Home » Articles posted by secretaria

ZIMMER, Paloma. Framework para a gestão de consórcios de pesquisa pré-competitiva com múltiplos stakeholders. Tese, 2018.

Apesar de o tema “relação governo, universidade e empresa para pesquisa e desenvolvimento colaborativa” ter recebido relativa importância nas últimas décadas, as alianças estratégicas envolvendo esses três atores para a realização de pesquisa pré-competitiva têm sido pouco exploradas pela literatura. Nesse cenário esta tese propõe um framework, fundamentado em boas práticas, que sintetiza e formaliza a base de conceitos e recomendações práticas para a interação colaborativa entre governo, universidade e empresa nas atividades de pesquisa pré-competitiva. O framework proposto foi construído a partir de uma revisão sistemática da literatura em periódicos indexados na Scopus, Web of Science, e EBSCO, e por meio de um estudo de caso no Southern Ontario Smart Computing Innovation Platform – SOSCIP. Com sede em Ontário, o SOSCIP é único consórcio de pesquisa e desenvolvimento do Canadá que utiliza a computação avançada para impulsionar a inovação. Durante o estudo de caso foram realizadas observações participante, análise documental, e entrevistas em profundidade. Este estudo de caso foi subsidiado com recursos disponibilizados pela CAPES. A versão final do framework foi apresentada a especialistas no assunto, que verificaram a consistência das práticas propostas. A partir das premissas deste estudo, constatou-se que as ações promovidas pelo ecossistema de inovação estimulam a atividade colaborativa entre universidade e indústria para pesquisa pré-competitiva. As alianças para pesquisa colaborativa envolvendo universidade, indústria e governo precisam ser gerenciadas por uma estrutura de governança bem-definida. A execução de projetos colaborativos bem-sucedidos é reflexo das práticas adotadas (i) no âmbito do projeto, pela própria equipe do projeto, (ii) das ações promovidas pela aliança e das (iii) ações desencadeadas pelos agentes do ecossistema de inovação. Palavras-chave: consórcio de pesquisa; aliança estratégica; pesquisa pré-competitiva; colaboração universidade-empresa-governo.

Palavras-chave: consórcio de pesquisa; aliança estratégica; pesquisa pré-competitiva; colaboração universidade-empresa-governo.

Link: Paloma Zimmer

FOSSARI, Ivana Maria. Estratégias para o Compartilhamento do Conhecimento nos Processos de Hospitalização Pediátrica visando o Cuidado Resolutivo. Tese, 2018.

A sociedade do conhecimento vê o capital intelectual transformar-se em vantagem competitiva nas organizações onde informações e conhecimento são rapidamente articulados em redes. Nas organizações hospitalares, o modelo biomédico estabelecido é beneficiário desse processo dinâmico e complexo que se reflete, além das prescrições informatizadas, no acesso a exames laboratoriais e de imagens mediatizados pelo avanço tecnológico, que, diante do ritmo acelerado de seu desenvolvimento, coloca-se à frente, muitas vezes, do desenvolvimento das pessoas que habitam os espaços hospitalares. A medicina das conquistas científicas e tecnológicas, em contrapartida, perde gradativamente o olhar clínico generalista. No processo de hospitalização em pediatria, várias pesquisas nas áreas das ciências da saúde, humanas e sociais evidenciam que a abrangência da assistência à criança e acompanhante necessita do trabalho em equipe multidisciplinar para viabilizar o compartilhamento dos saberes na busca de uma visão sistêmica de saúde. A presente tese tem como objetivo estabelecer estratégias para o compartilhamento do conhecimento nos processos de hospitalização pediátrica visando o cuidado resolutivo. Para atingir o objetivo proposto, foi utilizada uma abordagem metodológica qualitativa e, em relação a sua classificação geral é do tipo exploratória e descritiva, utilizando como estratégia de pesquisa, o estudo de caso. A coleta de dados ocorreu por meio dos métodos: revisão bibliográfica; pesquisa documental; grupos focais; e entrevista semiestruturada. A revisão bibliográfica ocorreu em dois momentos, a revisão sistemática da literatura com buscas em três bases de dados: Scopus, Web of Science e Medline e a pesquisa bibliográfica. Para caracterizar as duas organizações hospitalares escolhidas, foi utilizada a pesquisa documental priorizando os documentos pertinentes ao tema proposto. Assim como, a aplicação das técnicas de grupo focal com profissionais da saúde, e de entrevistas semiestruturadas com os acompanhantes das crianças hospitalizadas, para compilar dados advindos dos sujeitos de pesquisa. Os dados coletados foram analisados sob a ótica da análise temática, dando suporte à criação de vinte e nove estratégias que, posteriormente, foram validadas por especialistas, por meio do método Delphi, em três rodadas consecutivas. Ao final da terceira rodada, obtiveram-se vinte seis estratégias, sendo estas as estabelecidas para o compartilhamento nos processos de hospitalização pediátrica visando o cuidado resolutivo.

Palavras-chave: Processo de Hospitalização. Hospitalização Pediátrica. Compartilhamento do Conhecimento.

Link para download: Ivana Maria Fossari

SILVA, Lucas Evaristo Scaini. Modelo de Comercialização de Arroz para Pequeno Agricultor: uma Análise nas Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul. Dissertação, 2016.

O processo de inovação é visto atualmente por muitas empresas como um potencial que lhes fornece vantagem competitiva no mercado em que atuam. Os mercados hoje são altamente competitivos, visto toda a tecnologia e os recursos que as organizações dispõem ao seu alcance. Então, destacar-se neste mercado é crucial para a sobrevivência, ainda mais em época de crise. Em se tratando do agronegócio do arroz, essa afirmação também é verdadeira, pois os produtores se encontram em um mercado de alta competitividade, com baixa margem de lucratividade. Porém, isso não é o suficiente para que os mesmos busquem novos conhecimentos que os tornem competitivos. A falta de instrução faz com que muitos produtores acabem estagnados, os tornando descrentes de que mudanças em sua forma de pensar, plantar e, comercializar, pode ser o que falta para alavancar seus negócios. O conhecimento por parte do autor sobre as deficiências do processo de comercialização de arroz, com as lacunas identificadas pela literatura, foi o que motivou essa pesquisa. Então, com o conhecimento prévio do pesquisador, com o suporte da literatura e, da aquisição de conhecimento com especialistas, foi proposto como objetivo para este trabalho o desenvolvimento de um modelo conceitual que represente o processo de comercialização do arroz. Esse modelo foi desenvolvido para ser utilizado pelos pequenos agricultores, visando aumentar a efetividade nas vendas e, melhorar o retorno financeiro após a comercialização da matéria-prima. O modelo é visto como uma forma híbrida de comercialização de arroz e, traz antigas formas de venda, porém, vistas e apresentadas de uma maneira totalmente nova, tudo para poder auxiliar da melhor forma o produtor agrícola. Para alcançar tal objetivo, a pesquisa optou pela abordagem qualitativa, que utilizou os conhecimentos obtidos através de busca sistemática e, da realização da aquisição de conhecimento por meio de questionário, para elaboração do modelo. Acredita-se que com este modelo os agricultores serão capazes de identificar qual a melhor forma ou, qual a forma mais adequada para comercializar seu produto com seu mercado alvo. Acredita-se que os resultados obtidos durante esse trabalho podem ser generalizados a todos os pequenos agricultores. Servindo também, como ponto de partida para pesquisas futuras acerca do tema.

Palavras-chave: Inovação. Agronegócio.  Processo de Comercialização do Arroz. Aquisição de Conhecimento.

Link para download: Lucas Evaristo Scaini Slva

ALMEIDA, Paulo Roberto Alves de. Hipervídeo na Educação de Surdos. Dissertação, 2016.

Este trabalho discute o uso do hipervídeo em práticas educativas destinadas às pessoas surdas. Esta discussão constrói-se a partir de revisões bibliográficas, do design e desenvolvimento de um protótipo, com a temática de projeção cilíndrica ortogonal, e da avaliação do protótipo feita pelo público-alvo da pesquisa. Este processo caracterizou o hipervídeo como uma mídia capaz de ampliar o acesso dos surdos ao conhecimento, oferecendo recursos para atender à diferentes necessidades que são identificadas ao longo deste trabalho. Trata-se de uma pesquisa exploratória conduzida a partir de métodos qualitativos. A revisão bibliográfica dedicou-se ao conhecimento do perfil do público-alvo, às características fundamentais da mídia que se pretende explorar, ao entendimento de como este público-alvo pode ter acesso ao conhecimento por meio desta mídia, e ainda à análise de trabalhos que buscaram encontrar soluções em mídia educativa para surdos e que pudessem ser tomados como referência. É conduzida com o sentido de gerar compreensão e prescrever soluções para os problemas evidenciados. Com relação ao perfil do público-alvo, foram discutidas as formas especiais de comunicação praticadas pelos surdos, algumas questões culturais, perspectivas educacionais praticadas ao longo do tempo e aspectos cognitivos das pessoas surdas. Tendo como foco o ensino de Geometria Descritiva, também foi realizada revisão bibliográfica sobre o ensino de matemática para surdos. Para a exploração das características fundamentais do hipervídeo realizou-se um estudo sobre as diferentes linguagens que compõem esta mídia. Neste sentido, trata-se de uma mídia baseada na linguagem audiovisual e na linguagem hipertextual da hipermídia. Portanto, a discussão teórica e a exploração dos trabalhos que se dedicaram a construir soluções educativas para surdos evidenciaram que a hipertextualidade e a linguagem audiovisual oferecem suporte para a construção de soluções específicas. Da revisão bibliográfica, destacam-se algumas particularidades da mídia e do surdo, como público-alvo, que estabeleceram sugestões para a construção de um protótipo endereçado a ampliar o acesso das pessoas surdas ao conhecimento. Neste sentido, são ressaltadas as particularidades do hipervídeo em: oferecer suporte para facilitar a compreensão das palavras soletradas nos vídeos em Libras, integrar as imagens e outros recurso gráficos às sinalizações, adaptar-se a diferentes perfis de aprendizagem e navegação e provocar interesse em explorar a mídia. Com base nestes requisitos, construiu-se um protótipo que foi testado pelo público-alvo, a partir da constituição de um grupo focal, como base para coleta de dados e posterior análise pelo método da análise de conteúdo. Como resultado, salientou-se o caráter de inovação e de suporte ao conhecimento, sendo a mídia bem aceita pelo público-alvo. A partir das considerações feitas pelos participantes da pesquisa foram geradas recomendações para futuros trabalhos nesta área.

Palavras-chave: Educação. Surdos. Hipervídeo.

Link para download: Paulo Roberto Alves de Almeida

CEMIN, Xênia. Sistemas de Memória Organizacional: um Estudo de Caso. Dissertação, 2018.

Os sistemas de memória organizacional podem ser entendidos como um conjunto de dispositivos de retenção de conhecimento que coletam, armazenam e proveem acesso à experiência organizacional. Este  trabalho objetivou analisar a percepção da efetividade dos sistemas de memória organizacional baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina. Para tanto, foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados Scopus e Web of Science e uma revisão narrativa a fim de se compreender as temáticas de memória organizacional e sistemas de memória organizacional. Foram escolhidas 17 publicações que satisfazem ao escopo da pesquisa e estão compreendidas entre o período de 1995 e 2017. A percepção da efetividade dos SMO baseados em computadores, utilizados pelos jornalistas do Instituto Federal de Santa Catarina, considerou as características de conteúdo, estrutura e processos de coleta, manutenção e acesso ao conhecimento experiencial. Verificou-se que o site institucional, e-mail institucional, repositório de arquivos e as mídias sociais são os SMO baseados em computador utilizados pelos jornalistas no apoio às suas atividades de comunicação institucional, sendo todos esses sistemas acessados por meio da tecnologia. Foram consideradas como efetivas as características relacionadas ao conteúdo dos SMO em suas atividades laborais. Já em relação à estrutura de indexação, percebeu-se que a maioria dos SMO são pouco efetivos, retratando negativamente sua utilização e recuperação. No que se refere aos processos operativos de coleta, verificou-se que a maioria dos SMO pesquisados foi classificada como não filtrada. De modo geral e em relação à manutenção dos conteúdos nos repositórios pesquisados, em sua maioria foi classificada como formal, e teve a percepção comprometida em relação a essa característica do sistema devido a não haver uma política de manutenção relacionada à atualização e gerenciamento dos arquivos nos repositórios. Por fim, verificou-se que mesmos os sistemas de memória organizacionais sendo diferentes, há uma ligação entre eles em relação à sobreposição de conteúdo.

Palavras-chave: Memória organizacional. Sistema de memória organizacional. Instituição de ensino superior pública.

Link para download: Xênia Cemin

LOCH, Murialdo. Um Modelo de Representação do Conhecimento do Processo Regulatório no Segmento de Distribuição de Energia Elétrica. Dissertação, 2011.

O setor de energia elétrica brasileiro é caracterizado por mudanças constantes e frequentes, determinadas pelo agente regulador e passíveis de penalidades, o que exige adequações tempestivas por parte do agente regulado. Esse processo de adequação constante exige atividades especializadas intensivas em conhecimento, para que a empresa de energia atenda aos padrões regulatórios editados pelo agente regulador. Diante disso, este estudo tem por objetivo propor um modelo para representação do conhecimento do processo regulatório no segmento de distribuição de energia elétrica empregando ontologias. A pesquisa se caracteriza como qualitativa e interdisciplinar, realizou levantamento bibliográfico e análise documental. Para melhor compreensão do cenário em questão, apresenta-se um estudo sobre regulação de serviços públicos, agentes que interagem no setor de energia elétrica, atos regulatórios, processo de regulação e ontologias. No desenvolvimento da ontologia utilizou-se o OntoKEM (Ontology for Knowledge Engineering and Management), para a construção e documentação e o Protégé para a implementação e avaliação da ontologia ora em estudo. Assim, a Ontologia de Regulação do Setor Elétrico – Distribuição (OntoREG-D) – respondeu 13 questões de competência e gerou 67 classes, 13 propriedades de classes e 15 propriedades de objeto. O trabalho é concluído com a aplicação de dois cenários de uso – identificação do impacto nas áreas/processos e recuperação de atos regulatórios – para a representação do conhecimento regulatório em uma concessionária de distribuição de energia elétrica. A OntoREG-D possibilitou a representação do domínio da regulação no segmento de distribuição de energia elétrica, permitindo o consenso e o compartilhamento desse conhecimento para os envolvidos. Importante destacar que, a partir da OntoREG-D, sistemas de conhecimento e de informação poderão ser implementados para apoiar a gestão do processo de regulação do setor.

Palavras-chave: Engenharia do Conhecimento. Ontologias. Regulação do Setor Elétrico. Distribuidora de Energia Elétrica.

Link para download: Murialdo Loch

MANTELLLI NETO, Sylvio Luiz. Modelagem e Representação dos Padrões Atmosféricos Existentes nas Imagens dos Sistemas de Observação Sinóptica. Tese, 2010.

No presente trabalho está sendo desenvolvida uma nova metodologia de análise, representação do conhecimento visual e classificação de padrões atmosféricos a partir dos valores dos píxeis de imagens obtidas na superfície. A metodologia visa substituir os observadores sinópticos (OS) que classificam o céu a partir de conhecimento tácito e critérios subjetivos. Substituir o OS por um sistema automático é altamente desejável para reduzir os aspectos subjetivos inerentes ao processo de observação. Os métodos de análise levantados na literatura especializada e nos equipamentos disponíveis comercialmente utilizam uma abordagem binária de resultados e simplificação matemática. Mas as características existentes nesta abordagem agregam muitas incertezas ao processo de análise, que em muitas ocasiões é utilizado para validar a cobertura de nuvens das imagens de satélite. Este paradigma de análise também despreza a ocorrência de outros padrões  presentes no domínio de observação agregando mais incertezas ainda ao processo de classificação. A metodologia proposta estabelece um domínio de tarefa apropriado para mapear os dados representados pelos valores dos píxeis em conhecimento, necessário para a classificação dos padrões baseados na teoria da física atmosférica. Durante a análise preliminar dos padrões notou-se que estes ocupavam um locus típico no espaço de cor, permitindo uma caracterização de ocorrência. Neste cenário optou-se por uma abordagem Bayesiana (aprendizado supervisionado e análise) como modelo cognitivo de observação e estatística multivariada no espaço de cores como solução geral do problema, além do conceito de agentes inteligentes como novo paradigma de desenvolvimento. Resultados preliminares indicaram que a metodologia proposta é superior à principal técnica existente na literatura especializada nos seguintes aspectos: modelamento matemático mais rigoroso, discriminação precisa dos padrões atmosféricos observáveis nas imagens, invariância em relação ao ângulo de incidência solar (brilho), comparação das imagens com sensores de radiação solar e a identificação de outros fenômenos atmosféricos a partir das mesmas imagens. A validação indicou que desvios entre o tempo de obtenção das imagens de satélite e da superfície apresentam diferenças de avaliação. Especula-se que as deferenças se acentuam à medida que a velocidade de deslocamento das nuvens aumenta, mesmo na ordem de alguns minutos. O presente trabalho também abre o caminho para uma análise mais refinada no futuro, de forma a permitir buscar a estimativa da avaliação da altura e do tipo das nuvens através de imagens de superfície.

Palavras Chave: Nuvens. Métodos multivariados. Processamento de imagens. Conhecimento.

Link para download: Sylvio Luiz Mantelli Neto

BERMEJO, Paulo Henrique de Souza. Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação com Ênfase em Conhecimento. Tese, 2009..

O planejamento estratégico de Tecnologia da Informação (PETI) tem sido identificado como essencial para integrar a TI à organização e para alinhá-la aos negócios. Adicionalmente, a busca incessante pela vantagem competitiva tem despertado em muitas organizações a necessidade de explorarem o seu principal ativo intangível – o conhecimento. A ênfase na relação entre essas duas perspectivas tem sido desconsiderada por muitos estudos existentes envolvendo o PETI, o que pode comprometer os resultados e dificultar a operacionalização do planejamento. Este trabalho apresenta um método específico para PETI com ênfase em conhecimento. Foi realizada uma pesquisa qualitativa, de natureza aplicada, com abordagem exploratória descritiva e fundamentada em estudos de casos. Preliminarmente, foram
realizados um estudo de caso piloto com características da pesquisa-ação e, na seqüência, um estudo de caso múltiplo. Com isso, ao final, obteve-se um método específico para PETI com ênfase em conhecimento, o qual foi verificado em 11 empresas de diferentes portes e de diversos setores da economia. O método resultante contempla práticas específicas da área de gestão do conhecimento voltadas para uso do conhecimento organizacional, além de caracterizar a gestão do conhecimento nas atividades do PETI por meio da identificação de subprocessos de conhecimento, relação de atores com os modos de conversão (socialização,
exteriorização, combinação e interiorização), tipos de conhecimento envolvidos no
planejamento estratégico de TI, assim como ferramentas e tecnologias. O método proposto permitiu um melhor uso do conhecimento organizacional no PETI e uma maior participação dos colaboradores das organizações, contribuindo diretamente para a eficácia e efetividade dos resultados dos planejamentos estratégicos de TI.

Palavras-chave: Planejamento estratégico de Tecnologia da Informação; Planejamento de Sistemas de Informação; Conhecimento aplicado ao Planejamento Estratégico de TI; Gestão estratégica de TI; Governança de TI.

Link para download: Paulo Henrique de Souza Bermejo

OTANI, Nilo. Universidade empreendedora: a relação entre a Universidade Federal de Santa Catarina e o Sapiens Parque. Tese, 2008.

O objetivo deste trabalho é demonstrar de que forma a relação entre a Universidade
Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Sapiens Parque pode promover a
emergência de uma universidade empreendedora. O Sapiens Parque é um parque
científico e tecnológico voltado ao fortalecimento da economia do conhecimento,
localizado em Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina; a UFSC, uma
entre as 53 universidades federais brasileiras. A universidade, criada na Europa no
século XI, e no Brasil, no início do século XX, possui desafios a superar e exercer
seu papel, sem romper com os princípios construídos como missão precípua, a
indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. A visão de uma universidade
empreendedora agrega mais um desafio: aproximar as universidades das demandas
sociais, posicionando-se como vetores do desenvolvimento econômico e social e
transformar o conhecimento criado em valor agregado. A presente pesquisa
classifica-se como acadêmica e aplicada; em relação aos objetivos, é descritiva e
exploratória; aborda o problema qualitativamente; quanto aos procedimentos para a
coleta de dados, é bibliográfica, de campo e documental. A amostra, não
probabilística e intencional, compõe-se de nove sujeitos publicamente reconhecidos
que representam a UFSC, o Sapiens Parque e os setores do governo e das
empresas de Santa Catarina. Os dados foram coletados por meio de entrevistas
estruturadas e de questionários. Com base nos resultados desta pesquisa e
limitados à amostra estudada, conclui-se que, a relação entre a UFSC e o Sapiens
Parque pode promover a emergência de uma universidade empreendedora: ao criar
uma cultura empreendedora; ao oportunizar aos estudantes desenvolverem idéias
empreendedoras com os professores, com base na Lei de Inovação n°.10.973/2004;
há uma convergência de interesses institucionais; e o Sapiens Parque é um novo
espaço para a UFSC exercitar sua cultura empreendedora, propiciando o ambiente e
uma dinâmica favoráveis ao desenvolvimento de uma universidade empreendedora.

Palavras-chave: Universidade Empreendedora. Universidade Federal de Santa
Catarina. Sapiens Parque. Parques Científicos e Tecnológicos.

Link para download: Nilo Otani.

BUCHELE, Gustavo Tomaz. Adoção de Métodos, Técnicas e Ferramentas para Inovação: estudo de casos múltiplos em projetos realizados por organizações inovadoras. Tese, 2018

A utilização efetiva de Métodos, Técnicas e Ferramentas para Inovação (MTF-Is) tem sido considerada uma importante força motriz para o sucesso da gestão da inovação. Embora haja certo consenso na literatura sobre a importância da adoção da MTF-Is, poucos trabalhos buscam analisar e identificar mecanismos que possam apoiar os gestores a tomarem decisões em relação à estruturação do processo de inovação em contextos específicos, principalmente em relação a quais MTF-Is adotar. Isto porque ainda existem diversos aspectos da adoção de MTF-Is que carecem de maiores aprofundamentos para suprir esta lacuna. Nesse sentido, esta tese teve como objetivo propor um modelo conceitual do processo de adoção de MTF-Is no contexto de sete projetos realizados por organizações inovadoras do setor de Informação e Comunicação da Grande Florianópolis, a partir de um estudo de casos múltiplos. Para realização da pesquisa foi elaborado um protocolo para coleta de dados de campo e as análises foram realizadas por meio da técnica de análise temática. Com base nos resultados, foi possível verificar que os MTF-Is foram utilizados durante todo o projeto, mas com mais intensidade no front end da inovação. Identificou-se que os entrevistados possuem amplo conhecimento sobre MTF-Is e sobre a importância deles para o sucesso do projeto. De forma geral, os MTF-Is puderam ser utilizados de forma flexível, para solucionar problemas de acordo com as demandas dos projetos. Os resultados indicaram que o desempenho do projeto pode estar relacionado à adoção de MTF-Is e que a satisfação em utilizá-los, bem como sua utilidade percebida dependem do sucesso dessa performance. Além disso, os entrevistados apontaram melhorias para o processo de adoção de MTF-Is, as quais permearam a utilização de boas práticas para o compartilhamento do conhecimento adquirido. O objetivo é compartilhar esse conhecimento com outros projetos, o que poderá permitir que os obstáculos, bem como alguns dos problemas e deficiências apontados em relação aos MTF-Is sejam minimizados. Com isso, espera-se que o processo de adoção de MTF-Is possa ser realizado com menos recursos de tempo e financeiros. Ao final, espera-se que o modelo conceitual do contexto estudado possa servir como ponto de partida para estudos mais amplos para se chegar à elaboração de meios que auxiliem na decisão de quais MTF-Is adotar em determinado contexto.

Link para download: Gustavo Buchele