bastante prejudicado se não forem adotados recursos de acessibilidade adequados. A tecnologia assistiva chamada audiodescrição apresenta-se como possibilidade para esse acesso. Esta pesquisa, sob a ótica da teoria da enação e da externalização do conhecimento, busca verificar se tais recursos de acessibilidade são capazes de dar a esses aprendizes condições para apreenderem os conteúdos visuais e compartilharem o conhecimento neles veiculados, no contexto de aprendizagem. Com uma pesquisa qualitativa, interpretativista, valoriza-se a experiência e a subjetividade dos sujeitos, que poderão oferecer subsídios suficientes para que sejam elaboradas recomendações para apresentação de material de visualização do conhecimento para o aprendizado compartilhado com pessoas cegas. Com a questão de pesquisa “Como deve caracterizar-se a audiodescrição dos materiais escolares que permita ao aprendiz cego o acesso ao conteúdo didático visual no contexto de sala de aula?”, propõe-se um conjunto de recomendações para a elaboração de roteiros de audiodescrição com fins didáticos de imagens que veiculam conhecimento, para aprendizes cegos, com a intenção de possibilitar o aprendizado compartilhado desses sujeitos. Percebeu-se que a audiodescrição didática, utilizada com a intenção de auxiliar o aluno a aprender um conteúdo a partir de uma imagem, vai além da mera tradução visual objetiva dessa imagem; abandona a linguagem pretensamente neutra e assume seu papel de ferramenta de ensino nas mãos do professor-audiodescritor, torna-se, ela mesma, um recurso didático não limitado à ferramenta intermediadora.

 

Link para download: Elton Vergara Nunes

SILVA, Edson Rosa Gomes. Arquitetura de Conhecimento para Eparticipação: Superando o Problema da Agência com a Engenharia do Conhecimento. tese, 2016.

A Teoria da Agência estuda a relação entre o administrador e o
proprietário do meio de produção. Pela teoria, o comportamento do
administrador pode não estar totalmente alinhado aos interesses da
organização. A teoria aponta para necessidade do monitoramento das
ações desenvolvidas pelo administrador (Agente) para não prejudicar os
interesses do proprietário (Principal). O estudo partiu da governança
corporativa na esfera privada, mas a teoria foi gradativamente
incorporada na análise das instituições públicas. A resolução dos
problemas evidenciados pela teoria refere-se ao alinhamento de
interesses, à transparência das ações e à Accountability, para aprimorar o
controle social. O governo eletrônico, empregando TICs, pode vencer as
barreiras encontradas pela sociedade no processo de participação
eletrônica, criando canais de interação entre cidadãos e governo.
Entretanto, apenas formalização de canais não possibilita participar
efetivamente das ações propostas pelos gestores públicos. Este trabalho
estruturou uma arquitetura de conhecimento que guia a efetivação da eparticipação
nos órgãos públicos. Essa foi amparada pela engenharia do
conhecimento (EC), pois a metodologia adequada e as técnicas ajudarão
no recebimento, tratamento e conversão da informação em
conhecimento para auxiliar a tomada de decisão do gestor público. A
arquitetura de conhecimento para e-participação procurou mitigar os
problemas da agência na esfera pública, possibilitando aos cidadãos
monitorar as ações desenvolvidas, por meio das TICs e amparada pela
EC. Sua verificação foi por aplicação na segurança pública, nos
Conselhos Comunitários de Segurança. Os estágios para aplicação são
apresentados desde o encaminhamento das demandas, passando por
explicitação das necessidades da comunidade até resolutibilidade pelas
ações do gestor público, possibilitando acompanhar a resolução dos
problemas levantados na localidade. Foi empregado o método sistêmico,
para estruturar a argumentação e auxiliar na identificação das interrelações
nos processos de aquisição e explicitação do conhecimento. A
estruturação da arquitetura foi organizada para identificar os atores, os
processos, os conhecimentos e as interações, visando à transparência nas
demandas e ao acompanhamento de resoluções dos problemas pelos eparticipantes
nas comunidades.

 

Link para download: Edson Rosa Gomes da Silva

PIVETTA, Elisa Maria. Criação de Valores em Comunidades de Prática: Um Framework para um Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem Bilíngue. Tese, 2016.

Esta tese propõe um framework para interação em ambiente virtual de ensino e aprendizagem bilíngue (língua portuguesa e língua de sinais) fundamentada na Teoria da Cognição Situada em Comunidades de Prática. O processo teórico orientador requer que os ambientes virtuais contemplem os aspectos da socialização, participação, engajamento, relacionamento, aprendizagem e compartilhamento, visando à criação de valores para o capital do conhecimento. O Ambiente virtual de ensino e aprendizagem (AVEA) Moodle, por ser colaborativo, visual, de código fonte aberto, passível de integrar tecnologias internas e externas e usado em grande escala na educação (presencial e à distância), foi selecionado como objeto de estudo. Por outro lado, a literatura e as pesquisas realizadas nesta tese mostram que o Moodle carece de aprimoramento para atender às diferentes habilidades. O procedimento metodológico contemplou pesquisas de cunho qualitativo e exploratório, por meio de entrevistas, ensaios de interação e questionários, a fim de avaliar o Moodle com o público alvo e elicitar requisitos para propor um protótipo de ambiente virtual bilíngue. A otimização do Moodle foi executada por meio do desenvolvimento e integração de novas tecnologias, gerando o protótipo que foi denominado de MooBi (Moodle Bilíngue). Para a especificação dos requisitos, foi realizada uma verificação do MooBi com o público alvo, utilizando as técnicas ensaios de interação e questionário. A análise e verificação dos requisitos permitiram detectar inconformidades, gerar especificações, sugestões e novas recomendações, dando origem ao framework Interato, uma estrutura conceitual para um AVEA bilíngue com criação de valores em Comunidades de Prática.

Link para download: Elisa Maria Pivetta

MARQUES, Jamile Sabatini. Reforming Technology Company Incentive Programs for Achieving Knowledge-Based Economic Development: A Brazil-Australia Comparative Study. Tese, 2016.

Esta tese busca demonstrar a importância do fomento para empresas de base tecnológica como estratégia para promover o desenvolvimento econômico baseado no conhecimento (DEBC). As empresas de base tecnológica para que se mantenham competitivas devem inovar e buscar novos mercados, neste sentido a pesquisa tem por objetivo propor um modelo de fomento às empresas de base tecnológica como estratégia para a promoção do desenvolvimento urbano baseado no conhecimento. A pesquisa é de natureza exploratória e descritiva com uma abordagem qualitativa. Foram feitas pesquisas por meio de entidades de classe com representatividade nacional que representem empresas de base tecnológicas no Brasil e na Austrália. Após análise dos questionários foram feitas entrevistas estruturadas com representantes do governo, entidades de classe e empresários que já receberam aporte financeiro por parte do governo federal. Após feito o comparativo entre os dois países percebe-se a importância do fomento de forma direta por meio de incentivos fiscais, como um processo menos burocrático, rápido e direto para as empresas. É sugerida a inclusão do termo fomento no framework de desenvolvimento urbano baseado no conhecimento, como um dos pilares que contribuem para o desenvolvimento econômico baseado no conhecimento.

 

Link para download: Jamile Sabatini Marques

JUNIOR, Vanderlei Freitas. Ontologia para Representação Semântica de Indicadores de Desempenho Considerando Aspectos de Vaguidade, Temporalidade e Relacionamento entre Indicadores. Tese, 2016.

Os indicadores são amplamente utilizados pelas organizações como forma de avaliar, medir e classificar o desempenho organizacional. Parte integrante de sistemas de avaliação de desempenho, os indicadores são, muitas vezes, compartilhados ou comparados com diferentes setores internos ou até mesmo com outras organizações. Entretanto, alguns indicadores possuem associada certa vaguidade e imprecisão, carecendo-lhe também de semântica. Desta forma, a presente tese ocupou-se de apresentar um modelo de conhecimento baseado em ontologia e lógica difusa para representar semanticamente e de forma genérica os indicadores, tratando-se a imprecisão e vaguidade, além de contribuir incluindo a percepção da temporalidade e relacionamento entre indicadores. Utilizando-se a metodologia Design Science Research Methodology, o modelo foi considerado adequado, evidenciando, através da realização de entrevistas, a importância da representação da imprecisão, vaguidade, temporalidade e o relacionamento entre diferentes indicadores no contexto de avaliação de desempenho.

 

Link para download: Vanderlei Freitas Junior

LAPOPLLI, Juliana. CONEXÃO FCEE (físico, cognitivo, emocional e espiritual) como um Processo de Autoconhecimento para o Desenvolvimento de Líderes. Tese, 2016.

Diante da rapidez nas mudanças, imprevisibilidade e competitividade do ambiente no qual as organizações estão inseridas, é necessário possuir como diferencial a gestão eficaz e eficiente das pessoas que as compõem. As ferramentas, abordagens ou métodos de desenvolvimento de líderes são numerosos e formam um conjunto de técnicas que têm evoluído ao longo do tempo. A busca pelo autoconhecimento permite ao indivíduo perceber que enxerga o mundo através de seus próprios pontos de vista, e que eles são somente seus e não verdades universais. Essa consciência permite a compreensão das diferenças entre as pessoas e a consequente diminuição do egocentrismo do líder, aumentando em muito a sua capacidade e do seu grupo. Neste contexto, este trabalho tem como objetivo: Criar estratégias para o processo de autoconhecimento em líderes, fundamentadas nos aspectos físico, emocional, cognitivo e espiritual, utilizando como base a Teoria Geral de Sistemas. Para os fins a que se propõe este estudo, o procedimento metodológico seguiu a linha da Pesquisa Quantitativa e Qualitativa, de cunho Exploratório e Descritivo, sendo que utilizou instrumentos como questionário fechado, análise estatística, questionário aberto, análise de conteúdo e o método Delphi. A abordagem utilizada está de acordo com o pensamento sistêmico, pois leva em consideração o ambiente externo/sociedade, o mercado, a organização, os processos e as pessoas, todos esses como subsistemas interligados. Como resultado da pesquisa foram criadas estratégias CONEXÃO FCEE (físico, cognitivo, emocional e espiritual), validadas por especialistas (método Delphi). Salienta-se que todas as estratégias apontadas fazem parte de um processo muito pessoal, e que cabe a cada líder a forma de trabalhá-las. Assim, o caminho adotado para um líder não fundamentalmente deverá ser o mesmo adotado por outro, cada um iniciará em um ponto de partida, que diz respeito ao nível de autoconhecimento que se encontra e trilhará caminhos de acordo com suas necessidades, prioridades etc.

 

Link para download: Juliana Lapolli

SANTOS, Fabiana Besen. O processo de liderança em contexto espiritualizado: a Escola Waldorf Anabá. Tese, 2015.

Este trabalho se propõe a estudar como acontece o processo de liderança em organizações intensivas em conhecimento com um contexto espiritualizado. Nesta pesquisa, considero as escolas como uma organização intensiva em conhecimento, visto que em suas atividades fazem uso do conhecimento e, ainda, seu produto final está baseado no conhecimento. Realizei a revisão da literatura com diversas estratégias de buscas em bases nacionais e internacionais. Nas buscas nacionais, utilizei três estratégias, com os descritores: liderança, espiritualidade e OIC; liderança OIC ou escola; liderança e espiritualidade. Nas bases internacionais, utilizei quatro estratégias de buscas, com os termos em inglês de liderança, espiritualidade e OIC; liderança, espiritualidade e escola; liderança e OIC; liderança e espiritualidade. Na literatura, identifiquei poucos trabalhos que aproximam a liderança, a espiritualidade e as escolas. Eles trazem uma abordagem centrada no indivíduo, ou seja, no líder, apontando a espiritualidade baseada nos valores praticados pelo líder. A contribuição que encontrei nessa estratégia de busca foi a abordagem da liderança distribuída nas escolas, proposta por Gronn (2002) e Spillane (2005). Os trabalhos sobre a liderança em OIC também trouxeram abordagens centradas no líder, analisando seus desafios e suas características em uma OIC. Por fim, nos estudos sobre a liderança e espiritualidade localizei os estudos de Fry (2003) que abordam a proposta da liderança espiritual e estão entre os principais trabalhos que estabelecem a conexão entre os dois termos. Contudo, o seu modelo da liderança espiritual baseia-se em uma perspectiva de causa e consequência, cuja preocupação está em estabelecer as correlações entre os elementos do modelo. É uma proposta fortemente ligada à relação líder-seguidor e, portanto, não aponta caminhos sobre como estudar o processo de liderança no âmbito organizacional. Assim, em meu caminho tive que buscar uma abordagem processual da liderança e uma forma de analisar o ambiente espiritualizado de uma organização intensiva em conhecimento. De um lado, encontrei a liderança relacional que considera a liderança um processo construído socialmente. De outro, os estudos sobre a espiritualidade nas organizações que também embasam a proposta da liderança espiritual. Com essa base teórica, segui para o campo utilizando os métodos da etnografia. Realizei a pesquisa na Escola Waldorf Anabá, em Florianópolis, entre o período de julho a dezembro de 2014. Para o estudo, usei as técnicas de observação participante, análise documental e entrevistas etnográficas. No total, entrevistei 33 pessoas, entre professores, secretárias, bibliotecária, administrador e pais. Realizei a transcrição de todas as entrevistas e analisei os dados com base na análise temática proposta por Braun e Clarke (2006). Foi a partir dos dados do campo que estabeleci os códigos e, em seguida, agrupei-os em temas. A partir dos resultados, conclui que a proposta de processo de liderança elaborada no referencial teórico com base na liderança relacional não foi suficiente para compreender a realidade organizacional do Anabá. O processo de liderança nessa escola, além de emergir a partir das relações construídas no seu cotidiano, distribuí-se em toda a organização de duas formas. A primeira acontece nas relações de influência e poder distribuídas nas instâncias que compõem sua estrutura organizacional, conferindo fluidez a essa forma com que emerge a liderança. A segunda ocorre nas relações de influência social construídas entre as pessoas da escola. Assim, o processo envolve a abordagem da liderança distribuída e da liderança relacional. Ainda, faz parte do processo de liderança do Anabá um conjunto de três elementos que influenciam as formas como emerge a liderança que denominei de elementos influenciadores: a experiência, o conhecimento e o sentimento. É a partir desses elementos que as pessoas influenciam os outros e também são influenciadas nos processos de tomada de decisão e de liderança. Por fim, observei que o processo de liderança é influenciado pelo contexto espiritualizado do Anabá. Ele está fundamentado nos princípios da Antroposofia e é caracterizado pelos valores espirituais expressos pelas pessoas que buscam o seu autodesenvolvimento, encontram sentido no trabalho na escola e se sentem pertencentes a uma comunidade. Esse contexto espiritualizado influencia o processo de liderança com a construção de um ambiente aberto e livre, propiciando a emergência das lideranças e favorecendo o desenvolvimento da teia de relações de poder entre as instâncias.
Link para download: Fabiana Besen Santos

DAl TOÉ, Rosane Deoclésia Aléssio. Análise de Fatores Críticos à Implantação de Parques Científicos: Um Estudo de Caso. Tese, 2015.

O objetivo deste estudo é identificar fatores críticos à implantação de
Parques Científicos e Tecnológicos (PCTs). Mesmo havendo um
número crescente de PCTs em implantação no Brasil e no exterior,
ainda existe lacuna na literatura sobre esse processo. Entende-se que,
para que a implantação seja bem-sucedida, é necessário conhecer e
gerenciar os fatores críticos envolvidos. Assim, com o intuito de
identificar os fatores críticos de sucesso para a implantação de parques
científicos, foi realizada uma revisão sistemática de literatura na base de
dados Scopus, dos estudos relacionados ao tema publicados entre os
anos de 2009 e 2015. Em paralelo, foi realizado um estudo de caso por
meio de análise documental, que garantiu fidelidade de dados e ofereceu
condições de inventariar as atividades e projetos desenvolvidos pelo
PCT estudado. Também possibilitou mapear as ações planejadas em
conjunto com as esferas pública e privada e, por fim, a análise do
faturamento do Parque em implantação. Os resultados do estudo de caso
demonstraram que a falta de um modelo conceitual e de diretrizes
estabelecidas fragiliza o desenvolvimento de projetos e atividades
oferecidas pelo parque, refletindo-se no seu papel estratégico. Na
pesquisa de campo com os gestores do parque, foi possível identificar o
entendimento desses atores quanto aos fatores críticos de sucesso. Os
dados obtidos foram analisados por meio da triangulação entre métodos
de pesquisa, em que a pesquisadora verificou os dados de maneira a
proporcionar a sua compreensão para utilizá-los como subsídios na
proposição de um modelo de framework conceitual para implantação de
Parque Científico e Tecnológico.

 

Link para download: Rosane Deoclésia Aléssio Dal Toé

WILLERDING, Inara Antunes Vieira. Arquétipo para o Compartilhamento do Conhecimento à Luz da Estética Organizacional e da Gestão Empreendedora. Tese, 2015.

Em face de um ambiente cada vez mais turbulento, o cenário mercadológico requer dinamismo e tomada de decisão com presteza e eficiência, provocando a necessidade de constantes modificações estratégicas e de gestão. Nessa nova configuração, as empresas precisam de gestores com percepções voltadas para a sensibilidade e flexibilidade alinhadas com os objetivos organizacionais, considerando o valor do colaborador, suas habilidades e capacidades de adaptação perante suas vivências; abrindo, assim, espaço para a criação e o compartilhamento do conhecimento, rumo a novas oportunidades e novos processos de inovação, tornando-as organizações empreendedoras, que as fazem ter no seu alicerce organizacional seus colaboradores e seu capital intelectual, movidos pelo conhecimento cognitivo, apoiados pela percepção sensorial, em conjunto com seu juízo estético, gerando conhecimento e diferencial competitivo para a empresa. O objetivo desta tese consistiu em desenvolver um arquétipo para o compartilhamento do conhecimento à luz da estética organizacional como contribuição para a implantação da gestão do conhecimento em organizações empreendedoras. Para atingir o objetivo proposto, metodologicamente assumiu características de pesquisa exploratória e descritiva, aplicada e bibliográfica, tendo em sua trajetória o uso de instrumentos, como a análise de conteúdo categorial. Os dados foram coletados por meio de estudo empírico em uma organização empreendedora, mediante pesquisa documental e entrevista semiestruturada. Como resultado desta pesquisa, tem-se o desenvolvimento do arquétipo pautado em fatores idiossincráticos e organizacionais sob a lente da estética organizacional, sendo este validado em uma organização empreendedora, refletida nesta tese pelo Grupo SCC, regido por nove unidades de negócio e uma fundação.

Link para download: Inara Antunes Vieira Willerding

ZARELLI, Paula Regina. Framework para Avaliação das Capacidades Dinâmicas Sob a Perspectiva do Capital Intelectual. Tese, 2015.

Os modelos atuais de gestão do capital intelectual evidenciam seu aspecto avaliativo por meio de indicadores. Porém, a literatura aponta lacunas relacionadas à capacidade de resposta desta avaliação ao ambiente, ou avaliação da capacidade dinâmica da organização na rede, locus deste estudo. Diante do quadro descrito e das lacunas de pesquisa sobre as capacidades dinâmicas relacionadas ao capital intelectual, a presente tese objetivou propor um framework para avaliação das capacidades dinâmicas a partir do capital intelectual. Os elementos que compõem o framework foram construídos com base na abordagem teórica que considerou as dimensões do capital intelectual: capital humano, capital relacional e capital estrutural; e na perspectiva que considerou os processos: sentir as oportunidades do mercado, reconfigurar recursos e integrar recursos, das capacidades dinâmicas. O framework foi operacionalizado por meio de pesquisa quantitativa, delineamento não experimental, corte transversal, método dedutivo e tipo exploratória. Os procedimentos metodológicos utilizaram a análise de regressão linear múltipla como técnica de validação do modelo de análise da pesquisa. A área de aplicação do estudo foi representada por organizações na rede, participantes da ACATE – Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia; APL Centro Software (RS) e APL TI Sudoeste (PR). Os resultados sugerem relação entre todas as dimensões do capital intelectual. Além disso, evidenciam possível influência do capital humano e do capital relacional no desempenho financeiro, no contexto das organizações participantes da pesquisa. Adicionalmente, fornecem suporte sobre a importância das capacidades dinâmicas relacionadas ao capital intelectual, como ponto inicial de partida dos estudos. As descobertas sugerem indicadores que contribuem em termos teóricos com um instrumento inédito de pesquisa; e, em termos práticos com o direcionamento de investimentos da organização, no conjunto adequado de recursos de capital intelectual para obtenção de vantagem competitiva.

 

Link para download: Paula Regina Zarelli