WILGES, Beatriz. Um Modelo para Organização de Documentos no Contexto da Memória Organizacional. Tese, 2014.

Gerenciar e estruturar um conjunto de documentos em uma organização pode otimizar os processos de gestão, contribuindo para o seu desempenho e sucesso. Sabe-se que, apesar de haver iniciativas de gestão do conhecimento (GC), a quantidade de informações heterogêneas muitas vezes inviabiliza uma gestão produtiva. A memória organizacional (MO) fornece acesso, persistência e recuperação de dados. Assim, esta pesquisa se concentrou na definição da estrutura de um modelo de organização de documentos para a MO, o qual é apoiado por um método desenvolvido para a classificação dos documentos em múltiplas categorias com lógica fuzzy. Para avaliação deste modelo, considerou-se a estrutura de uma organização de tecnologia da informação (TI) com um conjunto de 17 categorias. Os resultados agregam valor para a organização porque permitem tratar um conjunto de informações espalhadas em diversos documentos, refinando o espaço de busca e recuperando a informação de interesse para os indivíduos que nela atuam. Além disso, o trabalho individual migra para um nível coletivo, porque se pode tratar informações de interesse comum aos grupos dentro da organização.

Link para Download: Beatriz Wilges

FIATES, José Eduardo Azevedo. Influência dos Ecossistemas de Empreendedorismo Inovador na Indústria de Venture Capital: Estratégias de Apoio às Empresas Inovadoras. Tese,2014

As Empresas Inovadoras possuem um papel cada vez mais relevante numa economia em que o conhecimento, a criatividade e o espírito empreendedor constituem fatores chave de produção e diferenciação. As estratégias e mecanismos para estimular e qualificar o processo de criação e desenvolvimento de empresas inovadoras têm sido alvo de pesquisas em todo o mundo e destacam o papel fundamental de dois instrumentos: os Ecossistemas de Empreendedorismo Inovador, contemplando incubadoras, parques tecnológicos, regiões inovadoras e outras estruturas de apoio à cultura empreendedora; e os veículos de investimento em novos negócios, que constituem a chamada Indústria de Venture Capital. É neste contexto que se insere esta pesquisa, desenvolvida para investigar a influência dos Ecossistemas de Empreendedorismo Inovador na Indústria de Venture Capital visando estabelecer as bases e os fundamentos para a proposição de estratégias de apoio às Empresas Inovadoras. Apesar do vasto e valioso material de pesquisa que trata dos temas (Empresas, Ecossistemas e Venture Capital), a bibliometria indica que a grande maioria dos casos não aborda a questão de forma integrada, especialmente no que se refere à questão tratada na tese. Para desenvolver o trabalho, foi realizada uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa contemplando uma revisão de literatura seguida da aplicação de questionário e entrevistas junto a treze gestores e especialistas de Venture Capital que atuam no âmbito de Ecossistemas de Empreendedorismo Inovador. A interação com este grupo se baseou num instrumento de pesquisa gerado a partir de um conjunto de modelos conceituais desenvolvidos para compreender os três elementos básicos da investigação: as Empresas Inovadoras, os Ecossistemas de Empreendedorismo Inovador e a Indústria de Venture Capital. Os resultados indicam que atualmente os ecossistemas exercem uma influência que varia entre moderada e forte sobre os vários fatores da Indústria de Venture Capital, podendo chegar a forte ou plena no futuro. A pesquisa também reforça que há uma expectativa e confiança de que os Ecossistemas podem vir a desempenhar um papel cada vez mais importante na performance do processo de Venture Capital e dos seus resultados na forma de Empresas Inovadoras mais competitivas e bem sucedidas. Nesta linha, a pesquisa avança na identificação e proposição de 25 Estratégias a serem adotadas pelos Ecossistemas de Empreendedorismo Inovador, por meio de seus sistemas e mecanismos de suporte, para apoiar Empresas Inovadoras investidas pela Indústria de Venture Capital. Finalmente, a pesquisa permite concluir que o entendimento acerca da influência dos Ecossistemas de Empreendedorismo Inovador sobre os fatores críticos da Indústria de Venture Capital contribui decisivamente para proposição de estratégias consistentes e efetivas de apoio às Empresas Inovadoras.

 

Link para download: Jose Eduardo Azevedo Fiates

YAMAOKA, Eloi Juniti. Preservação de Longo Prazo de Conhecimento Codificado: Proposição de Um Framework. Tese , 2014

O contínuo aumento do volume da informação nas organizações é decorrente do crescimento das atividades desenvolvidas pela sociedade em geral e das facilidades proporcionadas pela tecnologia da informação em constante evolução. Paradoxalmente, esse rápido desenvolvimento de novas tecnologias que facilitam a criação de conteúdos ameaça a sua preservação, tornando-os tecnologicamente obsoletos em curto espaço de tempo. Nesse contexto da mutabilidade da tecnologia e do grande volume de objetos digitais, o objetivo deste trabalho é a concepção e a proposição de um framework de preservação digital de longo prazo, visando à preservação do conhecimento. Com esse propósito, recorreu-se aos fundamentos, às técnicas e às metodologias da Engenharia do Conhecimento, Gestão do Conhecimento, Arquivologia, Biblioteconomia e Computação, como o processo de avaliação desenvolvido na Arquivologia e no modelo de referência OAIS.  A validação do framework foi realizada por meio de entrevistas semiabertas a especialistas em Computação, Gestão do Conhecimento e Preservação de Documentos Digitais. Todos os especialistas consideraram o framework proposto aplicável e reconheceram a inviabilidade de guardar todo o conteúdo digital, portanto, confirmando a importância de um processo de avaliação e seleção do objeto a ser preservado. Ajustes foram introduzidos no framework com base nas sugestões apresentadas pelos entrevistados. Constatou-se que a seleção de objetos digitais visando à preservação do conhecimento poderá ser realizada com segurança se os critérios de avaliação forem claramente estabelecidos e que a preservação do conhecimento codificado em objetos digitais é possível, desde que haja o alinhamento entre o objeto e a tecnologia que possibilita o seu acesso. Consequentemente, a gestão da dependência tecnológica dos objetos digitais é parte integrante do processo de preservação digital.

Link para download: Eloi Juniti Yamaoka

 

DRUZIANI, Cássio Frederico Moreira. O Repositório Web Como Potencializador Do Conhecimento Em Objetos De Aprendizagem. Tese , 2014

Com o avanço da Internet no contexto educacional, o Repositório Web de Objetos de Aprendizagem assume maior importância como ambiente virtual de apoio aos processos de ensino e de aprendizagem. Contudo, diversos entraves e dificuldades tangem o uso efetivo dos conteúdos educacionais e/ou objetos de aprendizagem dispostos nestes ambientes. Inúmeros objetos de ensino e de aprendizagem, desenvolvidos para atenderem a demanda educacional, permanecem desconhecidos e inexplorados. As experiências oriundas das interações entre conteúdo, professor, estudante e seus pares estão sem registro e sem algum efeito relativo a essas experiências de interação. O objetivo desta pesquisa consiste em analisar o papel do Repositório Web como auxílio na potencialização da aquisição e produção de conhecimento por meio do uso pedagógico de objetos de aprendizagem. Esta é uma pesquisa exploratória descritiva, que tem sua base teórica fundamentada estruturalmente na Gestão do Conhecimento. A estratégia de investigação utilizou a revisão sistemática e o levantamento da percepção de especialistas, abrangendo as áreas de Educação, Gestão do Conhecimento e Gestão e/ou Coordenação de repositórios web no Brasil. A elaboração dos instrumentos, coleta e análise dos dados foi orientado por meio de um modelo referencial originado da combinação de frameworks das áreas de estudo envolvidas. Nos resultados, destacam-se: a identificação das demandas relativas às necessidades de apoio pedagógico aos processos de ensino e de aprendizagem; às práticas de Gestão do Conhecimento e o uso de ferramentas Web 2.0 e uma visão situacional com respeito à aplicação da Gestão do Conhecimento em repositórios web de Instituições de Ensino no Brasil. Ficou evidenciado o papel dos repositórios web no contexto pedagógico educacional e observadas adequações necessárias na forma, execução, práticas, política, comportamento e aplicação desta tecnologia quando combinada com as ferramentas Web 2.0 e com as práticas da Gestão do Conhecimento. Como contribuição, a proposição de diretrizes vinculadas a ações de inserção da Gestão do Conhecimento em repositórios web pode promover e possibilitar que ativos de conhecimento de valor pedagógico emerjam nesses ambientes.

Link para download: Cássio Frederico Moreira Druziani

LAPOLLI, Mariana. Visualização do Conhecimento por Meio de Narrativas Infográficas na Web Voltadas para Surdos em Comunidades de Prática. Tese, 2014.

 Com a evolução das Tecnologias da Informação e da Comunicação – TICs, a web tornou-se um local propício para a disseminação e o compartilhamento do conhecimento, possibilitando o surgimento de novas modalidades de ensino. No ambiente virtual é possível quebrar barreiras de acessibilidade, fazendo com que as pessoas possam experimentar suas preferências de acordo com seu perfil. Assim, os surdos, que representam uma parcela significativa da população, puderam começar a se beneficiar da diversidade de recursos que paulatinamente são agregados à rede. Tendo em vista que a comunicação dos surdos ocorre, sobretudo, pela via visual, nesta pesquisa considera-se que a visualização do conhecimento na web pode contribuir para o aprendizado dos surdos. Dentre as formas de visualização do conhecimento, optou-se pela infografia, uma vez que este recurso é caracterizado pela utilização de elementos visuais associados a textos curtos. Quanto a abordagem teórica, a pesquisa baseia-se na Teoria da Cognição Situada – TCS, que dá sustentação às comunidades de prática – CoPs, interligando pessoas com interesses em comum. Desta maneira, o objetivo desta pesquisa é: verificar a contribuição da visualização do conhecimento por meio de narrativas infográficas na web para a aprendizagem de surdos em CoPs. Para atingir o objetivo, realizou-se uma pesquisa qualitativa, exploratória e aplicada. Os resultados apresentados revelam que a visualização do conhecimento por meio de narrativas infográficas na web contribui para a aprendizagem de surdos em Comunidades de Prática desde que o conteúdo textual dos materiais concebidos seja apresentado também em LIBRAS, que o ambiente de ensino e aprendizagem explore ao máximo os elementos visuais de maneira organizada e que as ferramentas para troca de informação permitam o compartilhamento de elementos multimídia. Além da acessibilidade, as características relacionadas à visualidade das narrativas infográficas na web também devem ser levadas em consideração na concepção desses recursos. Assim, os pontos discutidos nesta pesquisa respondem como a visualização do conhecimento por meio de narrativas infográficas na web pode contribuir para a aprendizagem de surdos em CoPs.

Link para Download: Mariana Lapolli

GUEMBAROVSKI, Ricardo Haus. Um Modelo de Referência Orientado ao Conhecimento para o Processo de Planejamento de Sistemas de Distribuição de Média Tensão. Tese, 2014.

O processo de planejamento merece destaque em qualquer circunstância da vida. No setor de energia elétrica, recursos incomensuráveis são muitas vezes desperdiçados de forma equivocada, repercutindo em severos prejuízos financeiros devido a deficiências no processo de planejamento. Além dos aspectos puramente técnicos, outras questões devem ser consideradas para aprimorar o processo de planejamento do sistema de distribuição de média tensão (SDMT). Os métodos empregados no processo de planejamento e preconizados na atualidade baseiam-se exclusivamente em modelos matemáticos e não consideram o conhecimento organizacional relacionado ao processo. A partir de uma busca sistemática e de uma pesquisa realizada com as empresas distribuidoras de energia elétrica, empregando a metodologia CommonKADS, pôde-se identificar e descrever os principais aspectos e problemas relacionados ao atual processo de planejamento. Com base na visão sistêmica e nos recursos tecnológicos da engenharia do conhecimento e nos processos da gestão do conhecimento, propõe-se um modelo de referência (MR) orientado ao conhecimento para que o processo de planejamento seja reorganizado, visando ao seu aprimoramento. O MR foi aplicado em uma empresa do setor elétrico que resultou na reorganização do processo de planejamento desta. Posteriormente, um questionário foi aplicado a especialistas para verificação do modelo e do processo reorganizado obtido, o qual apresentou muito boa aceitação. O MR proposto transcende os problemas clássicos e puramente técnicos, e nos remete a indicar de forma original a aplicação do MR e obtenção da reorganização do processo de planejamento, tendo como paradigma principal o conhecimento.

Link para Download: Ricardo Haus Guembarovski

WOLF, Sérgio Machado. Influência da Competência Empreendedora dos Coordenadores nos Indicadores de Desempenho dos Polos Ead. Tese, 2014.

Este trabalho objetiva analisar a influência da competência empreendedora dos coordenadores de polos nos indicadores de desempenho dos polos de educação a distância do sistema Universidade Aberta do Brasil no Estado de Santa Catarina. Para tanto, identifica-se a competência empreendedora requerida aos coordenadores de polo; desenvolve-se uma metodologia para determinar o índice de competência empreendedora por meio da avaliação dos seguintes indicadores: conhecimentos, habilidades, atitudes e nível de entrega; relacionam-se os indicadores de Competência Empreendedora dos coordenadores com os indicadores de desempenho dos polos, tendo por referência a avaliação realizada pela CAPES. Sua base teórica se fundamenta na gestão do conhecimento e na sua utilização pelas organizações, nas competências e no empreendedorismo. Descreve o histórico, a legislação, o funcionamento e os objetivos do Programa Universidade Aberta do Brasil, além do seu contexto na educação na modalidade a distância. Também discorre sobre suas peculiaridades, bem como sobre a aplicação dessa modalidade ao ensino superior brasileiro, apontando a importância das atividades desenvolvidas pelos coordenadores de polo. Seguiu-se uma abordagem metodológica descritiva e documental, predominantemente qualitativa. Por meio deste trabalho, obtiveram-se relevantes associações entre o nível de competência empreendedora do coordenador do polo e a avaliação efetuada pela CAPES. Verificou-se que o grupo de coordenadores de polo avaliado totalizou 79,85% de índice de competência empreendedora, associado a um índice de 85,71% de sucesso (conceito AA) na avaliação. Por meio dos contributos das práticas e dos métodos da gestão do conhecimento, a metodologia desenvolvida pode ser aplicada em outras áreas em que a competência empreendedora também seja a força motriz do processo.

 Link para download: Sérgio Machado Wolf

MACEDO, Douglas Dyllon Jeronimo de. Um Modelo Distribuído de Armazenamento Hierárquico de Conhecimento Médico. Tese, 2014.

O advento da disseminação e consolidação dos sistemas computacionais, como ferramentas de apoio aos mais variados tipos de negócios, criou uma dependência dos usuários em geral, em armazenar mais e mais seus dados. Atualmente é inquestionável a necessidade de registros anteriores de transações dos usuários em sistemas operacionais. Esta necessidade vai, por exemplo, desde a recuperação de um e-mail de anos anteriores, passando por registros de transações bancárias legadas, indo até prontuários eletrônicos. Com esta crescente demanda de armazenamento de dados, informações e conhecimento, para os mais variados nichos da Indústria e da Ciência em geral, criou um interessante espaço para pesquisa e desenvolvimento de formas alternativas para a persistência de longo prazo em sistemas computacionais. Na área médica, esta premissa é ainda mais verdadeira, pois todos os dias, centenas de milhares de pacientes ao redor do mundo, realizam exames médicos baseados em imagens, buscando auxílio para o diagnóstico dos mais variados tipos de doenças. As formas de persistência de dados que atualmente são utilizadas na área médica, em sua grande maioria, se apoiam no paradigma relacional, que geralmente suportam os sistemas de informação ou conhecimento que estão nos hospitais e clínicas médicas. Neste sentido, esta tese propôs um novo modelo de armazenamento para sistemas médicos baseados em imagens. Este modelo foi concebido a partir de um paradigma hierárquico, seguindo o padrão para imagens médicas internacionalmente reconhecido (DICOM), o que além de representar os dados de uma forma mais natural, simplifica o processo de busca e recuperação. Ao final dos experimentos e das etapas de análises dos resultados, o modelo proposto mostrou ter um desempenho mais eficiente no geral, se comparado ao modelo atual, utilizando bancos de dados relacionais.

Link para Download: Douglas Dyllon Jeronimo de Macedo

BARROS, Vanessa Tavares de Oliveira. Redec-Look: Modelo de Repositório de Conhecimento para Gestão de Objetos de Aprendizagem. Tese, 2013.

Com a rápida evolução tecnológica, novas ferramentas pedagógicas se fazem primordiais na colaboração da prática docente, e assim surgem no intuito de atender ao novo perfil da sociedade, pois, segundo Nunes (2007), nesta era digital, é possível se perceber a viabilidade e a necessidade que de se utilize e se reutilize os bons materiais em diferentes contextos. A fim de se construir o novo conhecimento e processá-lo, de maneira mais efetiva, ou seja, mais significativa. As novas tecnologias auxiliam neste cenário, sendo assim, torna-se fácil perceber a importância do artefato tecnológico denominado Objeto de Aprendizado (OA), pois este Objeto possui diversas características importantes para a geração do novo conhecimento, tais como: possibilitar aos professores e alunos a serem, também, desenvolvedores de conhecimento e autores de conteúdos digitais multimídia; facilitar o acesso ao conhecimento, como também o compartilhamento, produção e reuso de materiais educacionais digitalizados, e melhorar o desenvolvimento dos alunos com a área abordada pelo objeto, possibilitando, assim, a agregação de conhecimento e cultura por meio dos mesmos. Diante desse cenário, percebe-se que os recursos tecnológicos são fortes aliados nessa provocação, pois, por meio desses, torna-se possível criar novos caminhos na descoberta e criação desse tão importante conhecimento. Dessa maneira, essa pesquisa apresenta a proposta de um Modelo de Repositório Gestor de Objetos de Aprendizagem, apresentando novos recursos e processos, assim, com interações, no sentido de tornar-se mais atraente e dinâmico, esse momento entre aluno/professor, e dessa forma, alcançando o objetivo de criar o conhecimento, por meio de uma Aprendizagem Significativa. A ideia desse Modelo é que o mesmo possua o diferencial, no processo, que possibilite a gestão de todos os recursos oferecidos nesse Repositório Objeto de Aprendizagem. O processo deverá possuir mecanismos para verificação e validação de interatividade, de usabilidade, assim como da sua adaptabilidade de conteúdo, com foco em aspectos afetivos e cógnitos, garantindo a sua qualidade técnica e principalmente didática, e a avaliação do resultado será possível por meio de feedback. Todo esse processo visa a conquista da Aprendizagem Significativa. Nesta visão, planejou-se e gerou-se um Modelo de Repositório Gestor de Objetos de Aprendizagem, batizado de REDEC-LOOK. Em seu procedimento metodológico incorporou quatro etapas de pesquisa, que são: etapa 1) levantamento de dados / requisitos: etapa para se realizar a pesquisa de levantamento de dados, requisitos, ou seja, informações necessárias para a concepção do Modelo, tais informações se referem aos constructos de Design, Usabilidade, Tecnologia, Educação; etapa 2) Avaliação Heurística / Usabilidade: etapa de avaliação do protótipo do Modelo em relação a aspectos relacionados à Usabilidade, Interatividade, Design; etapa 3) Heurística Educacional / Análise Pedagógica: etapa de avaliação de heurística educacional a fim de se obter uma análise educacional; etapa 4) verificação de consistência do Modelo: etapa para se verificar a consistência do Modelo, gerado pelo público-alvo.

Link para Download: Vanessa Tavares de Oliveira Barros

SOUZA, Vitória Augusta Braga de. Competências Empreendedoras no Processo de Formação do Extensionista Rural. Tese, 2013.

As mudanças no mercado provocaram uma nova visão de competição, com variáveis sociais e mercadológicas que o agronegócio ainda não estava preparado para enfrentar. Com essas mudanças, vieram exigências de uma nova forma de administrar as propriedades rurais e de se relacionar com o produtor. A extensão rural, que durante anos trabalhou em um sistema linear de disseminação de informação, tem agora de rever seus métodos e a forma de capacitar os extensionistas. O momento exige um profissional generalista, que saiba trabalhar em equipe, que perceba os desafios e seja capaz de responder satisfatoriamente aos anseios do produtor rurais de forma eficiente e rápida, empreendendo novas oportunidades. Porém, para que isso aconteça, é necessário que esse profissional desenvolva as competências necessárias para atuar como o novo profissional que o setor de agronegócio requer. A presente tese teve como objetivo analisar o processo de formação de extensionistas rurais com base nas competências empreendedoras requeridas por eles. Para atender o objetivo, realizaram-se duas etapas de pesquisa. A primeira, por meio de uma enquete, enviada aos escritórios estaduais e regionais das três instituições de assistência e extensão rural pública da Região Sul, por meio de email, com vistas a identificar os extensionistas que se destacam pelo comportamento empreendedor. Na segunda etapa, foi realizada uma entrevista semiestruturada focada em incidentes críticos, contendo dez questões, com os profissionais da extensão rural anteriormente selecionados, sendo as respostas analisadas por meio da técnica  do Discurso do Sujeito Coletivo. Estabeleceram-se as competências empreendedoras requeridas para a formação do extensionista rural e análise das grades curriculares dos cursos de Agronomia, Zootecnia, Medicina Veterinária, Engenharia Agrícola e Engenharia Florestal. Identificaram-se as competências empreendedoras requeridas do extensionista rural e verificou-se como ocorre o processo de formação dos mesmos. Analisou-s as grades curriculares, bem como as ementas das disciplinas de empreendedorismo oferecidas nos cursos da área de Ciências Agrárias pelas Instituições de Ensino Superior da Região Sul. Concluiu-se que existe uma lacuna entre o profissional exigido pelo mercado e o egresso desses cursos, que as grades curriculares analisadas possuem um número muito reduzido de disciplina de empreendedorismo, que as ementas das disciplinas ofertadas apenas uma contempla o estudo do comportamento empreendedor,bem como, a necessidade de uma reestruturação da grade curricular dos cursos pesquisados.

Link para Download: Vitória Augusta Braga de Souza