Home » Articles posted by secretaria (Page 4)

LOCH, Murialdo. Um Modelo de Representação do Conhecimento do Processo Regulatório no Segmento de Distribuição de Energia Elétrica. Dissertação, 2011.

O setor de energia elétrica brasileiro é caracterizado por mudanças constantes e frequentes, determinadas pelo agente regulador e passíveis de penalidades, o que exige adequações tempestivas por parte do agente regulado. Esse processo de adequação constante exige atividades especializadas intensivas em conhecimento, para que a empresa de energia atenda aos padrões regulatórios editados pelo agente regulador. Diante disso, este estudo tem por objetivo propor um modelo para representação do conhecimento do processo regulatório no segmento de distribuição de energia elétrica empregando ontologias. A pesquisa se caracteriza como qualitativa e interdisciplinar, realizou levantamento bibliográfico e análise documental. Para melhor compreensão do cenário em questão, apresenta-se um estudo sobre regulação de serviços públicos, agentes que interagem no setor de energia elétrica, atos regulatórios, processo de regulação e ontologias. No desenvolvimento da ontologia utilizou-se o OntoKEM (Ontology for Knowledge Engineering and Management), para a construção e documentação e o Protégé para a implementação e avaliação da ontologia ora em estudo. Assim, a Ontologia de Regulação do Setor Elétrico – Distribuição (OntoREG-D) – respondeu 13 questões de competência e gerou 67 classes, 13 propriedades de classes e 15 propriedades de objeto. O trabalho é concluído com a aplicação de dois cenários de uso – identificação do impacto nas áreas/processos e recuperação de atos regulatórios – para a representação do conhecimento regulatório em uma concessionária de distribuição de energia elétrica. A OntoREG-D possibilitou a representação do domínio da regulação no segmento de distribuição de energia elétrica, permitindo o consenso e o compartilhamento desse conhecimento para os envolvidos. Importante destacar que, a partir da OntoREG-D, sistemas de conhecimento e de informação poderão ser implementados para apoiar a gestão do processo de regulação do setor.

Palavras-chave: Engenharia do Conhecimento. Ontologias. Regulação do Setor Elétrico. Distribuidora de Energia Elétrica.

Link para download: Murialdo Loch

MANTELLLI NETO, Sylvio Luiz. Modelagem e Representação dos Padrões Atmosféricos Existentes nas Imagens dos Sistemas de Observação Sinóptica. Tese, 2010.

No presente trabalho está sendo desenvolvida uma nova metodologia de análise, representação do conhecimento visual e classificação de padrões atmosféricos a partir dos valores dos píxeis de imagens obtidas na superfície. A metodologia visa substituir os observadores sinópticos (OS) que classificam o céu a partir de conhecimento tácito e critérios subjetivos. Substituir o OS por um sistema automático é altamente desejável para reduzir os aspectos subjetivos inerentes ao processo de observação. Os métodos de análise levantados na literatura especializada e nos equipamentos disponíveis comercialmente utilizam uma abordagem binária de resultados e simplificação matemática. Mas as características existentes nesta abordagem agregam muitas incertezas ao processo de análise, que em muitas ocasiões é utilizado para validar a cobertura de nuvens das imagens de satélite. Este paradigma de análise também despreza a ocorrência de outros padrões  presentes no domínio de observação agregando mais incertezas ainda ao processo de classificação. A metodologia proposta estabelece um domínio de tarefa apropriado para mapear os dados representados pelos valores dos píxeis em conhecimento, necessário para a classificação dos padrões baseados na teoria da física atmosférica. Durante a análise preliminar dos padrões notou-se que estes ocupavam um locus típico no espaço de cor, permitindo uma caracterização de ocorrência. Neste cenário optou-se por uma abordagem Bayesiana (aprendizado supervisionado e análise) como modelo cognitivo de observação e estatística multivariada no espaço de cores como solução geral do problema, além do conceito de agentes inteligentes como novo paradigma de desenvolvimento. Resultados preliminares indicaram que a metodologia proposta é superior à principal técnica existente na literatura especializada nos seguintes aspectos: modelamento matemático mais rigoroso, discriminação precisa dos padrões atmosféricos observáveis nas imagens, invariância em relação ao ângulo de incidência solar (brilho), comparação das imagens com sensores de radiação solar e a identificação de outros fenômenos atmosféricos a partir das mesmas imagens. A validação indicou que desvios entre o tempo de obtenção das imagens de satélite e da superfície apresentam diferenças de avaliação. Especula-se que as deferenças se acentuam à medida que a velocidade de deslocamento das nuvens aumenta, mesmo na ordem de alguns minutos. O presente trabalho também abre o caminho para uma análise mais refinada no futuro, de forma a permitir buscar a estimativa da avaliação da altura e do tipo das nuvens através de imagens de superfície.

Palavras Chave: Nuvens. Métodos multivariados. Processamento de imagens. Conhecimento.

Link para download: Sylvio Luiz Mantelli Neto

BERMEJO, Paulo Henrique de Souza. Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação com Ênfase em Conhecimento. Tese, 2009..

O planejamento estratégico de Tecnologia da Informação (PETI) tem sido identificado como essencial para integrar a TI à organização e para alinhá-la aos negócios. Adicionalmente, a busca incessante pela vantagem competitiva tem despertado em muitas organizações a necessidade de explorarem o seu principal ativo intangível – o conhecimento. A ênfase na relação entre essas duas perspectivas tem sido desconsiderada por muitos estudos existentes envolvendo o PETI, o que pode comprometer os resultados e dificultar a operacionalização do planejamento. Este trabalho apresenta um método específico para PETI com ênfase em conhecimento. Foi realizada uma pesquisa qualitativa, de natureza aplicada, com abordagem exploratória descritiva e fundamentada em estudos de casos. Preliminarmente, foram
realizados um estudo de caso piloto com características da pesquisa-ação e, na seqüência, um estudo de caso múltiplo. Com isso, ao final, obteve-se um método específico para PETI com ênfase em conhecimento, o qual foi verificado em 11 empresas de diferentes portes e de diversos setores da economia. O método resultante contempla práticas específicas da área de gestão do conhecimento voltadas para uso do conhecimento organizacional, além de caracterizar a gestão do conhecimento nas atividades do PETI por meio da identificação de subprocessos de conhecimento, relação de atores com os modos de conversão (socialização,
exteriorização, combinação e interiorização), tipos de conhecimento envolvidos no
planejamento estratégico de TI, assim como ferramentas e tecnologias. O método proposto permitiu um melhor uso do conhecimento organizacional no PETI e uma maior participação dos colaboradores das organizações, contribuindo diretamente para a eficácia e efetividade dos resultados dos planejamentos estratégicos de TI.

Palavras-chave: Planejamento estratégico de Tecnologia da Informação; Planejamento de Sistemas de Informação; Conhecimento aplicado ao Planejamento Estratégico de TI; Gestão estratégica de TI; Governança de TI.

Link para download: Paulo Henrique de Souza Bermejo

OTANI, Nilo. Universidade empreendedora: a relação entre a Universidade Federal de Santa Catarina e o Sapiens Parque. Tese, 2008.

O objetivo deste trabalho é demonstrar de que forma a relação entre a Universidade
Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Sapiens Parque pode promover a
emergência de uma universidade empreendedora. O Sapiens Parque é um parque
científico e tecnológico voltado ao fortalecimento da economia do conhecimento,
localizado em Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina; a UFSC, uma
entre as 53 universidades federais brasileiras. A universidade, criada na Europa no
século XI, e no Brasil, no início do século XX, possui desafios a superar e exercer
seu papel, sem romper com os princípios construídos como missão precípua, a
indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. A visão de uma universidade
empreendedora agrega mais um desafio: aproximar as universidades das demandas
sociais, posicionando-se como vetores do desenvolvimento econômico e social e
transformar o conhecimento criado em valor agregado. A presente pesquisa
classifica-se como acadêmica e aplicada; em relação aos objetivos, é descritiva e
exploratória; aborda o problema qualitativamente; quanto aos procedimentos para a
coleta de dados, é bibliográfica, de campo e documental. A amostra, não
probabilística e intencional, compõe-se de nove sujeitos publicamente reconhecidos
que representam a UFSC, o Sapiens Parque e os setores do governo e das
empresas de Santa Catarina. Os dados foram coletados por meio de entrevistas
estruturadas e de questionários. Com base nos resultados desta pesquisa e
limitados à amostra estudada, conclui-se que, a relação entre a UFSC e o Sapiens
Parque pode promover a emergência de uma universidade empreendedora: ao criar
uma cultura empreendedora; ao oportunizar aos estudantes desenvolverem idéias
empreendedoras com os professores, com base na Lei de Inovação n°.10.973/2004;
há uma convergência de interesses institucionais; e o Sapiens Parque é um novo
espaço para a UFSC exercitar sua cultura empreendedora, propiciando o ambiente e
uma dinâmica favoráveis ao desenvolvimento de uma universidade empreendedora.

Palavras-chave: Universidade Empreendedora. Universidade Federal de Santa
Catarina. Sapiens Parque. Parques Científicos e Tecnológicos.

Link para download: Nilo Otani.

BUCHELE, Gustavo Tomaz. Adoção de Métodos, Técnicas e Ferramentas para Inovação: estudo de casos múltiplos em projetos realizados por organizações inovadoras. Tese, 2018

A utilização efetiva de Métodos, Técnicas e Ferramentas para Inovação (MTF-Is) tem sido considerada uma importante força motriz para o sucesso da gestão da inovação. Embora haja certo consenso na literatura sobre a importância da adoção da MTF-Is, poucos trabalhos buscam analisar e identificar mecanismos que possam apoiar os gestores a tomarem decisões em relação à estruturação do processo de inovação em contextos específicos, principalmente em relação a quais MTF-Is adotar. Isto porque ainda existem diversos aspectos da adoção de MTF-Is que carecem de maiores aprofundamentos para suprir esta lacuna. Nesse sentido, esta tese teve como objetivo propor um modelo conceitual do processo de adoção de MTF-Is no contexto de sete projetos realizados por organizações inovadoras do setor de Informação e Comunicação da Grande Florianópolis, a partir de um estudo de casos múltiplos. Para realização da pesquisa foi elaborado um protocolo para coleta de dados de campo e as análises foram realizadas por meio da técnica de análise temática. Com base nos resultados, foi possível verificar que os MTF-Is foram utilizados durante todo o projeto, mas com mais intensidade no front end da inovação. Identificou-se que os entrevistados possuem amplo conhecimento sobre MTF-Is e sobre a importância deles para o sucesso do projeto. De forma geral, os MTF-Is puderam ser utilizados de forma flexível, para solucionar problemas de acordo com as demandas dos projetos. Os resultados indicaram que o desempenho do projeto pode estar relacionado à adoção de MTF-Is e que a satisfação em utilizá-los, bem como sua utilidade percebida dependem do sucesso dessa performance. Além disso, os entrevistados apontaram melhorias para o processo de adoção de MTF-Is, as quais permearam a utilização de boas práticas para o compartilhamento do conhecimento adquirido. O objetivo é compartilhar esse conhecimento com outros projetos, o que poderá permitir que os obstáculos, bem como alguns dos problemas e deficiências apontados em relação aos MTF-Is sejam minimizados. Com isso, espera-se que o processo de adoção de MTF-Is possa ser realizado com menos recursos de tempo e financeiros. Ao final, espera-se que o modelo conceitual do contexto estudado possa servir como ponto de partida para estudos mais amplos para se chegar à elaboração de meios que auxiliem na decisão de quais MTF-Is adotar em determinado contexto.

Link para download: Gustavo Buchele

QUEIROZ, Márcio Pinheiro. ANALISANDO A HIERARQUIA DIKW. Dissertação, 2018.

A presente dissertação faz uma análise da hierarquia DIWK – a qual inclui os conceitos de dado, informação, conhecimento e sabedoria – usando-se de uma interlocução das disciplinas da Gestão do Conhecimento com alguns aspectos da Psicanálise. A hierarquia DIKW é um elemento norteador de muitos estudos que lidam com informação e conhecimento, trata-se de tema referência e fortemente presente em áreas como gestão do conhecimento e ciências da informação. As definições dos elementos que compõem a hierarquia são das mais variadas e se mostram influenciadas tanto pelo campo de atuação, quanto pela abordagem teórica do autor que as seleciona. Este trabalho conta com uma revisão literária da hierarquia DIKW, explorando as diferentes definições dos termos da hierarquia e suas relações inerentes. Após análise extensiva das óticas acerca do fenômeno, alguns questionamentos lógicos são feitos, permeando pontos fundamentais encontrados na literatura, assim como outros que surgem no decorrer da análise. Discutem-se conceitos de realidade objetiva e subjetiva; agente do conhecimento; linguagem. Termina-se por concluir que, apesar de uma ferramenta útil para auxiliar no cotidiano das discussões do conhecimento, por simplificar a complexa abstração da temática em três ou quatro níveis bem destacados, a pirâmide acaba por não abarcar certos aspectos e elementos fundamentais do complexo do conhecimento. Um esquema geral é proposto como produto da análise e discussão, onde é esboçada uma narrativa sobre o campo do conhecimento e possíveis relações entre seus elementos.

 

Link para download: Márcio Pinheiro Queiroz

OLIVERIA, Aline Cristina Antoneli de. INOVAÇÃO SOCIAL DIGITAL: MAPAS CONCEITUAIS BASEADOS EM UMA ABORDAGEM INTEGRATIVA. Dissertação, 2018.

Há, atualmente, um grande movimento de empreendedores e inovadores da sociedade civil que está desenvolvendo soluções digitais inspiradoras para os desafios sociais. Convencionou-se denominar de inovações sociais digitais a estas novas soluções habilitadas para as TIC’s, que atendem simultaneamente a uma necessidade social mais efetivamente do que a solução existente, aumentando a capacidade dos cidadãos de agir. Ao perceber o estabelecimento de conceitos referentes à Inovação Social Digital (ISD) e ao realizar buscas iniciais sobre fundamentos que estabelecessem uma relação teórica entre a Inovação Social e a cultura digital, surgiu a necessidade de buscar um referencial que dê suporte teórico à emergente área da ISD. Inserida na área de concentração Mídia e Conhecimento do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC), na linha de Pesquisa Mídia e Disseminação do Conhecimento, a presente pesquisa objetiva, portanto, identificar referenciais teóricos que possibilitem fundamentar pesquisas em ISD, buscando compreender quais são os temas trabalhados nas publicações científicas selecionadas que tratam do assunto. Em uma abordagem integrativa de conceitos, utilizando métodos e ferramentas como revisão integrativa, análise temática e mapa conceitual, a pesquisa apresenta a convergência de temáticas referentes à Inovação Social, Inovação Digital, aspectos e comportamentos da cultura digital, que podem fundamentar teoricamente a Inovação Social Digital. Como resultados, foram estruturados mapas conceituais, que localizaram teoricamente a Inovação Social e as definições sobre Inovação Digital, como sendo termos definidores da Inovação Social Digital. Os referenciais teóricos levantados apresentaram também os aspectos da inteligência coletiva, com os comportamentos da era digital como colaboração, engajamento, cooperação e cocriação, juntamente com a infraestrutura do ciberespaço como local híbrido onde as inovações sociais digitais ocorrem. Por abordar aspectos teóricos referentes à ISD, esta pesquisa poderá contribuir com pesquisas empíricas que tratem de iniciativas sociais digitais no Brasil e no mundo.

 

Link para download: Aline Cristina

OTOWICZ, Marcelo Henrique. CAPACIDADE ABSORTIVA E DESEMPENHO INOVADOR EM PEQUENAS EMPRESAS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS. Dissertação, 2018.

Em um mercado cada vez mais competitivo e globalizado, a inovação é uma necessidade inerente para a sobrevivência das empresas. E, para a efetivação de resultados inovadores, o insumo conhecimento é tido como vital. Então, a capacidade de absorver novos conhecimentos, ou a capacidade absortiva (CA), pode representar o potencial de sucesso de uma empresa. No contexto das pequenas empresas, que exibem importante representatividade econômica no Brasil, contínuos desafios tornam essa realidade ainda mais complexa. Dessa forma, a inovação ganha ainda mais evidência como ferramenta competitiva dos pequenos negócios. Apoiado nessa conjuntura, o objetivo deste trabalho é verificar e analisar a relação entre capacidade absortiva e desempenho inovador em pequenas empresas da Grande Florianópolis, considerando a perspectiva de Agentes Locais de Inovação (ALI). Para o cumprimento deste propósito, desenvolveu-se pesquisa com abordagem quali-quantitativa tanto na coleta como na análise dos dados, que foram coletados através de questionário aplicado junto aos Agentes Locais de Inovação para a capacidade absortiva, bem como os dados do desempenho inovador foram obtidos junto ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), sendo embasados na ferramenta Radar da Inovação e em apontamentos dos mesmos ALI. Como principais resultados da pesquisa, verificou-se que a intensidade da capacidade absortiva mensurada revela potencial apenas moderado para as pequenas empresas da Grande Florianópolis, indicando oportunidades para melhor aproveitar esta habilidade. Em relação ao desempenho inovador, grande parte dos resultados indicam empresas conservadoras ou inovadoras eventuais, o que aponta que falta sistematização das práticas voltadas à inovação. Por meio da análise da correlação entre as medidas da CA com as do desempenho inovador, identificou-se que, de modo geral, maiores valores de CA acompanham maiores valores para a inovação. Além disso, a dimensão macro Processos do Radar da Inovação foi a que apresentou maiores coeficientes de correlação com as variáveis da CA nas análises realizadas, bem como o setor de serviços foi o que revelou melhores associações entre capacidade absortiva e desempenho inovador.

Link para download: Marcelo Henrique Otowicz

FURLANI, Thiago Zilinscki.ENGAJAMENTO DE CORPORAÇÕES COM STARTUPS NA QUARTA ERA DA INOVAÇÃO: RECOMENDAÇÕES E SUGESTÕES. Dissertação, 2018.

Novos modelos de iniciativas de inovação para grandes corporações
surgiram nos últimos anos e têm obtido destaque frente à volatilidade,
alta concorrência e disputa por novos conhecimentos e vantagens
competitivas. Vivemos em um momento guiado pela economia do
conhecimento onde a inovação é parte fundamental para o
desenvolvimento econômico e social de nossa sociedade, e no âmbito
empresarial, é fundamental para a sobrevivência das empresas. Estamos
na porta da chamada quarta era da inovação onde a maioria das
inovações será fruto do engajamento entre organizações estabelecidas e
startups, diferentemente das chamadas eras anteriores onde as principais
fontes de inovação eram laboratórios corporativos e empreendedores
investidos apenas por capital de risco. Dentro desse novo ecossistema de
inovação, iniciativas de engajamento ganham cada vez mais atenção das
grandes corporações por significaram oportunidades para inovar,
realizar parcerias e suprir necessidades estratégicas internas. A partir de
uma revisão dos trabalhos mais relevantes sobre o tema e da coleta de
dados através de entrevistas com gestores de diferentes iniciativas
existentes no país, essa dissertação caracteriza os diferentes modelos de
engajamento e analisa como diferentes corporações abordam o tema,
contribuindo ao fim, com orientações para melhorar a gestão de
iniciativas existentes e fornecer conhecimentos para as corporações que
desejam ingressar no movimento. Os modelos de Hackathons, Open
Innovation, Incubadoras, Aceleradoras e de Investimento direto variam
entre si de acordo com os objetivos e resultados esperados. Para
corporações que iniciam seu movimento de engajamento recomenda-se
estratégias de aproximação para evoluir o conhecimento acerca do tema
e preparar a organização para iniciativas futuras de maior risco.
Empresas com processos mais estruturados e experiência em inovação
devem desenvolver iniciativas mais robustas variando o modelo de
acordo com seus recursos, interesses temporais, adesão a risco e
comprometimento interno.

 

Link para download: Thiago Zilinscki Furlani

MENDES, Vanessa Nascimento. ANÁLISE DA USABILIDADE E EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO: UM ESTUDO DE CASO DE UM CURSO DA PLATAFORMA TIM Tec. Dissertação, 2018.

MENDES, Vanessa Nascimento – Análise da usabilidade e experiência
do usuário: um estudo de caso de um curso na plataforma TIM TEC. 2018.
Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) –
Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento,
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – Brasil, 2018.
Os MOOCs – curso online aberto e massivo, são cursos online
disponibilizados de forma massiva e geralmente gratuita para usuários.
Representam uma ferramenta importante para a educação. Neste caso
para a democratização do ensino na educação profissional e tecnológica
brasileira. Um MOOC é geralmente ofertado por meio de plataformas, e
neste modo online, é a interface que assegura a interação dos usuários
com os elementos do curso. Este trabalho propõe um estudo de caso sobre
a usabilidade e experiência do usuário no curso UX e UI Design na
plataforma MOOC TIM Tec. O objetivo dessa pesquisa é elaborar
heurísticas para a análise de usabilidade e experiência do usuário na
plataforma MOOC TIM Tec. A questão central da pesquisa que norteia
este estudo é: Quais os aspectos de usabilidade devem ser considerados
na avaliação de MOOCs?. Esta é uma pesquisa de caráter exploratóriodescritiva,
qualitativa com análise de dados na perspectiva do método
dedutivo. A técnica utilizada foi um estudo de caso. Os procedimentos
foram, uma revisão da literatura para entender melhor os conceitos de
usabilidade e a experiência dos usuários do MOOC. Elegeu-se o curso
UX e UI Design por ser da área do estudo ofertado na plataforma TIM
Tec. Neste, a interface foi avaliada por meio de um método de inspeção,
para isso elaborou-se uma avaliação heurística, que foi encaminhada e
conformada por especialistas da área. Os resultados indicam que através
da avaliação heurística pode-se observar problemas relacionados à
usabilidade que interferem na interação do usuário no MOOC TIM Tec,
que podem ser da natureza do design instrucional do curso e /ou da
plataforma TIM Tec. O elenco de heurísticas elaborado pode ser
empregado para avaliar o design instrucional de cursos e também
questões relacionadas à usabilidade de plataformas MOOC.

 

Link para download: Vanessa Nascimento